arte, cinema, destaque, fique de olho, quadrinhos, Sobre Roteiros
Deixe um comentário

Escrevendo Diálogos Para Quadrinhos x Para Cinema, por Jules Feiffer

Jules Feiffer é um dos mais renomados cartunistas americanos, tendo trabalhado como braço-direito de Will Eisner, criador do Spirit, nos anos 40. Ele é ganhador de muitos prêmios e possui um Pulitzer por quadrinhos editoriais (charges e cartuns). Um dos seus últimos trabalhos publicados no Brasil foi Mate Minha Mãe, publicado aqui pela Companhia das Letras. Ele também trabalhou como dramaturgo e como criador de roteiros para cinema, escrevendo os diálogos do filme live-action do Popeye. Ele também foi um dos primeiros a escrever livros teóricos sobre super-heróis, em 1965, com o livro The Great Comic Book Heroes. Aqui, Feiffer dá dicas da escrita de diálogos, tanto para quadrinhos como para teatro e cinema. Dê uma checada!

“Quando passei dos quadrinhos para o teatro e, mais tarde, para o cinema, descobri que os diálogos para cada tipo de mídia são extremamente diferentes.No teatro e no cinema, quando se lida com relacionamentos, você tem que apresentar o início, meio e fim, ou seja, todas as fases, e não apenas o final, que é o que faço nos quadrinhos. Os diálogos nos quadrinhos são bastante curtos e assumem uma forma elíptica. tem que ser assim devido à escassez de espaço. no palco, especialmente, você sempre dispõe de mais nuances, e pode lançar mãos de formas muito mais sutis e indiretas. O diálogo do teatro pode ser muito mais sutis e indiretas. o diálogo do teatro pode ser muito mais completo e expositivo – e também bem mais gratificante para o ego – do que o diálogo do cinema. Já nos filmes, você pode se dar ao luxo de utilizar bem mais a comunicação não verbal – trocas de olhares, gestos, etc.

greatcomicbookheroes

O livro pioneiro de Jules Feiffer sobre super-heróis, escrito em 1965.

[…] Para começar, não penso em termos de diálogos. o diálogo é algo que surge naturalmente, depois que você criou a personagem e a colocou dentro de uma determinada situação. uma vez que você coloque duas ou mais pessoas juntas num tipo de situação, e já tenha decidido quem elas são e o que fazem, elas automaticamente vão dizer certas coisas. Uma coisa puxa a outra e você irá descobrir, juntamente com seu público, sobre o que elas estão falando. Eu sempre me surpreendo com o que minhas personagens têm a dizer umas para as outras. Você dá início ao diálogo, e elas criam vida própria, e é aí que as coisas se tornam realmente divertidas. Descobri se eu seguir um esquema fixo, não consigo obter algo interessante, cheio de vida, pois muito do que as personagens dizem é o que fornece energia para a peça. E energia é o que de fato importa nos relacionamentos. mesmo que a situação seja de passividade, é necessário que haja algum traço concreto de energia.

[…]Se o quadrinho tiver um caráter mais pessoal que político, ele em geral trabalhará o subtexto. Se for político, pode ser mais direto, mas, mesmo então, uma vez que normalmente [um cartum] é sempre irônico, terá que trabalhar com o subtexto. Pelo menos na minha área, a maioria das pessoas que falam estão na verdade evitando se relacionar. Em geral, tanto na vida pública como na privada, as pessoas dizem exatamente o oposto do que pensam, ou disfarçam o que querem dizer com todo o tipo de rótulo. Desde o início, este tem sido o foco do meu trabalho: remover esses rótulos e mostrar o ponto essencial.

popeye1980

O filme Popeye(1980), que Jules Feiffer escreveu o roteiro.

[…]Se você conseguir captar a noção desse processo de pensamento e traduzi-lo na sua linguagem cotidiana, já terá dado um grande passo. No próximo esboço que fizer, revise o que escreveu, imprimindo-lhe traços diferentes e mais apurados de linguagem ou conversação, para caracterizar certas personagens. Em muitas peças e roteiros de cinema as personagens soam todas iguais. Gosto que minhas personagens sejam tão bem individualizadas, que se torne desnecessário escrever seu nome para o leitor – pois ele já sabe quem está falando. oc~e precisa treinar o ouvido para perceber certos traços de comportamento na conversação. Porém, acima de tudo, você tem de ouvir a sua própria voz interior”.

FEIFFER, Jules. Estudo de caso “Jules Feiffer”. In; SEGER, Linda. Como escrever personagens inesquecíveis.São Paulo: Bossa Nova, 2006. p. 184-186.

Este post foi publicado em: arte, cinema, destaque, fique de olho, quadrinhos, Sobre Roteiros

por

Guilherme “Smee” Sfredo Miorando nasceu em Erechim em 1984. É Mestre em Memória Social e Bens Culturais, onde pesquisa quadrinhos e sexualidades. É especialista em Imagem Publicitária e bacharel em Publicidade e Propaganda. Ministra aula de quadrinhos e trabalha com design editorial e roteiros. Já trabalhou em museus e com venda de livros e publicidade. É pesquisador associado do Cult de Cultura e da ASPAS (Associação de Pesquisadores em Arte Sequencial). Faz parte do conselho editorial da Não Editora. Co-roteirizou o premiado curta-metragem Todos os Balões vão Para o Céu. Seu livro de contos Vemos as Coisas como Somos foi selecionado pelo IEL-RS em 2012. A partir de 2014, publicou ao menos um quadrinho independente por ano. Loja de Conveniências, sua primeira narrativa longa foi lançada em 2014. Em 2015 participou da coletânea de HQs LGBT Boys Love. Em 2017 colaborou com o quadrinho A Liga dos Pampas de Jader Corrêa, que explora mitos gauchescos. Também lançou Desastres Ambulantes em parceria com Romi Carlos, um quadrinhos sobre segunda guerra mundial e OVNIs, que foi selecionado pelo edital estadual PROAC/SP. Em 2017, publicou Abandonados Pelos Deuses: Sigrid, com Thiago Krening e Cristian Santos e também Fratura Exposta: REDUX com Jader Corrêa. Também escreve os roteiros para os super-heróis portoalegrenses Super Tinga & Abelha-Girl. Mantém o blog sobre quadrinhos splashpages.wordpress.com há mais de 10 anos.

Deixe um comentário, caro mergulhador!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.