O Machismo e as Histórias da Batwoman dos anos 1950

Nos dias de hoje muito se fala sobre Kate Kane, a Batwoman como um epítome da lebianidade nos quadrinhos. Mas antes dela, havia nas histórias em quadrinhos Kathy Kane, a Batwoman dos anos 1950, que foi criada como uma compensação para o sentimento de homossexualidade latente entre Batman e Robin, destacado pelo psiquiatra Fredric Wertham em seu livro Sedução dos Inocentes. A personagem foi abordada nas histórias de Grant Morrison num retcon, mas havia sucumbido muitos anos antes no final da década de 1970. Batwoman foi um fruto de seus tempos, usando uma cartilha de atuações para lá de machista em todos os caminhos que suas histórias tomavam. Neste post vamos falar sobre as consequências do Código dos Quadrinhos nas histórias de Batman e Robin a partir da inserção da Batwoman, Kathy Kane.

Continuar lendo “O Machismo e as Histórias da Batwoman dos anos 1950”
Anúncios

Os Novos (Pela Enésima Vez) Jovens Titãs, de Adam Glass e Bernard Chang

Os Titãs são uma equipe que sempre está sendo relançada em novas séries de quadrinhos. Desde sua invenção, nos anos 1950, com certeza tivemos mais de dez versões de seus títulos, isso sem falar de suas equipes criativas e componentes de time. O último desses relançamentos foi o segundo título da equipe dentro da iniciativa Renascimento DC, dentro da continuação do evento Sem Justiça, que rearticulou as equipes de super-heróis da DC Comics. Este novo título dos Jovens Titãs, que aporta no Brasil este mês pela Panini Comics traz um gosto da dinâmica estabelecida nos anos 1980 pela dupla Marv Wolfman e George Pérez. Vamos falar mais a respeito disso, a seguir.  Continuar lendo “Os Novos (Pela Enésima Vez) Jovens Titãs, de Adam Glass e Bernard Chang”

Supergirl: 60 Anos da Super Prima de Aço

Em janeiro deste ano, a Supergirl completou sessenta anos desde sua aparição, em 1959, vinda do espaço para se encontrar com seu primo Kal-El, o Superman. A Supermôça, como foi batizada no Brasil, em sua primeira aparição aqui, vive uma das melhores fases de sua carreira graças à série de televisão homônima no canal Warner, vivida por Melissa Benoist. Esta série é, de longe a melhor e mais completa retratação de Kara Zor-El para outras mídias. Para celebrar este momento histórico da moça de aço, a prima mais super do mundo, vamos citar alguns momentos e versões da Supergirl nesses seus sessenta anos de existência. Continuar lendo “Supergirl: 60 Anos da Super Prima de Aço”

Onde Estão “Os Contos do Cargueiro Negro” em O Relógio do Juízo Final

Com a chegada da terceira edição de O Relógio do Juízo Final nas bancas pela Panini Comics, acabamos nos perguntando onde um elemento importante de Watchmen acabou ficando. São Os Contos do Cargueiro Negro, uma parte metalinguística da saga de Alan Moore e Dave Gibbons em Watchmen que até ganhou uma nova versão em Antes de Watchmen. Mas, onde eles foram parar nessa nova homenagem à Watchmen por Geoff John e Dave Gibbons? Será que existe ligar para eles na narrativa? Será que eles foram substituídos por algo semelhante com o mesmo recurso narrativo? É o que vamos discutir neste post. Continuar lendo “Onde Estão “Os Contos do Cargueiro Negro” em O Relógio do Juízo Final”

Editoras que Publicaram “Archie” no Brasil

Se você pensa que com o sucesso da série Riverdale o personagem Archie Andrews começou a ser publicado somente agora em quadrinhos, sua mídia originária, no Brasil, está muito enganado. Archie Andrews e sua turma passaram por diversas publicações e editoras ao longo dos anos, ou melhor, das décadas, colecionando curiosidades e nomes pra lá de engraçados. Nós vamos falar sobre algumas destas publicações neste texto aqui. Continuar lendo “Editoras que Publicaram “Archie” no Brasil”

“Santa Sexualidade! Batman e Robin Me Tornaram Gay”, por Steve Berry

A oitava edição da revista underground de quadrinhos Gay Comix, assim como a nona edição, eram temáticas de super-heróis (gays, é claro!). Para o editorial, o leitor Steve Berry falou sobre sua relação especial com os personagens Batman e Robin e como eles despertaram a sua (homo)sexualidade. O relato de Berry é muito mais afetivo e carismático do que os apelos feitos pelo psiquiatra Fredric Wertham. Neste post, além de trazer na íntegra e traduzido o texto de Berry, vamos apresentar algumas teorias de porque os gays acabam criando casais gays onde eles não existem, principalmente na mídia de quadrinhos. Por isso, peço encarecidamente, NÃO COMENTE COM HATE, e leia pelo menos todo o post antes de comentar algum disparate. Agradecemos a preferência! Continuar lendo ““Santa Sexualidade! Batman e Robin Me Tornaram Gay”, por Steve Berry”

Melhores e Piores Leituras de Julho de 2019

Caros mergulhonautas e splashonados, já é agosto e julho chegou ao final! Então é hora do quê? Do quê? Da nossa listinha esperta de leituras melhores e piores feitas no mês, com diversos tipos de leitura, do europeu ao mangá, do gringo ao nacional, do mainstream ao experimental. Também temos algumas mini resenhas sobre livros teóricos sobre quadrinhos. São mais de quarenta mini resenhas este mês, então pegue sua pipoquinha para se preparar para ler essa enorme lista de leituras! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Julho de 2019”

As Pin-Ups do Criador do Homem-Borracha

Jack Cole criou o Homem-Borracha para a revista Police Comics #1, da editora Quality Comics em agosto de 1941. Sem dúvida, o ex-bandido Eel O’Brien era um dos super-heróis mais originais da Era de Ouro, principalmente por suas propriedades plásticas, já que seu nome original, Plastic Man pode ser traduzido ao pé da letra como Homem-Plástico. O personagem logo se tornou um sucesso permitindo que Cole experimentasse tanto em texto como em narrativa gráfica. Mas não pense que Cole ficou conhecido apenas pela criação do Homem-Borracha. Ele também teve bastante sucesso trabalhando para a revista Playboy americana onde desenvolveu diversas pin-ups de página inteira para a publicação. É sobre essa fase que vamos falar aqui. Continuar lendo “As Pin-Ups do Criador do Homem-Borracha”

30 Personagens dos Comics Baseados em Palhaços (e Que Não São o Coringa e a Arlequina)

Os palhaços sempre estiveram presentes na cultura popular, misto de humor com terror, também são estrelas de inúmeros filmes perturbadores e de horror. Alguma pessoas desenvolvem uma fobia por palhaços que se chama coulrofobia. Eles se popularizaram com as apresentações da Comédia Dell’Arte na Itália, onde personagens como o Polichinelo e o Arlequim eram os mais populares. No carnaval de Veneza, as máscaras de Pierrot e da Colombina são algumas das mais populares. E, claro, nossos queridos quadrinhos também absorveram essas criaturas na forma dos populares e vilanescos Coringa e Arlequina. Mas existem mais personagens nos quadrinhos de super-heróis baseados em palhaços e você vai ficar sabendo dessa palhaçada agora mesmo, lendo este post.

Continuar lendo “30 Personagens dos Comics Baseados em Palhaços (e Que Não São o Coringa e a Arlequina)”

Melhores e Piores Leituras de Maio de 2019

Maio foi um mês intenso. Quase não consegui parar para escrever nada no blog porque precisava entregar um quadrinho todo desenhado por mim, mas entre mortos e feridos salvaram-se todos. E o que salvou os acessos do blog foi a bunda do Lúcifer, ou melhor do Tom Ellis, que incrementou os números aqui. Isso que eu chamo de “Save As”. Este mês de maio, entretanto, teve inúmeras leituras, de europeus a mangás, de super-heróis a quadrinhos alternativos, de independentes a hipercomercializados. Então prepare seu mouse para clicar no post e acompanhar toda essa jornada de leituras e minirresenha que vêm aí! Sigam-me os bons! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Maio de 2019”

Como a Mulher-Gato Serve Como Atenuante Para a Homoafetividade Entre Batman e Robin

O mito da homossexualidade latente ou revelada entre Batman e Robin é bastante difundida, seja na cultura aqui do Brasil ou mesmo em seu local de criação, os Estados Unidos. Contudo, essa relação nunca foi demonstrada nos cânones das revistas em quadrinhos. Mesmo assim, a DC Comics, editora de posse dos personagens já empreendeu diversas tentativas de livrar os personagens deste estigma. A última delas, foi a inserção de uma versão lésbica do Batman, a Batwoman. Ou seja, o Batman gosta de mulheres, mesmo quando é uma mulher. Outro fator importante de uma deshomoerotização do relacionamento entre a dupla dinâmica foi a sexualização cada vez mais acentuada da Mulher-Gato que, nas histórias recentes de Batman chegou a ser pedida em casamento pelo Homem-Morcego. Vamos falar mais sobre que papel a Mulher-Gato tem nessa tentativa de desmistificar um possível relacionamento homossexual entre Batman e Robin. Continuar lendo “Como a Mulher-Gato Serve Como Atenuante Para a Homoafetividade Entre Batman e Robin”

Os 10 Piores Maridos dos Quadrinhos

Por alguma razão, alguém chegou até o Splash Pages procurando por uma lista de piores maridos dos quadrinhos. Depois de eu ter perguntado para amigos nas redes sociais, o que acham de fazer uma lista como essa, o resultado foi mais que positivo e muitos indicaram alguns maridos nada convencionais para figurarem nesta lista. Claro, como é uma lista “dos quadrinhos”, tentamos ir além dos super-heróis, talkei?! Não que esse tipo de quadrinho não revele e esconda muitos desses tipos que vemos em vários lares brasileiros, mas precisamos sair da nossa bolha um pouquinho, né? Faz bem, Dizem. Vamos lá para nossa lista de 10 Piores Maridos dos Quadrinhos! Continuar lendo “Os 10 Piores Maridos dos Quadrinhos”

Never Say Never Para Nathan Never

A Sergio Bonelli Editore, que publica inúmeros fumetti desde a criação de Tex nos anos 50, sempre teve um determinado tipo de histórias. Mas isso mudou lentamente com o advento de Nathan Never, que era a primeira HQ da editora que tratava do futuro e de elementos de ficção científica como parte integrante de seus temas recorrentes. Ela também contava com uma continuidade narrativa, coisa que os outros fumetti não tinham. Também foi uma forma da editora entrar na quadrinhomania dos anos 90, se aproximando mais do estilo estadunidense de fazer comics. Vamos falar neste post sobre Nathan Never e as edições que a Mythos Editora publicou do personagem no ano passado! Continuar lendo “Never Say Never Para Nathan Never”

Como Jack Kirby Pode Ter Interligado os Universos da Marvel e da DC Comics?

Já vimos muitos encontros de heróis da Marvel e da DC Comics nos quadrinhos e agora um filme dos bonecos Funko promete trazer o primeiro crossover entre as duas grandes editoras de super-heróis dos Estados Unidos para o cinema. Alguns quadrinhos desses crossovers já afirmaram algumas vezes que os Universos Marvel e DC acontecem juntos. Outros disseram que se passam de duas dimensões separadas. Outros ainda dizem que somente um personagem em especial pode fazer a ligação entre estes dois universos. Mas talvez Jack Kirby tenha vindo com uma solução para tudo isso, que estava debaixo dos nossos narizes e ninguém tinha percebido. Lendo Os Novos Deuses esse estalo veio até mim. A seguir, você vai ficar por dentro desta teoria.
Continuar lendo “Como Jack Kirby Pode Ter Interligado os Universos da Marvel e da DC Comics?”

Union Jack, o Super-Herói Inglês da Marvel Que Pertence à Classe Operária

Quando se pensa em super-herói inglês da Marvel, os um pouco mais entendidos vão logo citar o Capitão Bretanha, Brian Braddock, o irmão da Psylocke dos X-Men. Mas, claro, existem muito mais super-heróis britânicos que vieram das terras da Rainha. Dois deles vestem a bandeira do Reino Unido. Um, claro, é o Capitão Bretanha, mas aquele herói do povo que mais se aproxima do Capitão América é o Union Jack. Esse também é o nome da bandeira do Reino Unido, que acabou dando a alcunha do nosso herói. Mas calma, o Union Jack nem sempre foi um herói das camadas populares. Sua origem esteve ligada à aristocracia. Foi somente com o terceiro e último Union Jack até agora, Joey Chapman é que ele acabou assumindo esse posicionamento. Então, para quem quiser vamos falar mais do(s) Union Jack(s) na história da Marvel Comics. Continuar lendo “Union Jack, o Super-Herói Inglês da Marvel Que Pertence à Classe Operária”

10 Capas de Álbuns de Rock Inspirados na Linguagem dos Quadrinhos

Duas coisas que não saberia viver sem são quadrinhos e música. Mas nem sempre que eles se encontram as coisas saem direitinho, mas algumas vezes saem. Existem muitas capas de rock que foram desenhadas por renomados artistas de quadrinhos, assim como existem alguns artistas de quadrinhos, como Mike Allred, que já se aventuraram a gravar álbuns de rock. Os quadrinhos undergrounds de Robert Crumb e o rock tem muito a ver entre si e a contracultura. Mas neste post escolhemos 10 capas de álbuns de rock que se utilizam da linguagem dos quadrinhos (layouts, requadros, balões, personificação) para comunicar com seus comunicadores. Então, estão preparados? Let’s rock! (and roll). Continuar lendo “10 Capas de Álbuns de Rock Inspirados na Linguagem dos Quadrinhos”

Melhores e Piores Leituras de Agosto de 2018

Este mês de agosto foi bastante carregado. Eventos, trabalhos, estudos, de tudo um pouco. Até a umidade do ar aqui em Porto Alegre ficou carregada, chegando até a 100%. Desse jeito não tem ser humano que não se sinta cansado ao chegar o final do mês. Mas mesmo assim, atingimos o recorde de 40 resenhas neste mês. parece que quando a gente está mais atrolhado de coisas é que acaba fazendo muito mais. Ironias da vida, também atingimos número recorde de leituras ruins no mês, que são 10. E isso também são ossos do ofício. Bem, chega de trololó e vamos para a lista de melhores e piores leituras do mês. Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Agosto de 2018”

Um Adeus a Marie Severin: Importante Presença Feminina nos Quadrinhos de Super-Heróis

Hoje faleceu Marie Severin, uma das mais atuantes mulheres da Marvel Comics em seu início, ao lado da influência da esposa de Stan Lee e da secretária da Marvel, Flo Steinberg. As três deixaram nosso mundo em um coincidente curto espaço de tempo. Embora os quadrinhos americanos e, principalmente os de super-heróis, foram um espaço masculino, sempre existiram mulheres que resistiram à essa tradição e representaram o sexo feminino. Marie Severin foi uma dessas figuras, dona de um fôlego incansável e de um humor que não poupava ninguém, produziu inúmeros trabalhos na Marvel, sendo mais conhecida pelo Incrível Hulk e a revistas de humor e paródias da própria Marvel, Not Brand Echh!, lançada nos anos 70, como uma resposta à MAD. Convido vocês para conhecer mais sobre essa pioneira dos quadrinhos de super-heróis feitos por mulheres, como uma maneira de prestar uma singela homenagem à sua existência. Continuar lendo “Um Adeus a Marie Severin: Importante Presença Feminina nos Quadrinhos de Super-Heróis”