Curiosidades Sobre Quadrinhos e Figuras de Ação

Ex mai love, ex mai laove, se botar você na vitrine, não vai valer nem 1,99...

Principalmente durante a década de 80, a indústria de brinquedos teve um impacto bastante significativo sobre os rumos que os quadrinhos tomavam. A seguir vou falar sobre alguns desses casos.


Pelos poderes de Gay's School!
Pelos poderes de Gay’s School!

HE-MAN É UM CONAN QUE DEU ERRADO

Estava tudo pronto para lançar um bonequinho do Conan, em virtude do filme de 1982, estrelado por Arnorld Schwarzenegger. Mas, aparentemente, a Mattel desistiu de fazer um boneco do personagem de Robert E. Howard porque não queria vender um produto para crianças que estivesse associado à nudez e violência. A contenda de direitos autorais correu até o final dos anos 90, quando a Mattel ganhou da Conan Properties Inc. o direito de comercializar a imagem de He-Man e Os Mestres do Universo, e ficou provado que uma não tinha nada a ver com a outra. Embora existam registros de que os bonequinhos foram comercializados antes do filme do Conan e antes do filme dos Mestres do Universo.


Uniforme Afro-Descendente
Uniforme Afro-Descendente

O UNIFORME NEGRO DO ARANHA EXISTE SÓ PRA VENDER MAIS BONECOS

Era 1984, e surgia o primeiro crossover entre super-heróis que se tem notícia: Guerras Secretas! Mas, antes do evento, existia a linha de super-heróis relacionada com o evento. Entre os heróis, estavam o Capitão América, Wolverine, Demolidor. Entre os vilões Doutor Octopus e Doutor Destino. E tinha o Homem-Aranha. Um com uniforme normal e outro com um uniforme em negativo. Durante a minissérie de Guerra Secretas, Peter Parker entra em contato com um uniforme alienígena que se gruda a seu corpo. Assim, ele volta do evento de roupa nova e vendendo bonecos seus em dobro! Mais tarde o uniforme negro iria dar origem ao vilão Venom e a uma infinidade de seres de roupa simbionte. A coleção foi vendida no Brasil pela Gulliver.


Oi, foi daqui que pediram uma pizza?
Oi, foi daqui que pediram uma pizza?

TODD MCFARLANE É MAIS FAMOSO PELOS SEUS BONECOS DO QUE POR SPAWN

Quando Spawn era um sucesso, lá por 1994, Todd McFarlane resolveu criar uma linha de bonecos do Soldado do Inferno. Mas depois de muito pesquisar, ele chegou à conclusão de que nenhuma companhia fazia o nível de detalhamento para suas peças da maneira que ele queria. McFarlane criou, então a “Todd Toys”, só que teve de mudar de nome para McFarlane Toys porque a Mattel (ela de novo!) achava que o nome poderia ser associado a uma versão infantil da Barbie. A empresa cresceu quando começou a chamar a atenção de outros segmentos que queria bonecos tão bem detalhados quanto os do universo de Spawn. A série Movie Maniacs, por exemplo, apresenta monstros clássicos da Universal Studios e da Paramount Pictures. Mas a empresa também licencia Os Simpsons, A Hora do Pesadelo, Sexta-Feira 13, entre outros. O sucesso foi tanto que muitas outras empresas tentaram copiar a fórmula de detalhamento dos personagens.


Capitão Luzes (check!). Capitão Câmera (check!). Capitão Ação (check!).
Capitão Luzes (check!). Capitão Câmera (check!). Capitão Ação (check!).

CAPITÃO AÇÃO: TUDO QUE VOCÊ QUER SER

Embora as primeira figuras de ação tenham surgido em 1964 e terem sido baseadas em G.I. Joe, como o famoso boneco Falcon, que media entre 20 e 30 cm de altura, uma das grandes sensações dos bonequinhos surgiu em 1966 e se chamava Capitão Ação. Com o Capitão Ação, o amiguinho poderia brincar com múltiplos personagens ao mesmo tempo! Ooooooh! A figure, produzida pela Hasbro, a mesma do Falcon, era vendida com acessórios e uniformes de muitos personagens como o Fantasma, Capitão América, Superman, Batman e Homem-Aranha. O Capitão Ação foi o primeiro brinquedo a combinar action figures com super-heróis. Uma tendência que continua até os dias de hoje.


O Amor e O Poderrrr
O Amor e O Poderrrr

SUPERPOWERS: A COLEÇÃO DE BONEQUINHOS QUE VEM COM UM GIBI

Com o sucesso do desenho dos Superamigos, a Kenner Toys lançou em 1980 uma coleção de bonecos dos super-heróis e dos supervilões da DC Comics. Em 1987, a coleção chegava no Brasil pela Estrela. Na linha de brinquedos, além de trazer o boneco e acessórios, com cada um “exercitando o poder” do herói/vilão, vinha um pequeno gibizinho com um historinha curta relacionada ao personagem em questão. O engraçado é que, tanto no Brasil como nos Estados Unidos, houveram séries chamadas Super Powers que nada tinham a ver com as Action Figures.


Ex mai love, ex mai laove, se botar você na vitrine, não vai valer nem 1,99...
Ex mai love, ex mai love, se botar você na vitrine, não vai valer nem 1,99…

SE VOCÊ FOR MUTANTE, VOCÊ VALE MENOS

Ok, essa eu acho que é um baita boato, mas como eu sei que vão vir comentar sobre isso depois, aqui vai. Nos anos 90, a Marvel e a Toy Biz licenciavam centenas de personagens dos X-Men porque, por algum furo na lei, eles não era figuras humanas. Eles eram figuras MUTANTES e, por isso, importar brinquedos que lembram não humanos, mas mutantes, não precisava lidar com altas taxas de imposto. Dizem que isso foi uma vitória da Marvel nos tribunais. Mas eu duvido muito. De qualquer forma, os mutantes são desvalorizados até pelos próprios criadores. Estão presos num mundo que não os criou…

Anúncios

2 Comments

  1. A primeira mini-série publicada pela Marvel envolvendo diversos personagens foi Contest of Champions, publicada anos antes de Secret Wars, e em termos crossover entre personagens teve Superman vs Homem-Aranha no final dos anos 70, indo mais longe, o Brasil foi pioneiro, publicando de forma independente nos anos 60 o encontro entre o Tocha Humana e Capitão Marvel.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s