O TransGênero Super-Heróis

“Girls who want boys
who like boys to be girls
who do boys like they’re girls
who do girls, like they’re boys
Always should be someone you really love”.

Blur – Girls and Boys

Alysa revelando sua verdadeira identidade para Batgirl
Alysa revelando sua verdadeira identidade para Batgirl

Essa semana a DC Comics anunciou a revelação do que seria o primeiro personagem abertamente transgênero dos quadrinhos mainstream. Ela seria Alysia, a companheira de casa de Barbara Gordon, a Batgirl. A personagem já havia aparecido desde o primeiro número da série da filha do Comissário Gordon, mas a revelação aconteceu somente no número 19, deste mês. A  roteirista responsável pela criação de Alysa, Gail Simone, foi demitida pela DC Comics através de um e-mail e foi substituída por duas edições. Até que a manifestação dos fãs fez com que a escritora retornasse ao título. Além de conhecida por seu humor em séries como Deadpool, Agente X, Aves de Rapina e Sexteto Secreto, Simone, também é uma grande debatedora dos papéis de gênero nos quadrinhos. Antes de se destacar como roteirista, Gail possuía um site chamado Women in Refrigerator, que aludia à história onde o Lanterna Verde Kyle Rainer encontrava sua namorada esquartejada dentro de uma geladeira. Gail iniciou um movimento pela valorização das personagens femininas e das mulheres artistas e roteiristas na indústria de quadrinhos de super-heróis. Não por acaso, foi recrutada para mostrar a visão feminina sobre as mulheres. Gail foi além nas questões de gênero. Em Aves de Rapina – grupo  que Barbara Gordon liderava, como hacker sobre uma cadeira de rodas, após ter sido baleada e estuprada pelo Coringa (na memorável A Piada Mortal, de Alan Moore e Brian Bolland) -, Gail Simone nos apresentou a um casal de vilões homossexuais, Creote e Savant. Depois disso, em Sexteto Secreto, ela desenvolveu um relacionamento entre Escândalo Savage e Nocaute, além de trabalhar a ambiguidade sexual do Homem-Gato. Simone declarou o seguinte sobre a revelação de Alysia: “Esse tipo de personagem existe, e isso é ótimo. Mas eu queria que houvesse um personagem transgênero que não fosse baseado na fantasia. E eu sinto que há muito ainda por se fazer”.

Simone tem razão quando fala que os personagens transgêneros que existem nos quadrinhos de super-heróis são praticamente calcados na ficção: ou são transmorfos, alienígenas, vindos de um futuro distante, ou apenas crossdressers. Mas isso não é uma coisa dos tempos modernos, não. Já em 1935 existia o(a) personagem Madame Fatal, que era um homem que se fantasiava de velhinha para cometer crimes. A partir da década de 90 com a abertura do código dos quadrinhos, esses personagens se proliferaram, como Coagula, da Patrulha do Destino. Ela trabalhava na indústria do sexo, como travesti e tinha um namorado bissexual cujo relacionamento sexual ativou seus poderes. Já na revista do Savage Dragon, de Erik Larsen, surgia a Força Monstro (Freak Force) liderada pelo Poderoso, uma entidade mágica, bastante semelhante ao Capitão Marvel, que teve muitos hospedeiros ao longo dos anos, entre eles crianças, jovens e idosos tanto do sexo masculino como feminino. Também há o caso de Masque, Morlock inimigo(a) dos X-Men, cujos roteiristas e desenhistas, inclusive seu criador, Chris Claremont, não decidem qual é a identidade sexual do(a) personagem. Já nos anos 2000, Mattie Franklin, uma das Mulheres-Aranha, se fantasiava como o Homem-Aranha. E nos Novos Vingadores, a personagem deficiente auditiva Eco, tomava para si a identidade de Ronin, um personagem masculino.  Porém, existem outros personagens transgêneros, mais famosos que os citados anteriormente. Vamos a eles:

Tornado Vermelho (Red Tornado) - Ma Hunkel
Tornado Vermelho (Red Tornado) – Ma Hunkel

Tornado Vermelho (Ma Hunkel)

Primeira Aparição: All-American Comics #3 (1939 – Não Publicada no Brasil)

Criador: Sheldon Meyer

Aparecia primeiramente como um personagem coadjuvante nas histórias de Scribby, o garoto-cartunista. Porém, quando uma gangue começou a ameaçar sua vizinhança, Ma Hunkel coloca um balde na cabeça e se veste como o super-herói Tornado Vermelho. Ela derrota os vilões e começa a atuar como defensor da lei, passando-se por homem. Mais tarde, com a reintrodução da Sociedade da Justiça no Universo DC, Ma ficou responsável pelo museu da Sociedade e de tarefas domésticas. Sua neta, Tempestade, também participou da Sociedade.

Nuvem (Cloud) se declarando para Serpente da Lua (Moondragon)
Nuvem (Cloud) se declarando para Serpente da Lua (Moondragon)

Nuvem

Primeira Aparição: The Defenders #123 (1983 – Não Publicada no Brasil)

Criadores: J.M. DeMatteis e Don Perlin

Nuvem era uma massa de matéria espacial que tomou forma humana, primeiramente de uma mulher, cujos poderes eram se solidificar e tornar-se gasosa. Depois de sofrer experimentos por uma corporação vilanesca, foi salva pelos Defensores. Acabou fazendo parte da formação da equipe conhecida como Os Novos Defensores, que incluía Gárgula, Valquíria, Anjo, Fera, mas foi pelos seus colegas Serpente da Lua que se apaixonou, ainda na forma de mulher, e pelo Homem de Gelo, quando passou a assumir uma forma masculina. Mais tarde, Serpente da Lua revelou-se lésbica e passou a namorar Phyla-Vell, filha do Capitão Marvel.

Primeira aparição de Paradoxo (Paradox)
Primeira aparição de Paradoxo (Paradox)

Paradoxo

Primeira Aparição: Marvel Preview #24 (1980 – No Brasil: Aventura & Ficção#3 – 1987)

Criadores: Bill Mantlo e Paul Gulacy

Vindo do futuro, Paradoxo é um produto, um paranormal criado pela engenharia genética. Ele tem poderes transmorfos, ou seja, pode mudar sua forma. Após a falha ter se aberto no espaço do nosso universo, ele veio para cá investigar. Acabou envolvendo-se com Monarka, outro ser vindo do futuro, ainda na forma de mulher, mas quando seu caso ficou sabendo de sua verdadeira forma, não se importou e os dois iniciaram um relacionamento como piratas espaciais. Resolveram ficar na Terra por “se encaixarem bem na esquisitice local”.

Pin-Up do Doutor Oculto (Doctor Occult)
Pin-Up do Doutor Oculto (Doctor Occult)

Doutor Oculto

Primeira Aparição: New Fun Comics #6 (1935 – Não Publicada no Brasil)

Criadores: Jerry Siegel e Joe Shuster

Dizem algumas fontes que o Doutor Oculto foi o verdadeiro primeiro super-herói. Talvez sim, em data de publicação, e ele merece os méritos por ser inventado pelos mesmos criadores do Superman, mas as ideias que resultaram no Homem de Aço estavam em formação na cabeça dos garotos de Cleveland desde o colegial. Também conhecido como o Detetive do Sobrenatural, o Doutor Oculto tem poderes místicos e, a partir da minissérie Os Livros da Magia, por Neil Gaiman e Charles Vess, o Doutor poderia mudar para o aspecto feminino de sua alma, Rose, para que pudesse entrar no mundo das Fadas. Mais tarde foi “explicado”, que Rose não era seu lado feminino, mas alguém que compartilhava do mesmo corpo que o bom Doutor.

Desejo, dos Eternos (Desire, from the Endless)
Desejo, dos Eternos (Desire, from the Endless)

Desejo, dos Eternos

Primeira Aparição: The Sandman #10 (1989 – Publicada no Brasil em várias edições, sendo a última Sandman – Edição Definitiva Vol. 1 – 2010)

Criadores: Neil Gaiman e Michael Dringberg

Desejo é uma entidade, um dos sete eternos, irmão(ã) do Sonho e da Morte. Egocêntrico e manipuladora, Desejo é a encarnação desse aspecto humano. Por isso não tem um sexo definido. Geralmente é representado de maneira andrógina, veste-se com um terno branco, porém tem curvas de um corpo feminino e não possui seios. Seu símbolo e seu lar é um coração pulsante, chamado Limiar.

Lorde Fanny, travesti brasileiro, por Brian Bolland
Lorde Fanny, travesti brasileiro, por Brian Bolland

Lorde Fanny

Primeira Aparição: The Invisibles #2 (1994 – Publicada em várias edições no Brasil, sendo a última Os Invisíveis – Revolução – 2008)

Criadores: Grant Morrison e Steve Yeowell

No inglês britânico, fanny significa vulva, já no americano, significa traseiro. Não poderia ser um nome melhor para um travesti brasileiro criado no México, com poderes xamãnicos, certo? O segundo arco de Os Invisíveis, Abocalipse (Apocalipstick) é inteiramente dedicado à origem e desenvolvimento deste intrigante personagem, com passagens muito interessantes sobre questões de sexualidade de gênero. Polêmica, sim, mas uma das melhores histórias já concebidas por Grant Morrison.

Sir Ystin: "Não sou homem, nem mulher, sou ambos".
Sir Ystin: “Não sou homem, nem mulher, sou ambos”.

Cavaleiro Andante (Sir Ystin)

Primeira Aparição: Seven Soldiers: Shining Knight #1 (2005 – No Brasil: 7 Soldados da Vitória #1 – 2007)

Criadores: Grant Morrison e J. W. Williams III

Quando foi incumbido de renovar os personagens da equipe da Era de Ouro, os Sete Soldados da Vitória, Grant Morrison deu uma nova cara para o Cavaleiro Andante, vindo de uma outra dimensão, onde Camelot era destruída e o mundo dominado por forças sinistras, é revelado somente no final da minissérie, que Sir Ystin na verdade era uma mulher. Já na reformulação feita para os Novos 52, da DC Comics, o Cavaleiro Andante participa dos Cavaleiros do Demônio, uma equipe de super-heróis medieval. Na última edição do roteirista Paul Cornell à frente do título, Sir Ystin revela que não é homem, nem mulher, mas ambos. O que levou o roteirista a declarar: “É ótimo que um personagem da DC Comics possa se revelar como transgênero e não inflamar comentários. É muito revigorante”.

Xavin transformando-se em mulher por amor à Karolina.
Xavin transformando-se em mulher por amor à Karolina.

Xavin

Primeira Aparição: Runaways #7 (2005 – No Brasil: Avante, Vingadores #1 – 2007)

Criadores: Brian K. Vaughan e Takeshi Miyazawa

Evadido de seu mundo natal, onde treinava para um dia reinar sua raça alienígena e transmorfa como um Super-Skrull, Xavin vem à Terra onde se encontra com os Fugitivos. Tomando a forma de um homem negro, se apaixona facilmente por Karolina Dean, outra alienígena. Porém Karolina sente atração por sua colega de equipe, Nico. Para que Karolina se apaixone por Xavin, ele toma a forma de uma mulher negra e os dois começam a namorar.

Como se pôde ver, os principais exemplos de personagens transgêneros ainda se passam no campo da fantasia (mesmo se tratando de um universo onde existem super-heróis). Ou são alienígenas, entidades, pessoas vindas do futuro, por isso a criação de Gail Simone é tão importante. Ela não tem nada de fantástico, ela é real. Ela não é super, a não ser na sua capacidade de enfrentar um mundo em que a encara como uma mazela. E provavelmente, isso seja o suficiente.

Anúncios

3 Comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s