Todos os posts com a tag: arqueiro verde

A Narrativa das Cores nas Histórias em Quadrinhos

Muita gente considera o trabalho de cores algo de segundo escalão em uma revista em quadrinhos. Muitas editoras também, muitas vezes deixando os coloristas de fora dos créditos principais de uma revista, ou da capa de algumas edições. A verdade é que as cores são tão importantes num quadrinho quanto um texto ou um desenho, pois elas acrescentam uma dimensão maior a toda atmosfera que estamos experimentado em um quadrinho.

Anúncios

As 3 Continuidades dos Quadrinhos

Peraí! Como assim os quadrinhos têm três continuidades? Eu achava que só existia uma! Bem, é disso que vamos falar agora porque para que um quadrinho seja bom, é essencial que ele siga as três continuidades dos quadrinhos. E, migo, não fui eu quem disse, foi o Denny O’ Neil no Guia Oficial de Roteiros da DC Comics. Belê?! Então vem comigo!

Destaques da DC Comics / Panini Comics Para Dezembro de 2016

Pra começar, Levi Trindade confirmou na CCXP 2016 que sim, as revistas da DC Comics acabarão no número 52 antes de começar a nova fase do Rebirth. Por isso, nem todas sairão todos os meses e alguns especiais serão lançados para ajustar a numeração. Ok, agora vamos para os destaques do mês de dezembro!

Melhores e Piores Leituras de Novembro de 2016

Mil perdões! Esse mês foi complicado de leituras, me dediquei mais a estudar em livros técnicos e livros de literatura do que quadrinhos. Esse mês, novamente, Marvel e DC perderam espaço para outros tipos de publicações de quadrinhos. Ficou uma lista bem heterogênea. Mas diversidade é que é riqueza e mesmice é tédio. Vamos à lista!

MAIS 15 Super-Heróis Negros Importantes dos Comics

Olá mergulhadores! Hoje é dia da Consciência Negra! A data de hoje faz referência à morte de Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares, um dos maiores centros de resistência negra contra a escravidão no Brasil. E se Zumbi foi um herói, nada melhor do que comemorar sua existência do que com uma lista de super-heróis da etnia negra, não é mesmo? Vem dar uma olhada neles!

Destaques do Checklist DC Comics / Panini Comics para Novembro de 2016

A surpresa deste mês é que aparentemente não teremos os títulos a Sombra do Batman e Lanterna Verde. Possivelmente isso faça parte do plano da editora para encerrar as revistas no número 52, como fez a DC Comics. Mas tudo bem, não se desesperem, teremos alguns especiais para nutrir essa ausência! Venham ver!

Um Sonho De Rorschach

Como o universo de Watchmen interagia com o o Universo DC regular antes do Rebirth? Ficamos sabendo, através do Rebirth, que foi graças a um ato de criação do Dr. Manhattan que o mundo dos Novos 52 foi criado. Uma história publicada em The Question #17 e 18, de 1988, apresenta ao leitor um dos personagem de Watchmen: Rorschach. Venha comigo se quiser saber!

Saudades: Os Caçadores

A Editora Abril precisava de uma casa para o Arqueiro Verde na década de 90. Então a solução foi unir o herói a outros que tinham uma pegada como a dele. Eram, frios, eram cruéis e raivosos, mas que, afinal, eram bem escritos. Eles eram Os Caçadores, apresentando numa revista em formato americano e com um logo à la Comandos em Ação. Vamos lembrar disso?

As 10 Maiores Duplas de Criação dos Comics

Acredito que os quadrinhos funcionam melhor quando são em colaboração do que quando feitos por uma pessoa só. Duas cabeças pensam melhor que uma e, assim cada um pode se dedicar ao seu ponto forte e trazer essas vantagens para os quadrinhos. Os comics americanos funcionam muito nesse sentido colaborativo. E as melhores colaborações dos super-heróis serão comentadas agora.

Guia de Leitura: Lanterna Verde – Parte Um

Olá! Vamos começar também os nossos Guias de Leitura! E, para começar vamos com um personagem muito amado por todos e que tem milhares de versões! Sim, inclusive ele tem uma tropa só sua! O Lanterna Verde! Esse Guia de Leitura funciona assim: Vamos dar prioridade para as principais sagas e as mais fáceis de se encontrarem no mercado; Vamos destacar as fases mais recentes em detrimento das mais antigas; Vamos mostrar os principais arquitetos de cada saga; Vamos destacar os principais acontecimentos em cada arco. Então, vamos lá: CREPÚSCULO ESMERALDA e NOVO AMANHECER Quem fez? Ron Marz e Vários Artistas, entre eles Bill Willingham O que acontece? Depois da destruição de Coast City por Mogul e o Superciborgue, Hal Jordan enlouquece, destrói a bateria central de Oa, derrota Sinestro e acaba com a Tropa dos Lanternas Verdes, tonando-se o vilão Parallax. Enquanto isso, na Terra, o desenhista Kyle Rayner é escolhido pelo último Guardião do Universo, Ganteth, como o último Lanterna Verde do universo. Em uma de suas primeira missões, o herói enfrenta o …

Os Melhores Destinos do Verão no Universo DC

Devido à grande procura de reservas em nossos pacotes para o Universo Marvel, resolvemos fazer uma parceria com uma agência de viagens homônima na Universo DC e oferecer também pacotes para os lugares mais selecionados do Universo da Lendas, neste verão que fará Mefisto e Blaze morrerem de inveja. Santa Prisca Priscaaa, quiero bailar la salsa! Priscaaa! Um paraíso tropical que se tornou um enclave revolucionário no Mar do Caribe. A magia da militarização pode ser sentida nas suas belíssimas torturas, obrigações e restrições. Você sentira na pele como é ser um priscano ao visitar esse país proibido pelos Estados Unidos. Apenas alguns bons cidadãos conseguem chegar a essa ilha. Entre seus mais ilustres frutos está o porradeiro Bane. Aproveite nossa oferta de verão para Santa Prisca e ganhe uma garrafa do drinque local, Veneno! Ilha do Arqueiro Verde Tem horas que o mundo te incomoda tanto com seus barulhos, cheiros e obrigações que tudo que você quer é ficar sozinho numa ilha deserta. Nada tema. Nossos agentes autorizados estão preparados para simular um desastre …

É a flecha no alvo, mas o alvo na certa não te espera...

10 Razões Por Que ARROW Merece Ser Assistida

Ontem decidi: vou começar a acompanhar ARROW. E o que aconteceu? Fiquei a madrugada inteira assistido. Oliver Queen, o Arqueiro Verde é um dos meus heróis preferidos da DC e, talvez essa seja a razão da minha resistência em assistir à série. Muitos amigos já haviam falado muito bem da série, principalmente o fã hardcore Pablo Sarmento, mas eu estava resistente. Havia pegado um pedaço da série na programação da Warner, mas não tinha me conquistado. Talvez por ser uma série que precisa ser vista desde o começo. Enfim, se passei todo esse tempo acompanhado Stephen Amell e cia, deve haver uma razão. Então aqui vão 10: AGRADA AO PÚBLICO NOVO: Um trama bem desenvolvida, com intrigas, traições revelações. Não sei qual veio antes, mas entendi que Arrow é um Revenge para o público masculino e vice-versa. Não que ela não possa agradar às damas, pois tem motivos de sobra para tanto. Mas a série de Emily Thorne é um sucesso por uma razão e eu vejo que a estrutura da série e dos episódios, …

Chris Ware e Building Stories: uma mídia dentro da mesma mídia ad abismum

A Era dos Quadrinhos de Forma

Estamos vivendo uma era em que os quadrinhos precisam se fortalecer em seu suporte mais antigo: o papel. A concorrência está aí. São os webcomics, os motioncomics, os quadrinhos em app, os quadrinhos em PDF e digitais pirateados. Mas o papel continua forte. A razão é que, por mais arcaico que seja, a leitura em papel permite uma experiência única no caso dos quadrinhos. Através dele, o conhecimento está nas mãos do leitor, que controla o ritmo da história e da leitura. Hoje muitos quadrinhos brincam com a forma como são produzidos, seja no layout de página, seja no design gráfico, nas onomatopeias, enfim, os quadrinhos de hoje abusam dos recursos gráficos para tornar essa mídia plena. Mas como foi que chegamos a esse patamar? Vou explicar em alguns itens. INFLUÊNCIA DAS GRAPHIC NOVELS Na metade da primeira década do século XXI, as graphic novels começaram a se proliferar nos EUA e no Brasil da mesma forma que os álbuns fazem na Europa. Porém, a diferença é que as graphic novels vindas dos Estados Unidos …

10 Razões Por Que o Superman dos Novos 52 Não Funciona

Hoje li a última edição do Superman da Panini e chego à conclusão de que não sei por que estou “investindo” em um personagem que não vai para frente. Nem a chegada de Scott Snyder e Jim Lee à revista serviu para transformar as histórias do Azulão menos “indigestas”. Por que eu NÂO deveria estar investindo está bem claro. Os motivos seguem abaixo: LOIS LANE SUBAPROVEITADA: Lois Lane é o coração e a mente das histórias do Superman. Não por acaso havia uma série que se chamava Lois & Clark: As Aventuras do Superman. A personagem, que já teve série própria, agora está apagada, com um namorado novo, um loiro aguado sem a mínima graça e sem a mínima tensão com Clark, que por sua vez não parece ter interesse nenhum em Lois. LEX LUTHOR NA CADEIA: A maior mente criminosa do Universo DC está na cadeia e, ao invés de aproveitá-lo da maneira que fizeram com Lionel Luthor na série Smallville, Luthor parece tão apagado quanto os outros personagens coadjuvantes. SUPERMAN NAMORANDO MULHER-MARAVILHA: Se …

Luto: Homem-Animal – Espécie Anormal, de Jeff Lemire, Steve Pugh, Travel Foreman, John Paul Leon, Francis Portela

A morte sempre rondou os quadrinhos, depois da morte do Superman, virou sinônimo de pico de vendas de exemplares. A morte que é retratada em Homem-Animal – Espécie Anormal, entretanto, é a de uma criança. Isso é algo raro nos quadrinhos de super-heróis, principalmente porque crianças não tem muito destaque nesse tipo de aventura. Depois da saga Mundo Podre, em que a Podridão ameaçou os reinos do Verde (Vegetais) e do Vermelho (Animais), Buddy Baker, o Homem-Animal e Alec Holland, o Monstro do Pântano, conseguiram debelar a ameaça. Porém, a vitória cobrou um preço mais caro, levando desse plano a vida de Cliff Baker, o filho de Buddy. Foi assim que nos despedimos da revista Dark, e assim que começamos o primeiro encadernado do Homem-Animal.  A primeira história, O Funeral, mostra as reação de Buddy, de Ellen e Maxine, sua esposa e filha, bem como um busca de Buddy por satisfações dos avatares do Vermelho. Na história seguinte, publicada originalmente no segundo anual do Homem-Animal, temos um vislumbre do passado, do dia em que Maxine …

Saudades: Shazam!

Heróis da TV. Superaventuras Marvel. Grandes Heróis Marvel. DC 2000. Heróis em Ação. Super Powers. Superamigos. Revistas que duraram um bocado de tempo, mas que sempre vão ficar na memória dos leitores brasileiros como marcos da sua época. Aqui na seção Saudades quero falar sobre revistas que tiveram uma sobrevida curta e que poderiam ter durado mais, devido a qualidade de seu mix de histórias. Hoje em dia temos casos de revistas que duram pouco pela Panini, como é o caso de Grandes Heróis Marvel, Deadpool, Flash e Edge, mas essas quatro estão longe de deixar qualquer saudade. O que as revistas aqui nesta sessão terão em comum? Séries que são favoritas dos leitores e que foram pedidas por anos e sempre foram relegadas ao segundo plano. Até que algum editor resolveu dar uma chance para elas, apenas para que caíssem no limbo novamente. Aqui começa a seção das revistas que deixaram saudades. Vamos começar com Shazam!, da Editora Abril. Dados Gerais: Shazam! (Editora Abril) Duração: 13 números (0 + 12 edições) – Outubro de …

As Eras dos Quadrinhos – Parte 5

Período de Transição B – Santa relevância social, Batman! As mudanças de paradigma geralmente se concretizam em decisões editoriais. Julius Schwartz definiu o início da Era de Prata e deu os primeiros passos para o fim deste período. As histórias do Batman, editadas por Sheldon Moldoff, traziam o herói sofrendo todo o tipo de mutação: havia o Batman bebê, o Batman alienígena e até o Batman zebra. Para defender-se das acusações que Wertham fez de uma relação homossexual entre Homem-Morcego e Menino Prodígio, a National havia providenciado a eles uma família com Batwoman, Batgirl, Ace – o Batcão e Bat-Mirim. Nada disso impediu que as vendas despencassem e o público perdesse o interesse no personagem. Estas histórias traziam elementos muito comuns da Era de Prata na DC Comics, como as famílias de heróis (Superman também tinha a sua), animais de capa e mudanças temporárias de toda sorte que colocavam os personagens-título em situações absurdas. Schwartz foi chamado para reverter a situação em 1964. Removeu das histórias do morcego os elementos bizarros que vinham de uma …

As Eras dos Quadrinhos – Parte 3

Período de Transição A – Atirando para todos os lados Durante a Segunda Guerra Mundial, os quadrinhos de super-heróis atingiram seu ápice. Foi durante este período que foram registrados seus maiores números de vendas por exemplar. Segundo Bradford W. Wright, em 1943, os quadrinhos vendiam 25 milhões de cópias por mês. Apenas o título do Capitão Marvel era responsável por mais de 1,5 milhão. A guerra impulsionava os leitores a consumirem quadrinhos, uma vez que os gibis traziam em suas capas os super-heróis enfrentando os cabeças do Eixo. Além disso, milhares de quadrinhos eram levados ao front para que os soldados se sentissem incentivados com as histórias dos heróis. Contudo, em 1945, a guerra acabara, e não fora nem Superman nem o Capitão América quem acertara um direto de direita na face de Hitler, mas seres humanos normais. Os soldados aliados haviam vencido a guerra sem a ajuda de superpoderes e, de volta para casa, não estavam mais interessados em superaventuras patrióticas, mas na manutenção de suas famílias. As pessoas começaram a perder o interesse …

As coisas que deixamos para trás

O que é? Run de Brad Meltzer no titulo do Arqueiro Verde, o arco chamado Arqueiro Verde: A Busca. Ao lado do ex-parceiro Arsenal, Oliver Queen, o Arqueiro Verde, percorre o país em busca de objetos importantes da sua vida. Por que eu gosto desse quadrinho? Um dos meus tipos favoritos de filmes são os road movies. E Arqueiro Verde tem uma certa tradição com histórias de estrada. Essa é uma daquelas histórias em que o herói deve atingir um objetivo. A diferença é que, num primeiro momento, não sabemos que objetivo é esse e quando nos damos conta da natureza do mesmo, percebemos que esta não é uma história de super-heróis tradicional. Há o carisma de Oliver Queen, um dos super-heróis mais únicos que já apareceram nos quadrinhos de super-heróis. Engajado, canalha, figura paternal. Dennis O’Neil transformou Queen de imitação do Batman num personagem esférico, e em A Busca, Meltzer aumenta o estofo do herói, criando e desenvolvendo algumas nuances que precisavam ser trazidas à tona depois de sua ressurreição pelas mãos de Kevin …

Mirando a Relevância Social

Como Oliver Queen tomou a postura de radical de esquerda que hoje apresenta nos quadrinhos? A resposta, a seguir: No final dos anos 60, e depois, através dos anos 70, o Arqueiro Verde está longe de casa, sem uma publicação fixa, e tinha passado uma longa temporada agindo junto ao Batman na série The Brave and The Bold, onde apareceu mais de uma dúzia de vezes no decorrer da publicação. Em sua terceira aparição em Brave and The Bold # 85 (Setembro de 1969) o visual do personagem sofreu uma revisão geral para conectar aa sua nova caracterização pelo artista Neal Adams, com um uniforme impressionante, mais berrante para produzir um estilo “Robin Hood”, um sabor “herói do povo”, e um bigode e um esquisito cavanhaque para separar o novo Arqueiro Verde do visual anterior. Enquanto o guarda-roupas de Oliver Queen estava ganhando melhorias, naquele mesmo mês, nas páginas de Justice League of America, o terreno estava sendo preparado para que Ollie recebesse algo que necessitava há um bom tempo: uma namorada. O escritor de …