Análises, destaque, fique de olho, quadrinhos, Sobre Roteiros
Comentários 8

O Talento do Roteirista Charles Soule e a Invenção de Personagens

Um dos principais nomes da nova geração de roteiristas da Marvel e da DC Comics, nenhum roteirista dos últimos tempos teve uma ascensão tão meteórica como Charles Soule. Nenhum deles também é tão prolífico. Entre 2013 e 2016, Charles esteve envolvido com mais de 20 títulos, incluindo os do Universo Star Wars. Vamos conhecer um pouco mais desse novo talento.

SOUcapa

Lá vem o Soule, tchururu ruru…

SOUletter44

I’ll send you all my love, everyday in a letter, sealed with a kiss. Smack!

Soule começou nos roteiros na pequena SLG Entertainment, em 2009, desenvolvendo a graphic novel Strongman, a história de um luchador que se torna super-herói. Na sequência, em 2013, engatou a série contínua Letter 44, pela Oni Press. A história traz a trama de uma investigação policial que busca encontrar uma anomalia em uma missão espacial num asteroide. Aí então tudo aconteceu muito rápido. Letter 44 se tornou uma opção do canal SyFy para se tornar uma série de televisão. Ao ver isso, a DC Comics chamou Soule para substituir Scott Snyder na revista do Monstro do Pântano. A Marvel também reparou no roteirista e o chamou para substituir Daniel Way em Thunderbolts.

Assim, Soule passou a trabalhar nas duas editoras ao mesmo tempo. Além das séries mencionadas, ele escrevia Lanternas Vermelhos e Superman/Mulher-Maravilha pela DC Comics e Inumano, Mulher-Hulk e todo o crossover da Morte de Wolverine pela Marvel. O incrível é que mesmo sendo prolífico, a qualidade de suas histórias não era ruim. Foi assim que ele conseguiu um contrato de exclusividade com a Marvel se tornando, então responsável pela franquia dos Inumanos e substituindo Mark Waid no Demolidor. Já no Universo Star Wars ele escreveu o especial de Lando, a minissérie de Obi-Wan e Anakin e agora está escrevendo a série continua de Poe Dameron.

SOUmonstro

Lista dos Titãs: Pantha, No!

Durante sua passagem pelo Monstro do Pântano, Soule mostrou a que veio fazendo uma run que, na minha opinião, foi muito melhor que a de Scott Snyder, embora a do Escritor de Batman seja sim, bem boa. Soule adicionou o reino Cinza, o reino dos fungos, em que seu avatar só quer aproveitar a vida e não se importa com as funções do seu reino. Criou a assassina Cappuccinne, uma imortal de centenas de anos de idade a serviço do Verde. Em suas histórias o Verde enfrentou o reino das máquinas, fazendo uma despedida apoteótica de Soule e do próprio título do Monstro do Pântano.

SOUinhuman

Raiva, Nojinho e Tristeza.

Nos Inumanos, após a saída de Matt Fraction, Soule trabalhou uma gama nova de personagens sob as asas da rainha de Attillan, Medusa. Todos incrivelmente interessantes. Como na história em que Medusa quer localizar Raio Negro. Ela manda uma dupla de policiais Inumanos para investigar seu paradeiro, entre eles, uma inumana que pode selecionar uma palavra e saber onde ela foi falada no mundo todo Um número realmente empolgante de Inumano. Essa facilidade de lidar com conceitos e personagens únicos parece ser uma especialidade de Soule, que os trabalha de uma maneira que lembra um resquício de Neil Gaiman misturado com uma verve de Mark Waid para caracterização.

Talvez o evento da Morte de Wolverine não tenha alcançado tantos comentários na mídia como outras mortes prévias de heróis. Também não foi mal executado. E também não foi um primor de história. Mas o que é interessante são as consequências desenvolvidas em Wolverines – a minissérie que lida com o Legado de Wolverine e com O Legado de Logan: Projeto Arma X. Talvez essa minissérie seja uma síntese do que Soule faz bem. Ele nos faz nos importarmos com personagens que nunca vimos – como esses refugos do projeto Arma X – e constrói uma trama quase aventura, quase thriller, que nos empolga.

SOUweapon

É só mais um maluco dos piercings que gosta de se pendurar no teto.

Em Demolidor ele está trabalhando isso novamente, inserindo Sam Cho, o novo parceiro de Matt Murdock, que ninguém conhece e trabalhando suas histórias ao lado de Ron Garney com muitos tons de preto e vermelho. Também precisamos torcer para que sua fase na Mulher-Hulk, mais voltada para as causas jurídicas, com a participação da Felina, Howard e Demolidor seja publicada aqui no Brasil.

E se você não leu nada de Soule, seria legal dar uma chance para ele. Você encontrará personagens bem construídos, tramas empolgantes e entenderá o porquê de sua ascensão no mercado de quadrinhos ter sido tão rápida. Boa leitura!

Anúncios

8 comentários

  1. Virei fã dele depois da fase que ele escreveu na Mulher-Hulk.

    Aliás, é notável como a experiência dele como advogado contribuiu tanto pra mulher-hulk quanto pra revista do Demolidor agora.

    Curtir

  2. Pingback: Destaques do Checklist Marvel/Panini Comics de MARÇO de 2016 | Splash Pages

  3. Pingback: As Melhores e Piores Leituras de Março de 2016 | Splash Pages

  4. Pingback: Melhores e Piores Leituras de Julho de 2016 – Splash Pages

  5. Pingback: Cullen Bunn: O Roteirista dos Supervilões | Splash Pages

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s