Mês: abril 2016

ABRILmelhores

As Melhores e Piores Leituras de Abril de 2016

Abril, mês dos bobos! Nada mais justo que, aos fim dos mês, nós, fãs de quadrinhos que somos muitas vezes feitos de bobos pelas editoras, mas que algumas vezes mostramos como os outros são bobos por não lerem quadrinhos, precisamos selecionar o que vale muito ser lido e o que… bem… não vale. Vamos lá!

harassment

“O Escritório do Superman Não Emprega Mais Mulheres” e o Assédio no Mundo dos Quadrinhos

Na última semana, comentários no twitter de jornalistas de quadrinhos e uma matéria na revista Paste Magazine, retomaram a questão do assédio sexual no mundo dos quadrinhos. Dessa vez a polêmica foi do desmascaramento de um assediador contínuo nos escritórios da DC e convenções de quadrinhos: o atual editor da linha de Superman, Eddie Berganza.

NFMcover

A Irmã de Peter – Homem-Aranha: Negócios de Família, de Mark Waid, James Robinson, Werther Dell’Edera e Gabrielle Dell’Otto

Peter Parker, o Homem-Aranha teria uma irmã? Isso é algo que essa graphic novel original tenta responder em meio a muita espionagem e aventuras ao redor do mundo. Com um roteiro bem amarrado e uma arte lindíssima, Negócios de Família é mais um acerto da casa das Ideias.

EIScapa

Eisner Awards Bate o Recorde de Indicações Femininas

Boas notícias para o mundo dos quadrinhos, principalmente para as produtoras e fãs mulheres! O prêmio Eisner, cujo nome é dedicado ao pioneiro Will Eisner, fez o seu recorde de indicações a produtoras de quadrinhos femininas. São 49 mulheres, que receberam 61 indicações em 27 categorias (de 30 no total). Este número representa um aumento em relação ao ano passado, quando 44 profissionais mulheres foram reconhecidas.

sotto

Uma Graphic Novel Portoalegrense. Sottovoce: A Morte Fala Baixo, de Edgar Vasques

Edgar Vasques foi e continua sendo, junto com Luis Fernando Verissimo, um dos grandes nomes do quadrinho porto-alegrense e gaúcho. Cumprindo seu papel de cartunista e crítico da sociedade, foi contra a ditadura brasileira, representando isso em seus trabalhos. Dois dos trabalhos mais famosos de Edgar são as ilustrações de O Analista de Bagé, de Veríssimo e sua criação, o mendigo Rango. Eu me lembro de a minha mãe ter um exemplar das tiras do Rango na nossa casa. Foi lendo essas tiras que meu “eu político” foi despertado, ainda com uns parcos dez anos de idade. Rango e sua turma viviam num lixão e, através dos jornais encontrados naquele lugar, eles liam a notícias e ironizavam a miséria crescente e a alienação por parte do governo com a sua situação paupérrima. Rango foi a obra que deu início à editora L&PM, em 1974, hoje uma das maiores do Brasil, que publica a sua clássica coleção L&PM Pocket, tendo publicado e evidenciado os quadrinhos durante toda sua existência. O primeiro volume de Rango, com prefácio …

rsz_liga_da_justiÇa_43_-_capa_variante

Destaques do Checklist DC Comics/Panini Para Abril/2016

Com a insurgência do evento DC & Você, a Panini traz três novas revistas da DC Comics à baila e mais vários encadernados de séries desse momento editorial. Como não somos do seleto grupo que recebe os checklists da Panini todo o mês, não reparem que as imagens tem a marca d’água do blog Planeta Gibi, uma ótima fonte quando se trata de lançamentos e novidades. #fikadika

Infinite Crisis - Fight for the Multiverse (2014-) 011-000

Como Comprar Quadrinhos em Tempos de Crise?

Inspirado neste post do amigão Sergio Vinícius do famosicíssimo 2quadrinhos, resolvi dar umas dicas (a mais) para os leitores do blog continuarem a manter sua coleção em tempos de vacas magras. Sim, estamos em crise e por mais petralha que você se considere não dá para negar. Dá para negar o golpe, mas a crise está aí na cara inadimplente da Dilma. Então aqui vão algumas dicas para continuar a acompanhar histórias gostosas sem perder o gosto pelos quadrinhos.

Animal_Man_Deus_Ex_Machina_800x600

Somos Apenas Personagens: Homem-Animal: Deus Ex Machina, de Grant Morrison, Chaz Truog, Doug Hazlewood e Outros

Encontro com o criador é o que dizem quando uma pessoa parte dessa para uma melhor. De de certa forma é isso que acontece com o Homem-Animal, Buddy Baker, nesse terceiro volume da sua série pela Vertigo. Ele se encontra com o criador. Mas no caso se trata de Grant Morrison, que é ao mesmo tempo, personagem e escritor do que é narrado. Vamos falar um pouco mais sobre isso nesse artigo.

rsz_ptru1-13840674enh-z6[1]

Destaques do Checklist Marvel/Panini Para Abril/2016

Como a Panini Comics gosta de nos fazer de bobas, nada mais justo que lançar o checklist da Marvel – sim, aquele que atrasa pra dedéu – no dia dos bobos. Pois bobos somos nós de sermos tratados que nem consumidores-lixo e a inda reverenciarmos a editora. Nada mais justo. Então vamos à essa grande bobagem que é ser consumidor de quadrinhos mainstream no Brasil. Vamos aos destaques do checklist!

tumblr_n49do5McyX1rom810o1_1280

Como LJA: Terra 2 Influenciou o Atual Universo DC

A dupla Grant Morrison e Frank Quitely (We3, Novos X-Men, Flex Mentallo) foi responsável por trazer, no final dos anos 90, uma história que mudaria o status quo do Universo DC. Essa história era LJA: Terra 2 e a dupla de superastros dos quadrinhos colocava a Liga da Justiça do nosso universo contra uma versão totalmente distorcida de si mesma. Nessa realidade, os componentes da Liga da Justiça eram os maiores vilões do planeta e não seus maiores heróis. Mas como isso influenciou o Universo DC?

rsz_eternauta-edicion-vintage-19572012-oesterheld-solano-lopez

A Obra-Prima Argentina: El Eternauta y Otras Historias, de Héctor Germán Oesterheld e Alberto Breccia

A maior história de ficção científica já produzida na América do Sul, com ares de uma história Alan Mooriana, é o Eternauta. A HQ já saiu aqui no Brasil pela editora WMF Martins Fontes, mas a edição que li se trata de uma história revisada. Apenas se mantem o escritor, Oesterheld, o desenhista muda de Francisco Solano Lopez para Alberto Breccia. Vamos falar mais sobre essa história em quadrinhos que envolve alienígenas e viagens no tempo e foi feita na década de 50. A história original de El Eternauta foi publicada em Hora Cero Semanal, em várias partes entre 1957 e 1961. Já a versão que li, foi publicada na revista Gente em 1969, revista e modificada, não contava mais com o desenhista original, Solano López, mas com outro artista famoso: Alberto Breccia, um uruguaio que fez fama na Argentina. Através da leitura de El Eternauta percebemos como a Argentina está avançada em termos de fabrico de histórias em quadrinhos se comparada a nós, brasileiros. O momento criativo que passamos hoje é o mesmo de …