10 Motivos, destaque, fique de olho, quadrinhos, Quadrinhos Comparados
Comentários 3

10 Pragas Mortais e Epidemias Fatais dos Quadrinhos

Em tempos de conscientização contra o Zika Vírus, a Dengue e a Febre Chikungunya, nada mais atual que falarmos de epidemias e pragas que assolaram nossos queridos personagens de quadrinhos e como eles se viraram contra elas. Então jogue fora seus pneus velhos cheios d’água, coloque terra nos pratinhos dos vasinhos de flores, não deixe água parada para evitar possíveis criadouros de mosquito. E use muito repelente, principalmente se você for mulher e estiver grávida. Agora, vamos ao texto!


 

PRAamazoVÍRUS AMAZO

A Cidade de Metrópolis se vê invadida por um vírus que transforma humanos em meta-humanos, enchendo-os de poderes e, depois, matando-os. Tudo começou quando o vilão Nêutron invadiu a Lex Corp no intuito de matar Lex Luthor e acaba liberando o vírus – vindo do androide Amazo – no ar. A Liga da Justiça precisa, então, encontrar o paciente Zero e retirar uma amostra de suas células para desenvolver uma cura. Superman e Mulher-Maravilha, devido a suas origens inumanas, não são a fetados, mas o resto da Liga convalesce. Mas com a ajuda de Lex Luthor e do regenerado Capitão Frio, a maré acaba mudando para os heróis e a ameaça é contida. Não sem antes o andróide Amazo despertar novamente e prometer vingança contra a Liga da Justiça.


 

PRAlegacyVÍRUS LEGADO

Criado pelo vilão dos X-Men, Senhor Sinistro e liberado na atmosfera por outro malfeitor, Conflyto, o Vírus Legado era um vírus que, a princípio só matava mutantes. Foi responsável pelo falecimento do Pyro, Revanche e Illyanna Rasputin. Mas logo o vírus começou a afetar humanos, como a pesquisadora Moira MacTaggert, criando uma epidemia global. O vírus legado foi criado para ser uma versão da AIDS no mundo mutante. Pois se pensava, a princípio, que a AIDS só afetava homossexuais. Nos quadrinhos, o herói Colossus se sacrificou para liberar uma cura para o Vírus, como forma de hornrar a vida de sua irmã falecida, Illyanna, a Magia. Falamos mais sobre as correspondências do vírus legado com o mundo real nesse link.


 

PRAbloodBLOODLINES

Um dos eventos de verão da DC Comics, Bloodlines foi responsável por apresentar o herói Hitman, criado por Garth Ennis e John McCrea na série de Etrigan, o Demônio em 1993. Se tratava de um crossover publicado em vários anuais da editora, concluindo na minissérie Bloodbath escrita por Dan Raspler. Se tratava de uma espécie alienígena, os Xenomorfos,  que matava humanos para drenar parasiticamente sua medula. Os pouco sobreviventes do parasitismo se tornavam superpoderosos. Sete séries de heróis se originaram do crossover. A série de Hitman veio mais tarde. Nela, os parasitas alienígenas garantiam ao assassino de aluguel boca-suja poderes como invisibilidade e visão de raios-x. A revista Hitman também era escrita por Garth Ennis e desenhada por John McCrea.


PRAisland

A ILHA DAS ARANHAS

O Chacal e a Rainha se uniram para criarem aranhas modificadas geneticamente para que picassem os seres humanos e transformassem-nos em heróis com poderes de aranha. A epidemia acabou concentrada apenas na Ilha de Manhattan, que foi apelidada de A Ilha das Aranhas. Tudo isso poderia ser incrível, com heróis aracnídeos para todos os lados, mas havia uma segunda fase da evolução do vírus: os infectados viravam aranhas quase humanas e todos obedeciam aos comandos da Rainha. Foi preciso a união de Venom e do Capitão América para matar a Rainha e debelar a ameaça, enquanto Peter Parker, o Homem-Aranha, estava sem poderes tinha de lidar com uma  Mary Jane com poderes aracnídeos. Uma saga muito legal e divertida.


PRAcontagio

CONTÁGIO

Trata-se de um importante arco de histórias do Batman, cuja continuação levou em direção à cultuada fase Terra de Ninguém nas revistas da Batfamília. Uma epidemia de um vírus semelhante ao Ebola se alastra por Gotham City. Agora Batman e seus aliados precisam enfrentar um grupo de mercenários atrás de um sobrevivente do vírus para achar uma cura. Batman e Robin acabam se unindo à Mulher-Gato, Azrael, e até mesmo à Hera Venenosa para salvar Gotham do vírus. A história seguinte, Legado, leva Batman até o Oriente Médio enfrentar a dupla Ra’s Al Ghul e Bane para evitara que liberem o vírus sobre Gotham. No arco seguinte, Terremoto, um deslizamento de terra atinge a cidade do Morcego, fazendo com que suas ligações com o resto do mundo sejam cortadas transformando a cidade em uma Terra de Ninguém.


PRAy

Y: O ÚLTIMO HOMEM

Na série criada por Brian K. Vaughan e Pia Guerra para a linha Vertigo, da DC Comics, uma praga assolou o planeta matando todos os portadores do cromossomo Y, ou seja, todos os machos da Terra. Menos Yorick Brown e seu macaco capuchinho Ampersand. Cabe a ele e seus aliados buscar uma forma de reverter essa praga e também tentar entender a razão por que ela aconteceu no mundo. Falamos mais sobre a série nesse link.


 

PRAwalkingTHE WALKING DEAD

Um dos maiores sucessos da atualidade dos quadrinhos, tendo gerado duas séries de televisão de grande sucesso, a série criada por Robert Kirkman e Tony Moore, apresenta uma praga zumbi. O personagem principal é o xerife Rick Grimes que comanda um grupo de pessoas com nenhum intuito a mais do que sobreviver em um mundo lotado de mortos-vivos. Além de lidar com a praga e de ter momentos muito “gores”, a série surpreende por tocar no lado humano dos personagens de maneira cativante.


PRA900

OS 900

Em comemoração às 900 edições da revista Detetive Comics, durante a iniciativa Os Novos 52, o escritor John Layman e Jason Fabok trouxeram uma história especial. Ao procurar uma cura para seu estado de Morcegos-Humano, o Dr. Kirk Langstrom e sua esposa Francine acabam transformando um bairro inteiro de Gotham em uma horda de Morcegos-Humanos – o bloco entre a nona e a décima avenida de Gotham conhecida como bloco 900.  Um antídoto é encontrado e disseminado no ar. A história já vinha sendo construída por Fabok em histórias back-up de Detective Comics. O resultado da saga é um Dr. Kirk Langstrom sem poderes e sem aparência de morcego, mas sua mulher Francine, na penumbra, ganha o título e os poderes de um novo Morcego-Humano.


PRAinhuman

NÉVOAS TERRÍGENAS

Durante a saga Infinito, como uma maneira de salvar sua raça. Os Inumanos, o rei Raio Negro acabou sacrificando a cidade aérea de Attilan, explodindo-a. Como resultado, a cidade caiu no Rio Leste de Nova York, liberando as Névoas Terrígenas, elemento crucial do ritual que transforma os Inumanos em seres superpoderosos. Uma nuvem de poeira terrígena se espalhou pelo mundo, fazendo com que pessoas que teriam genes inumanos em seu corpo formarem casulos, para então, se transformarem em seres super-poderosos. È o caso, por exemplo, de Kamala Khan, a nova Miss Marvel. Porém, com o passar dos tempos reparou-se que as névoas terrígenas acabavam sendo prejudiciais ao mutantes e podendo mata-los. Agora o Fera pesquisa maneiras de evitar a extinção dos mutantes.


PRAdetiny

PESTE NEGRA

A Peste Negra foi uma epidemia real que acometeu a humanidade durante a Idade Média em decorrência da falta de saneamento e dos mas hábitos de higiene da população. Ela devastou mais de um terço da população da Europa e era transmitida através de ratos, corvos, mosca e baratas e outros animas pestilentos. O impacto da doença foi tão grande sobre o mundo que até hoje ela serve de pano de fundo para muitas histórias, inclusive dos quadrinhos. Uma história que trata da Peste Negra de uma forma excelente é Destino: Crônicas de Mortes Anunciadas, de Alisa Kwitney e um monte de desenhistas competentíssimos. A série se passa no universo de Sandman e enfoca seu irmão mais velho, Destino. Para saber mais sobre a história, temos uma resenha nesse link.


PRAcapa

Agora que você já sabe tudo sobre epidemias imaginárias dos quadrinhos, vá fazer uma pesquisa sobre epidemias reais e cuide de si mesmo, de sua família e de seus amigos para que se previnam contra a Zika. Não é uma doença legal de se ver como as dos quadrinhos. Ninguém fica mais poderoso com ela, só mais fraco, tonto e dolorido.

3 comentários

  1. Ótima pesquisa. A série “Contágio” do Batman eu não li, mas li as suas sequências.

    E a história do Vírus Legado eu reli recentemente em uma maratona noventista de X-men,destaque para o comovente sacrifício de Colossus, que não foi diminuido com o seu retorno nas mãos do Joss Whedon

    Curtir

  2. Pingback: A Marvel dos Anos 90 e a AIDS – Splash Pages

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s