10 Motivos, quadrinhos
Comentário 1

10 Motivos Para ler a Juiz Dredd Megazine

Senhor Juiz, esse casamento, será pra mim todo meu tomento...

Senhor Juiz, esse casamento, será pra mim todo meu tomento…

Há quase um ano a Mythos Editora lançou a primeira revista seriada do Juiz Dredd, trazendo material da icônica revista em quadrinhos inglesa, 2000 A.D.. O Juiz sempre foi popular aqui, aparecendo em crossovers e tendo estrelado dois filmes: o primeiro com Stallone como o autoritário do futuro e o segundo, mais recente, lançado no ano passado. Porém, o personagem nunca tinha ganhado um tratamento como este. Já são 11 edições mensais, um especial de Natal e um encadernado em capa dura. Confira abaixo, dez razões para você acompanhar esta revista:

1. ALAN MOORE: Quem no mundo dos quadrinhos nunca ouviu falar dele? O mago barbudo é um chamariz de leitores e, por isso, seu nome figura sempre no topo da edição da Megazine. Na 2000 A.D., entre muitas séries, ele escreveu os Choques Futuristas de Targh e Distorções Temporais, narrativas com um clima borgiano ou aasimoviano, mas com muito humor negro. Histórias em quadrinhos curtas sempre acabam ganhando a simpatia dos leitores e, quando realizadas por uma pessoa do calibre de Moore, os conquistam ainda mais.

Perdeu seu tempo? Procure no Achados & Perdidos!

Perdeu seu tempo? Procure no Achados & Perdidos!

2. GRANDES NOMES: Pra quem não sabe, a revista 2000 A.D.,  berço das histórias publicadas na Megazine, foi a incubadora de ideias de muitos bambambãs da chamada Invasão Inglesa nos quadrinhos de super-heróis americanos. Entre os nomes que figuram nas páginas estão Dave Gibbons, Brian Bolland, Pat Mills, Grant Morrison, Mark Millar, Garth Ennis, Neil Gaiman, John Wagner, entre outros…
3. PASSADO E PRESENTE DE DREDD: A escassez de histórias de Dredd no Brasil foi uma boa razão para a Mythos colocar na revista uma história atual do Juiz ao lado de histórias importantes do seu passado. Assim, além de conhecer coisas boas que estão sendo publicadas nas terras da rainha, também sabemos um pouco sobre eventos que transformaram o Juiz Dredd no que ele é hoje.
4. EDIÇÕES ESPECIAIS: Como falei lá em cima, a Mythos já lançou um especial de Natal do Juiz Dredd enfrentando ninguém menos que o Papai Noel, entre outras presepadas natalinas futurísticas. A editora também fez uma edição “100% sexo”, em que explorava temáticas mais… hã… sensuais. Estão programadas para este ano ainda mais uma edição especial do Juiz Dredd e uma com o personagem Cannon Fodder.

Dos cinzas aos cinzas...

Dos cinzas aos cinzas…

5. ÁREA CINZENTA: Uma das melhores séries da revista, escrita por Dan Abnett (Aniquilação 2, Nova, Guardiões da Galáxia), mostra o Planeta Terra como destino de diversas populações alienígenas. Lembrou-se da saga Segurança Máxima, da Marvel? É algo por aí, mas nas últimas consequências. Lembra bastante o filme Distrito 9 também. E o nome é muito bom:  Área Cinzenta, além e representar a penumbra entre o bem e o mal, a segurança e a desordem, também é o intermédio entre o terráqueo e o alien e entre as motivações dos personagens.
6. SEM SPOILERS: Uma coisa chata de acompanhar os quadrinhos mainstream americanos é que já se sabe de tudo antes mesmo de pôr a mão na revista. Na Megazine não acontece isso, porque o mix sempre é uma surpresa. Pode surgir uma história na sequência ou algo do passado. Uma série pode encerrar e começar outra. E a surpresa é sempre boa.
7. ÁQUILA: Uma série sobre um legionário romano invadindo a Inglaterra. O detalhe é que ele tem pacto com uma deusa e é imortal. As narrativas são cheias de recursos históricos e você tem a impressão de estar lendo um Asterix sério e berserker. Roteiros de Gordon Rennie.

Abre as asas sobre nós...

Abre as asas sobre nós…

8. EDITORIAIS: Quase toda edição de Megazine traz um Editorial adiantando novidades, uma seção de cartas (quem não adora?) e matérias sobre o universo da 2000 A.D.. É preciso frisar a importância do trabalho de Pedro “Hunter” Bouça, um conosseur do quadrinho europeu, que logo no começo da revista nos trouxe a história da publicação inglesa.
9. NIKOLAI DANTE: Misture um Don Juan com Jack Sparrow com a Rússia de Dostoiévski com Tecnologia Futurista e toda essa combinação dá Nikolai Dante. Uma série ousada, sexy e tresloucada no bom sentido.
10. COLHÕES: Quando se fala em quadrinho inglês é a isso que eu associo. Eles têm a capacidade de enfiar numa história tudo que vai chocar os americanos puritanos. Nossos tão adorados invasores ingleses que revolucionaram os quadrinhos de super-heróis, injetando exatamente isso neles: bagos, guts, nuts.

Se você procura quadrinhos de qualidade, corajosos e sem papas na língua, por que não experimentar um pouco da Juiz Dredd Megazine?

1 comentário

  1. Pingback: 10 Motivos Para ir Além de Marvel e DC | Splash Pages

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s