[REVIEW] Tá na Hora da Guerra Civil!

Os heróis estão em treta. Batman, Superman, Capitão, Stark. Está todo mundo alvoroçado, louco pra arregaçar as mangas e iniciar o MMA quadrinístico-cinematográfico. Acho que a crise política chegou na ficção.

Eu li e vi várias críticas que comparam o novo filme da Marvel ao Batman Vs Superman. E a semelhança “familiar” é inevitável.  A motivação da briga de ambos, envolvendo os traumas familiares e sendo arquitetada por um vilão, parecem criar o mesmo filme em outras roupas, mas há um diferencial que a Marvel construiu que a favorece em bilheteria e crítica.

CVWfight
“É base!” “Não, é protetor!”

A Marvel já tem 11 filmes no bolso e o aniversário é sempre do Tony Stark – aquele que alavancou o universo e conquistou mais público no cinema do que era capaz nos quadrinhos.

Este fato já difere o filme da pelega entre o morcego e o alien. Nós já temos personagens prontos e construídos desde muito antes. A briga entre o Homem de Ferro e o Capitão já iniciou no primeiro filme dos Vingadores e se estendeu, desde então, até o Era de Ultron – filme que alavancou o primeiro motivo do Guerra civil.

capammain.0
Olha, é a Megan Fox pelada!

Além disso, o medo do Capitão de entregar seu escudo – e tudo o que ele representa – para uma organização governamental já iniciou no seu primeiro filme e se estendeu drasticamente em sua batalha contra a Shield, no segundo filme solo do boneco americano.

Tudo isto, quero dizer, favoreceu para que cada diálogo do filme tivesse um peso diferente do produzido pela DC. Era fácil pra Marvel esquematizar este conflito. E eu considero que conseguiu, com algumas – várias – ressalvas.

O filme fala sobre responsabilidade. Stark se sente culpado por Sokovia e espera redimir sua culpa e admitir que precisa de outras pessoas assumindo o controle. Steve, por outro lado, sabe os riscos de entregar os vingadores para a política e se abstém.

CVWtodos
Quer dançar? Quer dançar? Capitão vai te ensinar!

A responsabilidade se intensifica com o Crush do capitão: Bucky. A presença do soldado invernal problematiza toda a possibilidade de diálogo e eles partem para o fight. A responsabilidade é um problema muito relativo e a ambiguidade do roteiro parece deixar claro isto.

Os diálogos carregam o peso do drama. Steve enfatiza a liberdade, sempre. Stark reitera seus medos e perdas, inclusive a Sra. Stark – que parece muito a Hillary Clinton. Não há um lado correto, há apenas os próprios anseios e ideais que quando colocados em cheque, pela lei, expurgam quem são;  pertencentes a que lado.Isto tudo só acaba com a revelação da morte dos pais de Stark. Sua insanidade pela notícia resulta em uma cena muito bem feita – em coreografia e atuação – que vai até o fim (da armadura).

A introdução, nesta grande maçaroca, do Pantera e do Aranha também são dignas de apreciação. Pantera é sério e rei – e todos enfatizam isto, bastante. Ele não tem espaço para piadas. Seu estilo de luta é diferente da maioria – o uso de pernas é constante e suas quedas, não importa a altura, são sempre macias como de um pluma.

O Aranha é o sonho nerd. Piá, cabaço e nerd. O cabeça de teia e o cabeça de ferro travam um dos diálogos mais bem concentrados que já vi, resolve vários Tios Ben e explica tudo sem explicar nada – o que é um ponto acertivo para a Marvel.

25b5db43eb80b4a2483427b67d81e9b2
Foi você que se aliou ao Temer, agora aguenta.

O que parece falhar no filme é o CGI. A coreografia dos Russo é sempre bonita e bem enquadrada, mas parece que eles perdem um pouco a mão na hora de brincar com os bonecos no PC.

Além dos efeitos, temos, é claro, o vilão. Ninguém entendeu e acho que não vai entender. Ele fez tudo isto pra… sério? O problema não é nem ele ser o Zemo, na minha opinião. O problema é ter um plano que conta mais com a sorte do que com talento vilanesco.

Mas vamos dar um crédito. O próprio personagem sabia que tava ali só pra fazer a galera entrar na porrada. E que porrada: as cenas de luta são bonitas e o Homem-Formiga deixou alguns nerds chorando GRANDE.

CVWolhos
Olhos nos olhos, quero ver o que você diz!

Vale um ponto pro filme também a representação racial e social. Os filmes de herói lutam contra o preconceito na academia (já presenciamos discursos heroifóbicos). Mas este filme parece entender o #oscarsowhite melhor do que a própria academia. Personagens negros (e não só os heróis, vale lembrar do menino morto em Sokovia) bem representados; Mulheres não sensualizadas e sentando a mão pra valer – Viúva me fazia sentir cada soco e chute. Até o robô tem a Visão mais humana. 😉

Não considero o melhor filme da Marvel, nem o melhor filme de herói. Mas saí faceiro do cinema, pela terceira vez.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s