Todos os posts com a tag: garth ennis

Atirando-se do Alto da Ponte. Suicidas, de Lee Bermejo e Matt Hollingsworth

Dizem que a nova Vertigo, sem a grande editora e fundadora Karen Berger, não é mais a mesma. Títulos fracos, sem apelo e que deveriam muito em conteúdo para a nascente preponderância da Image Comics em títulos de propriedade do autor. Suicidas faz parte dessa leva. Será que ele confirma essa teoria? Vamos ver a seguir. Anúncios

As Mulheres Criadoras Mais Poderosas dos Comics

A indústria de quadrinhos é machista? Você pode dizer que sim, você pode dizer que não. Mas os números, maninho, ah, esses não mentem. Vamos comentar aqui uma lista de quadrinistas mais prolíficas e poderosa da indústria dos comics norte-americanos e vamos tentar ver aonde chegamos com esses nomes e números. 1, 2, 3, lá vou eu! Quem não seu escondeu é meu!

O Que Foi a Virgin Comics?

Em meados dos anos 2000 surgiu a Virgin Comics. O selo de quadrinhos era uma divisão do conglomerado que possui a gravadora Virgin. Ele surgiu na onda dos filmes de quadrinhos se dando bem nas bilheterias. Ela queria lançar quadrinhos com nomes estelares para, mais tarde, transformá-los em filme. Siga-me para saber mais detalhes sobre esse selo de quadrinhos!

Frank Cho x Garth Ennis: Duas Maneiras de Ver As Mulheres nos Quadrinhos

Lendo a minissérie Onde Vivem Os Monstros, escrita por Garth Ennis e desenhada por Russ Braun, que faz parte da saga Guerras Secretas da Marvel, percebi uma paródia bem engendrada para a série Shanna: A Mulher-Demônio de Frank Cho. Com certeza as duas minisséries apresentam maneiras diferentes de encarar o papel da mulher neste mundo. Aqui discuto um pouco essas duas aproximações.

Roteiristas Que (Quase) Todo Mundo Adora Odiar

Como nossas duas listinhas de desenhistas odiados fizeram sucesso aqui no blog, dessa vez resolvemos trazer para vocês roteiristas que são uma quase unanimidade do ódio entre os leitores. Histórias fracas, personagens, mal construídos, plots sem pé nem cabeça são alguns dos males que acometem esses senhores estes senhores aqui listas.  Venha ver quem são!

Heróis da Era de Ouro Reaproveitados Pela Marvel

Você sabe que muitos heróis da Era de Ouro, como o Flash e o Lanterna Verde, foram reaproveitados pela DC Comics na Era de Prata. Entretanto, alguns heróis mais obscuros da Era de Ouro nos dias de hoje, também foram reaproveitados pela Marvel. E não necessariamente vindos da Timely ou da Atlas, nomes anteriores da Casa da Ideias. Aqui, fizemos uma listinha desses heróis.

Constantine: O Personagem Melhor Construído dos Quadrinhos de Super-Heróis

Criado por ninguém menos que Alan Moore, o outro mago inglês surgiu pela primeira vez nas páginas de Saga do Monstro do Pântano. Baseado no cantor do The Police, Sting, o personagem John Constantine, o Hellblazer, conquistou gerações e gerações de leitores na marca adulta da DC Comics, o selo Vertigo. Lá ele ficou por trezentas edições – um recorde para qualquer personagem – quando migrou para o universo tradicional da DC Comics. Mas vamos entender porquê esse personagem é tão rico.

As 10 Maiores Duplas de Criação dos Comics

Acredito que os quadrinhos funcionam melhor quando são em colaboração do que quando feitos por uma pessoa só. Duas cabeças pensam melhor que uma e, assim cada um pode se dedicar ao seu ponto forte e trazer essas vantagens para os quadrinhos. Os comics americanos funcionam muito nesse sentido colaborativo. E as melhores colaborações dos super-heróis serão comentadas agora.

10 Pragas Mortais e Epidemias Fatais dos Quadrinhos

Em tempos de conscientização contra o Zika Vírus, a Dengue e a Febre Chickungunya, nada mais atual que falarmos de epidemias e pragas que assolaram nossos queridos personagens de quadrinhos e como eles se viraram contra elas. Então jogue fora seus pneus velhos cheios d’água, coloque terra nos pratinhos dos vasinhos de flores, não deixe água parada para evitar possíveis criadouros de mosquito. E use muito repelente, principalmente se você for mulher e estiver grávida. Agora, vamos ao texto!

QUE TAL… Super-Heróis Escritos Por Quentin Tarantino?

Nos cinemas temos a estreia do novo filme de Tarantino, os Oito Odiados, com o diretor fazendo mais uma homenagem a um gênero e realizando um mash-up entre eles. Tarantino também ajudou na adaptação da minissérie de Django para as HQs, numa minissérie em oito edições pela DC Comics. Mas e se ele escrevesse super-heróis? Quem ele arrasaria escrevendo? Escolhemos aqui cinco candidatos baseados em seus filmes.   ESQUADRÂO SUICIDA (CÃES DE ALUGUEL): É, amigos, o Esquadrão está com tudo no ritmo de umas musiquinhas bem pop como Seven Nation Army e Bohemian Rapsody, mas foi o pioneiro de colocar essas musiquinhas pop incidentais – bem, talvez músicas protopop – nos filmes? O Tio Taranta. Ele fez isso com uma trilha extraordinária em Cães de Aluguel, meu filme preferido dele. Mr. Blue, Mr. Brown, Mr. Pink, é podia ser uma história da Tropa dos Lanternas Verdes, mas eles são fora-da-lei num tipo de delação premiada da Lava-Jato, onde o prêmio não é nada mais que ficar vivo. Já imaginou um quadrinho do Esquadrão Suicida que …

Te vejo no inferno! Hasta la vista, baby

As 10 HQs Mais Bem-Avaliadas do Guia dos Quadrinhos

O Guia dos Quadrinhos, o maior banco de dados sobre publicações nacionais do Brasil, além de permitir o usuário catalogar sua coleção de gibis, também permite-o avaliar as revistas que leu. Dessa forma, nas guias laterais do site, existe um ranking das revistas mais colecionadas e, logo abaixo, das melhores avaliadas por seu público. Esses rankings são inconstantes e mudam de tempos em tempos, porém resolvi pegar uma amostra de hoje 21/03/15, às 22h, para trazer uma amostra das 10 HQs que o público brasileiro colecionador de quadrinhos considera as melhores edições já publicadas.

A Última História dos Vingadores – The Last Avengers Story, de Peter David e Ariel Olivetti

The Last Avengers Story é um dos títulos deste selo de vida curtíssima (dois anos apenas). A minissérie, em duas edições, vinha em formato de luxo, com lombada quadrada, papel couchê de gramatura alta, capa com acetato no estilo Marvels e a arte pintada de Ariel Olivetti, a quem você deve conhecer da última série do Cable e de O Diário de Guerra do Justiceiro que saia na Marvel Action.

SplashPod – S01 E05 – SEXO! SEXO! SEXO nos Quadrinhos!

Olá mergulhadores ! Mais uma vez, mergulhamos profundamente (ui!) nos quadrinhos para discutir algo melhor que os próprios: sexo ! Nesse episódio, discutimos episódios de sexo nos quadrinhos, sejam eles eróticos, pornôs, de ação ou qualquer outro estilo ! Dudu Bandeira, Guilherme Smee, Fabiomesmo e Santiago Castro, acompanhados dos convidados especiais Annie O’Reilly, J.R. Weingartner Jr., e Mario Cesar Oliveira (http://www.masquemario.net/), comentam sexo nas hqs, em momentos marcantes ou não, bem construídos ou gratuitos, sempre com intervenções precisas do saudoso Alborghetti. (00:00:26) Abertura/Apresentação; (00:02:50) Monstro do Pântano de Moore e o pansexualismo na DC comics; (00:04:47) Outras obras sexuais de Alan Moore (e são muitas); (00:09:15) A sedução dos inocentes/Fredric Wertham; (00:15:42) Sexualidade e violência nos quadrinhos nos anos 80 e 90 – erros mais comuns; (00:19:00) Tina, Porra, Maurício e a Mulher-Hulk do Byrne; (00:25:26) Musas e cenas históricas de sexo (ou afins) nos quadrinhos: Hank Pym e Vespa/Angela e Spawn/ Superman e Big Barda/Kitty Pride e Colossus e outros; (00:40:14) Garth Ennis e suas HQs sexualmente polêmicas (sim, The Boys e Crossed); (00:51:18) …

De meninos e de corujas...

Harry Potter e a Magia dos Quadrinistas Ingleses

Quero propor uma reflexão aqui com vocês, caros leitores. Se possível, deixem seus comentários. Há quase vinte anos venho acompanhando quadrinhos com mais atenção e uma coisa que mais gosto é identificar os estilos dos autores, os temas que são caros para eles, a maneira como constroem seus universos e seus personagens, as referências que usam, quem eles inspiram e de onde se inspiraram. Mas a reflexão que quero propor é perguntar e tentar responder é: quando o estilo se torna repetição? E a resposta que eu tenho para dar é: quando o escritor começa a plagiar a si mesmo. Dito isso, vou falar, é claro, dos supracitados escritores da invasão inglesa, pois eles são os mais fáceis de identificar estilo e influências. Como falei nesse link, as influências da maioria deles vem da revista 2000 a. D. e seus criadores, Alan Grant e John Wagner, mas também da literatura inglesa de fantasia, Charles Dickens, George Orwell, Lewis Carrol, P. L. Travers, J. R. R. Tolkien e C. S. Lewis, Roald Dahl. Sem esquecer William …

Os Melhores Quadrinhos da Vertigo que li em 2014

Chegou a hora da última lista de melhores do ano, depois dela só vem a lista de 5 piores leituras do ano. Então, antes que acabe o ano, vamos acelerar os trabalhos e dizer quais foram as 10 melhores HQs da Vertigo que li em 2014. 😉 Clube Vampiro: Morra Agora, Viva Para Sempre, de Howard Chaykin, David Tischmann e David Hahn Howard Chaykin é famoso por sua narrativa densa e personagens complexos. E é isso que ele nos entrega em Clube Vampiro: Morra Agora, Viva Para Sempre: uma trama intrincada que revela a competição de uma família mafiosa de vampiros. A arte de David Hahn, leve e colorida parece fazer um contraponto com a história dos nossos sanguessugas, mas casa muito bem com a história. Você pode ler uma resenha completa que escrevi sobre Clube Vampiro: Morra Agora, Viva Para sempre nesse link aqui. Crime e Castigo, de Garth Ennis e John Higgins É, eu realmente não gostava do Ennis até que eu li o Justiceiro dele. Muita gente veio me dizer que começou …

Será que a culpa é dos pints de Guiness

O Círculo das Influências, de Will Eisner a Kelly Sue DeConnick

É inegável que autores influenciam e são influenciados. Dentro dos quadrinhos não podia deixar de ser o mesmo. Muitos deles, é claro, tiveram influência de outros tipos de arte, como a pintura, o teatro, o cinema. Esse é um blog que enfoca mais o roteiro, porque dos princípios da arte eu entendo é muito pouco. Então gostaria de mostrar para vocês o que podemos chamar de o Círculo da Influência dos Quadrinhos. Essa foi uma ideia que o Érico Assis explanou comigo uma vez enquanto comentávamos o livro Super Graphics, de Tim Leong. Na época cheguei a fazer um gráfico parecido para explicar as influências do rock’n’roll, que vocês podem conferir nesta primeira imagem. Nos quadrinhos, parti do ponto inicial que seria Will Einser, o cara que modificou o jeito moderno de fazer quadrinhos e influenciou, bem… todo mundo, de Alan Moore a Frank Miller, a Bendis e Ellis. Frank Miller, um confesso fã de Eisner, chegou a fazer um livro de entrevistas com o mestre, chamado Eisner/Miller, – uma provocação dos quadrinhos ao clássico …

O Crime e o Castigo de Garth Ennis

Uma coisa que sempre me irritou na carreira de Garth Ennis, para além das escatologias que ele insiste em colocar nas suas histórias, é aquela história de todo quadrinho que ele publica ter a tal da “parceria masculina”. Homens unidos fazendo escrotices e adorando. Isso está nas histórias do Constantine, que estão saindo aqui pela Panini Vertigo  e também no seu adorado idolatrado salve salve Preacher, que também sai esse mês em novos encadernados pela editora italiana. Mas desde seu início Ennis já dava sinais dessa temática já nas revistas da 2000 A.D. lá na Inglaterra, onde começou. Outro ponto do Garth Ennis que não gosto é sua ojeriza aos super-heróis, tentando transformá-los sempre em fatores de comédia, como na série The Boys, que iniciou na Wildstorm e terminou na Dynamite Comics. Apesar de um aficionado pela Segunda Guerra Mundial, Ennis afirma que escrever uma história do Capitão América seria “extremamente ofensivo, porque para mim a realidade da Segunda Guerra era muito humana, caras comuns de carne e sangue chafurdando em miseráveis trincheiras inundadas. Então adicionar …