Todos os posts com a tag: clark kent

A Manipulação do Leitor Através do Autor de Quadrinhos

Toda linguagem pressupõe um ato de troca, todo ato de troca pressupõe uma relação de poder. Toda comunicação pressupõe uma dominação, ou seja, uma dominação. De certa forma, o autor de quadrinhos conduz o leitor em um fio da narrativa que o leva até onde o autor deseja. Aqui vamos  ver melhor como se dá esse processo. Anúncios

Os Melhores Quadrinhos da DC Comics Que Li em 2016

Neste ano, a editora das lendas publicou no Brasil a fase que ficou conhecida com DC&VOCÊ. Eu gostei muito dos títulos e da proposta da editora tentar trazer histórias que agradassem à todo tipo de público. Claro que durante essa iniciativa tivemos alguns percalços como o título do Constantine. Mas a variedade foi muito boa e uma pena que vários títulos não saíram por aqui. Temos que ser felizes com o que temos não é mesmo? Ou não. Vamos aos melhores do ano da DC Comics:

A Melhor HQ de Mark Millar: O Legado de Júpiter, de Mark Millar e Frank Quitely

Imagine que os super-heróis, no meio de um caos econômico e político mundial, decidem tomar as rédeas do planeta para si. E isso acontece no meio de um conflito de gerações super-heróico. Esse é o mote para O Legado de Júpiter, a última HQ de Mark Millar lançada no Brasil e a que eu considero a melhor de todas até agora. A seguir, conto mais sobre ela!

Os 10 Maiores GOLPISTAS dos Comics

Opa, parece que a pauta da semana é Golpe. Nem imagino porquê. Mas dizem que o Conde Drácula que suga sangue novo e se esconde atrás da capa assumiu o governo numa certa republiqueta de bananas. Então vamos aproveitar o ensejo e mostrar pra vocês outros vilões dos quadrinhos que subiram ao poder através de um golpe de estado. Nada a Temer, caros mergulhadores!

Super-Heróis: Homens contra Deuses e Deuses contra Homens!

Super-heróis não existem no nosso mundo. mas quais são os paralelos e disparidades entre os acontecimentos históricos no nosso mundo com o dos super-heróis? Cada uma das grandes editoras, Marvel e DC, deram um jeito de explicar essas diferenças e similaridades. Vamos dar uma olhada de como funciona o humano e o divino – na figura dos Supers – nos universos das grandes editoras.

Que Tal os Super-Heróis Órfãos Crescerem?

[ESSE ARTIGO PODE CONTER SPOILERS]

Na onda dos filmes de super heróis em que eles quase se matam se enfrentando e depois se unem para enfrentar uma ameaça em comum, um elemento se destacou. Tanto em Batman v Superman: A Origem da Justiça, como em Capitão América: Guerra Civil, um dos pontos de reviravolta das películas é o que tange à morte de seus pais. Vamos discutir um pouco isso.

Vou te manter numa bolha, filho!

A Razão de Gostar do Superman ou O Último Filho é um dos Primeiros Pais

Superman: o último legado de um mundo moribundo. O último filho de Krypton. A grande esperança da Terra. Para além de seus aspectos alienígenas ou seus aspectos messiânicos, existe um aspecto mais interessante sobre Superman que é se tornar uma figura paterna da humanidade. Ele é o grande protetor do mundo, como os pais deveriam ser para seus filhos.

SplashFolia – Concurso de Fantasias de Super-Heróis (Parte 1)

Todo carnaval tem concurso de fantasias. E todo concurso da fantasia tem aquelas fantasias manjadas, que todo mundo já vestiu um dia. Os homens com os piratas, palhaços ou vestidos de mulher. As mulheres, gatinhas, anjinhas ou diabinhas. Os gays, bem… os gays com muita purpurina, plumas e paetês, Clóvis Bornay gostaria de estar mooortinha… opa, ele já está! Super-heróis também pulam carnaval, pelo menos foi o que elas nos contaram. Então durante a farra e a folia vamos trazer para vocês, as cinco categorias mais manjadas de fantasias para o carnaval, representadas pelas figuras dos super-heróis. Dá uma olhada, vai ser uma a cada dia! VOCÊ CAIU DO CÈU? POIS SAIBA QUE VOCÊ É UM ANJO! Categoria Angelical Não é difícil relacionar anjos e super-heróis… isso já foi até pauta de um Globo Repórter muitos anos atrás (sério, sério mesmo). Os heróis tendem a salvar as pessoas, muitas vezes de forma descompromissada, e isso nos permite fazer um paralelo (com boa margem de erro) com a figura do anjo da guarda. Até mesmo no …

Cidade-Maquete! Minimundo

10 Razões Por Que GOTHAM Merece Ser Assistida

Eu havia assistido o primeiro episódio de GOTHAM na TV e tinha gostado bastante da pegada, do enfoque e tudo mais, mas acabei me passando nos episódios e fiz uma maratona para assistir aos outros. E gostei muito do que vi em geral. Então se você não tá dando muita bola pra GOTHAM, aqui estão 10 razões para assistí-la: UM BOM COMEÇO: Para quem não conhece nada ou muito pouco sobre super-heróis, Gotham é um bom ponto de partida. Ela mostra a infância de Bruce Wayne, o Batman e o início da carreira de James Gordon no Departamento de Polícia de Gotham City. MOMENTOS SABOROSOS: E como Gotham não é uma série de super-heróis qualquer, ela tem mais tramoias, investigações, e menos soc, tum, pof, o que torna os momentos mais saboreáveis do que uma série de ação qualquer. Com certeza Gotham é mais cerebral, num estilo Law and Order ou The Good Wife. MÁFIA: Aaah, a boa e velha máfia… Quem não gosta de ver ela em ação? Na TV claro, porque de Máfia …

O Conflito do Vietnã #19, da série The 'Nam, o que aconteceria se os vingadores vencessem a Guerra do Vietnã?

A intrínseca relação entre os super-heróis e as guerras

Basta reparar: as revistas de super-heróis possuem suas maiores vendas em tempos difíceis. São nessas épocas que o povo se torna mais acanhado, sem esperanças e vão busca forças nas revistas dos super-heróis. Desde o começo, as revistas de super-heróis mostraram os mesmos em suas capas lutando contra os inimigos da guerra. Capitão América dava um soca na cara de Hitler logo em sua primeira edição. Superman, Batman e Robin acertavam bolinhas na cara de Hitler, Mussolini e Hiruito. Mas enquanto na Marvel o confronto era direto, a DC Comics, ao longo dos anos, deletou essa luta da Segunda Guerra Mundial das páginas de Superman. Embora existam histórias do Homem de Aço lutando no front, uma história mostra que Clark Kent burlou o exame oftalmológico para que não servisse na guerra. Anos depois, a DC iria justificar a ausência da Sociedade da Justiça na guerra, afirmando que Adolf Hitler estava de posse de um artefato sobrenatural chamado Bastão do Destino, que criava uma barreira mística na Europa e na Ásia para ficarem à mercê do …

10 Razões Por Que o Superman dos Novos 52 Não Funciona

Hoje li a última edição do Superman da Panini e chego à conclusão de que não sei por que estou “investindo” em um personagem que não vai para frente. Nem a chegada de Scott Snyder e Jim Lee à revista serviu para transformar as histórias do Azulão menos “indigestas”. Por que eu NÂO deveria estar investindo está bem claro. Os motivos seguem abaixo: LOIS LANE SUBAPROVEITADA: Lois Lane é o coração e a mente das histórias do Superman. Não por acaso havia uma série que se chamava Lois & Clark: As Aventuras do Superman. A personagem, que já teve série própria, agora está apagada, com um namorado novo, um loiro aguado sem a mínima graça e sem a mínima tensão com Clark, que por sua vez não parece ter interesse nenhum em Lois. LEX LUTHOR NA CADEIA: A maior mente criminosa do Universo DC está na cadeia e, ao invés de aproveitá-lo da maneira que fizeram com Lionel Luthor na série Smallville, Luthor parece tão apagado quanto os outros personagens coadjuvantes. SUPERMAN NAMORANDO MULHER-MARAVILHA: Se …

De Super e de Louco Todo Mundo tem um Pouco (I)

Falar que gênios do mal são doidos e pirados é chover no molhado. Mas e quando a loucura afeta os super-heróis? Quando isso acontece, ou eles acabam morrendo ou se tornam vilões. Ou ambos. Um super-herói nunca pode ter uma doença mental. É raro ver um destes personagens se tratarem com psiquiatras, psicólogos ou até mesmo tomarem remédios contra suas doenças, apesar de haver heróis como o Homem-Hora que toma sua pílula Miraclo e se torna superforte durante uma hora. Mesmo que antidepressivos necessitem de quinze dias para fazer efeito no corpo humano, nos quadrinhos eles parecem funcionar instantaneamente, como o espinafre do Popeye. “Tá triste? Toma um Prozac!”, dizia a cultura pop dos anos 90 e várias das HQs da época. Ainda por cima há uma grande confusão quanto aos diagnósticos das psicoses dos heróis. O interessante é que a loucura, ou pelo menos, o que é tachado como “loucura”, também acomete os criadores da indústria de super-heróis. Alguns deles acabaram cometendo suicídio, como Jack Cole, criador do hilário Homem-Borracha e Wally Wood, renomado …

Superman e a Santíssima Trindade – O Espírito Santo, por Neil Gaiman.

O Evangelho Segundo Jesus Cristo. O Espírito Santo, por Neil Gaiman. Publicado em Superman/Green Lantern: The Legend of Green Flame (2000). No Brasil, em Wizard Brasil #3 (dezembro de 2003). Esta história foi imaginada para ser publicada em pequenas partes na revista Action Comics Weekly, logo que John Byrne assumiu as histórias Pós-Crise do Superman. A história, entretanto, não pôde ser publicada à época, pois na trama, Hal Jordan e Clark Kent conheciam as identidades secretas um do outro. Coisa que, para Superman, que seria um herói iniciante, não faria sentido. Muitos anos depois, a HQ foi concluída com ajuda de diversos e renomados artistas e incluída na série Elsewords (Túnel do Tempo/ Realidades Alternativas) da DC Comics. A história conta a origem da bateria do Lanterna Verde Original, Alan Scott (sim, o que é gay agora!), mostra a história do Coração Estelar e revela suas ligações com a criação da Tropa dos Lanternas Verdes. Porque essa história representa o Espírito Santo? Por causa dos apóstolos da Chama Verde, a Tropa dos Lanternas Verdes? Por …

Superman/Batman

Identidade Secreta

Através do viés da história que é contada numa história em quadrinhos podemos dizer que os super-heróis assumem identidades secretas para proteger sua família e entes queridos. Como no exemplo da origem do Homem-Aranha que deixa um bandido escapar e depois descobre que o mesmo foi responsável pelo assassinato de seu tio. Peter Parker, o alter-ego do Homem-Aranha jura, então, usar seus poderes com responsabilidade e isso envolve não revelar sua identidade para o mundo. Por outro lado, se analisamos de um ponto de vista externo às histórias concluiremos que as identidade secretas como Peter Parker e Clark Kent existem com o intuito de trazer o leitor para realidade da HQ. Tanto Peter como Clark são dois desajustados na sociedade, eles não se encaixam nos padrões pré-estabelecidos pela mídia e por isso permitem a identificação com o que Umberto Eco chamou de leitor-médio deste tipo de entretenimento. É possível para o leitor se identificar com as histórias de Peter e Clark e ainda aspirar a ser também ele um super-herói, mostrando que por trás de …

O que aconteceu com o Cavaleiro das Trevas?

Batmen morrem, Robins vivem para sempre

É, o Batman morreu. Mas todo mundo sabe que ele vai voltar. Pra quem não sabe, ele morreu disparando uma arma contra Darkseid, que também morre no processo. Tudo isso em Final Crisis #6. Grant Morrison tentou justificar a morte dele remontando à origem do cruzado embuçado, que começou quando uma arma derrubou os pais de Bruce Wayne, e que nada seria mais justo que, ao fim, Batman empunhasse uma arma (do tipo que jurou nunca usar) e erradicasse a face do mal no Universo DC. Só que Batman nunca foi um herói cósmico, longe disso, era o herói mais humano da DC. Era como uma espécie de deus grego no meio de divindades monoteístas. Como já nos mostrou Kurt Busiek em LJA/Vingadores, os heróis da DC são vistos como deuses no seu universo. Todos menos o Batman. Ele tem essa diferença. Ele não é o herói puro. Ele usa meios escusos para atingir fins incontestáveis. Ele é psicótico, tão psicótico quanto seus vilões, como foi contado pelo mesmo Morrison no ótimo Asilo Arkham. Não …

A mitologia dos super-heróis

Os quadrinhos de super-heróis, assim como outras obras de arte, provocam reações de identificação com o leitor: podem desvendar de forma vicariante, com seu efeito catártico, os dramas psicológicos e os mitos universais do homem. Por sua facilidade de leitura e de ingresso na trama, seus atributos se mostram como uma oferta à intimidade, proporcionando elaborações de fantasias acompanhadas de sensações de bem estar, ou mesmo de desconforto, provocando empatia no seu público-leitor. “Na plenitude de sua função expressiva e catártica, a obra criada se impõe como objeto bom, revalorizador do ego, para o agente da criação e para o espectador. Para o agente, porque vivencia a obra como um complemento do próprio ser, que o ajuda, através do artifício da projeção, a configura e a corrigir a representação que faz de sua auto-imagem e a ampliar a compreensão de sentido de sua existência. Para o espectador, mediante a função especular e as conseqüentes oportunidades de identificação projetiva inerentes a toda produção conceitual ou artística, e mais precisamente porque lhe proporciona uma experiência no intemporal. …

O inverso dos arquétipos na Santa Ceia Perpétua!

Projeção e Identificação

Os quadrinhos promovem um sistema de identificação e projeção nos leitores. Com a revista do Homem-Aranha nas mãos o nerd médio se identifica com Peter Parker e projeta em sua imaginação ter a coragem e os poderes do Homem-Aranha. Ou será que acontece um processo inverso? O nerd se identifica com a ausência de poderes e coragem e projeta a vida do comum Parker, buscando um dia ser fotógrafo como ele ou jornalista como Clark Kent?. São as semelhanças ou as diferenças que nos atraem? Essa questão vem norteando os relacionamentos humanos durante os tempos. Nunca chegou-se a uma conclusão. Mas os estudos mostram que uma das grandes razões de sucesso das narrativas heróicas é a utilização de arquétipos. Nos quadrinhos podemos encontrar vários deles. Já vimos aqui que em vários quadrinhos, o que faz a grande diferença, o grande big-bang no cérebro é o desconcerto que certas cenas nos oferecem. São as obras quebrando nossas projeções e identificações. Quando o leitor de quadrinhos cresce, ele não está mais preocupado em querer ser o Homem-Aranha, …