Melhores Leituras do Mês, quadrinhos, Resenhas
Deixe um comentário

Melhores e Piores Leituras de Maio de 2017

O mês de maio está acabando! E com ele muitas denúncias, JBSs, Odebrecht’s e alguns políticos vão indo junto. Nem mesmo o melhor roteirista de quadrinhos, de séries, de filmes, poderia prever ou escrever uma situação como a que nosso país está passando. Verguenza dessas pessoas que se dizem nossas excelsiors representantes. Nem o Doutor Destino teria planejado algo tão friamente. Bem, vamos aos destaques.

NINmythosBATMAN: NOVE VIDAS, DE DEAN MOTTER, MICHAEL LARK E MATT HOLLINGSWORTH

Quem matou Selina Kyle? Nos pergunta a HQ que se passa nos anos 50/60 e tem um estilo noir todo próprio. Temos nove suspeitos, cada uma deles representando as nove vidas dessa cafetina dona do Kit Kat’s Club. Uma história contada em formato widescreen que foi uma das pioneiras no estilo Noir que caracterizou boa parte do final dos anos 2000 nos quadrinhos de super-heróis, com a arte prodigiosa de Michael Lark, que depois veio a escrever Gotham Central e Demolidor. Para ler a resenha completa que fiz desse quadrinho, você pode acessar neste link.


NewPOP_BRoyaleBATTLE ROYALE: ANGEL’S BORDER, DE TAKAMI KOUSHUN, OHNISHI MIOKO E OGUMA YOUHEI

Esse quadrinho, publicado pela editora New Pop e, como um One-Shot, conta a história escondida no livro e nos mangás de Battle Royale: a história das meninas do Farol. O mangá é composto de duas histórias. A primeira fala de um romance lésbico não-realizado entre duas das garotas do farol. A outra, entretanto, é a que se destaca melhor, uma jornada de autoconhecimento entre mentor e aprendiz, em que uma garota se apaixona por um rapaz mais velho da sua escola. As conversas entre eles rendem diálogos bem escritos e reflexivos. Cada uma das histórias tem um desenhista diferente. Recomendo este mangá!


fantasmaFANTASMA: THE GHOST WHO WALKS, DE DAVE DEVRIES E GLENN LUMSDEN

Um quadrinho publicado aqui no Brasil na época do filme do Fantasma nos anos 90 pela editora Saber e que foi publicado originalmente pela Editora Marvel Comics. Dito isso, eu tinha a nítida impressão de que seria mais um produto daquela época: homens parrudos com armões até os dentes rangentes. Mas não é. O texto é bem cerzido e as motivações do Fantasma bem construídas. Fora isso, tenho que bater palmas para os desenhos de Glenn Lumsden que faz com que o Fantasma se torne um “eita homão da porra!”, com um baita corpaço. Talvez não seja uma ótima HQ, mas ela possui alguns méritos como apresentar o Fantasma para uma nova geração.


mosntroMONSTRO, DE ALAN MOORE, JOHN WAGNER, ALAN GRANT, HEINZL E JESUS REDONDO

Ok gente, já vou dar a real. Apesar do nome do Moore estar escrito grandão na capa desse quadrinho, ele só escreve as primeiras oito páginas. Quem dá continuidade é a dupla Wagner e Grant sob um pseudônimo. Isso não quer dizer que as histórias sejam ruim, pelo contrário, é uma road trip muito bem construída e instigante. A história nos põe questionar força e aparências, embora, claro, não possua o eruditismo de Alan Moore. Por outro lado, os desenhos de Heinzl e Jesus Redondo são muito bonitos e funcionais, deixando a HQ mais redondinha e interessante. Não é uma história sensacional como costumam ser as de Alan Moore, mas vale a conferida.


graysonGRAYSON: JORNADA AO FIM DA ESCURIDÃO, DE TOM KING, TIM SEELEY, JACKSON LANZING E COLLIN KELLY, MIKEL JANIN, CARMINE DI GIANDOMENICO E ROGÊ ANTÔNIO

Depois de ter sua identidade secreta revelada para o mundo, o super-herói Asa Noturna acabou se tornando o Agente 37 da Espiral, uma agência de espionagem de âmbito mundial. Assim, suas revistas passaram a se chamar Grayson e a lidar com temas mais parecidos com 007. Claro, toda a história de espião tem aquele sex appeal e Grayson não é diferente. Além de ser muito assediado pelas mulheres Dick Grayson também é assediado por homens, claro. O subtexto homoerótico fica evidente nessas edições enquanto ele pseudo flerta com heróis como Bandoleiro, Meia-Noite e o Agente Tigre. A qualidade da edição se divide entre os roteiros da primeira parte que são divertidos e instigantes com os da segunda, que são imbricados e rocambolescos tentando imitar Grant Morrison. Vale uma menção de destaque para a arte de Mikel Janín e seus homens perfeitos que são um deleite para os olhos.


sebastianSEBASTIAN O., DE GRANT MORRISON E STEVE YEOWELL

Estava lendo um livro sobre construção da identidade gay e fiquei sabendo que foi apenas com a prisão de Oscar Wilde, no século XIX que o afeminado passou a ser associado com os gays. Até então, os gays eram associados com foras-da-lei. Wilde foi a epítome do movimento dos dândis, homens recatados que se vestiam bem e que buscavam elegância, mas ao mesmo tempo tinham hábitos contestáveis pela sociedade, como a companhia de jovens efebos. É baseado na prisão de Wilde que Morrison cria esse conto em quadrinhos e conta, através do personagem Sebastian O., o que aconteceria se, num mundo vitoriano e futurista, Wilde viesse para se vingar de seus carcereiros e intrigueiros. Um quadrinhos bastante divertido e questionador, publicado no último número da revista Vertigo pela Editora Abril.


capa-JUSTICEIRO-4

JUSTICEIRO: NA PRÓPRIA CARNE, DE BECKY CLOONAN E STEVE DILLON

O último trabalho de Steve Dillon – o desenhista conhecido por trabalhar com Preacher e Constantine e que faleceu ano passado – parece ser o seu melhor. Um dos motivos para isso são as cores de Frank Martin na sua arte, que leva a crer que até o estilo de arte-finalização está diferente. A nova roteirista do Justiceiro, Becky Cloonan vem das HQs indies e atuava mais como desenhista até se unir à DC na bem sucedida Academia Gotham. Seu trabalho lembra o de Garth Ennis, nem tanto no conteúdo, mas na forma de construir a história, dando prioridade para os coadjuvantes e não para o Justiceiro em si. Um bom começo para uma nova fase do anti herói que adoro odiar.


low-de-talco-de-vidro2

TALCO DE VIDRO, DE MARCELLO QUINTANILHA

Bem, amigos, essa, se não é a melhor HQ que li este ano, com certeza é a melhor HQ brasileira que li esse ano. Como andei comentando nas redes, ela possui uma aproximação com a literatura de uma forma que nenhum outro quadrinho tem. Ela não se aproxima da literatura clássica, como fazem algumas adaptações, não. Ela está muito mais próxima é de como se têm feito a literatura contemporânea, tanto em ritmo como em conteúdo e reflexões, deixando espaços para que o leitor complete com suas sensações e achismos. Além disso, Quintanilha trabalha seu traço para lembrar quadrinhos feitos na década de 50 e 60, usando a retícula de forma maravilhosa e retrô, posicionando seu quadrinho em algum lugar do presente, mas também em algum lugar do passado.


Hulk JarellaHULK: NO CORAÇÃO DO ÁTOMO, DE VÁRIOS AUTORES

Tudo começou com um conto de Harlan Ellison, publicado em uma revista especial da Marvel para prosa. Depois, Roy Thomas transformou esse conto, em que o doido Psyklop levava o Hulk para um mundo subatômico, na revistas dos Vingadores e do Hulk. Assim, era criada Jarella, o grande amor do Hulk – possuído da inteligência de Bruce Banner – no mundo subatômico de K’Ai. A história logo se tornou favorita dos fã, fazendo com que vários escritores retornassem a ela ao longo dos anos, formando a compilação que se apresenta neste especial dos Clássicos Marvel pela Salvat. Uma história instigante, aventuresca e de amor, claro. Um dos marcos da história quadrinística do Incrível Hulk.


enterroO ENTERRO DAS MINHAS EX, DE ANNE-CHARLOTTE GAUTHIER

Neste quadrinho muito bonito e bem-humorado, a quadrinista francesa Anne-Charlotte Gauthier conta como se descobriu lésbica e como foram suas primeiras experiências com garotas. Seja o primeiro beijo com a melhor amiga da escola, seja com as transas na adolescência com a amiga descolada, nenhuma delas aceitava sua condição de homossexual e depositava essa responsabilidade em Charlotte. Um quadrinho feito com traços infantis, sim, mas com colorização em preto e branco, dando um tom mais frio e mais adulto para a história. O Enterro das Minhas Exs pode servir como um paralelo com Fun Home enquanto autobiografia que fala sobre a descoberta da sexualidade LGBT.


É isso aí por esse mês mergulhadores! Alguém mais quer denunciar alguma HQ – ooops! Alguém mais quer comentar sobre alguma HQ que leu esse mês e gostou ou então odiou? Não deixe de nos contar! E o que achou das que foram selecionadas aqui! Conta pra nós! Abraços!

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s