As Melhores HQs Brasileiras Que Li em 2015

Nossa derradeira lista de melhores do ano que passou traz o que de melhor eu li em se tratando de produção nacional, que vem surpreendendo muita gente em qualidade e diversidades. Então pra que esperar mais? Vamos lá!

BRAmayaraMAYARA E ANABELLE, VOLUMES UM E DOIS, DE PABLO CASADO E TALLES RODRIGUES

Você quer uma HQ brasileira cheia de ação e boas tiradas, mas que você consiga se identificar? Que não seja aqueles pastiches de quadrinhos americanos como o Super Tupinambá e o Gaúcho Ultra Herói dos Pampas? Mayara e Anabelle é uma boa pedida. As duas protagonistas trabalham na Secaf do Ceará, a Secretaria de Controle de Acontecimentos Fora do Comum do estado, para onde a ninja Mayara acaba de ser transferida. Além de ter de lidar com sua aclimatação em Fortaleza, Mayara terá de lidar com o estranhamento causado entre ela e a maga Anabelle, que possuem personalidades opostas. O desenho de Talles lembra Byan Lee O’Malley, de Scott Pilgrim Contra o Mundo e o texto de Pablo é mais brasileiríssimo impossível. Esses dois elementos vão fazer você se identificar de cara. Uma ótima leitura, seja para brasileiros ou estrangeiros.


BRAbeco

BECO DO ROSÁRIO, DE ANA LUIZA KOEHLER

Um quadrinho magistral que não deixa nada a dever para as maiores obras feitas mundo afora. A diferença é que ela tem brasilidade e uma brasilidade muito diferente do que já foi retratada por aí nos quadrinhos: a brasilidade gaúcha. E ainda, diferente do gauchismo de Érico Veríssimo ou de Simões Lopes Neto, é uma história sem fantasia – no sentido de criaturas e magia – mostrando as modificações urbanas na cidade do Porto Alegre no início do século XX. Ana Koehler, que tem como formação na arquitetura e urbanismo, faz tudo na HQ: roteiros, desenhos, colorização, balões e letreiramento mostrando porque ela é essa grande força do quadrinho nacional e internacional.


 

BRAvizinhosVIZINHOS, DE LEARTE

Fazia tempo que a Laerte não se aventurava em narrativas mais longas, Vizinhos, é uma dessas tentativas. O resultado não podia ser menos genial. A HQ que saiu na coleção 1000, da Editora Narval, de Rafael Coutinho, filho de Learte, apresenta o conflito entre um morador de apartamento e um flanelinha. Para uma narrativa longa, a HQ acaba parecendo curta, deixando em nós a vontade de mais histórias assim pela Laerte, contundentes e reflexivas.


BRAmobile

PERPETUUM MOBILE, DE DIEGO SANCHEZ

Em sua segunda edição, dessa vez pela Editora MINO, esse livrinho charmoso do Diego Sanchez conquista pela desolação. Todos já tivemos momentos em que nada parece funcionar, como num movimento perpétuo dentro de um deserto que nunca acaba. Ou, como diz, o ditado, quanto mais as coisas mudam, mais continuam as mesmas. No caso da HQ do Diego, a história, formada por pequenas histórias, dizem respeito a romance, profissão, sobre tentar ser alguém. Pepertuum Mobile é o movimento do “não-conseguir” dentro de um mundo de expectativas e frustrações. Destaque para a maneira como Diego esboça o diálogo interno do personagem principal.


maye

MAYE, DE FABIOMESMO E PAULO DANIEL DOS SANTOS

Não é porque eles são meus amigos que coloquei essa HQ aqui. É porque é uma HQ competentíssima. Contando a história de Escriba, um carinha encarregado de capturar seres imaginários que estão fora de sintonia com a nossa realidade, esse conto conquista pela aventura, pelos diálogos bem engendrados do Fabio e pelos desenhos super bem-bolados e modernos do Paulo. Acho que você devia ir atrás da sua AGORA! Para ler o prelúdio, clique aqui.


 

ultimaA ÚLTIMA BAILARINA, DE GUILHERME DE SOUSA

Caras, esse meu xará já havia me surpreendido com o seu Quer Dançar? que li ano passado. Eu estava muito ansioso pelo A Última Bailarina porque a premissa era: uma garotinha, um urso boca-suja e um unicórnio gay estão cercados numa casa por uma horda de zumbis. Ou seja: Diversão garantida. E amigos, como eu gargalhei com essa HQ, sério, não conseguia parar. Foi muito bem bolada, como diria o Silvio Santos.


BRApena

PENADINHO: VIDA, DE PAULO CRUMBIM E CRISTINA EIKO

Assim, ó, apesar de essa HQ ter ficado conhecida como “um desserviço à fé cristã”, ela é muito mais que isso. É uma bela história de amor. É uma aventura. Fala sobre a importância da amizade. Tem personagens antigos cativantes. Tem personagens novos cativantes. Tem uma narrativa ousada. Respira a cidade de São Paulo. Além dos seus autores, o Crumbim e a Eiko serem uns queridões, competentíssimos e lembrarem o Pato Fu, como falei nesse link. Ah, sim, e pra finalizar, essa é minha Graphic MSP preferida!


BRApasseio

A PASSEIO, DE DANIEL DOS SANTOS E CIRO

Você acha que não se fazem quadrinhos no Tocantins? Bem, essa HQ do coletivo Os Cabrones é um belo exemplo. Ela é dividida em duas partes. A primeira é uma história autobiográfica do Daniel e a segunda parte são colaborações entre o Daniel e o Ciro no fanzine Nonada. No início da publicação eles falam sobre suas influências nos quadrinhos e parece que aprenderam muito bem com elas. O que mais me chamou a atenção em A Passeio foi a narrativa fluida e bem composta. Eles usam de enquadramentos e composições do layout difíceis de se encontrar em quadrinhos iniciantes nacionais. Só depois de muita cancha é que se aprende esses truques e os dois aprenderam muito bem! Tenho também de destacar o trabalho gráfico da HQ, com uma fonte criada pelo Ciro e uma HQ feita em tecido e costurada (!) pela mãe dele. Bem, acho que são alguns bons motivos para você procurar ler essa HQ tocantinense.


BRAmute

MUTE, DE MARCO OLIVEIRA

O Marco tem trabalhos incríveis, além do premiado Aos Cuidados de Rafaela (com Marcelo Saravá), ele mantém o blog Overdose Homeopática. Porém, seu trabalho em Mute, que saiu pela Zarabatana Books, tem uma outra proposta: buscar os limites e as coincidências da linguagem dos quadrinhos. Marco usa o universo das tiras e das gags visuais para atingir esse objetivo e, como diz o nome-título, ele busca a comunicação apenas visual para garantir um sorriso ou uma interrogação brotando da cabeça do leitor. O resultado é um álbum que tem um tanto de experimental, um tanto de humor e um bocado de inquietação.


 

ilha 001ILHA, DE MURILO SOZA

Um professor de inglês vai parar numa ilha em que é acolhido por uma mulher, mas caçado pelo resto dos moradores do local. Algum mistério ronda a cidade enquanto o professor e a mulher fazem sexo selvagem em uma cabana. Escrita e desenhada no desafio Quadrinhos 24 Horas, essa HQ de Murilo possui uma crueza que encanta o vivente. Assim como as ilhas, ela possui um beleza que está lá, intocada, nas raízes do mato, incrustada na areia, nos cérebros humanos e suas sinapses que os levam a cometer atos descabidos e selvagens e crus. Uma HQ rápida, mas não indolor, que você não passará incólume.


 

Agora, então, fechamos o ciclo de melhores leituras de 2015 e começamos mais um ano com mais leituras para vocês. Tentarei manter um post mensal com, pelo menos, 5 melhores leituras do mês (e uma ruim, conforme me pediram). Acompanhem!

Anúncios

2 Comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s