Todos os posts com a tag: jim lee

Love Is Love: Uma Coletânea de Quadrinhos em Honra às Vítimas do Massacre de Orlando

Era 12 de junho de 2016, eu estava com meus amigos gays comemorando o aniversário do cara que viria a ser meu namorado um pouco tempo depois em uma casa noturna alternativa. Cheguei em casa por umas sete da manhã e nos noticiários estava dando que um franco-atirador havia invadido uma boate gay de Orlando, nos Estados Unidos, matando 49 pessoas. O crime, como se provou depois, foi definido como crime de ódio. Uma vez que o atirador era homofóbico, mas, como na maior parte dos casos de homofobia, sentia atração por homens. Anúncios

Os Piores Quadrinhos Que Li em 2016

É amigos, nem só de flores, perfumes, cor-de-rosa e veadinhos saltitantes vivem os quadrinhos. Existe o lado podre e esquisito. Não, não estou falando dos quadrinhos de terror e nem das HQs do Marcatti. Estou falando dos quadrinhos ruins que a gente lê por aí e tem vontade de dar um soco na própria cara por ter comprado aquele lixo tóxico. Então aqui vão minhas piores leituras do ano, sendo que uso como política de boa-vizinhança (seja a do Chaves ou a do Roosvelt) de não usar quadrinhos brasileiros aqui. Sigam-me os bons, pra ver as ruins!

O Que Retomar e O Que Esquecer na Volta do Universo WildStorm

Warren Ellis está de volta com aquilo que lhe fez famoso: o Universo Wildstorm com os heróis criados pelo superastro Jim Lee. Foi lá que ele trouxe à tona materiais como The Authority e Planetary, bem como diversas criações próprias, como R.E.D.: Aposentados e Perigosos e Oceano. Mas além das coisas trazidas por Ellis, o que vale a pena e o que não vale trazer de volta nesse universo?

Cavaleiro das Trevas III Investe na Linguagem e Composição

Depois de ter feito o mundo dos quadrinhos vibrar com Batman: O Cavaleiro das Trevas e gerado uma grande polêmica e dividido opiniões com sua continuação, Batman: O Cavaleiro das Trevas Retorna, Frank Miller e companhia fecham a trilogia com uma sequencia intitulada A Raça Superior. Dessa vez acompanhado por Brian Azzarello, Andy Kubert e o frequente Klaus Janson, a história faz uma homenagem à primeira versão. Vamos à resenha!

10 Comics dos Anos 2000 Que Você Não Pode Deixar de Ler

Quando te falam 10 anos atrás, você pensa nos anos 2000 ou nos anos 90? O negócio é que muita gente parou de ler HQs no final dos anos 90 por causa de uma crise econômica real, que cada vez mais que eu converso com colecionadores de quadrinhos eles dizem o mesmo. Parei de ler nos anos 2000 e só voltei ali por 2005, o que dá mais ou menos uns 10 anos. Então, para você ir atrás do que perdeu listamos aqui 10 HQs destra época para que você vá atrás!

X-Men Circa 1998

Origens Secretas dos X-Men (Parte 2)

Dando sequencia à matéria anterior, daremoss equencia aos depoimentos dos criadores dos X-Men falando como foi dar vida a estes amados personagens. Estrelando esta segunda e última parte: Kitty Pryde, Vampira, Gambit e Medula! KITTY PRIDE, A AMIGA DO JOHN BYRNE Criadores: Chris Claremont e John Byrne Kitty foi criada  porque o editor-chefe, Jim Shooter, precisava colocar uma pessoa mais jovem na equipe. “Nós adicionamos Kitty para incluir uma perspectiva adolescente onde os jovens leitores tentariam se enquadrar”, diz Claremont, “Isso nos deixou mostrar em alguém o outro lado, ver a equipe com olhos novos.” Shooter odiava personagens com poderes de disparo, que atacam de longe, então Byrne colocou nela um poder passivo, inspirado num artigo científico dizendo que átomos não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo. Originalmente o codinome Sprite(Ninfa) foi obscurecido pelo nome Kitty Pride, e isso surgiu indiretamente para Claremont. Claremont queria que o nome dela fosse Thunderbird (Pássaro Trovejante, depois do finado X-Man), não importando quais os poderes que daríamos a ela”, conta Byrne, “Eu pensei que não era …

"Oi, Seu Civita, vamos jogar Monopoly?" "Ah, não você já ganhou e colocou todo o mercado de quadrinhos na prisão da distribuição!"

A Nova Revista da Marvel/Panini e os Fantasmas do Monopólio

Essa semana saiu a notícia confirmando o que as “solicitações” de pré-venda da Panini Comics já sugeriam: uma nova revista de 148 páginas vai ser lançada substituindo as revistas Homem de Ferro & Thor e Capitão América & Gavião Arqueiro. A revista se chamará Vingadores: Os Maiores Heróis da Terra e aparentemente no seu mix conterá Captain America, Hulk, Savage Hulk, Iron Man, Thor: God of Thunder, Loki: Agent of Asgard e Secret Avengers. As revistas Young Avengers e Hawkeye aparentemente serão concluídas nas publicações atuais. O atual momento econômico, o mix desta nova revista e a monopolização do mercado está trazendo o fantasma derrotista e pessimista de Natais passados mais pobres.

As TOP 10 Musas dos Comics e Seus Desenhistas Perfeitos

Chegou o momento mais aguardado desde… hã… ontem! Chegou a hora de revelar nossa seleção de 10 musas dos quadrinhos de super-heróis e os desenhistas que melhor as representam! Ficou com água na boca? Pois então deixa o queixo cair com tanta voluptuosidade. Porque se tem uma coisa que as personagens dos comics sabem ser é ser voluptuosas. Vamos lá! CANÁRIO NEGRO, DE ED BENES Ed Benes é o cara que a DC Comics proibiu de dar muito destaque na parte posterior das heroínas, se é que você me entende! Esse brasileiro desenhou duas vezes a Canário Negro: uma vez nas Aves de Rapina e em outra oportunidade quando ela foi a líder da Liga da Justiça de Brad Meltzer. Dinah Lance, a Canário, faz parte das meninas da meia-arrastão, assim como a Zatanna. Se aquela meia já realça as coxas e a parte que o Benes foi proibido de acentuar, imagina só ela tirando essa peça beeeem devagarinho? É ou não é um arrastão, minha gente? GATA NEGRA, DE TERRY DODSON Com a ajuda …

O Estranho Mundo de David

10 Motivos para ler Estranhos no Paraíso, de Terry Moore

Essa foi uma das primeiras séries de quadrinhos fora do eixo Marvel e DC que li, claro excetuando-se as infantis, e foi um sopro de vida na minha adolescência nos anos 90. Apesar de uma publicação atribulada no Brasil, passando por quatro editora e mais um escândalo de pirataria e o não-pagamento dos direitos de publicação por uma das editoras, a série é um must-read para qualquer leitor de quadrinhos ou para qualquer “pessoa como eu e você”. TRIÂNGULO AMOROSO: David ama Katchoo, que ama Francine, que não ama ninguém. Essa era a chamada que a Editora Abril fez na época de lançamento da primeira minissérie de SiP, ou Strangers in Paradise, como a série é apelidada carinhosamente pelos fãs. Talvez inspirada no poema “Quadrilha”, de Carlos Drummond de Andrade (clique aqui), a chamada mostrava o quão complicada seria a vida romântica de nossos protagonistas, mas havia muitas surpresas além do aspecto romântico da vida de nossos heróis. INSERÇÕES DO AUTOR: Desde o começo, a história trazia poemas, cifras de músicas, referências a séries, filmes, …

Anjos e Demônios: DV8, de Warren Ellis e Humberto Ramos

Warren Ellis, escritor dos personagens complicados, se uniu a Humberto Ramos, dos desenhos complicados, para fazer a série solo e spin-off de Gen 13. Isso, aquela mesma, da Fairchild e do Grunge, da Granizo, a lésbica que metia a mão na bunda da Queda-Livre, a equipe cirada por Jim Lee, Brandon Choi e J. Scott Campbell. Ao mesmo tempo, surgia na revista dos heróis adolescentes geneativados, o seu lado negro, uma equipe de porra-loucas juvenis liderados por Ivana Baiul, da O.I. (Operações Internacionais), a nêmese de John Lynch, o líder do Gen 13. Jim Lee gostou tanto da sua criação perversa que chamou um cara nota dez em perversidades pra dar conta da nova revista dos DV8 (Os Deviantes): Warren Ellis. Nessa época Ellis vinha escrevendo com sucesso a série Stormwatch, que mais tarde se tornaria The Authority e lançaria a carreira de Ellis à estratosfera. Para que Ellis tivesse uma orientação do que fazer na sua nova revista, Jim Lee indicou para ele que se inspirasse no filme KIDS, de Larry Clark, produzido por …

10 Razões Por Que o Superman dos Novos 52 Não Funciona

Hoje li a última edição do Superman da Panini e chego à conclusão de que não sei por que estou “investindo” em um personagem que não vai para frente. Nem a chegada de Scott Snyder e Jim Lee à revista serviu para transformar as histórias do Azulão menos “indigestas”. Por que eu NÂO deveria estar investindo está bem claro. Os motivos seguem abaixo: LOIS LANE SUBAPROVEITADA: Lois Lane é o coração e a mente das histórias do Superman. Não por acaso havia uma série que se chamava Lois & Clark: As Aventuras do Superman. A personagem, que já teve série própria, agora está apagada, com um namorado novo, um loiro aguado sem a mínima graça e sem a mínima tensão com Clark, que por sua vez não parece ter interesse nenhum em Lois. LEX LUTHOR NA CADEIA: A maior mente criminosa do Universo DC está na cadeia e, ao invés de aproveitá-lo da maneira que fizeram com Lionel Luthor na série Smallville, Luthor parece tão apagado quanto os outros personagens coadjuvantes. SUPERMAN NAMORANDO MULHER-MARAVILHA: Se …

10 motivos para você respeitar Jim Lee

Ele gosta de Kit-Kat de morango – coisa que só se encontra no Japão (ei, mas ele é sul-coreano!) – mas esse não é um motivo para respeitá-lo. Afinal, quem não gosta de Kit-Kat? Jim Lee é, hoje, um dos artistas e narradores mais influentes dos quadrinhos de super-heróis. Muito além dos anos 90, ele refez sua “image” ao longo dos anos, conforme o mercado de quadrinhos foi mudando. Ele foi se adaptando, crescendo e se mostrando uma das maiores forças criativas dos últimos 30 anos no quadrinhos. ESTILO: Com suas hachuras e estilo detalhado, mas não rebuscado, com um frescor moderno, Jim Lee passou da Tropa Alfa, para o Justiceiro e, então, para os X-Men. CÓPIAS: Durante os anos 90, uma forma de garantir que seus desenhos fossem aceitos pela Marvel e DC, o jeito era imitar Jim Lee. Muitos artistas renomados de hoje começaram assim e depois desenvolveram seu próprio estilo. NÚMEROS: A revista X-Men #1 (1991), escrita por Chris Claremont e desenhada por Jim Lee, ostenta, até hoje, o recorde de revista …

Imagine a Marvel (opa, Stan Lee) criando a DC Comics

Uma análise das revistas Imagine DC Comics de Stan Lee que saíram aqui no Brasil no início da década passada. No início dos anos 2000, com o desligamento total de Stan Lee da Marvel Entertainment Group, logo depois da empresa pedir falência e quase deixar de existir, “O CARA” criou seu próprio universo de super-heróis para a web, a Stan Lee Media e, depois, a POW! Entertainment. Então, em 2001, a DC o convidou para reimaginar seu universo através da visão da Marvel (opa, de Stan Lee) na série Just Imagine Stan Lee Creating…, No Brasil, as revistas saíram no ano seguinte, apenas chamadas Imagine… de Stan Lee.  O resultado foi bem, hã, interessante na maioria dos casos. Mas há certos ícones que, por mais que se mexa, não se pode mudar sua essência. A não ser que se invente uma história totalmente nova.  Antes de analisar brevemente caso a caso, com alguns gráficos, gostaria de explicar os critérios. Roteiro e arte, todo mundo sabe o que é. Marvelismo é como os personagens ficaram semelhantes a …

X-Men para Novatos

Se você curtiu os filmes dos X-Men e não sabe por onde começar nos quadrinhos porque tudo é muito confuso, são muitos personagens, as histórias começam de um ponto em que você não consegue se situar e você precisa ter uma bagagem de informações para ficar atualizado… (ufa!). Aqui vai uma lista de recomendações de leituras que o ajudarão a começar sua aventura nos quadrinhos dos heróis mutantes. Se você gostou de: X-Men – O Filme Provavelmente vai gostar de: Marvel Millennium: X-Men Por quê? A linha Ultimate (Marvel Millennium no Brasil) foi criada exatamente para capturar o público vindo dos filmes. Você vai reparar que os uniformes também são de couro com alguns detalhes em amarelo. Outra correlação com o filme é que Magneto é o vilão principal e sua irmandade é muito parecida com a do filme (com exceção de Mística). Em uma das cenas de Marvel Millennium, inicialmente produzida por Mark Millar e Adam Kubert, Magneto ataca a Casa Branca e deixa o presidente George W. Bush nu na frente das câmeras …

As Eras dos Quadrinhos – Post Scriptum

Contrariando as previsões de Mark Millar, de que a indústria de comics teria um ritmo de crescimento menor na década de 2010 e também a despeito da crise econômica mundial que se abateu sobre os EUA e o mundo a partir de 2008, o mercado de quadrinhos vai muito bem, obrigado. Segundo dados do ICV2, entre 2003 e 2013, o crescimento foi de 96%. Isso se deve, em grande parte, para o grande destaque dos comics em outras mídias, seja em animações, séries de TV, filmes e até mesmo a internet. Em 2 de maio de 2008 estreava o filme do Homem de Ferro, o primeiro do Marvel Studios, que pretendia fazer nas telonas o que já era feito nos gibis: um universo interligado. A estratégia deu certo, e nos anos seguintes seriam lançados Thor, Capitão América – O Primeiro Vingador, além do segundo filme do latinha. Tudo isso para culminar em 2012 com um dos maiores fenômenos do cinema, The Avengers – Os Vingadores, reunindo todos estes personagens. O filme teve a maior abertura …

A Bolha Especulativa dos Quadrinhos

Matéria publicada originalmente no site fanboy.com.br em 2007. _____ O escritor escocês Mark Millar, perito em criar polêmicas, vem defendendo uma teoria de que a indústria de quadrinhos vive de ciclos. Esses ciclos se dariam em altos e baixos, que variam de dez em dez anos. Para exemplificar, vejamos um pouco da história dos comics norte-americanos: a indústria teve seu boom nos anos 40, quando apoiados na Segunda Guerra Mundial, os gibis venderam milhões de cópias. Depois, na década de 50, com a perseguição aos quadrinhos, a indústria sofreu um declínio. Nos anos 60 se viu renovar a indústria com a chegada da Marvel, na década de 70 com a onda de cancelamentos que ficou conhecida como “Implosão da DC”, os comics voltaram a cair. Alan Moore e Frank Miller deram um novo fôlego às revistas na década de 80, e a bolha especulativa levou a Marvel à bancarrota nos anos 90, caracterizando o último ponto baixo da história dos comics. Pouca gente sabe, ou se deu conta do que aconteceu naquela época com o …