Todos os posts em: Resenhas

Resenhas de algumas HQs.

A Peça Que Nos Falta: Além dos Trilhos, de Mika Takahashi

Além dos trilhos (2017), da Mika Takahashi é, posso dizer, mesmo que precocemente, a HQ mais bonita que li este ano. Embora não tenha lido muitas, já reli esta o suficiente pra me envolver com o protagonista e reconhecer nele, o vazio que vez ou outra assola o centro do meu pensamento.

Anúncios

Saudades: Vertigo (Opera Graphica)

As histórias presentes nesta segunda encarnação de uma revista com o título Vertigo são, em grande parte, editadas pelo atual chefão da Marvel, o editor-chefe Axel Alonso. Aqui ele reuniu um time de alto escalão dos quadrinhos para trazer histórias curtas e contundentes que deixam o leitor abismado nos temas crime, horror, guerra e western.

Uma Volta Pelo Inferno: Kid Eternidade, de Grant Morrison e Duncan Fegredo

A maioria das histórias de Grant Morrison são assim: geram múltiplas interpretações a cada leitura. Basta escolher a sua. Esta, ainda do período inicial da Invasão Inglesa, com a reinterpretação dos personagens clássicos da DC Comics, mostra toda a verve mágica do careca inglês, que tempos mais tarde iria unir tudo isso em séries como Patrulha do Destino e Os Invisíveis.

Vingadores: Sob Ataque, de Roger Stern, John Buscema e Tom Palmer

Uma das melhores sagas dos Vingadores, que reforçou comportamentos dos integrantes da equipe e plantou sementes de histórias vindouras. Na história, uma nova e maior formação dos Mestres do Terror, liderada pelo Barão Zemo ataca a Mansão dos Vingadores e causa um forte abalo na equipe. É o que você vai ver/ler a seguir.

Melhores e Piores Leituras de Janeiro de 2017

Como diria Silvio Santos: “Olé, olé, olé, olé, feeling hot, hot, hot!”. Este verão está de matar! Mas pra refrescar (pelo menos a mente) a gente lê e esquece um pouco do bafão. Aqui está a minha seleção de melhores e piores leituras do mês. Não teve nenhuma leitura horrível esse mês, então fiquemos com as melhores apenas!

Love Is Love: Uma Coletânea de Quadrinhos em Honra às Vítimas do Massacre de Orlando

Era 12 de junho de 2016, eu estava com meus amigos gays comemorando o aniversário do cara que viria a ser meu namorado um pouco tempo depois em uma casa noturna alternativa. Cheguei em casa por umas sete da manhã e nos noticiários estava dando que um franco-atirador havia invadido uma boate gay de Orlando, nos Estados Unidos, matando 49 pessoas. O crime, como se provou depois, foi definido como crime de ódio. Uma vez que o atirador era homofóbico, mas, como na maior parte dos casos de homofobia, sentia atração por homens.

Visões de 2020, de Jamie Delano, Frank Quitely, Warren Pleece e Outros

O ano de 2020 está chegando, mas muito antes dele, em 1997, o autor da Vertigo, Jamie Delano imaginou como seria o futuro três décadas depois. O resultado é bastante bizarro, mas algumas coisas, estranhamente fazem sentido, como se fosse uma realidade alternativa do que estamos para viver. Isso baseado em decisões tomadas mundialmente, como a eleição de Donald Trump. Mais, a seguir

Lumberjanes: Cuidado Com o Sagrado Gatinho, de Noelle Stevenson, Grace Ellis, Shannon Waters e Brooke Allen

Que tal um quadrinho produzido apenas por mulheres com o intuito de mirar garotas adolescentes como público? Assim é Lumberjanes, que conta as divertidas histórias de um grupo de garotas escoteiras em um acampamento de verão nos Estados Unidos. Com personagens cativantes e desenhos enérgicos, Lumberjanes conquista a cada página.

Civil War #8. A Nova “Morte” e os Possíveis Futuros da Marvel

Hoje saiu o penúltimo número da segunda minissérie de Guerra Civil. O mote é uma guerra entre a Capitã Marvel, Carol Danvers e o Homem de Ferro, Tony Stark pelo futuro do Universo Marvel. O inumano Ulisses é capaz de ver o futuro, mas o que é melhor? Deixar que ele aconteça ou evitá-lo. São duas corrente de pensamento e uma luta que se encerra neste número.

Os Melhores Quadrinhos da Marvel Que Li em 2016

Infelizmente vimos esse ano como a Marvel vem perdendo a força e a inovação. Dos quadrinhos selecionados aqui, boa parte deles são republicações. Ou isso significa que a Marvel está vindo com coisas ruins, ou que o que sai em encadernados (a base e o protetor destas listas) não vale tanto a pena sair dessa forma. Jogo essa reflexão para vocês. O que acham? E aqui vai minha lista:

Mulher-Maravilha: Terra Um, de Grant Morrison e Yanick Paquette

Chegou às bancas o encadernado que reimagina a origem da Mulher-Maravilha para uma nova audiência. Isso é feito pelas mãos de Grant Morrison (Homem-Animal, Novos X-Men, Os Invisíveis, LJA) e Yannick Paquette (Jovens X-Men, Monstro do Pântano). Apesar de, na superfície, a origem não apresentar grande modificações, são as nuances que causam a reverberação do impacto da pedra no lago.

Da “Morte do X” a “Inumanos vs. X-Men”

Muitos, como eu, achavam que seria o fim da franquia X na Marvel. Mas as megassagas que seguiram às Guerras Secretas envolvendo mutantes estão aí para provar o contrário. A Morte do X e Inumanos vs. X-Men abrem caminho não só para novas revistas dos mutantes como também dos habitantes de Attilan. E é sobre essas duas megassagas que vamos falar neste artigo.

Esqueça Seus Julgamentos. Nimona, de Noelle Stevenson

Noelle Stevenson é hoje conhecida pela aclamada série independente Lumberjanes. Mas antes dela, Noelle publicou a websérie Nimona, que conta a história de uma garota com o mesmo nome, que possui poderes transmorfos. Tudo que ela mais quer é ser a comparsa do maior vilão do reino, o Lorde Coração Negro. Mas nem tudo é o que parece nesse quadrinho que possui uma narrativa inovadora e revigorante nas formas de encarar certos paradigmas de personagens.

Os Quadrinhos de Arquivo X. Arquivo X: Clássicos – Vol.1, de Stefan Petrucha e Charlie Adlard

A série de TV Arquivo X foi um imenso sucesso nos anos 90. Criada por Chris Carter, ela abordava principalmente fenômenos alienígenas, mas todo o rol de mistérios do mundo estavam incluídos. Com uma abordagem investigativa, tinha na figura dos personagens Fox Mulder (David Duchovny) e Dana Scully (Gillian Anderson), o volúvel e a cética, num interessante embate. A editora New Order trouxe ao Brasil o compêndio em questão que traz as nove primeiras histórias da série.

A Mulher-Maravilha do Rebirth: Bissexual, Mas Principalmente Bem Estruturada

Quem é a Mulher-Maravilha? Muitos podem se perguntar. Existem inúmeras versões para ela. Na iniciativa dos Novos 52, surgiram muitas discrepâncias, se colocarmos lado a lado suas aventuras solo e ao lado da Liga da Justiça. O evento Rebirth veio para sanar de uma vez por todas a resposta para nossa pergunta inicial.

Melhores e Piores Leituras de Setembro de 2016

Uhlala! Tivemos uma lista longa nesse mês de Setembro em que a flora floresce e a fauna acasala. Muitas coisas boas, mas muitas coisas ruins também. A Coleção Marvel de Graphic Novels da Salvat em sua versão Clássicos tem feito cadeira cativa aqui na nossa sessão mensal. Muita coisa foi resenhada com mais cuidado, mas aqui vão algumas minirresenhas da nossa seleção!

A Melhor HQ de Mark Millar: O Legado de Júpiter, de Mark Millar e Frank Quitely

Imagine que os super-heróis, no meio de um caos econômico e político mundial, decidem tomar as rédeas do planeta para si. E isso acontece no meio de um conflito de gerações super-heróico. Esse é o mote para O Legado de Júpiter, a última HQ de Mark Millar lançada no Brasil e a que eu considero a melhor de todas até agora. A seguir, conto mais sobre ela!

A Trilha da Mulher-Gato, de Darwyn Cooke, Ed Brubaker e Brad Rader

A Mulher-Gato é a fantasia mais procurada entre 7 de 10 mulheres. Ela, talvez, seja a vilã reformada mais popular dos quadrinhos. Nesse encadernado, seus autores tentam aproximar a personagem de uma defensora dos fracos e rejeitados da sociedade, como as prostitutas. O resultado é um quadrinho altamente noir, com uma colorização que dá esse clima. Para saber mais, me acompanhe!

Melhores e Piores Leituras de Agosto de 2016

Agosto! O mês do desgosto! O mês do cachorro louco! Mas não é que esse mês reserva muitas leituras legais? E até as leituras que foram parar nos piores do mês nem são tão horrendas assim. Temos Marvel, DC, Vertigo, Brasileira e temos até um Mangá esse mês! Quem diria! Venha comigo se quiser vir ver!

Esqueça a Bundona – Mulher-Aranha: Novos Insucessos, de Dennis Hopeless e Javier Rodriguez

Depois da enorme polêmica com a capa da bunda para a Lua, feita pelo italiano Milo Manara, e cinco edições depois, Jessica Drew, a Mulher-Aranha, voltou repaginada. Os responsáveis pela nova fase são Dennis Hopeless (Arena dos Vingadores) e Javier Rodriguez. A capa foi tão criticada que não só o uniforme mudou, mas como a pegada das histórias, que ficou bem mais girl power. Já já falo mais sobre!

Superwoman, de Phil Jimenez, é uma Carta de Amor aos Anos 50

A maior surpresa do Rebirth não é Superman, nem Batman, mas uma personagem que sempre deveria ter existido e somente agora virou realidade: a Superwoman. Todas as divulgações do evento Rebirth da DC Comics levavam os leitores a pensar que Lois Lane seria a nova encarnação da Superwoman. Mas todos estavam redondamente enganados

Tamanho Não é Documento: Homem Formiga: Segunda Chance, de Nick Spencer, Ramon Rosanas e Jordan Boyd

Finalmente a Panini lançou o encadernado com as histórias do Homem-Formiga pré-Guerras Secretas. Apesar de fora do timing com o filme do herói é uma leitura interessante e descompromissada, mas que traz muitos elementos que fizeram dos heróis Marvel apetitosos para os leitores. Claro, também não tem como negar que Scott Lang absorveu muito de sua versão cinemática, interpretada por Paul Rudd. Vamos falar sobre isso tudo à frente!

Saudades: Os Caçadores

A Editora Abril precisava de uma casa para o Arqueiro Verde na década de 90. Então a solução foi unir o herói a outros que tinham uma pegada como a dele. Eram, frios, eram cruéis e raivosos, mas que, afinal, eram bem escritos. Eles eram Os Caçadores, apresentando numa revista em formato americano e com um logo à la Comandos em Ação. Vamos lembrar disso?