A Crise de Identidade do Homem Aranha

Quem afirma que os anos 90 não tiveram histórias boas está redondamente enganado! Apresentamos aqui uma pérola no mar de sargaços noventista: a saga Crise de Identidade, do amigão da vizinhança, o Homem-Aranha! Se já conhece, venha relembrar. Se não conhece, está aí uma ótima oportunidade para conhecer!

INCRIMINADO!

idipeterQuem acompanha política (ou ao menos assiste House of Cards) sabe que a melhor maneira de vencer um inimigo sem sujar as mãos é incriminando-o . Obviamente, Norman Osborn sabe disso e, com a ajuda do Pete-Pote-de-Pasta, ou, como ele prefere, Ardiloso, colocou o Aranha como principal suspeito da morte de Joe Z. A substância do Ardiloso que sufocou o bandido era suficientemente parecida com o fluido de teia para que isso funcionasse. E para fechar com abóbora de ouro, Norman oferece uma recompensa de de uns poucos milhões de dólares pela captura do cabeça de teia.

Obviamente, o nosso amigão precisou afastar-se um pouco das ruas. Mas todos sabemos que o Aranha não aguenta toda aquela culpa que jogaram em cima dele. E, em vez de ir falar com um terapeuta, ele decide esconder sua identidade sob outras identidades e cria assim alguns clones variantes do aranha… eu disse, clones? Desculpe!

VAMOS VENDER BONEQUINHOS?

Ok, esse subtítulo foi sensacionalista, mas eu tenho certeza que foi numa conversa sobre isso que surgiu a idéia para essa saga:

– Já vendemos todos os bonecos do Aranha!
– Faz uma versão dele com 6 braços.
– Já foi. Vendemos!
– Bota ele numa moto ou numa asa delta.. faz um aranha voador, faz ele com teias-para-quedas.. já sei.. um Buggy.
– Já foi, já foi, já, já e, claro que já né?
NOTA DO SMEE: Foi até um aranha pra brincar na água que despejava teias aquáticas!
– Precisamos de novos uniformes pro Aranha. Tipo aquele escarlate, lembra?
– Uhmmm…

Daí pra cá foi um pulito. Quatro novos uniformes cada um podendo ter sua própria moto e asa delta.. (NOTA DO SMEE: e brincar n’água!) etc, etc…

idiclothes

A saga saiu no primeiro semestre de 1998 e colocou Peter em novas situações. Criando quatro novos personagens como disfarce, ele precisou inventar personalidade e “poderes” diferentes para cada um deles, afinal, não ia adiantar apenas aparecer de uniforme semelhante com poderes parecidos aos do Aranha e jurar ser outra pessoa.

idigame

Para ajudar na sua investigação, nem todas as personagens eram heróis. Dois eles se mostravam como criminosos e tentavam se infiltrar nas gangues para descobrir quem teria realmente cometido o crime pelo qual o Aranha era perseguido. O Aranha tinha quatro revistas de linha então e cada personalidade assumiu um desses títulos:

  • Amazing Spider-Man trazia as histórias do Ricochete, que usava habilidades atléticas e agilidade para se mostrar um mercenário cheio de ginga e lábia. As histórias eram escritas por Tom DeFalco e desenhadas pelo brasileiro Joe Bennet.
  • Na revista The Sensational Spider-Man, tínhamos a história do Vespa, que misturava equipamentos criados pelo Gatuno com algumas coisas deixadas pelo Ben Reilly em sua época de Aranha Escarlate, para surgir como um herói tecnológico num conceito bem diferente do escalador de paredes. Foram escritas por Todd DeZago e desenhadas por Mike Wieringo.
  • Já em Peter Parker: Spider-Man, tínhamos o Sombra sob a batuta de Howard Mackie e John Romita Jr. Aqui, Peter usava um uniforme que surgiu numa história em dimensão paralela que podia se ocultar e planar. Foi essa a identidade que rendeu mais informações para livrar, finalmente, a cara do Aranha.
  • Por fim, em The Spetacular Spider-Man, o herói Prodígio era escrito por J.M. DeMatteis e desenhado pelo brasileiro Luke Ross. Peter usava maquiagem e apetrechos para se passar por prodígio que, inclusive recebia as honras de ninguém menos de J. J. Jameson.

Todas as participações dos novos heróis tiveram duas partes, em dois números de cada título.

O SENTIMENTO PELA SAGA

Acho que dos anos 90, ao menos da metade pro final, essa saga é que a marcou melhor minha memória. Era divertida, colocava o Aranha em situações diferentes e complicadíssimas. Nos permitiu ver o Aranha explorar suas capacidade de novas formas e nos fez acreditar que a Marvel saberia o que fazer com o Herói depois do choque dos clones e afins. O Sentimento era nostalgia… Me parecia estar relendo coisas antigas, mas com um toque novo. Vendo desenhos e artes antigas renovadas. Acho que foi a última coisa do Aranha que me fez sentir assim por um bom tempo.

idihornet

Não era nada espetacular, mas era inventiva e diferente. Não era nada inovadora também. Tenho certeza que havia muita inspiração na morte e retorno do Superman e seus 4 novos avatares, mas tinha ali um pequeno quê do que é bom nos quadrinhos. Histórias amarradas, uma trama bem montada, um motivo realmente digno e 4 personagens carismáticos e divertidos que se tornaram personas próprias com seus próprios títulos e grupo e destino.

UMA PALAVRA DE QUEM ESTAVA LÁ (Joe Bennet).

Falei com Joe Bennet rapidamente sobre sua participação na saga. Ao contrário do que eu achava, ele diz que o Aranha foi seu primeiro grande personagem: “Ele me colocou no mapa”. Também lembra da história com certa nostalgia, sentimento que compartilho.”Muitas pessoas curtiram e eu lembro deste tempo com muita saudade e uma boa dose de orgulho”. Não é de se estranhar. Estava no topo da casa das ideias, cuidando da marca mais preciosa da editora (ao lado dos X-Men, claro).

bennett

Mas para reforçar ainda mais esse sentimento que eu cito sobre ler e ver algo novo/antigo, ele também me deu alguma munição. Falando sobre a parceria com deFalco, Joe Bennet conta um pouco sobre o estilo de arte adotado para o trabalho: “Eu coloquei um toque John Buscema na arte para dar um ar mais Marvel clássica, mesclei isso com o que se fazia na época (…) Os roteiros do deFalco sempre me transmitiam uma boa dose de Stan Lee / Romita”. A parceria com deFalco foi reprisada em Gavião Negro, quase 20 anos depois, como o próprio Joe Bennet lembrou.

O LEGADO DA COPA SAGA: O QUE ACONTECEU COM OS PERSONAGENS?

O resultado da saga foram quatro heróis que representavam, em si, facetas da persona do Homem-Aranha.

  • O Ricochete era o falastrão, carinha das ruas, que era acrobata e disparava discos. Encarnando, de todos, os aspectos mais característicos do aranha (inclusive no traje).
  • O Vespa (Hornet) era um herói parecido com o vilão Besouro, que voava com asas artificias e assumia o lado inseto do Aranha. Ele representa de certa forma a inventidade e tecnologia que sempre envolveu o Parker.
  • O Sombra (Dusk), assumia o lado mais sombrio do heróis e seu lado científico, com um traje criado para acessar uma dimensão diferente da nossa, a dimensão das sombras. Ele representa não apenas o uniforme negro, mas uma característica que muitas vezes esquecemos. A furtividade do aranha e sua capacidade de manter-se longe do foco e do perigo.
  • O Prodígio era o super-herói puro, com os ideias mais gloriosos, a essência da matriz que criou o aranha, honra, respeito, responsabilidade e outros erres. Detalhe que como o uniforme revelava bastante do seu rosto, quando assumia essa identidade, Peter Parker usava um nariz falso.

cribonecos

 

Os heróis criados durante essa saga, Sombra, Vespa, Prodígio e Ricochete, acabaram se tornando identidade de outros personagens. Juntos, eles formaram a equipe dos Slingers (Aracnídeos, no Brasil), em uma revista que durou apenas 12 edições. No Brasil, eles apareceram na revisita premium do Homem-Aranha, durante a segunda saga do Torneio de Campeões enfrentando a Geração X.

cribrasilEnquanto Sombra e Vespa desapareceram na obscuridade, Prodígio e Ricochete ainda ganharam alguns anos de vida útil. Prodígio apareceu em histórias back-ups da Guerra Civil, enquanto era caçado pelos mata-capas da SHIELD, bêbado, filmado e se tornou um fiasco para a comunidade super-heroica. Prodígio também participou da Inciativa dos Vingadores, fazendo aprte da segunda turma. Durante a Essência do Medo, ele apareceu na minissérie Juventude em Revolta.

Já Ricochete participou da equipe Excelsiors, uma equipe de apoio para ex-super-heróis nas páginas dos Fugitivos. Depois, a equipe passou a se chamar The Loners e ganhou uma minissérie de seis edições homenagenado filmes de John Hughes, clássicos dos anos 80.

Vale destacar que as quatro revistas em que a saga foi publicada no Brasil, duas Homem-Aranha e duas Teia do Aranha, foram reunidas numa caixinha bem legal, bonita e simpática, deixando a saga ainda mais memorável para, nós, leitores do Homem-Aranha dos anos 90!

Viram? Até que o Aranha teve pelo menos uma boa saga nos anos 90. Já que o resto dessa década foi tomada pela Saga do Clone!

Este artigo foi escrito em colaboração por Vitor Coelho e Guilherme Smee.

Anúncios

4 Comments

  1. Um amigo me emprestou, mas ele não tinha todos os números. Mas as hqs foram bacanas.
    Eu achava também, ao mesmo tempo, divertida e bizarra as caras risonhas do bichano do Halloween (Jack O’Lantern), aquele Duende Verde/Macabro “genérico”.

    Curtir

  2. Eu pensava que era o único que ainda lembrava dessa saga (geralmente quando se fala em Crise de Identidade o pessoal lembra daquela saga sensacionalista da DC…).

    Também curti muito e tenho a caixinha até hoje! Queria comprar o encadernado americano, mas ainda não rolou a po$$ibilidade…

    Foi a melhor fase do Aranha até a chegada de Dan Slott!

    Curtir

  3. Eu curti a saga. Pra ser sincero, eu não odeio os anos 90 como a maioria dos leitores, mas isso é outra história.

    Só pra acrescentar, o Vespa foi morto pelo Wolverine em Inimigo do Estado. Isso nem mesmo é mostrado, apenas citado dentro da história, num quadro com o corpo do que seria o Vespa coberto por um lençol.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s