Todos os posts com a tag: batgirl

10 Personagens de Quadrinhos Que Estrearam Fora dos Quadrinhos

Pois é, amigos mergulhadores, muitos personagens populares (e nem tão populares) dos quadrinhos apareceram primeiramente em outras mídias. A maioria foram em desenhos animados, mas temos casos de séries e até filmes de TV e, muitos deles, bem recentes. Você pode conferir isso no post a seguir!

ÍSIS (ANDREA THOMAS)
Com o sucesso do seriado do Shazam nos anos 70, a DC Comics resolveu criar uma nova heroína para estrear um novo seriado. Assim surgiu Os Segredos de Ísis, uma série que contava a história de Andrea Thomas (Joanna Cameron), uma professora de ciências que encontrava um amuleto encantado. O amuleto conferia a ela o “poder dos animais e dos elementos” e a tornavam na Poderosa Ísis. Embora criada nos anos 70, só foi aparecer nos anos 2000 nos quadrinhos como esposa de Teth-Adam, o Adão Negro, inimigo figadal do Shazam! durante a maxissérie 52, da DC Comics. Nos quadrinhos, ela é Adrianna Tomaz, uma descendente direta dos faraós e, portanto, dos deuses egípcios.

FLAMA (ANJELICA JONES)
Em 1981, a Marvel lançou um desenho animado chamado “O Homem-Aranha e seus Amigos Espetaculares”. Era, por alguma razão inexplicável, sobre o Homem Aranha, o Homem de Gelo e Flama vivendo na casa da Tia May e combatendo o crime. Por alguma razão inexplicável, era sobre o Homem Aranha, o Homem de Gelo e Flama vivendo na casa da Tia May (a doce tia e mãe adotiva de Peter Parker, o cabeça-de-teia) e combatendo o crime. O conceito era ridículo, a animação pobre e o roteiro, absurdo — o que o tornava delicioso de assistir. Flama, nos quadrinhos, fez parte dos Satânicos de Emma Frost, depois dos Novos Guerreiros, foi promovida a Vingadora e liderou os Novos Aliados, uma equipe totalmente esquecível.

RENEE MONTOYA (QUESTÃO)
Reneé Montoya, que mais tarde se tornaria a heroína Questão, era uma policial viciada em álcool que tinha vários relacionamentos destrutivos. Um desses relacionamentos foi Kathy Kane, a Batwoman, também muito antes de Kathy se tornar a Mulher-Morcego. Mas ela estreou muito antes em 1992 no desenho animado do Batman, somente em 1998 ela foi para os quadrinhos tendo um papel de destaque na mega saga Terra de Ninguém. Na série 52, da DC Comics, ela se tornou pupila de Victor Sage, o Questão, e assumiu seu manto ao final da série. Uma das personagens lésbicas mais famosas e queridas dos quadrinhos.

SPIKE
No desenho X-Men Evolution dos anos 2000, Spike era o sobrinho de Tempestade que entrava para a Escola Xavier onde sua tia era professora ao lado de Wolverine. Spike tinha poderes de projetar espinhos através de seu corpo, um poder muito parecido com a da mutante Medula. Já nos quadrinhos, Spike não apareceu primeiro nos X-Men, mas nos X-Táticos, uma equipe de mutantes envolvida com a fama e paparazzos. Spike era um negro marrento que queria fama a todo custo e se dar bem nas costas da equipe. Como todo bom membro dos X-Táticos, ele acabou morrendo e foi substituído na equipe por outro personagem.

JIMMY OLSEN / PERRY WHITE
Jimmy Olsen e Perry White são instituições do Planeta Diário e das aventuras do Superman e, assim como a kryptonita, os dois surgiram no primeiro programa de rádio e grande sucesso dos anos 40 que contava as desventuras do Homem de Aço. As vozes de Jimmy e Perry eram feitas, respectivamente, por Jackie Kelk e Julian Noa. Nos quadrinhos, Perry é o grande chefe do Planeta Diário, mas já foi destituído desse cargo várias vezes. Já Jimmy é o grande amigo do Superman, estagiário do jornal, já teve revista própria nos anos 50, quando, a cada edição, ele ganha superpoderes diferentes.

H. E. R. B. I. E.
No final dos anos 70, a Marvel resolveu fazer novamente um desenho do Quarteto Fantástico. Por alguns problemas, o Tocha Humana não poderia aparecer no desenho, então resolveram substituí-lo pelo robozinho H.E.R.B.I.E. (não sei, não me pergunte a razão, mas dizem as lendas que o Tocha saiu por medo das crianças colocarem fogo no seu corpo. ::facepalm::). A sigla significa Humanoid Experimental Robot B-Type Integrated Electronics (Robô Humanoide Experimental Tipo-B Com Eletrônica Integrada). Nos quadrinhos, o robô foi criado pelo Senhor Fantástico e por Mestre Xar, dos Xandarianos (de onde vem a Tropa Nova) para enfrentar o Esfinge. Ele foi criado por Stan Lee e Dave Cockrum. Nos quadrinhos ele apareceu pela primeira vez em Fantastic Four#209, de Marv Wolfman e John Byrne.

ARLEQUINA (DRA. HARLEY QUINZEL)
A Arlequina nem começou como heroína e nem começou nos quadrinhos. Foi em 1993 na série animada do Batman, ela era uma espécie de versão feminina/escrava do Coringa. Muito tempo depois ela foi passar para os quadrinhos. Sua maneira tresloucada de se agradou muita gente, fazendo ela ganhar uma série própria de histórias. Em 2016 ela estrelará o filme do Esquadrão Suicida, equipe da qual começou a fazer parte na Iniciativa Os Novos 52. A fantasia de Arlequina é uma das preferidas das meninas – e por que não dizer dos meninos – cosplayers.

X-23 (LAURA KINNEY)
Laura Kinney foi criada no desenho animado X-Men Evolution, temporada 3, episódio 11, intitulado “X-23”. A personagem, a 23ª tentativa de se criar um clone de Logan, foi uma ferramenta que os criadores Christopher Yost e Craig Kyle utilizaram para aproximar Wolverine dos alunos mais novos do Instituto Xavier. X-23 foi parar nos quadrinhos em NYX, minissérie escrita pelo chefão da Marvel na época, Joe Quesada. Ela apareceu como uma prostituta que marcava seu corpo com cortes de garras em NYX#3, de 2004. Além de ser a Novíssima Wolverine, em março de 2017, sua versão live action estreou no filme Logan, sendo encarnada por Dafne Keen.

AGENTE PHILLIP COULSON
O agente Phillip Coulson é interpretado por Clark Gregg nos cinemas, nos filmes dos Vingadores. Ao lado de Nick Fury ele foi responsável pela criação dos Vingadores. Ela também é o protagonista da série de televisão Agentes da SHIELD. Já nos quadrinhos ele surgiu na minissérie Battle Scars (Cicatrizes de Guerra) ao lado de Nick Fury Jr., a versão negra e filha de Nick Fury dos quadrinhos que logo se tornou sua principal versão com o descarte do NicK Fury branco. Coulson, então, primeiro se tornou ativo dos Vingadores Secretos e contato dos heróis com a SHIELD e depois, como na televisão, passou a conduzir sua equipe própria de agentes, incluindo Deathlock e Harpia.

BATGIRL (BÁRBARA GORDON)
Uma versão feminina e adolescente de um grande herói, nesse caso, o Batman, a Batgirl também teve várias versões durante os anos. Entretanto a mais famosa delas foi Bárbara Gordon a filha/sobrinha do Comissário Gordon (essa origem também é nublada). Criada no seriado de TV de 1966 do Batman, lá ela era interpretada por Yvonne Craig. Barbara logo saltou para os quadrinhos. Hoje, ela faz parte de uma geração de heróis que tem grande apelo para a juventude feminina com histórias mais leves e descoladas e com desenhos carismáticos. Vale mencionar que mais de três garotas já usaram o codinome de Batgirl: Barbara Gordon, Cassandra Cain e Stephanie Brown.

Ahá! Aposto que você não sabia da origem estranha de alguns deles, né? Quando a gente investiga mais a fundo encontra cada coisa, né? E você? Que achou? lembrou de mais algum personagem dos quadrinhos que surgiu fora deles? Conta pra gente! Abraços submersos!

As Mulheres Criadoras Mais Poderosas dos Comics

A indústria de quadrinhos é machista? Você pode dizer que sim, você pode dizer que não. Mas os números, maninho, ah, esses não mentem. Vamos comentar aqui uma lista de quadrinistas mais prolíficas e poderosa da indústria dos comics norte-americanos e vamos tentar ver aonde chegamos com esses nomes e números. 1, 2, 3, lá vou eu! Quem não seu escondeu é meu!

O Horóscopo Chinês dos Super-Heróis

O Horóscopo Chinês é dado pelos anos. Dependendo do ano em que você nasceu, lhe é conferido um dos 12 signos do zodíaco chinês. Diferente dos signos ocidentais, cada signo possui um elemento, que associados revelam as características do nascido naquele ano. Anos com signos iguais ao do ano costumam ser propícios para aqueles nascidos sob eles. Os heróis estão aqui colocados pela data de criação. Vamos ver os signos deles?

MAIS 15 Super-Heróis Negros Importantes dos Comics

Olá mergulhadores! Hoje é dia da Consciência Negra! A data de hoje faz referência à morte de Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares, um dos maiores centros de resistência negra contra a escravidão no Brasil. E se Zumbi foi um herói, nada melhor do que comemorar sua existência do que com uma lista de super-heróis da etnia negra, não é mesmo? Vem dar uma olhada neles!

Canário Negro: O Som e A Fúria, de Brenden Fletcher, Annie Wu e Pia Guerra

Quadrinhos e rock geralmente dão combinações boas. Não por coincidência, geralmente fãs hardcore de rock também são fãs muito dedicados de quadrinhos. O que a revista da Canário Negro faz é colocar tudo sob uma perspectiva feminina do rock e das aventuras dos quadrinhos. E isso funciona maravilhosamente bem. Vamos lá?

As 10 Super-Heroínas Mais Importantes dos Quadrinhos

Depois que fizemos uma lista com os 10 mais importantes heróis negros dos quadrinhos e dos 10 casais gays mais famosos dos quadrinhos, nada mais justo que nomearmos agora as mulheres mais influentes nos quadrinhos em termos de importância. Mas não se esqueça que estamos falando só das super-heroínas e não de coadjuvantes como Lois Lane. Ok, ora de ir a lias ta em ordem de importância.

A Hogwarts do Batman – Academia Gotham: Mistério na Sala de Aula, de Becky Cloonan, Brenden Fletcher e Karl Kerschl

Academia Gotham é uma história em quadrinhos com mistério, aventura e personagens cativantes, assim como os livros de Harry Potter, personagem de J.K. Rowling. A HQ é uma maneira leve e interessante de começar a ler quadrinhos de super-heróis e, principalmente do universo do homem-morcego.

Como as Editoras de Quadrinhos Podem Evitar #fail ?

Com tantas campanhas de editoras de quadrinhos recebendo um hashtag fail de seu público, não seria a hora dessas empresas prestarem mais atenção no que estão fazendo e consultar mais seu público? Para isso apresento ferramentas de comunicação: o mercado e as sessões-teste, o cliente oculto e o ombudsman. Vamos falar mais sobre eles a seguir.

A Batgirl não usa o programa de milhagem da Smiles!

Relativizando a Polêmica da Capa da Batgirl

Essa semana saíram as solicitações da DC Comics pós-Convergence e o que deu o que falar não foi a variedade imensa de títulos comprovando que a DC que mudar sua imagem junto aos fãs de quadrinhos. Não, foi a capa variante do mês do Coringa que Rafael Albuquerque fez para a revista da Batgirl. A capa, como você pode conferir aqui, mostra o Coringa segurando a Batgirl com um sorriso sangrento no rosto. Uma imagem controversa, errada, sim, mas a questão é: deveria ser banida? Minha opinião: eu sou uma pessoa que defende os direitos humanos, sejam eles quais forem, quando uma vida é ameaçada, seja de forma direta ou indireta, ela deve ser defendida. Mas vem a pergunta: porque crucificar o artista quando a coisa é estampada na capa e quando a coisa fica nas entrelinhas, ninguém dá tanta bola? No caso, Alan Moore e Brian Bolland fizeram o Coringa estuprar Barbara Gordon, na revista A Piada Mortal, mas na época passou em bracas nuvens. Assim como o polêmico final, que sugere que o …

As diferenças entre fãs de super-heróis novos e antigos

Por mais que você diga que nós somos tomos todos iguais perante a lei desde a Revolução Francesa, a verdade é que não somos. Fãs antigos e fãs novos se comportam de maneiras diferentes. É mais ou menos a mesma comparação com pessoas jovens e pessoas velhas, claro, com algumas boas exceções, mas em essência, o que se vê aí pela internet é mais ou menos como descrito abaixo. E sim, é fácil identificar um fã novo de um antigo apenas pelo teor de seus comentários. ORIGENS: “Eu sou Groot!”: Fãs novos vieram na última onda de filmes da Marvel e da DC, eles adoram o Coringa, mas nada de flor que solta água ou botão de choque na mão, o Coringa é dark. Eles adoram os Guardiões da Galáxia, mas não sabem quem fez parte da equipe original dos Guardiões. E sim, eles confundem o que é da Marvel com o que é da DC. E adoram compartilhar o meme nerd mais batido de todos os tempos: “Quando meu filho crescer pode escolher a …

É muito triste ser o Batman ou Pobre Menino Rico

Ele é Bruce Wayne. Milionário. Playboy. Filantropo. Detetive. Pegador. Mas ele é um caso de psiquiatra. Ah se ele é! Ele luta contra os maníacos do Asilo Arkham, julgando a todos por suas psicoses, mas pouco reflete que essa luta que ele trava é uma exteriorização do seu próprio trauma. Seja bem-vindo a mais um: Guilherme’s Hate List: destilando sua raiva contra os personagens. (também é uma terapia!) Pisc, pisc! Quando ele tinha 5 anos, o pobre menino rico Bruce Wayne viu seus pais serem assassinados na sua frente. Ele podia estar roubando, ou matando, desfilando ricos Porsches ornados com diamantes de sangue na sua concessionária de carros importados. Mas não, ele resolveu percorrer o mundo e se tornar o Batman! <música dramática ao fundo> Em suas andanças pelo mundo, ele aprendeu artes marciais, ambidestria, ataque furtivo, defesa, ele aprendeu todos os talentos da sua lista de RPG, até lambada ele aprendeu. Mas nessas andanças, ele não ficou sabendo de um cara barbudo que fumava charuto, o tal pai da psicanálise, o tal Sigmund Freud. …

R de Repetição: os Roteiros de Rick Remender

Rick Remender é hoje um dos grandes nomes da Marvel Comics. Ele está encarregado de escrever o novo megacrossover da editora: AXIS, reunindo Vingadores e X-Men contra o Caveira-Vermelha-com-a-armadura-de-Massacre-com-pedaços-do-cérebro-do-Professor-Xavier-implantados. Rocambolesco, não? R de Rocambolesco. Uma das marcas registradas de Remender. O autor é exímio em trabalhar grandes momentos chocantes, grandes revelações, encurralar heróis, deixá-los à beira de um ataque de nervos. Rick Remender é hoje, um dos grandes revitalizadores dos anos 90 e do grim’n’gritty – as histórias cruéis e raivosas –, ainda que com outra pegada. O atual escritor de Fabulosos Vingadores, a equipe que junta X-Men com Vingadores, começou sua carreira se dedicando à animação. Trabalhou animando filmes como Anastascia e Titan A. I. Quem se lembra dessas películas viveu a infância nos anos 90. Um tempo depois, cansado de trabalhar para outras pessoas, Remender virou freelancer no mundo das HQs. É possível ver seu trabalho como arte-finalista em revistas como Vingadores, ao lado de Kieron Dwyer, naquela que ficou conhecida como A Saga de Kang, quando Kurt Busiek se despediu do título. …

Saudades: DC Millenium

O formatinho ficou famoso com O Pato Donald, da Abril e consistia em dobrar mias uma vez a revista em quadrinhos americana, uma vez que essa já era duas dobras do formato tablóide dos jornais. Muito hoje consideram essa medida de gibis famigerada, por deturpar desenhos, carecer de adaptação de diálogos, entre outras tesouradas editoriais. Mas quando a situação apertou na crise de 1998 (é, tivemos crise naquela época, lembram-se? Foi logo depois do Plano Real quando os prósperos Tigres Asiáticos eram a bola da vez. Isso não é coisa inventada pela Dilma ou pelo Obama), bom quando a crise apertou e a Abril resolveu tornar suas revistas de super-heróis produto de luxo, com a linha Premium, editoras menores correram para abocanhar a oportunidade de vender revistas mais baratas, no velho e bom formatinho. Dados Gerais: DC Millennium (Editora Brainstore) Duração: 09 números  – Fevereiro de 2002 a Agosto de 2003 O Contexto: Já falei aqui sobre o contexto do mercado editorial brasileiro de quadrinhos daquela época e falei um pouco também na abertura do …

O TransGênero Super-Heróis

“Girls who want boys who like boys to be girls who do boys like they’re girls who do girls, like they’re boys Always should be someone you really love”. Blur – Girls and Boys Essa semana a DC Comics anunciou a revelação do que seria o primeiro personagem abertamente transgênero dos quadrinhos mainstream. Ela seria Alysia, a companheira de casa de Barbara Gordon, a Batgirl. A personagem já havia aparecido desde o primeiro número da série da filha do Comissário Gordon, mas a revelação aconteceu somente no número 19, deste mês. A  roteirista responsável pela criação de Alysa, Gail Simone, foi demitida pela DC Comics através de um e-mail e foi substituída por duas edições. Até que a manifestação dos fãs fez com que a escritora retornasse ao título. Além de conhecida por seu humor em séries como Deadpool, Agente X, Aves de Rapina e Sexteto Secreto, Simone, também é uma grande debatedora dos papéis de gênero nos quadrinhos. Antes de se destacar como roteirista, Gail possuía um site chamado Women in Refrigerator, que aludia …

As Eras dos Quadrinhos – Parte 5

Período de Transição B – Santa relevância social, Batman! As mudanças de paradigma geralmente se concretizam em decisões editoriais. Julius Schwartz definiu o início da Era de Prata e deu os primeiros passos para o fim deste período. As histórias do Batman, editadas por Sheldon Moldoff, traziam o herói sofrendo todo o tipo de mutação: havia o Batman bebê, o Batman alienígena e até o Batman zebra. Para defender-se das acusações que Wertham fez de uma relação homossexual entre Homem-Morcego e Menino Prodígio, a National havia providenciado a eles uma família com Batwoman, Batgirl, Ace – o Batcão e Bat-Mirim. Nada disso impediu que as vendas despencassem e o público perdesse o interesse no personagem. Estas histórias traziam elementos muito comuns da Era de Prata na DC Comics, como as famílias de heróis (Superman também tinha a sua), animais de capa e mudanças temporárias de toda sorte que colocavam os personagens-título em situações absurdas. Schwartz foi chamado para reverter a situação em 1964. Removeu das histórias do morcego os elementos bizarros que vinham de uma …