destaque, quadrinhos, Resenhas
Comentários 2

Ninguém é Uma Ilha: Ilhado, de Vitor Coelho e Marcelo Salaza

“Quem você levaria para uma ilha deserta?” é uma pergunta clássica, mas como o Arqueiro Verde, Robinson Crusoé e o pessoal do seriado LOST podem confirmar, viver numa ilha deserta não é uma paraíso. Longe disso. Também não são o paraíso os sonhos de Daniel, que cresceu numa ilha deserta. Espera. Corrigindo. Daniel viveu toda sua experiência onírica dentro de uma ilha deserta. Lá ele aprendeu a sobreviver, dar nós, fazer fogo e todas essas coisas que escoteiros aprendem com seus chefes. Mas Daniel teve de aprender sozinho.

Capa_01Esse é o mote de Ilhado, uma HQ escrita por Vitor Coelho e desenhada por Marcelo Salaza. Na história começamos a acompanhar Daniel, ainda criança, perdido nos seus sonho e na ilha deserta. Logo em seguida somos levados ao divã da psiquiatra de Daniel onde conhecemos mais sobre seus problemas. Ilhado é o primeiro quadrinho do selo Metavírus, de Vitor Coelho, que também é designer, ilustrador e faz parte do staff do podcast Por Trás da Máscara.

Page_1Numa HQ de 24 páginas que será lançada na FIQ 2015, Vitor e Salaza nos fazem embarcar em uma história que conquista pela naturalidade dos diálogos, como se fosse um pedacinho da vida de alguém sendo montada em quebra-cabeças que podem ser tão confusos e lúcidos quanto sonhos.

Os desenhos de Marcelo Salaza, que já trabalhou para editoras americanas como Zenescope, Ronin Studio e Viper Press, emulam o alto contraste lembrando uma arte que ficaria entre a inovação de um Andrea Sorrentino e o cuidado de um Mike Deodato.

Page_2Ao tratar de problemas psicológicos, envolver o tipo de sonho que Daniel tem com a morte do seu pai e sua posterior dificuldade de comunicação, me faz lembrar um famoso texto de John Donne, poeta inglês do século XVI, que inspirou Ernest Hemingway sem eu romance Por quem os sinos dobram. Ele diz mais ou menos assim: “Nenhum homem é uma ilha, sozinho em si mesmo; cada homem é parte do continente, parte do todo; se um seixo for levado pelo mar, a Europa fica menor, como se fosse um promontório, assim como se fosse uma parte de seus amigos ou mesmo sua; a morte de qualquer homem me diminui, porque eu sou parte da humanidade; e por isso, nunca procure saber por quem os sinos dobram, eles dobram por ti”.

Page_4Se isso tem a ver ou não com a história de Ilhado, só saberemos ao ler a HQ e a continuação dela. Para saber mais sobre Ilhado, o selo Metavírus e como adquirir o quadrinho, acesse o site do Metavírus ou então a fanpage no Facebook.

2 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s