10 Motivos, Análises, destaque, quadrinhos
Comentários 10

Os 10 Melhores Quadrinhos de 2016 Segundo o GoodReads

Olá mergulhadores! O ano está acabando e as listas de melhores do ano já começaram a sair. Esta semana o site internacional de avaliação de livros selecionou os 10 finalistas de várias categorias. Entre elas, está a  categoria de Melhores Graphic Novels & Quadrinhos. Agora nós vamos mostrar a vocês quais foram os dez melhores na opinião do público do site, falar um pouco sobre eles  e aguardar a votação para o grande vencedor! Venham ver!


gdrpantherPANTERA NEGRA#1, por TA-NEHISI COATES E BRIAN STELFREEZE

A revista número um do Pantera Negra vendeu tanto que foi um dos recordes de venda deste ano. Também pudera, a Marvel chamou Ta-Nehisi Coates, um autor best-seller do New York Times para escrevê-la. Mas isso não é tudo. Ele é um defensor dos direitos dos negros e escreveu um livro sobre a realidade americana na onda de violência contra a etnia negra que assola aquela nação. Entretanto, nem tudo são flores na revista do Pantera. Ta-Nehisi tem atrasado muito a entrega dos seus roteiros para a revista. Levando a um intervalo de mais de três meses em relação às demais revistas da Marvel. O público dos quadrinhos, porém, vem elogiando muito sua produção e tem aguardado ansiosamente cada edição.

Leia uma matéria sobre Ta-Nehisi Coates e a revista do Pantera Negra.


gdrlumberLUMBERJANES, por NOELLE STEVENSON

Noelle Stevenson tem se tornado uma quadrinista sensação nos Estados Unidos. Depois de emplacar a sua graphic novel Nimona, que saiu aqui pela Intrínseca, ela vem conquistando os americanos com uma série mensal, Lumberjanes, que fala sobre o dia a dia de escoteiras em um acampamento florestal, com um toque de humor peculiar. Luberjanes seria um “feminino engraçado” para lumberjacks, que são os lenhadores, em inglês. Lumberjanes faz tanto sucesso nos Estados Unidos que está saindo por lá um especial de crossover entre esta série e Academia Gotham, da DC Comics. Aqui no Brasil, ela foi prometida para ser publicada pela Devir ainda esse ano.


gdrmosntresMONSTRESS, por MARJORIE LIU E SANA TAKEDA

Monstress conta a história de Maika Halfwolf, uma adolescente sobrevivente de uma guerra entre humanos e os Arcanics, seus odiado inimigos. Maika é, ao mesmo tempo caça e caçador – como na música do Fábio Jr. -, em um mundo de grande beleza art déco e de ares steampunk, pela belíssima arte inovadora de Sana Takeda, que já desenhou revistas como as dos Fugitivos. Já Marjorie Liu é uma escritora polêmica, que, na minha opinião nunca foi lá grandes coisas. Escreveu NYX, X-23 e uma fase bem esquecível dos Astonishing X-Men, em que ocorreu o casamento do Estrela Polar com Kyle Jinadu. Liu, entretanto, tem uma boa base de fãs, que conquistou com  livros de prosa fantástica.


gdradultNINGUÉM VIRA ADULTO DE VERDADE, por SARAH ANDERSEN

Um lançamento da editora Seguinte, braço da Companhia das Letras, que no original é Adulthood is a Myth, é um compilado das tirinhas da Sarah Andersen. Quem nunca viu a menininha que estampa a capa do livro em tirinhas pelas redes sociais? E o pior é que as tirinhas falam a verdade, a dura verdade, de que ninguém vira adulto de verdade. E estará sendo infantil quem disse o contrário. É um livro sobre as estranhezas e peculiaridades de ser um jovem adulto na vida moderna, e que conquista milhares de pessoas e acabamos nos identificando porque não está sendo fácil ser adulto nos dias de hoje. Aliás, não está sendo fácil ser qualquer tipo de ser humano.


gdrdarkDARK KNIGHT: A TRUE BATMAN STORY, por PAUL DINI E EDUARDO RISSO

No melhor estilo Superman: É um Pássaro… vem uma história autobiográfica do aclamado autor Paul Dini, que usou dos artifícios do universo do Batman para superar um trauma na sua vida. Vemos, aqui, o Batman sob uma nova luz, como a válvula que motivou um homem que sofreu um ataque brutal a se recuperar de um acontecimento que o deixou incapaz de encarar o mundo outra vez. Os desenhos de Eduardo Risso, sombrios, cartunescos e ao mesmo tempo realistas, conferem o tom necessário para essa história que tem conexões com as inspirações, o estilo e o material criativo de Paul Dini.


gdrorangeORANGE, por ICHIGO TAKANO

Ok, já vou dizendo que não entendo nada de mangá. Mas sei que esse saiu aqui no Brasil. A história fala sobre uma carta que o estudante Naho recebe de si mesmo no futuro. E as coisas começam a acontecer, uma por uma, como narradas na carta. As cartas pedem que Nahu observe e tome conta de um outro estudante chamado Kakeru, para preveni-lo de um terrível futuro. Um romance sci-fi de esmagar o coração que já vender milhares de cópias no Japão e em todo mundo, inclusive no Brasil.


gdrgostsGHOSTS, por RAINA TELGEMEIER

Catrina e sua família estão se mudando para o Norte da Califórnia, porque sua irmãzinha, Maya está muito doente. Mas Cat não está nada feliz com isso, em deixar seus amigos, entretanto a fibrose cística de Maya avança muito menos com o ar puro e salgado que vêm do mar. Ao mesmo tempo que descobrem seu novo lar, um de seus vizinhos conta um segredo sobre a nova cidade: lá existem fantasmas. Maya está determinada em encontrar um, mas Cat não quer ter nada a ver com isso. Com a época do ano em que os fantasmas aparecem se aproximando, Cat tem de deixar seus medos de lado para o seu próprio bem e de sua irmã, Maya. Este livrinho, uma graphic novel infanto-juvenil parece ter a mesma pegada de Fantasmópolis e O Fantasma de Anya.


gdrsagaSAGA, por BRIAN K. VAUGHAN & FIONA STAPLES

Saga, definitivamente é uma das mais aclamadas séries dos últimos tempos. Ela é adorada por pessoas com uma enorme bagagem no mundo dos quadrinhos, mas também por aquelas que não conhecem muito, ou conhecem quase nada sobre ele. Um dos grandes méritos disso é o roteiro de Brian K. Vaughan, que escreve personagens reconhecíveis, críveis e com diálogos encantadores. Em Saga, ele e Fiona Staples, não construíram apenas um mundo novo de personagens, mas um universo inteiro. A revista lá nos Estados Unidos já passou do quinquagésimo número e aqui no Brasil está no seu terceiro volume pela Editora Devir.

Leia uma resenha do primeiro encadernado de Saga.


gdrpaperPAPER GIRLS, por BRIAN K. VAUGHAN E CLIFF CHIANG

Você gostou de Stranger Things, certo? Então vai adorar Paper Girls. Estabelecido nos anos 80, a história mostra uma recém formada equipe de meninas entregadoras de jornais que descobre uma máquina estranha numa casa estranha. Ela apertam um botão estranhamente estranho e toda a realidade e o mundo que elas conheciam até então começa a ficar… estranho! E o pior é que parece que tudo tem a ver com uma marca que tem uma maçã como logotipo! A narrativa incrível de Vaughan e Chiang nos transporta direto para os anos 80 e para lugares futuristas muito além da nossa imaginação para descobrir esse mistério ao lado da turminha de jornaleiras!


gdrmissMISS MARVEL: SUPER FAMOUS, por G. WILLOW WILSON E VÁRIOS ARTISTAS

A Miss Marvel é um personagem muito legal. Não é por acaso que ela conquistou o coração de todo mundo – bem, menos do Donald Trump. Este encadernado em questão fala da realidade Kamala Khan depois dos eventos das Guerras Secretas, que vai demorar um bocado para sair aqui no Brasil, pois ainda precisamos passar por dois encadernados para chegarmos neste aqui. Está mega atrasado pela Panini Comics. Então é por isso que não posso dar muitos detalhes da história para vocês. Mas em G. Willow Wilson eu confio. Deve ser fantástico como os que saíram por aqui.

Leia uma resenha sobre o primeiro encadernado da Miss Marvel.


Marvel? DC? Que nada! Parece que a melhor coisa que está sendo feita nos Estados Unidos passa muito longe dos heróis tradicionais das grandes duas editoras de quadrinhos. O que isso poderia significar? Será que está na hora dessas duas se reinventarem ainda mais? Dê sua opinião e diga se já leu as revistas acima e o que achou!

Anúncios

10 comentários

  1. Dentro dessas infindáveis discussões a respeito de “quem é mais poderoso(a)/forte” ou “a melhor editora”, prefiro ficar neutro. Ambas tiveram (e têm) histórias boas e no meio alternativo (seja estrangeiro ou brasileiro) sempre tem algum hq interessante, sem essas reinvenções, mega sagas ou ressurreições.

    Curtir

    • Guilherme Smee diz

      Eu também. Mas cada um tem um apego especial com uma, isso é verdade e não dá pra negar. A discussão aqui não é essa. É que elas estão perdendo em qualidade para materiais alternativos. =) Abs!

      Curtir

    • Guilherme Smee diz

      Eu também! Tem de bater de frente mesmo quando se está fazendo um trabalho risível que poderia ser muito melhor! Abs!

      Curtir

  2. 0-Drix diz

    Não consegui ler este aclamado Pantera Negra. Paper Girls é muito melhor que sua cópia barata feita pela Netflix (Stranger Things). Continuo achando “Saga” uma HQ supervalorizada. A Ms. Marvel adolescente islâmica é muito legal (mas não é mais para a minha idade…). Este Batman pela Vertigo Comics vale muito a pena! Lumberjanes saiu no Brasil e eu nem dei bola – mas depois de pintar nesta lista, vou dar uma chance. O resto, nem li.

    Curtir

  3. Rafael Araujo diz

    Nessa black friday da amazon, já garanti Paper girl e Saga vol 1. Ficaram na lista de desejos ainda Monstress e outros títulos da Image que vão ficar para uma próxima promoção.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s