A Melhor Adaptação de Um Texto Literário Para História em Quadrinhos

 

Existem muitas adaptações literárias para os quadrinhos, principalmente no Brasil, onde aconteceu uma profusão desse material. As editoras de quadrinhos viram no PNBE uma mina de ouro para conseguir dinheiro através de adaptações literárias em quadrinhos. Assim, enormes atrocidades foram produzidas e, ao invés de valorizar publicações originais, pasteuriza-se mais do mesmo, apenas pelo dinheiro governamental. Por isso, para mim, adaptações literárias em quadrinhos eram sinônimo de baixa qualidade. Mas me enganei. Existem sim, adaptações de grande qualidade, que só adicionam à história e trabalham bem a linguagem dos quadrinhos. É o caso de Cidade de Vidro, uma adaptação em quadrinhos de Paul Karasik e David Mazzucchelli, de um conto de Paul Auster. Essa é, na minha opinião, a melhor adaptação de um texto literário para histórias em quadrinhos. Neste post você vai saber a razão.

Continuar lendo “A Melhor Adaptação de Um Texto Literário Para História em Quadrinhos”

O Potencial Poético dos Quadrinhos

Existem alguns quadrinhos que, além de apenas contar uma história, uma narração, acabam trazendo um terceiro significado, que pode ser interpretado ou não, mas deixa o leitor com uma pulga atrás da orelha. Isso é aquilo que o grande teórico francês dos quadrinhos, Thierry Groensteen chama de quadrinhos poéticos. Ou seja, quadrinhos que ultrapassam a sua função enquanto prosa e alçam vôo para novos sentidos além da mera narrativa. Os quadrinhos poéticos, em um nível restrito, possuem uma significação que vai além do que está impresso na página e pode gerar um “terceiro” sentido. A presença de uma interpretação além do que está mostrado e ocorrendo em uma história em quadrinhos poderia justificar a dissonância cognitiva que existe na leitura de pessoas que não enxergam algumas mensagens humanistas em trabalhos como X-Men e Star Wars. Continuar lendo “O Potencial Poético dos Quadrinhos”

O Cânone dos Quadrinhos: O Que é e Como Funciona?

Muitas vezes, em discussões, ouvimos os leitores de quadrinhos falarem: “é, mas isso não faz parte do cânone”. Ou ainda se perguntam “isso vai passar a ser cânone”? Mas eu acho que, em geral, a maioria das pessoas não sabe o que cânone significa dentro da comunidade de fãs e muito menos o seu significado geral. Neste texto vou falar sobre produções oficiais que configuram cânone, realidades alternativas, universos paralelos e a apropriação destes mundos ficcionais nas produções de fãs. Também sobre a relação dessas diferentes formas de narrar com o universo dos quadrinhos e, por fim, com elementos religiosos. Prontos para embarcar nessa viagem por universos? Então, se ajeitem nos seus assentos, que vai começar! Continuar lendo “O Cânone dos Quadrinhos: O Que é e Como Funciona?”

10 Sugestões Sobre Como Formar Novos Leitores de Quadrinhos

Vai e volta surgem teorias apocalípticas que o mercado de quadrinhos vai acabar. Agora estamos no olho do furacão, quando a teoria apocalíptica não é só que o mercado de quadrinhos vai acabar, mas que todo o mercado editorial vai sofrer um colapso e se adaptar para as novas gerações. No meio de tanta mudança, como amealhar novos leitores para publicações? E publicações de quadrinhos? Sabemos que novas gerações de leitores são a motivação que vai manter o mercado para os mais velhos. Mas os mais velhos também têm de ter consciência que para o mercado ser mantido, ele precisa mudar. É a velha “mão invisível” e a lei da oferta e da procura de Adam Smith se fazendo valer no capitalismo em que estamos encerrados. Neste texto vamos discutir possibilidades para que o mercado da leitura de quadrinhos se renove. Continuar lendo “10 Sugestões Sobre Como Formar Novos Leitores de Quadrinhos”

Como Foi o Seminário “O Negócio do Livro”, que Discutiu Inovação no Mercado Editorial

Aconteceu hoje o seminário “O Negócio do Livro”, no Goethe-Institut de Porto Alegre. O evento é organizado há mais de 10 anos pelo Clube dos Editores do Rio Grande do Sul e pela Papel Pólen. Neste ano, o tema foi inovação sob o título “Uma Nova Página Para o Futuro”. O elemento em comum entre todas as palestras foi a força das pessoas nesse negócio, tanto do público com um canal de divulgação quanto daquelas pessoas agentes das editoras como indivíduos multitarefas. Todos destacaram a necessidade de se ouvir o público e de produzir uma comunicação cada vez mais estreita com o consumidor final. Palestrantes de áreas de negócios, design, crowdfunding e customização trouxeram suas ideias durante um dia inteiro de palestras. Trouxemos um apanhado das principais ideias discutidas no evento. Continuar lendo “Como Foi o Seminário “O Negócio do Livro”, que Discutiu Inovação no Mercado Editorial”

12 Sintomas do Caos no Mercado Editorial de Quadrinhos Brasileiro

É, amigos… Diziam que era só tirar a Dilma, depois se tirava o resto. Que o governo dela estava afundando a economia brasileira. Por isso, era necessário o impeachment. Então a presidente da república foi tirada do poder, e o Brasil entrou na pior recessão econômica que já viu em sua História recente. Não acredite em tudo que alardeiam por aí. Mesmo que você não goste de discutir política, ela acaba nos afetando bastante. Garanto que nos dois últimos anos, você parou de comprar muitos quadrinhos que comprava antes. E a coisa só piora. Trouxemos, neste post, dez sinais que demonstram o buraco onde nossa economia se enfiou e como isso afeta nossos amados quadrinhos, infelizmente… Continuar lendo “12 Sintomas do Caos no Mercado Editorial de Quadrinhos Brasileiro”

De Onde Veio o Nome do Asilo Arkham?

A casa de recuperação para criminosos insanos do universo do Batman surgiu nos quadrinhos em 1970. Desde então Arkham tem sido sinônimo de loucura, perversidade e criminosos perigosos. Arkham também batizou uma popular série de jogos de videogame do Cavaleiro das Trevas em que, a cada nova versão, a extensão do Arkham ia se espalhando. Primeiro o asilo, depois a ilha e, por fim, a cidade inteira de Gotham City. Com esse nome sendo muito popular, nada mais justo do que pesquisarmos a origem dele, correto? Coloque que sua camisa de força e prepare sua cela acolchoada que vamos investigar o (nome) Arkham a fundo! Continuar lendo “De Onde Veio o Nome do Asilo Arkham?”

A Leitura dos Quadrinhos: Mito, Ritual e Realidade

Acho que vocês, leitores inveterados de quadrinhos, já devem ter percebido que fazemos da nossa leitura, do nosso contato com os quadrinhos, um ritual. Todos visitamos um templo: uma banca, uma livraria, uma loja virtual. Todos comungamos da mesma história, do mesmo enredo, se lemos a mesma publicação. O ato ritualístico da leitura envolve sentidos e sentimentos, a visão, o toque das páginas, o peso do quadrinho, o cheiro do papel e da tinta. Nos acomodamos para poder nos sentir melhor ao ler quadrinhos. Entre muitas outras similaridades com um culto religioso. Afinal, muitos tratam Marvel e DC, e alguns criadores como verdadeiros e veneráveis deuses. Mas eu gostaria de analisar esse fenômeno um pouco mais a fundo e, por isso, fiz uma pequena pesquisa. Venham praticar esse rito comigo, sem cerimônia, por favor! Continuar lendo “A Leitura dos Quadrinhos: Mito, Ritual e Realidade”

A Nova DC/Vertigo e Um Escopo Mais Político Para Seus Quadrinhos

A DC Comics já havia anunciado um renascimento da linha adulta Vertigo através de um novo universo das revistas do Sonhar, com o Sandman criado pelo escritor Neil Gaiman. Essa semana, a editora surpreendeu a todos, anunciando novos títulos para esse selo DC Vertigo. Os títulos, assim como os da linha do Sonhar, não trazem artistas consagrados, mas novas abordagens para problemas e situações existentes em nossa sociedade. A nova DC/Vertigo traz realidades imaginadas a partir de situações políticas. E é sobre essas revistas e as promessas que elas trazem que vamos falar neste post. Continuar lendo “A Nova DC/Vertigo e Um Escopo Mais Político Para Seus Quadrinhos”

15 Monstros Clássicos do Terror da Marvel

As revisões do Código de Quadrinhos dos Anos 70 deu a oportunidade para as editoras de super-heróis explorarem o lado sobrenatural de seus universos. Assim, legiões de monstros começaram a infestar principalmente os gibis da Marvel, inspirados em monstros clássicos da literatura e dos cinemas. Fizemos um compilados das 15 criações – ou seriam recriações – mais interessantes da Marvel nesse período sombrio e sobrenatural. Será que o seu preferido está entre eles? Será que você conhece todos esses horrores? Continuar lendo “15 Monstros Clássicos do Terror da Marvel”

Dupla Representatividade: Pantera Negra – Mundo de Wakanda Recebe o Prêmio GLAAD

Na metade de abril de 2018 foi anunciado o prêmio GLAAD (Gays and Lesbians Alliance Against Defamation) para a produção de quadrinhos de destaque deste ano. A revista ganhadora foi Black Panther: World of Wakanda, de Roxane Gay e vários outros contribuidores, focando no casal gay formado pela dupla de ex-Dora Milaje, Ayo e Okoye, as atuais Anjos da Meia-Noite. Neste post pretendo discutir como a premiação de uma revista como essa é de suprema importância tanto para movimentos negros, feministas e queers, como para a representatividade dessas parcelas da sociedade, bem como aquela parcela que faz intersecção desses três movimentos. Vamos lá! Continuar lendo “Dupla Representatividade: Pantera Negra – Mundo de Wakanda Recebe o Prêmio GLAAD”

A Ascensão dos Monstros Internos – Monstress: Despertar, de Marjorie Liu e Sana Takeda

Marjorie Liu e Sana Takeda já trabalharam juntas na revista da X-23 para a Marvel. A partir dessa experiência e de algumas outras a nível pessoal, resolveram criar o universo e os personagens de Monstress, um quadrinho que foi bastante premiado no ano de seu lançamento, 2016. A Pixel Editora lançou o quadrinho no Brasil ano passado. Depois de lido, eu saí de um mergulho em um universo mágico e sobrenatural como eu nunca vi antes e numa história com fôlego e estofo para ser comparada a outras histórias de alta fantasia como Senhor dos Anéis e Game of Thrones. Gostei tanto desse quadrinho que resolvi dedicar um post no blog só para ele. E é isso que você vai ler a partir de agora. Continuar lendo “A Ascensão dos Monstros Internos – Monstress: Despertar, de Marjorie Liu e Sana Takeda”

Como Funciona Uma Adaptação DE Quadrinhos e Uma Adaptação PARA Quadrinhos?

Hoje temos uma explosão de adaptações de quadrinhos para o cinema, para a televisão, para os videogames e também para os livros. Ao mesmo tempo, vemos um movimento contrário: de filmes para quadrinhos, mas principalmente da prosa escrita para a arte sequencial. Claro, não existe uma fórmula mágica para uma adaptação boa ou correta, mas deve-se focar nos pontos fortes de cada mídia e em suas particularidade. Se isso não for levado em conta, a adaptação fracassa. Nesse post vamos discutir um pouco sobre conceitos e formas de adaptações que envolvem quadrinhos e porque podemos nos frustrar tanto quando nossas expectativas não são atendidas nesses trabalhos. Vem comigo! Continuar lendo “Como Funciona Uma Adaptação DE Quadrinhos e Uma Adaptação PARA Quadrinhos?”

Onomatopéias: Sons Materializados em Imagens

Se temos a personagem Cristal, da Marvel Comics, que transforma som em luz, da mesma forma, as onomatopéias transformam os sons em representações gráficas, em imagens, materializando-os nas páginas de gibis e dando um efeito de verossimilhança e de intensidade para essas histórias. Nesse post vamos investigar as onomatopéias, esse fenômeno tão característico dos gibis e entender sua importância para os quadrinhos, suas origens, a ligação com a língua inglesa, os mangás e a língua japonesa, e com o mestre dos quadrinhos Disney, Carl Barks. Continuar lendo “Onomatopéias: Sons Materializados em Imagens”

10 Livros Para Estudar Quadrinhos (Em Português)

Já pensou em fazer um TCC sobre quadrinhos? Ou um mestrado e doutorado pesquisando arte sequencial e a nona arte? Pois saiba que é possível e em diversas áreas de conhecimento! As pesquisas em histórias em quadrinhos tiveram um aumento exponencial no Brasil a partir dos anos 2000, embora muitos trabalhos acadêmicos pioneiros vem sendo feitos desde a década de 70. Neste post vou indicar alguns livros que você pode ler para adentrar o mundo teórico dos quadrinhos e começar a entendê-los sob uma perspectiva mais analítica. Se tiver interesse, vem que a hora é essa! Continuar lendo “10 Livros Para Estudar Quadrinhos (Em Português)”

Quadrinho Brasileiro com Brasilidade

“O Brazil não conhece o Brasil”, diria a letra de Elis Regina. O quadrinho brasileiro viu um boom em sua diversificação e nas suas produções, por volta de duas décadas. Entretanto, vamos concordar, nem todos esses quadrinhos possuem brasilidade.  Claro, não necessariamente necessitam ter. Longe da discussão da legitimidade dos super-heróis nacionais, mas indo além. Pensando na representação do país sem ufanismo, sem maneiras pejorativas, sem comemorações e sem condenações, quais são os quadrinhos brasileiros que contém essa tal brasilidade? É sobre isso que vamos falar nesse artigo. Continuar lendo “Quadrinho Brasileiro com Brasilidade”

O Que Faz Um Bom Quadrinho?

Volta e meia surge uma discussão, seja entre amigos, entre leitores, nas redes sociais, sobre que conjunto de elementos fazem um bom quadrinho. Seria usar mais palavras que imagens? Seria usar bem o ritmo? Ou então, será que é por quanto tempo essa HQ dura e nos prende dentro dela? Sempre tive comigo que uma leitura valiosa seria aquela capaz de nos transformar, de mudar nosso pensamento, de abalar nossas certezas, de nos despedaçar para nos reconstruir de novo. Mas eu não tinha minha certeza. Então fui pesquisar o que grandes nomes falam sobre grandes leituras. E o resultado está aqui. Continuar lendo “O Que Faz Um Bom Quadrinho?”

Os Melhores Romances Que Li em 2017

Ahá, mergulhadores! Eu disse que teria um surpresinha sobre os Melhores do Ano esse ano. Me ferrei nas leituras de livros neste ano do mestrado, mas também consegui ler uns romances e posso indicar os melhores que li para vocês. Quem gosta de ficção literária vai gostar dessa iniciativa. Quem não gosta… bem, não posso fazer nada. Não sabem o que perdem. Então, começamos a lista! Continuar lendo “Os Melhores Romances Que Li em 2017”