destaque, fique de olho, quadrinhos, Quadrinhos Comparados
Deixe um comentário

Os Personagens Negros “Esquecidos” da Cronologia da Marvel

A Marvel possui muitos personagens negros, talvez não no número suficiente quanto gostaríamos. Ela possui até personagens negros inseridos retroativamente na cronologia.Vocês conhecem Isaiah Bradley? Vocês conhecem Adam Brashear? Bem, então chegou a hora de conhecerem!
Tendo as suas primeiras aparições nos anos de 2003 e 2009 respectivamente, dentro do Universo Marvel os dois personagens são figuras históricas importantes para os heróis negros da Casa das Ideias. As suas primeiras aventuras datam naquele universo nos anos de 40 e 50, mas no mundo real as suas publicações só foram ocorrer nos anos 2000. Personagens que representam tanto dentro das paginas e tem um reconhecimento fraquíssimo fora delas. Qual é a importância dos dois?

blutruthTruth: Red, White and Black, por Robert Morales e Kyle Baker no ano de 2003 nos apresenta a Isaiah Bradley. Após a morte do Doutor Erskine, criador do soro do Super Soldado, os EUA queriam ter mais soldados como Steve Rogers e tentaram usar diversos soros genéricos em 300 homens negros. Apenas 3 sobreviveram e desses 3, apenas 1 continuou vivo após diversos combates. Isaiah Bradley foi mandado para uma missão suicida para impedir a criação do soro do super soldado alemão, e antes de partir pega a roupa e o escudo do Capitão América. Após conseguir sobreviver a missão suicida Isaiah conseguiu voltar para a casa só para ser preso pelo “roubo” do escudo e da roupa de Steve Rogers, após ficar na solitária por 17 anos ele finalmente foi libertado. Entretanto, Isaiah desenvolveu demência tanto pelos anos na prisão quanto pelos efeitos de um soro genérico. Se tornou uma lenda e o alvo de diversas peregrinações e jubilo por parte da comunidade negra de todo o mundo.

bluadamaAdam: Legend of Blue Marvel, por Kevin Grevioux e Mat Broome no ano de 2009 traz para a Marvel, Adam Brashear. Nos anos 50 o jovem era perfeito, ótimo nos esportes e na área científica, seu único problema para a época era ser negro. Após a criação com o seu amigo de uma ponte entre a Zona Negativa e a Terra que não deu muito certo, Adam ganhou uma enorme gama de super poderes e começou a atuar como super herói, um elmo escondia o seu rosto, assim nascia o Marvel Azul. Após defender diversas vezes os EUA e o Mundo, em uma batalha ele perde a seu elmo e todos descobrem que ele é negro, um escândalo! O governo americano pede para ele parar de atuar como herói e toda a sua historia é apagada. Apenas com a volta de uma ameaça já derrotada pelo Marvel Azul no passado que os super heróis conhecem a lenda de Adam. A partir daí o personagem se tornou extremamente respeitado.

O interessante de analisar desses dois personagens é que seus criadores são negros. Kyle Barker, por exemplo é um famoso cartunista indie que fez trabalhos como o Homem-Borracha e Deadpool MAX. Já Kevin Grevioux é responsável pela franquia Anjos da Noite nos cinemas. Isso explica muitas decisões estabelecidas nas minisséries dos dois personagens.

blujoinEstas são histórias que só poderiam ser contadas hoje. Nos anos 40 e 50 era impensável que existisse um super-herói negro. Até o fim do “apartheid” nos Estados Unidos com os movimentos dos direitos negros e a morte de Martin Luther King, pouquíssimos personagens negros haviam aparecidos em gibis de heróis. Ainda assim, quando apareciam, eles levavam o estigma de foras-da-lei reformados, como os heróis dos anos 70, Luke Cage e Raio Negro.

A reação da opinião pública a esses heróis foi uma só: uma vergonha. Eles deveriam ser esquecidos. Botados de lado. Onde já se viu negros possuírem o mesmo poder ou mais poder que os brancos? Esse é o grito de revolta e é essa verdade que as duas HQs querem mostrar. Isaiah é uma linda metáfora aos negros mortos nos Estados Unidos confundidos com ladrões, muito antes de isso voltar a acontecer em anos recentes. Ele “roubou” o escudo do Capitão América. “Ele não merece”, diria o mordomo do comercial do Tang, com muito desprezo

bluelijah

Hoje, o neto de Isaiah Bradley é o Patriota dos Jovens Vingadores, e o filho do Marvel Azul é o Doutor Pósitron dos Novos Vingadores. O Marvel Azul começou a fazer parte dos Vingadores na equipe dos Poderosos Vingadores de Luke Cage. Hoje ele faz parte da equipe dos Supremos da Capitã Marvel.

Manter esses heróis no obscurantismo é uma forma da Marvel dizer o quanto da cultura negra e dos direitos civis dos afro-americanos foi negado durante anos por causa de uma opinião pública de uma maioria massacrante. Quanto bem esses heróis não poderiam ter feito porque foram silenciados? E quantos de nós deixam de colaborar por uma sociedade mais justa e igualitária porque preferem silenciar a serem achacados por aqueles que detêm o poder, vantagem econômica e tantas outras benesses? Essas são duas fábulas da Marvel. Elas nos deixam muito com o que pensar, não é mesmo?

blublack

Este artigo teve a colaboração de Guilherme Smee. =D

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s