Citações, quadrinhos
Comentários 4

Asterios Polyp, David Mazzucchelli (Citações)

Asterios Polyp, David Mazzucchelli

Asterios Polyp, David Mazzucchelli

Seguem algumas citações retiradas de Asterios Polyp, de David Mazzucchelli:

“E se a realidade (como a percebemos) fosse uma mera extensão do self? Isso não influenciaria o modo com que cada individuo vivencia o mundo? (Sendo alguém que não existe tenho direito a fazer estas perguntas) Talvez isso explique por que algumas pessoas parecem se relacionar sem esforço algum, enquanto outras não se entendem. Ainda que as pessoas continuem tentando”. – Ignazio

“Aristófanes, no banquete de Platão, sugere que a forma humana nem sempre foi como é hoje: originalmente os humanos eram esféricos, tinham quatro braços, quatro pernas e um rosto em cada lado de uma única cabeça. (Em termos evolucionários, é difícil entender a vantagem de tal construção). Tamanha era sua arrogância que ousaram desafiar os próprios deuses. Zeus, em sua sabedoria, dividiu os arrivistas em dois. Cada lado se tornou uma entidade distinta. (Platão deixa claro seu parecer sobre essa teoria fazendo com que Sócrates a descarte sem alarde). Desde então, homens e mulheres corrrem esbaforidos atrás de suas metades perdidas, em pânico, no desejo de voltarem a ser inteiros. (Aristófanes merece algum crédito, ao menos pela originalidade)”. – Ignazio

“A vida é estressante querida. É por isso que se diz ‘descanse em paz'”. – Mãe de Asterios

“Acho bem interessante que a história da religião seja, em resumo, a história de “homens santos” que ouviam vozes, tinham visões e se achavam perseguidos por conta de suas relações com o divino. Hoje seriam chamados de esquizoparanoides”. – Asterios

“Pode acreditar. Se existisse lítio há laguns milhares de anos, hoje o mundo seria um lugar bem diferente”. – Asterios

“É um ponto de vista meio antropocêntrico, sabe? No mundo natural não faltam variações daquilo que consideramos masculino e feminino. E isso também depende, tipo, da rigidez das classificações. A tribo pima, por exemplo, reconhecia quatro sexos distintos. Incluíam fêmeas masculinas – que caçavam com os homens – e machos femininos, que cuidavam da casa com as mulheres. Esses dois, na verdade, muitas vezes se tornavam xamãs por serem respeitados em sua natureza dual, sabe?”. – Ursula

“A adoção generalizada de um ponto de vista como esse teria livrado o mundo de muito sofrimento, sem dúvida”. – Asterios

“Na vida as coisas dificilmente são isso ou aquilo, sabe? É esse tipo de pensamento simplista que cria fanáticos”. – Ursula

“Viu só, você ouve palavras, mas não sabe escutar! Ser quieto não é a mesma coisa que não ter opinião! Parecer tímido não é a mesma coisa que não existir! Talvez tudo que essa pessoa queira de vez em quando seja um pouco de reconhecimento…” – Hana

“Viver (na minha compreensão) é existir dentro de um conceito de tempo. Mas relembrar é cancelar a própria noção de tempo. Toda lembrança, não importa o quão remota, acontece “agora”, no momento em que é convocada à mente. Quanto mais algo é relembrado, mais vezes o cérebro tem chance de aprimorar a experiência original, porque toda lembrança é uma recriação, não uma reprodução”. – Ignazio

Claro que estas citações não dão conta de demonstrar o quanto a HQ de David Mazzucchelli é incrível. Eu também não saberia construir uma resenha que chegasse a seus pés. Lendo a HQ, todas as citações fazem sentido juntas. Sem mencionar as sequências sem nenhuma citação que também incluem com certeza muito de poesia visual (como abaixo). Uma das melhores coisas que li nos últimos anos em matéria de quadrinhos.

Sequência visual de Asterios Polyp

Sequência visual de Asterios Polyp

Este post foi publicado em: Citações, quadrinhos

por

Guilherme “Smee” Sfredo Miorando nasceu em Erechim em 1984. Já deu aula de quadrinhos, trabalhou com design e venda de livros e publicidade. Faz parte do conselho editorial da Não Editora. Co-roteirizou o premiado curta-metragem Todos os Balões vão Para o Céu. Seu livro de contos Vemos as Coisas como Somos foi selecionado pelo IEL-RS em 2012. Publicou em 2014 a HQ Fratura Exposta e sua primeira narrativa longa, Loja de Conveniências. Em 2015 lançou a antologia FUGA, de HQs com seu roteiro. Possui o blog sobre quadrinhos splashpages.wordpress.com

4 comentários

  1. Pingback: As 20 Melhores HQs que li em 2012 « Splash Pages

  2. Pingback: O Show de Jesus: Punk Rock Jesus, de Sean Gordon Murphy | Splash Pages

  3. Pingback: Quadrinhos Para Quem Não Curte Quadrinhos | Splash Pages

  4. Pingback: [Prateleiras Comentadas] Minha Coleção de HQs! | Splash Pages

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s