Todos os posts em: mercado

Brian Michael Bendis!!! GRAURRRRR!

“Brian Michael Bendis é o Melhor Escritor de Comics de Super-Heróis”, por Henry Jenkins

Em um livro que trazia artigos sobre as coisas mais bonitas na cultura pop dos Estados Unidos e do mundo o estudioso dos fãs e da cultura da convergência Henry Jenkins apontou Brian Michael Bendis como uma dessas coisas belas. Para Jenkins Bendis é o melhor escritor de quadrinhos do mainstream contemporâneo. Em um ensaio inspirado o estudioso da cultura dos fãs e da convergência explica suas motivações para essa escolha. O ensaio é de 2007, mas resolvemos trazer para vocês algumas partes deste ensaio para entendermos um pouco do impacto e do legado de Brian Michael Bendis na cultura de fãs de quadrinhos de super-heróis do mainstream estadunidense contemporâneo.

Os Quadrinhos Pensantes ou Intelectualizados Surgidos a Partir dos Anos 1950

Peanuts (Charlie Brown e Snoopy), Mafalda, Calvin e Haroldo, Ferdinando, Pogo, Armandinho. O que esses quadrinhos têm em comum? Todos eles são considerados como “pensantes ou intelectualizados”, que tem como característica exemplar construir o espírito crítico dos leitores sobre a sociedade e a cultura na qual estão inseridos. Este tipo de quadrinho costuma ter grande destaque ou despontar no meio quando grandes mudanças acontecem na sociedade, geralmente estreitando as liberdades civis de expressão. Outra coisa incontestável desses quadrinhos é que apesar de meterem o dedo na ferida e serem censurados, eles são enormes sucessos. Vamos, então, falar agora um pouco mais sobre este tipo de produção em histórias em quadrinhos.

Os 30 Novos Títulos da Expansão da Coleção de Graphic Novels DC Comics da Eaglemoss Comentados

A editora Eaglemoss anunciou recentemente através do site Universo HQ que sua Coleção de Graphic Novels da DC Comics terá uma expansão de mais 30 edições, começando pela primeira parte de Mulher-Maravilha: O Ataque das Amazonas. Nesta postagem iremos comentar o conteúdo de cada um desses títulos que vem por aí e, no final, em nossa humilde opinião, se pretendemos ou não adquiri-los e por que razão. Um dos motivos de reclamações dos leitores sobre essa coleção é o aumento constante de preços. Os encadernados começaram a serem vendidos por um preço regular de R$ 49,90 a partir da quarta edição e chegaram a R$ 79,90 na edição 101 que será lançada agora. Por isso, saber escolher que encadernados levar é importante. Vamos à lista.

Vingadores Um Milhão Antes de Cristo. Estigma: Gay, Outsider e Estigmatizado

Na mais recente edição de Vingadores, escrita por Jason Aaron e desenhada por Dale Keown ficamos sabendo quem foi o primeiro humano a receber a marca do evento branco, o primeiro hominídeo a receber o poder de Estigma, que vem passando de anos em anos por diversos homens e mulheres. A novidade desta vez é que o primeiro ser humano a receber a marca do estigma foi um homossexual apartado da sua tribo por ter um comportamento sexual que destoa dos outros. O estigma é uma marca comportamental ou física que separa uma pessoa do convívio social pelos demais. A homossexualidade foi – e continua sendo – um fator de estigmatização. Vamos discutir um pouco sobre esse tema a partir da revista da Marvel e das teorías de sociólogos e antropólogos como Norbert Elias e Erving Goffman sobre estigma e estigmatização.

Como Foi o Primeiro Fuzuê Nerd em São Paulo

Aconteceu no feriado de Proclamação da República, no dia 15 de novembro de 2019 a primeira edição do Fuzuê Nerd, um evento para celebrar a movimentação nerd em todas as instâncias. O acontecimento tomou lugar em diversas salas do centro de convenções do Novotel Jaraguá, no centro da capital do estado de São Paulo. Reunindo diversos profissionais das histórias em quadrinhos, produtores, artistas, especialistas, jornalistas e youtubers, esta primeira edição serviu para demonstrar a força do segmento e como a diversidade também atrai um público fiel. Vamos falar um pouco mais sobre o evento neste post.

Destaques do Checklist da Mythos Editora Para Novembro de 2019 e… Júlia Kendall!

Não é sempre que o catálogo mensal da Mythos Editora vem tão recheado de novidades. E novidades absurdamente interessantes e legais como é o caso do que a editora programou para este mês de novembro. A maior dessas novidades é o relançamento das revistas de Júlia Kendall, as Aventuras de uma Criminóloga! Mas, claro, tem muito mais coisas legais é ótimas de serem lidas esperando, por nós, leitores na Mythos Editora de novembro. Então para tudo e vem ver o que nos aguarda esse mês!

Conheça a Guará Entretenimento, a Casa do Doutrinador e de Outros Heróis Brasileiros

Com a intenção de trazer uma nova geração de heróis brasileiros surgiu a Guará Entretenimento, que já tinha em suas fileiras o (super?)herói mais popular do Brasil no século XXI, o Doutrinador. O sucesso desse personagem nas histórias em quadrinhos levou a uma versão live-action do herói (?) que pune os corruptos e aqueles que falharam com a lei, que fez uma considerável bilheteria nos cinemas. Com um projeto ambicioso de criar um universo de super-heróis brasileiros, porém urbanos e menos fantasiosos que os primos americanos, a Guará entretenimento lançou mais três histórias em quadrinhos com heróis que vivem no Brasil. Assim surgiram Santo, Pérola e Os Desviantes. Neste post, vamos falar mais sobre a editora e os títulos lançados por ela até agora com resenhas críticas dos mesmos.

As Belezas e Cruezas do Japão Feudal. Chambara: O Caminho do Samurai, de Roberto Recchioni e Andrea Accardi

Essa coleção de fumetti voltados para o público adulto que a Panini Comics tem trazido para o Brasil tem se revelado um surpresa grata e recompensadora. Até agora todos os álbuns que a editora italiana radicada no Brasil trouxe nesse estilo foram de 100% de aproveitamento e cinco de cinco estrelas. O último álbum dessa leva a sair nas bancas foi Chambara: O Caminho do Samurai, de Roberto Recchioni e Andrea Accardi. Um quadrinhos lindíssimo, com histórias envolventes e que se usam de uma narrativa impressionante, tanto nos desenhos, nos diálogos quanto nas cores. É sobre ele que vamos falar um pouquinho mais agora.

O Cinema de Autor Contra o Cinema de Super-Heróis

No mês de outubro de 2019, as notícias do mundo de entretenimento se viram engolidas por uma enxurrada de críticas aos filmes de super-heróis. Elas vieram principalmente da direção dos cineastas Martins Scorsese e Francis Ford Coppola, que afirmaram que os filmes da Marvel “não são cinema”, ou pior, que eram “desprezíveis”. É preciso lembrar que Scorsese e Coppola vêm de uma geração que salvou o cinema hollywoodiano nos anos 1970 assim como a Marvel e os filmes de super-heróis fazem hoje em dia. Também é preciso lembrar que dessa leva saíram George Lucas, que tem um approach no cinema muito parecido com o da Marvel, com a franquia Star Wars, e também Steven Spielberg, cujo nome é sinônimo de blockbusters e efeitos especiais. Nos últimos dias uma declaração de Spielberg sobre os filmes de super-heróis atiçou os fãs. Vamos falar mais sobre ela e sobre como nossas obsessões estão mudando o que compramos e quem somos, a seguir.

O Que Foi o M-Tech, o Selo Tecnológico da Marvel Comics?

Hoje em dia os robôs da Marvel estão em alta na Casa das Ideias. Na série do Homem de Ferro 2020 foi anunciado que eles terão uma participação importante nas histórias em quadrinhos que se seguirão. Homem-Máquina e Jocasta tomarão a frente nesses personagens. Anteriormente a Marvel também tentou lançar uma série apenas de heróis de inteligências artificiais comandada pelo Visão, os Vingadores I.A. . Essa série durou uma dúzia de edições e depois foi cancelada. Mas antes disso, os heróis tecnológicos da Marvel tiveram um selo de revistas só seu no final da década de 1990. Era o selo M-Tech.Vamos falar um pouco mais sobre os acontecimentos que antecederam sua criação e quais eram os três títulos que compunham o selo.

Discutindo as Críticas de Martin Scorsese ao Marvel Studios

Quando a estreia de um filme do universo dos super-heróis se aproxima, ela sempre vem recheada de polêmica. A grande parte das declarações são que ou o filme vai dar errado ou ainda, que não pode nem ser considerado um filme. Foi o caso da declaração do renomado diretor Martin Scorsese durante o período de estréia do filme Coringa (2019), dizendo que os filmes da Marvel se assemelham mais a parques de diversões do que a filmes, e que não podem ser considerados assim. Já a atriz da série Friends, Jennifer Aniston, declarou que praticamente não existem outros filmes em Hollywood além dos filmes da Marvel. Se levarmos o sofisma dessas duas declarações, o cinema, a partir dos filmes de super-heróis deixou de existir. Sabemos que essas declarações têm um fundo de verdade, mas será que Scorsese precisa atacar os filmes de super-heróis? Venha discutir esse assunto conosco!

Vamos Conhecer Algumas Campanhas Incríveis de Quadrinhos no Catarse?

Olá mergulhadores! Devido aos elogios e acessos que tivemos ao divulgar algumas campanhas no catarse no mês passado, resolvemos fazer uma vez mais essa iniciativa aqui no Splash Pages. Se vocês acham essa uma boa ideia, podemos tornar essa uma seção mensal aqui no blog. Por isso, não deixe de comentar avaliando o que você acha mais interessante! Bem, agora vamos deixar você com diversas campanhas interessantíssimas para apoiar cujos resultados você vai poder ver a partir do seu lançamento na Comic Con Experience, a CCXP, em dezembro de 2019!

10 Grandes Editoras dos Comics: Hoje e Sempre

Vamos falar sobre grandes editoras dos comics? Bom, quando falamos em grandes editoras não queremos falar sobre casas publicadoras como a Marvel e a DC Comics. Queremos falar da força das mulheres por trás de grandes publicações da indústria dos comics norte-americanos. Muita gente por aí não valoriza o trabalho das mulheres e acha que elas ficam a dever quando se trata de qualidade. Este post serve para desfazer esse mito, mostrando que muitos dos trabalhos importantes dos quadrinhos foram feitos a partir da orientação de mulheres. Estão preparados para conhecê-las? Então vamos lá!

Audace: O Selo Adulto da Sergio Bonelli Editore

Se a DC Comics teve a Vertigo e a Marvel teve a Marvel MAX, a Sergio Bonelli Editore, casa dos fumetti mais queridos do mundo, tem a Audace. Esse é o selo de quadrinhos adultos da editora de Tex e companhia, que oferece histórias mas maduras, com um conteúdo com temáticas que são mais perversas e eróticas do que a editora costuma oferecer geralmente. A novidade para nós brasileiros é que este selo está aportando no Brasil, através da Panini Comics, nos títulos Deadwood Dick e Mister No: Revolução. Vamos falar mais sobre esse selo e sobre o que esperar de seus títulos neste post.

A Cruzada de Marcelo Crivella Contra os Quadrinhos

A gente nunca cansa de parar de se assombrar com a ignorância do conservadorismo brasileiro. Por muitos anos já tivemos programas da televisão que fizeram campanhas dos pais contra os jogos de Role Playing Game, contra as cartas de Yugioh, contra Harry Potter, com a retrógrada justificativa que tudo aquilo era “coisa do demônio”. O governador do estado do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, da bancada evangélica e aliado do presidente, incendiou as redes sociais exigindo a censura da revista Vingadores: A Cruzada das Crianças no evento da Bienal do Livro do Rio de Janeiro. Vamos falar um pouco sobre esse ato e a ignorância das autoridades, principalmente das conservadoras sobre os quadrinhos, e quais as consequências desses atos.


Chegou o “Universo Compacto”: Assinatura Mensal de Quadrinhos Brasileiros

Quadrinhos brasileiros não são tão fáceis assim de se achar em bancas e livrarias, principalmente aqueles que estão distantes dos grandes centros e das distribuidoras. Materiais independentes, muito comentados e diferentes, também são difíceis de chegarem aos leitores comuns. A não ser em grandes eventos de quadrinhos, como FIQ e CCXP a oportunidade de se comprar esse tipo de material praticamente não existe. A assinatura mensal “Universo Compacto” chegou para sanar essa lacuna entre nós, leitores. Confira a seguir o funcionamento deste sistema!

Continuidade Narrativa e o Uso da Memória nos Quadrinhos

A memória nos quadrinhos pode ser pensada muito mais do que apenas quadrinhos que contêm memórias de outras pessoas ou dos próprios autores. Ela pode ser pensada através dos rituais que realizamos para guardar informações sobre os universos ficcionais dos quais gostamos; ela pode ser utilizada como forma de arquivamento de coleções, a nostalgia pode ser pensada através dessas memórias, entre outras situações. Mas uma função importante da memória, principalmente nas duas grandes editoras de super-heróis é a continuidade narrativa. É através dela que sabemos que uma história que estamos lendo ja teve um passado e terá um futuro e que depende de nós comprarmos mais e mais revistas para conhecer esse universo. Vamos falar neste post sobre como a continuidade narrativa dos super-heróis são uma ferramenta de impulsionamento de vendas para as editoras de quadrinhos. 

Como Foi a Game XP 2019

Aconteceu durante os dias 24 e 28 de julho, no Parque Olímpico do Rio de Janeiro, a Game XP 2019. Vendida como o “Maior Game Park da América Latina” e com a “Maior Arena de Games do Mundo”, o evento reuniu aficionados por videogames de todos os tipos. E quando eu digo todos os tipos, quero dizer que todas as gerações de gamers foram contempladas neste evento. A Game XP é um evento produzido pela CCXP em parceria com o Rock in Rio. Participei do evento como artista dentro da Art Street da Game XP, a área dos artistas do acontecimento. Agora vou falar um pouquinho mais para vocês sobre este enorme evento que celebra os videogames.