Todos os posts em: mangás

Um Mangá Para Se Orgulhar. O Marido do Meu Irmão, Volumes 1 e 2, de Gengoroh Tagame

O Marido do Meu Irmão é um mangá em dois volumes lançado em 2015 que traz a história de uma família lidando com a perda de um ente querido. A diferença é que esse ente querido é o irmão gêmeo de Yaichi, o pai solteiro de Kana, uma menina de quatro anos. Agora, Yaichi precisa receber Mike, um canadense gigante que calha de ser o tal “O Marido do Meu Irmão”, como última vontade de seu finado irmão. Como você pode perceber pelo título, o mangá traça uma conversa entre os personagens e os leitores sobre a realidade e a cultura gay, com destaque também para a cultura japonesa e as interfaces entre as duas. O mais encantador no mangá, contudo, é que temos o elemento da inocencia da garotinha Kana, que não consegue entender a maldade que os adultos veem num relacionamento entre dois homens. A seguir, falaremos um pouco mais sobre o incrível mangá O Marido do Meu Irmão.

As Belezas e Cruezas do Japão Feudal. Chambara: O Caminho do Samurai, de Roberto Recchioni e Andrea Accardi

Essa coleção de fumetti voltados para o público adulto que a Panini Comics tem trazido para o Brasil tem se revelado um surpresa grata e recompensadora. Até agora todos os álbuns que a editora italiana radicada no Brasil trouxe nesse estilo foram de 100% de aproveitamento e cinco de cinco estrelas. O último álbum dessa leva a sair nas bancas foi Chambara: O Caminho do Samurai, de Roberto Recchioni e Andrea Accardi. Um quadrinhos lindíssimo, com histórias envolventes e que se usam de uma narrativa impressionante, tanto nos desenhos, nos diálogos quanto nas cores. É sobre ele que vamos falar um pouquinho mais agora.

Fomos Conhecer o Coletivo Geek, um Espaço Dedicado a Nós, Nerds!

O Coletivo Geek é um novo espaço de entretenimento nerd e geek na zona sul de São Paulo, no bairro de Moema. Trata-se de um edifício inteiro de cinco andares dedicado à cultura pop, contemplando diversos segmentos desse nicho e também com comidas e bebidas deliciosas para alimentar o corpo dos nerds e alimentar a alma com elementos colecionáveis. Venha comigo dar um “passeio” por esse espaço dedicado às nossas paixões nerds e geeks e aproveite para conhecer um espaço superlegal que combina cultura pop, quadrinhos, games, jogos e comida boa!

Gen: Pés Descalços: o Célebre Mangá Autobiográfico de Keiji Nakazawa

Enquanto os americanos possuem uma extensa tradição em produzir quadrinho autobiográficos, principalmente a partir do advento dos quadrinhos undergrounds, é difícil ver mangás autobiográficos que cruzam a fronteira do Japão e chegam ao Ocidente. Uma honrosa exceção é Gen: Pés Descalços, o célebre mangá sobre a queda da bomba atômica sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki. Composto de dez volumes em mangá, foi publicado no Brasil pela Editora Conrad e também foi transformado em anime. Gen serve como um aviso para as próximas gerações dos horrores que a guerra e seu último recurso, a bomba atômica podem causar nas vidas das vítimas. Vamos falar um pouco mais sobre Gen: Pés Descalços e a sua importância.

Never Say Never Para Nathan Never

A Sergio Bonelli Editore, que publica inúmeros fumetti desde a criação de Tex nos anos 50, sempre teve um determinado tipo de histórias. Mas isso mudou lentamente com o advento de Nathan Never, que era a primeira HQ da editora que tratava do futuro e de elementos de ficção científica como parte integrante de seus temas recorrentes. Ela também contava com uma continuidade narrativa, coisa que os outros fumetti não tinham. Também foi uma forma da editora entrar na quadrinhomania dos anos 90, se aproximando mais do estilo estadunidense de fazer comics. Vamos falar neste post sobre Nathan Never e as edições que a Mythos Editora publicou do personagem no ano passado!

A Comic Con Experience e os Reflexos da Crise Editorial

A CCXP é, sem nenhuma dúvida, a maior celebração dos nerds do planeta. Tem espaço para todo mundo e, para os artistas que têm a honra de participar dela, é o evento de quadrinhos mais lucrativo do ano. O Artists Alley, este ano, alcançou o recorde de mesas, com mais de 500 artistas divulgando e vendendo os seus trabalhos. Por outro lado, outra grande falta foi sentida: a de sebos, livrarias e editoras. Um evento deste porte, certamente é um reflexo da realidade do consumo do público nerd brasileiro. A ascensão do espaço independente e a diminuição do espaço mainstream seriam reflexos do nosso momento de consumo de produtos editoriais voltados ao público nerd? Vamos analisar essas possibilidades a partir da Comic Con Experience.

Um Passeio Pela Exposição “Quadrinhos”, do MIS

Até o dia 31 de março de 2019 fica em exposição a mostra Quadrinhos, no Museu da Imagem e do Som, o MIS, localizado no Jardim Europa, em São Paulo. A exposição foi liderada e organizada por Ivan Freitas da Costa, um dos sócios da Comic Con Experience. Aproveitando que já estaria em São Paulo para a CCXP 2018, resolvi dar um pulo na exposição Quadrinhos, no único dia em que eu poderia vistá-la durante minha estadia. Tirei mais de 200 fotos lá, mas separei algumas muitas para vocês . Neste post contarei um pouco do meu passeio na exposição, com o intuito de também instigá-los a visitar esta incrível, sensacional, magnânima mostra!

[SFW] 10 Hot Male Cosplayers Para Seguir No Instagram

Faz um bom tempo que não damos uma atenção para os posts mais “hot” aqui do Splash Pages.Para corrigir esse erro, dessa vez não vamos trazer heróis desenhados de uma forma sexy, mas homens que se vestem de super-heróis. Eles são cosplayers profissionais, ou seja, ganham a vida se vestindo de personagens em eventos do gênero. Por isso, é importante para eles que divulguem seus trabalhos e, nada melhor que uma conta no Instagram, uma rede social que privilegia a dimensão da imagem, para isso. Separamos aqui alguns dos melhores trabalhos de composição de personagens e de corpitcho dos cosplayers, claro, que ninguém é de ferro. Nem fazendo um cosplay do Colossus! Vamos a eles!

[TOP 25] Curiosas Personalidades Que Já Tiveram Gibi Próprio

Olá mergulhadores! Volta e meia nós viemos com aqueles posts de curiosidades bizarras sobre os quadrinhos. Bem, este aqui é um deles. Fizemos uma seleção de celebridades, pessoas públicas e personalidades famosas que já tiveram gibis próprios em algum momento. Claro, que isso se deu muito mais nos anos 80 e 90, quando os gibis estavam em maior evidência e o culto à personalidades televisivas também. Deixamos de fora as personalidades dos anos 70 para cima, porque a maioria dos leitor do blog não iria se identificar e, talvez, nem reconhecer, como Mazzaropi, e os palhaços Pimentinha, Arrelia e Carequinha. Dito isso, apertem seus cintos e vamos viajar pelas personalidades que, bizarramente,  ou nem tanto, já tiveram gibis!

A Ascensão dos Monstros Internos – Monstress: Despertar, de Marjorie Liu e Sana Takeda

Marjorie Liu e Sana Takeda já trabalharam juntas na revista da X-23 para a Marvel. A partir dessa experiência e de algumas outras a nível pessoal, resolveram criar o universo e os personagens de Monstress, um quadrinho que foi bastante premiado no ano de seu lançamento, 2016. A Pixel Editora lançou o quadrinho no Brasil ano passado. Depois de lido, eu saí de um mergulho em um universo mágico e sobrenatural como eu nunca vi antes e numa história com fôlego e estofo para ser comparada a outras histórias de alta fantasia como Senhor dos Anéis e Game of Thrones. Gostei tanto desse quadrinho que resolvi dedicar um post no blog só para ele. E é isso que você vai ler a partir de agora.

Onomatopéias: Sons Materializados em Imagens

Se temos a personagem Cristal, da Marvel Comics, que transforma som em luz, da mesma forma, as onomatopéias transformam os sons em representações gráficas, em imagens, materializando-os nas páginas de gibis e dando um efeito de verossimilhança e de intensidade para essas histórias. Nesse post vamos investigar as onomatopéias, esse fenômeno tão característico dos gibis e entender sua importância para os quadrinhos, suas origens, a ligação com a língua inglesa e com o mestre dos quadrinhos DIsney, Carl Barks.

O Que Aconteceria Se Os Heróis da Marvel Se Pegassem no Fervor da Porrada?

Caro marvete e caro decenauta! Caros fãs de capa e espada! Esse será um duelo como nenhum outro, mas cabe a você decidir quem vai gozar do privilégio da vitória. Este é o segundo round desse combate a muito ferro e muito fogo. Dessa vez são os marvetes que vão se deleitar com essas histórias de uma realidade alternativa, onde tudo pode acontecer, tudo cabe à imaginação do autor! Ciclope e Wolverine se pegando como você nunca viu! Cable e Deadpool portando suas grandes armas! Justiceiro e Demolidor aplicando a justiça com as próprias mãos! E uma história especial com o Capitão América e seu antigo parceiro de grandes esforços, Jack Monroe, o Nômade! Não perca!

Novo Editor-Chefe da Marvel Usava Pseudônimo Para se Passar Por Mangaka Japonês

A atual polêmica em torno do novo editor chefe da Casa da Ideias, C.B. Cebulski, nomeado em novembro de 2017, dá conta de pseudônimos, falsidade ideológica, acúmulo de funções, mas o principal problema foi se passar por um péssimo roteirista japonês. pesquisamos sua obra sob o pseudônimo de Akira Yoshida e algumas das ramificações do caso e trazemos um pouco do resultado para você, sempre, é claro, discutindo a situação. Nos acompanhe nesse navio afundado nas profundezas do mar corporativo e descubra toda a história!

Os Melhores Mangás que li em 2013

Então, primeiro quero pedir desculpas pelo meu total desconhecimento sobre o universo dos Mangás. Se eu falar alguma besteira, me corrijam. Nunca fui muito desse tipo de leitura, mas não por não curtir o estilo, e sim, porque os títulos errados caíram em minhas mãos. Tentando corrigir esse lapso na minha formação quadrinhística, tentei ler alguns. Os melhores foram estes:  ADOLF, OSAMU TESUKA O Deus do Mangá não poderia ficar de fora da lista de iniciação aos quadrinhos japoneses. Além de Adolf, li A princesa e o cavaleiro, um dos grandes clássicos do mestre. A diferença de teor entre os dois é enorme, seja no traço ou no conteúdo narrativo.  Dizem que Adolf foi o primeiro quadrinho adulto de Tesuka e a história tem coisas para maiores de 18 anos como sexo e muita violência, mas, claro, à maneira Tesuka. Notei nos dois mangás uma influência de Shakespeare, seja nas tragédias, nos encontros e desencontros ou nas trocas de papéis, como já bem diz o título que comporta três Adolfs diferentes. Além disso, há a …

Delivery Service of Corpse

Essa semana comprei Delivery Service of Corpse (Conrad, R$ 12,90) para dar uma chance ao mangá, coisa que não está regularmente nas minhas leituras. O plot chamou a minha atenção: um grupo de estudantes de uma universidade budista se reúne para resolver os assuntos pendentes dos mortos. O roteiro é de Eiji Otsuka e a arte de Housui Yamasaki. No primeiro volume são quatro histórias. A primeira, Felicidade Incompleta, conta como Kurô Karatsu encontra seus companheiros e como eles iniciam a Amigos Voluntários Kurosagi. Kurô é o que chamam no Japão de Itako, uma pessoa capaz de se comunicar com os mortos através do contato físico. O resto do grupo também tem habilidades específicas: uma hacker, um radiestesista (capaz de localizar água, tesouros e cadáveres sob a terra), uma embalsamadora e um canalizador (? – um cara que canaliza energias extraterrestres através de seu fantoche). O gibi é recomendado para maiores de 16 anos. O conteúdo das histórias não poupa o uso de violência e nudez, todo parece  acontecer de uma forma gratuita. Para se …