[VALENTINE’S DAY] X-Men: Romance e… Tragédia!

Claro que uma das coisas que os leitores – e principalmente as leitoras – de X-Men mais gostam são os dramas românticos vividos pelos mutantes. Então, aproveitamos o Dia dos Namorados para fazer uma listinha dos casais mais românticos, apaixonados e melosos que os X-Men e adjacências já tiveram. Aqueles que tiveram de superar enormes obstáculos para manter acesa a chama do amorrrr. De quebra, indicamos para vocês algumas histórias bem trágicas e românticas. Preparem seus lencinhos de papel e vamos lá!


 

VALrogueGAMBIT E VAMPIRA

Desde que se encontraram, Gambit e Vampira vinham flertando. Mas a mocinha tinha um problema: não podia se envolver romanticamente com ninguém, pois, oh, se tocasse a pele desnuda do mancebo, ela absorveria seus poderes, suas memórias, seus dons. Mas, ah!, o amor de Remy Le Beau pela mutante da mecha branca foi maior e superou esse obstáculo. Até que, um dia, os dois se encontraram sem poderes na fortaleza antártica de Magneto. E – rá! Yeah! Yeah! Glu, glu, piu, piu! – Deram uma pegadinha do Mallandro! De lá pra cá foram vários altos e baixos, poderes que vêm, poderes que vão. Mas esse continua sendo o casal mais trágico dos X-Men.

LEITURA RECOMENDADA: O Julgamento de Gambit (Fabulosos X-Men # 39 a 44)


VALcykes

CICLOPE E FÊNIX

A verdade é que, lá no começo dos X-Men, todo mundo queria pegar a Jean – até mesmo o Professor Xavier. Mas ela gostava mesmo era de Scott Summers, só que o caolho magrão demorou muito tempo pra chegar junto na ruiva. Os dois namoraram por um bom tempo e, na fase de Claremont e Byrne, fizeram sexo telepático no alto das Montanhas Rochosas. Mas foi também nessa fase que surgiu a Fênix Negra e, por mais que os X-Men e a Guarda Imperial de Shiar se esforçassem, era impossível deter a força destruidora da Fênix. Então, ela tomou uma decisão para o bem do universo: iria se sacrificar. É de encher os olhos de lágrimas quando Jean (ou não seria a Jean?) se joga na frente dos raios destruidores antes que Scott possa alcançá-la.

LEITURA RECOMENDADA: A Saga da Fênix Negra (Várias Publicações e Republicações, sendo a última A Coleção de Graphic Novels Marvel (Salvat) #02)


VALpsy

ARCANJO E PSYLOCKE

Tudo começou num convite para o baile do Clube do Inferno, já que as famílias dos dois X-Men faziam parte do nefasto antro. De lá para os ares, e o romance estava concretizado. Quando Dentes de Sabre linchou Psylocke, Arcanjo foi atrás da cura, mas ela veio com um preço: agora Betsy estava mais sombria e podia se fundir com as, bem, sombras. Além disso estava maculada com uma tatuagem vermelha sobre seus olhos. Assim começava A Saga da Aurora Rubra. Mas o romance ia se estender para mais além. Quando os dois fizeram parte da Fabulosa X-Force, tiveram de lutar contra o instinto assassino e seus lados sombrios. Arcanjo se tornou o filho de Apocalipse e cometeu muitos genocídios em nome de Em Sabah Nur. Para dar um fim ao reino de terror do seu amado, Psylocke não teve outra altenativa a não ser assassiná-lo.

LEITURAS RECOMENDADAS: A Saga da Aurora Rubra (X-Men Especial: Psylocke & Arcanjo) e A Saga do Anjo Negro (X-Men Extra # 127, 129 a 134)


VALmadrox

MADROX E LAYLA MILLER

Estes dois integrantes do X-Factor têm um dos romances mais complicados dos mutantes, mas também uma das trajetórias mais bem escritas. Pelas mãos de Peter David, Jamie Madrox, o Homem-Múltiplo acaba se apaixonando pela garotinha que sabia das coisas e que foi responsável pelo fim da Dinastia M, Layla Miller. Layla, desde sempre, sabia de seu destino ao lado de Madrox. É complicado, mas basicamente sua versão futura lhe contou tudo que iria lhe acontecer. Ela também era capaz de fazer magias e de ir e voltar no tempo, pois era uma discípula do Doutor Destino. Madrox foi envolvido na sua rede e o final (?) não me pergunte, porque a maldita Panini interrompeu do nada a publicação de X-Factor no Brasil e ficamos a ver navios de uma das melhores séries mutantes de todos os tempos.

LEITURA RECOMENDADA: De Volta Para o Futuro (X-Men Extra #101 a 108)


VALsolaris

SOLARIS E MULHER-ARANHA

Oba! Um romance gay pra fazer polêmica! E desencavado bem lá do fundo do baú para mostrar que esse colunista não entende pouco de mutantes. Solaris era a versão feminina do herói mutante japonês de outra realidade que fazia parte da equipe que dobrava tempo e espaço, os Exilados. Após confessar que curtia garotas para seu colega Morfo, Solaris se apaixona por Mary Jane, a Mulher-Aranha de uma Terra Alternativa onde a Falange dominou quase todo mundo. Porém, as duas viviam num dilema: o namoro à distância. Se já é difícil manter um relacionamento em duas cidades diferentes, imagine então namorar alguém e uma realidade/dimensão diferente? Só sendo mutante, né não?

LEITURA RECOMENDADA: Um Segundo Adeus (X-Men Extra #38 e 39)


 

VALemmaAi, ai, o amor é lindo né? Mas também é trágico e estraga com a sua vida! Já diriam os X-Men. Citando o Guia do Mochileiro das Galáxias: “Amor, um sentimento demasiado difícil para se entender. Favor evitá-lo!”. Feliz Dia dos Namorados!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s