Mês: julho 2014

Não estou apaixonado, é só uma fase boba que estou passando...

RESENHA: Guardiões da Galáxia, de James Gunn, através de sua trilha sonora.

Go All The Way (Eric Carmen) – Quando o primeiro trailer de Guardiões da Galáxia saiu, todos ficaram ligados em Hoocked on a Feeling, do Blue Swede, trazendo de volta todo um clima anos 80, de aventura Sessão da Tarde à la Indiana Jones e Guerra na Estrelas, Caravana da Coragem e Quero Ser Grande. A verdade é que o filme entrega o que promete e, assim, nossos filhos e netos estarão vendo Sessão da Tarde com Guardiões da Galáxia. James Gunn vai all the way (por todos os jeitos, de todas as maneiras), pela década de 80, seja nas homenagens aos walkmen, àqueles duendes esquisitos e pelados que todo mundo tinha em casa e outras tranqueiras das infâncias dos trintões. Vamos de todo o jeito! Cherry Bomb (The Runaways) – A banda de Joan Jett vem com a “bomba cerejada”, que não poderia deixar de ser Gamora (Zoe Saldana), a única e mais letal mulher do grupo. Zoe a interpreta sensacionalmente bem, fazendo com ela seja o elemento mais sério dos Guardiões, mas que …

É um barato: Baratão 66, de Bruno Azevêdo e Luciano Irrthum

AVISO: esta resenha não é recomendada para pessoas politicamente corretas e de mal com a vida. Nem para menores. Nem para preservadores da moral e do bons costumes. O motivo? Já digo de cara: Baratão 66 é a história de um estabelecimento que de dia funciona como instituto de depilação íntima e à noite se transforma no Baratão 69, um bordel com tudo que se tem direito. Baratão 66 é um escracho. Uma forma de entretenimento bem brasileira. A HQ flerta com o kitsch, com o over e, principalmente com o brega, com citações de Waldick Soriano e Odair José. A obra mostra sua brasilidade nos desenhos do Luciano Irrthum, que emulam os cordéis em seus detalhes e traços pesados da xilogravura. Além disso, a HQ é impressa na cor roxa, lembrando os antigos mimeógrafos, dos quais ainda temos uma reminiscência do cheiro de álcool, material que auxiliava as professoras e outros utilizadores do aparelho para reproduzir e distribuir conteúdo. Mas a brasilidade de Baratão não está encerrada no modo de produção, mas também no …

Não Editora lança novela de Guilherme Smee

Um triângulo amoroso com pitadas pop da música e do cinema e um jovem perdido entre muitas vontades e poucas realizações, além de golpes financeiros e tráfico de medicamentos. Esta é a receita de Loja de Conveniências, novela de Guilherme Smee, sua estreia na narrativa longa. Loja de Conveniências, de Guilherme Smee, lançamento da Não Editora, terá sessão de autógrafos no dia 2 de agosto (sábado), a partir das 17h, na Palavraria, em Porto Alegre. Como um romance erótico às avessas, o livro traz a história de um jovem que se deixa levar pela inércia até o momento em que é abordado por uma garota, que se dispõe a fazer dele seu “projeto pessoal”. Ante a expectativa da chegada do namorado dela, seu mundo vai se modificando aos poucos, e passa a viver num pós-apocalipse emocional. Com personagens que vagam sempre isolados e devastados, colocam-se em discussão o amor, o sexo e a culpa pelas escolhas que são (ou deixam de ser) feitas. Loja de Conveniências é narrado em primeira pessoa e traz as situações …

Saudades: Especial do Mês

Mais um almanacão na lista do Saudades, pra não deixar nenhum Marvete com recalque. Hoje vamos falar de uma série de especiais todinha dedicada à Marvel. Ainda que, em sua concepção não tenha sido bem esse o propósito. Conheçam ou relembrem o Especial do Mês. Dados Gerais: Especial do Mês (Editora Abril) Duração: 4 números – Agosto de 1999 a Dezembro de 1999 O Contexto: A Marvel na Abril se expandia, mas em terras não-mutantes. Depois do boom das revistas mutantes no início da década de 90, a revista mensal Fator X foi cancelada e assim, muitos mutantes perderam sua casa. Era a época dos Heróis Renascem, em que Capitão América, Vingadores, Homem de Ferro e Quarteto Fantástico ganharam uma série de 12 edições na Abril. Além disso, havia a revista Marvel 99, que trazia boas histórias de Hulk, Demolidor, Elektra, mas principalmente de Deadpool e Kazar. As revistas de linha ganhavam o reforço de 100 páginas para suas anteriores 84 páginas. Para lançar mais aventuras, e aventuras separadas, a Abril resolveu lançar o Especial …

5 Motivos Por Que uma Coleção de Graphic Novels DC Seria Melhor que a da Marvel/Salvat

Em primeiro lugar quero deixar uma coisa bem clara: sou marvete de coração e formação, mas amo quadrinhos EM GERAL. O negócio é que tenho achado as HQs escolhidas para compor a coleção de Graphic Novels Marvel/Salvat um pouco óbvias demais e recentes demais. Ela deixa de lado muitas sagas memoráveis da Marvel e prioriza os últimos 10 anos da Casa da Idéias, sendo que a editora tem mais de 75 anos. Por isso acho que, dados as obras que a DC possui em seu catálogo (e também a Panini, uma vez que tudo depende de o que a editora italiana já tem pronto aqui no Brasil) seria montada uma coleção muito mais significativa que a da Marvel. Então, seguem os motivos: PERSONAGENS ICÔNICOS: Quem não conhece Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Flash e Lanterna Verde? Eles estão por aí há anos com seus símbolos espalhados pelo mundo em forma de merchandising e licenciamentos. Os personagens da DC são icônicos, mas não falo apenas no seu status de super-heróis, mas que eles possuem símbolos e são símbolos …

Vivir para contarlo

A fantasia se torna real: GABO – Memórias de Uma Vida Mágica, de Óscar Pantoja, Miguel Bustos, Felipe Camargo, Tatiana Córdoba e Julian Naranjo

Gabriel García Márquez deveria ser o autor que qualquer fã de super-heróis deveria procurar ler. Principalmente o livro Cem Anos de Solidão. Explico: García Márquez foi um dos expoentes do realismo fantástico-maravilhoso latino-americano, ao lado de Júlio Cortázar e Mario Vargas Llosa. O realismo fantástico tem por pressuposto se utilizar de cenas mágicas e maravilhosas acatadas de maneira comum pelos seus espectadores. Assim como a Nova York da Marvel Comics ou Metrópolis e Gotham City da DC Comics, a cidade colombiana de Macondo também tem os seus seres superpoderosos. Depois que li GABO, me dei conta de como a obra dele (incluindo aí livros como Cem Anos de Solidão, O Amor nos Tempos do Cólera e Crônica de Uma Morte Anunciada) influenciou a minha literatura e meus gostos por livros. Apresentado a ele aos 14 anos por uma tia, fiquei encantado com a densidade dos relatos, maravilhado com as cenas de poderes sendo revelados, ao mesmo tempo que lidava com relações humanas de forma única. Era como ler super-heróis, ou melhor, como ler uma HQ …

Para dançar isso aqui: é Bomba!

Toda Loucura Tem Seu Método: Doutor Octopus – Origem, de Zeb Wells e Kaare Andrews

Otto Octavius, o Doutor Octopus, está sob os holofotes depois que assumiu não apenas o manto, mas o corpo do Homem-Aranha. Ele é a estrela do título Homem-Aranha Superior, a mais nova fase do aracnídeo, que vem arrancando elogios da crítica e dos leitores, mesmo aquele que torceram o nariz com o spoiler da revista. Aqueles que curtiram o novo status do escalador de paredes sob o domínio do Doutor Octopus, ficaram se perguntando: de onde veio tanto ódio por Parker, por que o Doutor age assim. Em Doutor Octopus – Origem ficamos sabendo disso tudo, pelas mãos do roteirista Zeb Wells, talvez em seu melhor trabalho para a Marvel e do ilustrador superstar Kaare Andrews, que faz capas fabulosas para diversas revistas. Conhecemos o drama do pequeno Otto ainda em sua infância, quando os grandes óculos em um corpinho rechonchudo, mostravam nada além de inocência e fragilidade. Depois de ser atormentado pelos valentões na escola, que quebravam seus óculos, Otto precisava voltar pra casa e enfrentar a ira de seu pai, que o surrava …