Todos os posts com a tag: fênix

Os Signos dos X-Men

Mais do que predizer o futuro, os signos do zodíaco servem para traçar o perfil da pessoa que nasceu em determinado período do ano. Assim funciona um mapa astral. Você já sabe seu signo, mas nunca imaginou qual seria a representação do zodíaco para o seu mutante defensor do mundo favorito. Selecionamos aqui os principais X-Men de cada signo, de acordo com suas caraterísticas e as representações dos signos do zodíaco. Confere aí:

Anúncios

5 Histórias Natalinas dos X-Men (Merry X-Mas!)

O Natal vem vindo, vem vindo o Natal! Para entrar no ritmo e no espírito natalino, preparei uma lista com cinco histórias das festas de final de ano com os X-Men, minha equipe de super-heróis favorita. Dê uma olhada nessa lista e veja se você já leu alguma dessas histórias ou não, ou se pelo menos conhece elas! Ho ho ho!

Da “Morte do X” a “Inumanos vs. X-Men”

Muitos, como eu, achavam que seria o fim da franquia X na Marvel. Mas as megassagas que seguiram às Guerras Secretas envolvendo mutantes estão aí para provar o contrário. A Morte do X e Inumanos vs. X-Men abrem caminho não só para novas revistas dos mutantes como também dos habitantes de Attilan. E é sobre essas duas megassagas que vamos falar neste artigo.

As 10 Mortes de Super-Heróis Mais Comentadas dos Quadrinhos

Pois é, caros leitores, hoje as mortes de super-heróis são tão banais que todo mundo sabe que seis menes depois, no máximo, eles estão de volta. Mas houve uma época, como nenhuma outra, que mortes de heróis davam no que falar. Esse postzinho maneiro aqui é para a gente dar uma olhada nas dez mortes que mais chocaram os quadrinhos e os fãs de quadrinhos. Vamos a elas?

[VALENTINE’S DAY] X-Men: Romance e… Tragédia!

Claro que uma das coisas que os leitores – e principalmente as leitoras – de X-Men mais gostam são os dramas românticos vividos pelos mutantes. Então, aproveitamos o Dia dos Namorados para fazer uma listinha dos casais mais românticos, apaixonados e melosos que os X-Men e adjacências já tiveram. Aqueles que tiveram de superar enormes obstáculos para manter acesa a chama do amorrrr. De quebra, indicamos para vocês algumas histórias bem trágicas e românticas. Preparem seus lencinhos de papel e vamos lá!

O logo que foi desenhado por uma tal Janet Jackson, que, aparentemente não é a cantora irmã do Michael.

Aquela vez em que os X-Men Combateram a Fome no Mundo Real

Era 1985. Eram tempos de “We Are The World”, a música que ficou famosa por reunir diversos artistas famosos dos anos 80 na ação USA for Africa, capitaneada por Michael e Janet Jackson. A intenção dessa ação musical era vender o single e reverter seus lucros para os famintos na África. A Marvel resolveu fazer o mesmo. Na verdade foi uma ideia que Jim Starlin e Berni Wrighston sugeriram para o então editor-chefe da Casa das Ideias, Jim Shooter. O editor logo recrutou Chris Claremont e Ann Nocenti para reunir diversos artistas dos quadrinhos para produzirem a HQ que ficou conhecida com Heroes for Hope – Starring The X-Men. A história era bem básica e segue aquela linha clichê da histórias de equipes de super-heróis em que um inimigo desconhecido está causando os piores pesadelos nos heróis do time. Começa com Rachel Summers dando um grito. Os X-Men acordam e vêem, na frente da Mansão X, uma Kitty cadavérica arrastando um carteiro no meio de um jardim morto. Logo que Kitty é colocada na enfermaria, …

Os TOP 10 Musos dos Comics e Seus Desenhistas Perfeitos

Nosso próximo SplashPod, que sai Domingo, vai falar sobre sexo nos quadrinhos. E um dos assuntos será os musos e as musas dos quadrinhos. Além disso vamos falar sobre muitas outras coisas que tangem ao sexo nos quadrinhos, como HQs eróticas. Aqui fizemos uma seleção de 10 personagens dos quadrinhos de super-heróis e os desenhistas que fazem seus corpos mais perfeitos. Vamos à lista: CAPITÃO BRETANHA, DE ALAN DAVIS Nas histórias do Excalibur, tanto nas de Chris Claremont quanto as de Alan Davis, ou até mesmo na fase do Alan Moore, que Davis também desenhou, o nobre Capitão vivia aparecendo sem camisa. Na fase do Excalibur só dava ele com a calça do pijama listrado (porque listras emagrecem). Uma pena este personagem estar tão esquecido hoje em dia. NAMOR DO ESQUADRÃO FÊNIX, DE OLIVIER COIPEL O uniforme novo do Namor é aquele que deixava a cintura beeeem baixa, aparecendo aquelas ranhuras musculares que vão dar na região íntima, deixando nossa imaginação voar. Longe da sunguinha verde e do uniforme com asas, este, do Esquadrão Fênix, …

A Crise Final da Marvel e a Guerra Secreta da DC

Rumo ao fim da Marvel! Rumo às novas Guerras Secretas! E à Convergência de todas as Crises! Guerra tem pra todos os lados. Crise, então, eu tenho uma a cada dia. Mas a guerra que nos pegou de surpresa esse mês foi a nova edição da megassaga Guerras Secretas, da Marvel Comics, que completa 30 anos em 2015. Tanto é que a próxima edição do SplashPod vai ser inteiramente dedicada a discutir o final da Marvel, ou a nova Guerras Secretas. Mas para você ficar por dentro do que aconteceu historicamente, eu faço aqui um apanhado dos principais eventos que redefiniram Marvel e DC Comics e mexeram com suas realidades, seus multiversos e omniversos. Me acompanhem! 10 motivos mais um extra pra acompanhar Secret Wars e Convergence! 00. TORNEIO DE CAMPEÕES (1982) Tudo começou com um evento-teste em 1982, o Torneio de Campeões, que foi publicada aqui em Heróis da TV. Esse evento reunia vários heróis do mundo todo (e foi aqui que surgiram vários heróis internacionais) que eram divididos em duas equipes. Uma pertencia ao …

Série Jonah Hex, de Justin Gray, Jimmy Palmiotti e Diversos Artistas

Os Melhores Quadrinhos de Super-Heróis que Li em 2014

Primeiramente, Feliz Natal! Dingou béu, dingou béu, acabou papel! Não acabou não! Tem muito quadrinho bom pra ler e eu vou estar aqui pra dar umas dicas! Então vamos lá, os quadrinhos nessa seção são só da Marvel e DC Comics, ok?! Então tá! Valendo! Antes de Watchmen: Minutemen, de Darwyn Cooke Ano passado a Panini publicou a iniciativa Antes de Watchmen no Brasil. Mas a Panini que é Panini não cumpre seus prazos e tudo chega no mês seguinte do calculado. Ou seja, esse Antes de Watchmen chegou a mim em 2014, não que isso importe para essa lista. Você pode conferir uma resenha completa dessa edição aqui. E da iniciativa toda de Antes de Watchmen neste link. Foi uma inciativa polêmica que não teve o apoio de seu criador Alan Moore, mas que em geral trouxe histórias muito boas para os leitores. Claro, houveram tropeços, mas essa edição dos Minutemen é um digno exemplar das melhores coisas que essa iniciativa poderia trazer. Batman: O Retorno de Bruce Wayne, de Grant Morrison e Vários …

Os Super-Heróis e suas Sombras

Seriam os vilões a maior nêmese dos super-heróis? Não quando se trata de enfrentar a eles mesmos. Existem muitas histórias em que os super-heróis tiveram de enfrentar seu lado sombrio para vencerem uma batalha maior: pelo bairro, pelo lar, pelo mundo ou pelo universo. Essa semana me deparei na banca com um livro diferente, se chamava As 7 Leis Espirituais dos Super-Heróis. Os autores eram Deepak Chopra e Gotham Chopra, seu filho. Não me chamou atenção o nome Gotham, pois é uma versão de Gautama, o nome de Buda, mas sim o nome dos dois. Deepak é um grande teórico da espiritualidade tendo trazido a visão do oriente para o ocidente. Já seu filho, Gotham, foi responsável pela Virgin Comics, um selo em parceria com a renomada gravadora, que trouxe quadrinhos como Mulher-Serpente e Sete Irmãos, dos que foram publicados no Brasil, e trouxe parcerias com Guy Ritchie, John Woo, Shekar Kapur e Wes Craven. Apesar da iniciativa não ter logrado tanto sucesso quanto esperado, o selo se tornou a Liquid Comics, que publica quadrinhos …

Todos querem a cabeça do Charles ou por que eu não gosto do Professor Xavier

Líder visionário dos X-Men, o Professor Xavier se tornou um entrave para as histórias dos mutantes. Já diria Kitty Pryde: “O Professor Xavier é um idiota!”. Desde então, muitos roteiristas tem evitado usar Charles Xavier nas histórias dos mutantes, a última vez que o vimos, ele havia sido assassinado por um Ciclope com os poderes de Fênix em Vingadores versus X-Men. O Professor Xavier foi criado por Stan Lee e Jack Kirby em setembro de 1963. Inspirado no visual de Yul Brynner em Sete Homens e um Destino, a grade ideia por trás de Xavier era um homem com grande poder mental reduzido a uma cadeira de rodas. Apesar de impossibilitado de andar, ele podia viajar o mundo através da mente dos outros. Xavier é o arquétipo do Líder Visionário, como já apontei aqui. Xavier também foi inspirado em Martin Luther King, o pastor que sonhava com a igualdade entre negros e brancos. E Xavier tinha um sonho parecido, a igualdade entre mutantes e humanos. PROFESSOR BITCH Porém, Xavier era o líder irretocável, inquestionável, inatingível …

Porque as Revistas dos Super-Heróis Premium eram legais.

Já se falou muito de porque as Premium da Abril não funcionaram. No momento econômico atual não se acharia absurdo uma revista em quadrinhos de 170 páginas a preço de 10 reais, mas nos idos de 2000, a coisa foi um fracasso, fazendo a Abril perder a licença da Marvel e retornar ao formatinho para as revistas da DC. A economia mudou, o público mudou e o comportamento do consumidor de quadrinhos acompanhou essas mudanças. Mas, muita gente não acompanhou as revistas Premium e, em seu conteúdo, elas traziam histórias bastante interesssantes. Como algumas que vou citar agora. TERRA DOIS, DE GRANT MORRISON E FRANK QUITELY (EM SUPERMAN PREMIUM) A revista do Super trazia essa minissérie muito elogiada lá fora e aqui dentro, repetindo essa pareceria de artistas que sempre deu certo. A história era o primeiro encontro pós-crise da Liga da Justiça com o Sindicato do Crime, as versões maléficas dos heróis, com direito ao único super-herói bonzinho da Terra, Lex Luthor. TITÃS, DE DEVIN K. GRAYSON E MARK BUCKINGHAM (EM SUPERMAN PREMIUM) Devin …

Excalibur: A Risada era a Lei – Alan Davis

Quando assumiu integralmente o Excalibur, Alan Davis tentou manter o mesmo tom que ele e Claremont haviam criado, porém o aspecto das histórias mudou um pouco. Alan Davis aprofundou-se na mitologia da equipe, explorando conspirações no Omniverso e trabalhando melhor cada personagem. Nesta época, a Technet também acabou aliando-se ao Excalibur, na ausência de sua líder, Pennettra. Na história “Tudo o que você queria saber sobre a Fênix, mas tinha medo de perguntar”, o autor elaborou toda a história da força-fênix, contando que desde tempos imemoriais, uma seita preparava seus adeptos, chamados Feron, para receber a força. Mas isso mudou com a chegada de Jean Grey e Rachel Summers. O adepto, que deveria seu o hospedeiro da força, Feron, acabou juntando-se ao grupo. Naquela época, outros personagens se juntavam à equipe, como o guerreiro com aspectos leoninos, Kylun, a alienígena shiar Cerise e o agente do governo capaz de alterar seu tamanho, Micromax. Foi uma época em que as histórias do Excalibur encontraram um outro patamar, não eram mais apenas histórias bem-humoradas que brincavam com …

Excalibur: A Risada era a Lei – Chris Claremont

Na  minha opinião, um dos melhores spin-off dos X-Men, Excalibur era uma equipe de heróis mutantes com base no Reino Unido, que utilizava muitos dos elementos criados por Alan Moore em sua passagem pelo Capitão Bretanha. Na verdade, o Capitão Bretanha não foi criado por Alan Moore, mas sim por Chris Claremont (um dos criadores do Excalibur) e Herb Trimpe, em 1976. Anos depois, é que Alan Moore, em parceria com Alan Davis (outro criador do Excalibur) iria redefinir o personagem com a sua velha estratégia “tudo o que o personagem sabia sobre mesmo era uma mentira”. Assim foram desenvolvidos personagens como Mad Jim Jaspers, Opal Saturnyne, a Fúria e a Tropa dos Capitães Bretanha, bem como o Omniverso (Otherworld), agora chamado de Extramundo e a definição da terra do Universo Marvel como Terra 616. Todos estes conceitos foram reutilizados quando Chris Clarimont e Alan Davis reuniram-se para criar o Excalibur em Excalibur Special: The Sword is Drawn, de 1987 (no Brasil, Graphic Globo #8). A origem da equipe vem das consequências da saga Massacre …

Meu Primeiro Fanzine

Eu tinha 14 anos e estava muito orgulhoso de que minha carta havia sido publicada na revista Os Fabulosos X-Men #25. Então, meses depois, eu recebia em casa um anúncio para fazer parte de uma comunidade de leitores de X-Men que se correspondiam e ganhavam um fanzine chamado Planeta X. Na época, o Planeta X era capitaneado pelo Caio Cardoso Moreira (Incógnita) e o Clébio Cabral Gravino (Lorde Lethal). No primeiro deles que recebi, o segundo número, minha carta para lá foi publicada. Aparentemente os organizadores tinham gostado muito, pois publicaram até meu desenho das Novíssimas Aventuras de Ciclope e Fênix (que retratava Ciclope e Fênix a La Adão e Eva), com o detalhe que eu havia feito o desenho todo em Paintbrush (naquela época eu não tinha scanner, coreldraw, muito menos photoshop – e também, não muita coisa pra fazer). Enquanto o terceiro número não saía, comecei a me corresponder com os dois “chefes” da publicação. O Clébio, 22 anos, que escrevia todas as cartas à mão, por não ter computador, falávamos de séries …

As Eras dos Quadrinhos – Parte 6

A Era de Bronze – Morte, o grande momento da vida O exemplo utilizado por Blumberg como a crise que estabelece novos paradigmas é a morte de Gwen Stacy, namorada do Homem-Aranha, publicada originalmente em Amazing Spder-Man #141 (Junho de 1973). A história, aqui, serve como o divisor de águas, a crise mencionada por Kuhn. A história inovava ao condenar uma personagem querida dos leitores a uma fatalidade, coisa até então impensada para o gênero. Os editores discutiram se o melhor para Peter Parker e Gwen Stacy era o casamento ou a morte. Decidiram pela morte. Este acontecimento redefiniu estatutos, os mesmos de que Eco falava anteriormente, de que o herói não deve se consumir. O fim de Gwen abriu espaço para mortes mais grandiosas como da Fênix e de Elektra. Era isso que o zeitgeist pedia. No início da década de 70, muitos jovens americanos tinham de encarar a morte de frente, sendo levados a combater no Vietnã por uma derrota anunciada. O escândalo Watergate desfez a imagem icônica que os ianques tinham de …

Patsy Walker: revistas de romance faziam sucesso nos anos 50 pela Marvel.

Marvel Divas ou Sex and The City encontra as Heroínas

Semana passada Joe Quesada anunciou uma nova minissérie da casa das idéias: Marvel Divas. O editor-chefe anunciou a série como uma espécie de Sex and The City com super-heroínas. Foi divulgada a capa de J. Scott Campbell. Como roteirista foi escolhido o competente Roberto Aguirre-Sacasa e o croata Tonci Jonzic. Mas o que eu pergunto é: a Marvel vai publicar um história falando de sexo? Talvez esteja seguindo uma corrente, já que foi lançado ano passado um anual do Homem-Aranha Ultimate em que Peter Parker e Mary Jane discutiam sua primeira vez. E com certeza é uma evolução, já que não é a primeira vez que a Marvel tenta dar um enfoque maior para suas personagens femininas. UM POUCO DE HISTÓRIA A primeira tentativa foi no final da década de 40 com revistas como Namora e Vênus, lançada no crepúsculo dos super-heróis. Claro que a editora já tinha um nicho formado para as leitoras com revistas de romance e de humor adolescente, entre as quais Patsy Walker, da qual falarei mais daqui a pouco. A …