Mês: julho 2019

Como Foi a Game XP 2019

Aconteceu durante os dias 24 e 28 de julho, no Parque Olímpico do Rio de Janeiro, a Game XP 2019. Vendida como o “Maior Game Park da América Latina” e com a “Maior Arena de Games do Mundo”, o evento reuniu aficionados por videogames de todos os tipos. E quando eu digo todos os tipos, quero dizer que todas as gerações de gamers foram contempladas neste evento. A Game XP é um evento produzido pela CCXP em parceria com o Rock in Rio. Participei do evento como artista dentro da Art Street da Game XP, a área dos artistas do acontecimento. Agora vou falar um pouquinho mais para vocês sobre este enorme evento que celebra os videogames.

A Ilha de Krakoa: O Pivô da Fase de Hickman nos X-Men

A ilha-mutante de Krakoa, localizada no Oceano Pacífico é o cenário e principal componente da nova fase de Jonathan Hickman à frente dos  X-Men, os mutantes da Marvel. Ela apareceu pela primeira vez em 1975, na revista Giant-Size X-Men #1, que também apresentou uma nova equipe mutante, com Wolverine, Tempestade, Noturno, Colossus e outros. Um pouco antes de revelar os planos de Hickman para os X-Men e para Krakoa, a Marvel lançou este especial, na linha de seus anuais, em Journey Into Mystery Annual #1: The Birth of Krakoa. Vamos falar um pouco sobre este volume, mas também vamos contar um pouco mais sobre esta misteriosa e poderosa ilha-mutante.

As Mais Interessantes Mulheres-Gato do Live Action

A personagem Mulher-Gato sempre foi um símbolo sexual para os homens e mulheres que a admiram. Ela já foi encarnada por muitas atrizes no audiovisual, seja nas animações com as dublagens, seja em seriados e filmes para o cinema. Neste post fizemos um ranking das mulheres que interpretaram a personagem Mulher-Gato nos cinemas e nas séries. Começando pela menos interessante e indo até a mais multifacetada. Sim, esse é um ranking de mais e de menos! Ahá! Pensou que nunca teríamos um destes por aqui? Estava muito enganado! E teremos até um bônus track! Vamos às nossas gatas-mulheres.

Discutindo a Segunda Edição de Relógio do Juízo Final

Julho foi o mês em que recebemos a segunda edição de O Relógio do Juízo Final, a minissérie que homenageia a seminal obra de Alan Moore e Dave Gibbons, Watchmen. A proposta é fazer uma intersecção do mundo de Watchmen com o mundo atual da DC Comics, onde vivem Batman, Superman, Mulher-Maravilha e seus aliados e inimigos. Nesta edição Rorschach, Ozymandias e seus aliados viajam na nave do Coruja até a realidade do Universo DC e se encontram com os homens mais inteligentes deste mundo: Lex Luthor e Bruce Wayne. Mas algumas coisas vão complicar no processo. Vamos falar um pouquinho sobre esta segunda edição neste post.

A Vertigo Morreu. E eu Sei Quem Matou.

Este mês fomos pegos de surpresa com a ausência de títulos da linha de quadrinhos adultos da DC Comics, a Vertigo, em suas solicitações mensais. As revistas da Vertigo já não vinham nem vendendo tão bem e nem vinham sendo o sucesso de crítica que já foram um dia. Por outro lado, movimentos ultraconservadores vêm tolhendo a criatividade de autores e artistas fazendo mobilizações contra quadrinhos – não só da Vertigo – que impedem de inovar tanto em forma como em conteúdo. Então, dentro da análise que pretendo estabelecer aqui, gostaria de indagar se foram mesmo as baixas vendas que desgraçaram a Vertigo ou se foram as mudanças e restrições no comportamento sócio cultural dos indivíduos. Vamos à discussão. 

Precisamos de um Super Vilão Gay ANTES de um Super-Herói Gay nos Cinemas?

Esta semana um site ligado ao Rotten Tomato divulgou que o Máscara Negra, vilão do filme Aves de Rapina, com estreia programada para 2020, seria o primeiro grande personagem gay em um filme de super-heróis para cinema. Interpretado na produção por Ewan McGregor, o personagem é um mafioso e um vilão classe C da galeria de vilões do universo do Batman. Mas quais são as consequências de termos no cinema um super vilão gay antes de termos um super-herói gay, bem representado? Vamos falar sobre isso neste post. Ah, e se você tem algum hate para destilar, pedimos que primeiro: leia o post e segundo: guarde o seu ódio para você, que certamente ele não faz bem nenhum para ninguém, principalmente quando é voltado à minorias. Avisado? Beleza, vamos à discussão.

As Pin-Ups do Criador do Homem-Borracha

Jack Cole criou o Homem-Borracha para a revista Police Comics #1, da editora Quality Comics em agosto de 1941. Sem dúvida, o ex-bandido Eel O’Brien era um dos super-heróis mais originais da Era de Ouro, principalmente por suas propriedades plásticas, já que seu nome original, Plastic Man pode ser traduzido ao pé da letra como Homem-Plástico. O personagem logo se tornou um sucesso permitindo que Cole experimentasse tanto em texto como em narrativa gráfica. Mas não pense que Cole ficou conhecido apenas pela criação do Homem-Borracha. Ele também teve bastante sucesso trabalhando para a revista Playboy americana onde desenvolveu diversas pin-ups de página inteira para a publicação. É sobre essa fase que vamos falar aqui.

Destaques Fantasmagóricos da Editora Mythos Para Julho de 2019

Julho chegou e, para o mês que marca a metade e a virada do ano, a Editora Mythos, além dos especiais de sempre, preparou o retorno de um grande herói. Ele é Kit Walker, o Fantasma, também conhecido como “o espírito que anda”. O Fantasma foi criado por Lee Falk em 1930 e foi o primeiro herói mascarado dos quadrinhos. Para julho, a Mythos preparou duas publicações com o Fantasma, além de outras publicações como lançamentos de sue catálogo. Mas os fãs do “espírito que anda” devem ficar ligados pois a Mythos Editora não vai parar por aí com novas publicações do personagem. É aguardar para ver. Agora vamos aos destaques doa lançamentos da Editora Mythos para julho de 2019.

O Que é A Muralha da Fonte do Universo DC?

Nas histórias em quadrinhos recentes do Universo da DC Comics muito têm se falado sobre a Muralha da Fonte do Universo, que foi rompida graças às ações do heróis para proteger nosso mundo contra o multiverso negativo. Isso aconteceu na minissérie Noites das Trevas: Metal, capitaneada pelo autor Scott Snyder e é ele quem vem inserindo esses elementos aos poucos nesse novo multiverso da DC Comics, principalmente nas histórias da Liga da Justiça. Então, neste post vamos explicar para vocês do que se trata a Muralha da Fonte e o que é essa tal Fonte que é (era) protegida por uma muralha feita de antigos deuses.

“Ah, é Só um Quadrinho!”. “Ah, é Só um Filme!”. Será?

Até onde vai a nossa responsabilidade quando não deixamos que a membrana permeável que se estabelece entre a ficção e a realidade atue sobre nós e o nosso mundo concreto? O quanto a mediação de uma tela ou de uma página nos afasta e nos aproxima de nossa atuação enquanto seres humanos agentes da mudança e o quanto nos relega a simples espectadores das manipulações que nos tornamos vítimas? Em que medida um filme é só um filme e um quadrinho é só um quadrinho se banalizamos sua mensagem e as trocamos pelo mero consumismo e à veneração de outras mensagens, distorcidas, explicitadas nestas produções culturais? Qual é a mudança que precisamos estabelecer para provarmos que estamos realmente vivos quando nos deparamos com um quadrinho e/ou um filme?

Entrevista Com os Organizadores da PocCon: Mário César e Rafael Bastos Reis

Nunca é demais dizer que a Poc Con, a Feira de Quadrinhos e Artes Gráficas LGBTQI+ foi um sucesso. Isso porque os detratores da diversidade adoram vir com aquele papinho chato de “quem lacra não lucra” e que não existe interesse em personagens queer, que é apenas um “lobby gay” para conseguir o “pink money”. Percebemos na Poc Con que a feira não atrai apenas os queer, mas também a família nuclear brasileira que trouxe as crianças para se divertirem na feira e também se conscientizarem socialmente. Vendo a alegria enorme que foi a Poc Con, resolvemos entrevistar seus organizadores e idealizadores, Mário César e Rafael Bastos Reis.

Super-Gay: A Revista com Super-Heróis Homossexuais da Grafipar

Conforme prometemos, hoje vamos falar de uma polêmica produção da Editora Grafipar, de Curitiba, feita nos anos 1980. Hoje vamos falar de Super-Gay número um, uma revista que misturava paródias de super-heróis e… hum… homossexualidade. Mas como será que essa homossexualidade destes super-heróis era evidenciada nas histórias da revista? Contra quem nossos supers gays lutavam? E as lésbicas, como apareciam? Pessoas trans, havia? Quem eram os protagonistas? Quem produziu essa revista? E porque uma revista que, segundo os editores, estava fadada ao sucesso teve de interromper sua publicação no seu primeiro número? Você irá saber tudo isso neste post. 

Melhores e Piores Leituras de Junho de 2019

Olá mergulhadores! Junho, para variar também foi um mês intenso, estive em duas convenções de quadrinhos, a FloripaComicCon e a POC CON, dois eventos sensacionais, que vou deixar o link sobre eles no final desta postagem. Mas, claro, não deixei também de fazer minha extensa lista de leituras para vocês. Só que dessa vez ela veio no primeiro dia de julho. Este mês são quarenta e cinco quadrinhos e livros sobre quadrinhos que fizemos resenhas, e de todo o tipo de leitura: acadêmicos, biográficos, europeus, independentes, de super-heróis, mangás, alternativos e muitos outros. Então afivelem seus cintos de segurança que o nosso submarino vai submergir em leituras!