10 Motivos, quadrinhos
Comentário 1

10 Motivos Para Ler Jonah Hex

Foi no Velho Oeste que ele nasceu, com índios e coites ele aprendeu...

Foi no Velho Oeste que ele nasceu, com índios e coites ele aprendeu…

Ele é sanguinário, e veio do velho oeste. Ele busca vingança. Ele é Django? Não, ele é Jonah Hex. Nosso herói de um passado distante. Mas também de um futuro distante. Ele foi publicado em mais de sete volumes ao longo dos anos. Mas vamos falar aqui do penúltimo volume dele, que trouxe a dupla Gray/Palmiotti para o cowboy desfigurado, pouco antes dos Novos 52.

FAROESTE: Foi no velho oeste que ele nasceu, com índios e coiotes ele aprendeu, caçar, caçar, caçar, com todos os nativos brigar, assim Xuxerife Jonah Hex cresceu. Quem não gosta de faroeste? Tem um encanto naquela terra desconhecida, cheia de promessas, em que tudo ainda é permitido e tudo é conquistado na base do olho por olho e do dente por dente. Os duelos, o carteado, o deserto e as minas (tanto as dos bordéis, quanto as de ouro).

HISTÓRIA: Há um bocado de história nas narrativas de Hex. Pra começar, Jonah foi um soldado que lutou pelos confederados (os que era a favor da escravidão) na Guerra de Secessão. Mas, muitos dos seus contemporâneos também dão as caras. Em uma história bastante diferente para os padrões de Hex, ele se encontra com Thomas Edison, que projeta uma cidade futurística de autômatos.

Hey, Hex, dá a patinha, Hex!

Hey, Hex, dá a patinha, Hex!

HISTÓRIAS AUTOCONTIDAS: Com raras exceções, as histórias de Jonah são autocontidas. Todas elas têm um desenvolvimento incrível, com momentos de chocar de crueldade e crueza. Com reviravoltas inesperadas e o sentimento de justiça preservado, mostram que Jonah Hex é mais que um caçador de recompensas frio.

ORIGEM: A origem de Jonah Hex é nebulosa, por isso, no encadernado Origem, publicado aqui pela Panini Comics, há três histórias que mostram diferentes facetas da origem do caça-prêmios. Sua infância, seu tempo com os confederados e a época em que era escravo dos apaches. Além disso, esse encadernado traz o arco A Balada de Talulah Black a, digamos, contraparte feminina do fora-da-lei.

Meu nome não é Jonah, meu nome é Hex, caralho!

Meu nome não é Jonah, meu nome é Hex, caralho!

PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS: O velho oeste é uma fronteira grande, ainda não conquistada. De lá surgiram muitas lendas. Principalmente no Universo DC. O conquistador Bat Lash, o demoníaco El Diablo, e muitos outros cowboys da época do bangue-bangue. A ideia de tantos personagens do Faroeste reunidos, migrou para a edição dos Novos 52, All-Star Western, ou como foi batizada no Brasil, Grandes Astros do Faroeste, porém sem o mesmo brilho.

ROTEIROS: Talvez Justin Gray e Jimmy Palmiotti não sejam os melhores escritores da indústria de quadrinhos, uma vez que já pariram filhos terríveis como A Batalha por Blüdhaven. Mas deem uma segunda chance pros caras e vão ver que Jonah Hex é um dos melhores, ou talvez o melhor trabalho da dupla. Cada encadernado do cowboy desfigurado supera o outro.

Tem rostinho mais bonito?

Tem rostinho mais bonito?

ARTE: Para ilustrar as desventuras de Jonah Hex, a DC chamou, entre muitos, um dos criadores do personagem: Tony DeZuñiga. Mas o maior destaque vai para Jordi Bernet, cujo estilo europeu casa muito bem com as histórias do pistoleiro, tendo já trabalhado com outro cowboy famoso, Tex Willer. Outros artistas deixando lindos retratos (e outros nem tanto) do oeste na série são Luke Ross, Phil Noto, Rafa Garres, Paul Gulacy, entre muitos mais.

CRUELDADE: Poxa, crueldade é um motivo pra ler uma revista? É sim. Ou então me diga porque você lê Wolverine, Lobo, Justiceiro ou Preacher? Não vai me dizer que é por causa das entrevistas! HAM! Bem, e o que se poderia esperar de um fora-da-lei que tem o rosto desfigurado e vive numa terra onde ninguém respeita nenhuma autoridade? Há histórias de arrepiar os cabelos como a das irmãs que matam os homens e retiram seus membros e suas línguas, dão de alimentar a outros homens que as visitam só para continuar com sua vingança contra os machos.

TODOS OS GÊNEROS: Como deu pra ter uma pequena noção, as histórias de Hex vão além do gênero faroeste. Dependendo da narrativa, temos o terror, ou o suspense. Também temos o sobrenatural. Guerra. Ficção Científica. Fantasia. E às vezes até um pouco de drama e romance. Só faltou o desenho animado.

ENCADERNADOS: O bom de ler essa série do Hex aqui no Brasil foi que ela foi lançada em seis encadernados pela Panini. Claro que a série não acabou de ser publicada por aqui, já que foram publicados 36 números dos 70 originais. Mas o legal é que você não precisa acompanhar do começo esses encadernados. Pode pegar qualquer um deles e não vai ter perdido nada, é só mergulhar na areia do deserto.

Cabe aqui mencionar que a série que sucedeu esta, All-Star Western se passa em Gotham City com Hex envolvido com Amadeus Arkham, o criador do Asilo Arkham. A série também possui ligações com o arco Corte das Corujas. Então, já sabe. Go for it!

PS: Esse post foi publicado primeiro no Terra Zero.

Anúncios

1 comentário

  1. Pingback: Os Melhores Quadrinhos de Super-Heróis que Li em 2014 | Splash Pages

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s