Mês: março 2009

John Byrne e a folha em branco

John Byrne é um dos grandes nomes dos quadrinhos mainstream de super-heróis. Reverenciado por seu trabalho ao lado de Chris Claremont na revista Uncanny X-Men, a partir da década de 80 e ao longo da década de 90, Byrne trabalhou com quase todos os principais super-heróis americanos. Enquanto durante a Era Reagan os super-heróis tinham uma grande tendência em se mostrar pessimistas com problemas psicológicos e culturais, os heróis de Byrne abriam um sorriso e lutavam levando consigo uma aura de que tudo daria certo. As histórias de Byrne apelavam pela nostalgia, patriotismo e cristianismo. Em seu livro Comic Book Nation, Bradford W. Wright coloca uma entrevista de John Byrne realizada em 1990, onde o autor se mostra preocupado com a indústria dos comics. Ele criticava as tendências promovidas por alguns de seus colegas naquela época, insistindo que “tem havido uma distinta mudança de atitude entre as pessoas que estão fazendo quadrinhos. Os mantenedores estão menos em evidência e os destruidores estão mais em evidência”. Com destruidores, Byrne se referia à onda de reconstrução dos …