Os Melhores Quadrinhos da DC Comics Que Li em 2018

Agora chegou a vez de falarmos das melhores leituras que fiz dos quadrinhos da Editora das Lendas, a DC Comics, no ano que passou. Claro, tem muita coisa saudosista da coleção da Eaglemoss, mas confesso a  vocês que foi a primeira vez que li tudo isso, então, para mim, é novo. Temos os quadrinhos da linha da Hanna-Barbera e também temos vários encadernados do Renascimento DC, todos eles juntos sob o título do personagem que fez bonito em 2018. Assim, mesmo que esse personagem tenha tido mais de um encadernado no ano passado, falarei deles em geral, ok? Belezinha, agora corra que nem o Flash para ler essa lista! Continuar lendo “Os Melhores Quadrinhos da DC Comics Que Li em 2018”

Meia-Noite: O Homem com H Maiúsculo Que é Gay

Sob certos aspectos, muitos poderiam dizer que super-heróis são o epítome da masculinidade. Que Superman e Batman são fortes, musculosos, intrépidos, altruístas, poderosos, corajosos e têm pelo no peito. Coisas que fazem um homem muito homem. Um homem com H, um super-homem. Mas e quando Warren Ellis e Bryan Hitch trouxeram a versão gay de Super-Homem e Batman, nas histórias do Stormwatch e do Authority, como os personagens Apolo e Meia-Noite? Será que esses personagem deixaram de serem homens com H maiúsculo por conterem todas as características de Superman e Batman, mas por se considerarem homossexuais? Essa semana eu li o encadernado do Meia-Noite pelo DC You e vou considerar algumas dessas proposições além, é claro de falar mais sobre o personagem. Continuar lendo “Meia-Noite: O Homem com H Maiúsculo Que é Gay”

Gays, Zumbis, Séries de TV: A Popularização de Riverdale e Sabrina

Você curte a série Riverdale, do CW Channel (Warner, aqui no Brasil), com a turma de Archie Andrews, Jughead Jones, Betty Cooper e Veronica Lodge sempre metidos em suas confusões adolescentes? E a série do Netflix, com a feiticeira demoníaca Sabrina, suas tias bruxas e seu mestre Satã? Parece que eles surgiram agora, não é? Mas Archie foi publicado pela primeira vez nos anos 1940, nos quadrinhos, e Sabrina, por sua vez, nos anos 1970. Nessa época também teve o desenho da TV de Josie e as Gatinhas, que muito passou no Cartoon Network. Bem, todos esses três universos estão interligados e nós vamos contar para vocês como foi que essas criações acabaram virando séries de TV de grande sucesso de crítica e audiência e, mais ainda, como Archie Andrew, um personagem muito do americano, acabou conquistando um mercado que ele sequer tocava: o mercado internacional! Continuar lendo “Gays, Zumbis, Séries de TV: A Popularização de Riverdale e Sabrina”

Melhores e Piores Leituras de Novembro de 2018

Ufa, amigos mergulhadores! Neste mês de novembro eu queria ser Jamie Madrox, o Homem-Múltiplo para dar conta de tantas tarefas. Mas, sim, eu consegui trazer para vocês muitas resenhas de quadrinhos de todos os tipos e também de livros sobre quadrinhos. também estou nos preparativos da Comic Con Experience (CCXP), onde vou lançar dois quadrinhos. Vocês podem me encontrar na mesa B14 do Artists Alley, vamos bater um papo e vocês podem conhecer meu trabalho também como roteirista. E agora, depois do break, vocês podem conferir quase 40 resenhas legais de quadrinhos, bons e ruins! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Novembro de 2018”

Quem Vai Ensinar Humanidade Para os Humanos? O Apelo do Visão de Tom King e Gabriel Hernandez Walta

Este mês saiu a conclusão da série do Visão por Tom King e Gabriel Hernandez Walta no Brasil. Foram 12 edições lá fora e dois encadernados de capa dura por aqui. A série lida, mais uma vez, com o sintozóide Visão tentando empreender e promover mais humanidade em sua vida. Dessa vez, ele cria uma família para si, com uma mulher, dois filhos e um cachorro sintozoides, que são robôs sintéticos, quase humanos. Para isso, e para serem aceitos, ele vão morar num subúrbio humano, como uma família estadunidense comum. Mas logo começam os problemas, ecoando a dificuldade humana para entender o que é ligeiramente diferente de si, como um robô, mas mesmo aqueles que, por enquanto – na visão da sociedade – são considerados humanos. Neste post vamos falar mais sobre essa incrível série, ganhadora de inúmeros prêmios, que eleva o gênero de super-heróis em quadrinhos a outro patamar. Continuar lendo “Quem Vai Ensinar Humanidade Para os Humanos? O Apelo do Visão de Tom King e Gabriel Hernandez Walta”

[SFW] 10 Hot Male Cosplayers Para Seguir No Instagram

Faz um bom tempo que não damos uma atenção para os posts mais “hot” aqui do Splash Pages. Para corrigir esse erro, dessa vez não vamos trazer heróis desenhados de uma forma sexy, mas homens que se vestem de super-heróis. Eles são cosplayers profissionais, ou seja, ganham a vida se vestindo de personagens em eventos do gênero. Por isso, é importante para eles que divulguem seus trabalhos e, nada melhor que uma conta no Instagram, uma rede social que privilegia a dimensão da imagem, para isso. Separamos aqui alguns dos melhores trabalhos de composição de personagens e de corpitcho dos cosplayers, claro, que ninguém é de ferro. Nem fazendo um cosplay do Colossus! Vamos a eles! Continuar lendo “[SFW] 10 Hot Male Cosplayers Para Seguir No Instagram”

Melhores e Piores Leituras de Setembro de 2018

Neste mês que passou, mais conhecido como setembro de 2018, foi o mês em que estive na Bienal de Quadrinhos de Curitiba, participando de alguns painéis e do artist alley. Também aproveitei para ler bastante por lá, muita coisa que comprei e troquei lá mesmo. Mas eu ando reparando que estou me tornando um velho chato e que ninguém escapa disso. Nos outros anos, havia no máximo três quadrinhos ruins na seção de ruins, agora são no mínimo quatro. Ou sou eu ou os quadrinhos tão ficando piores. Sei lá. Bem, neste post temos quase quarenta minirresenhas do mês de setembro, dentre as quais sete são ruins. Leia por sua conta e risco e tire suas próprias conclusões. Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Setembro de 2018”

A Ascensão da Representação Trans nos Quadrinhos e Nas Artes

 

Nos últimos anos a representação de personagens transexuais nos quadrinhos e a representatividade de autores e autoras transexuais nos quadrinhos vêm aumentando. Muitos personagens já são reconhecidos do grande público e autores e autores começam a ficar conhecidos do público mainstream por seus trabalhos, com uma sensibilidade diferente da que estamos acostumados. Ao ler o livro “E se estivermos errados?”, de Chuck Klosterman, que pensa no presente como se fosse o passado, o autor tenta explicar essa ascensão como um dado não previsto de pessoas que pensavam o futuro há, digamos, dez anos atrás. Então vamos tentar falar sobre isso neste artigo e entender esse fenômeno. Sigam me os homens, as mulheres e aqueles que estão em processo de transição! Continuar lendo “A Ascensão da Representação Trans nos Quadrinhos e Nas Artes”

A Série Supergirl Trará a Primeira Heroína Transsexual da TV

Embora o cinema ainda não tenha apresentado nem ao menos um super-herói gay, as séries para a televisão já fizeram isso há muito tempo. O próximo passo dado na representatividade de pessoas queer é uma nova personagem trans na série da Supergirl, exibida nos Estados Unidos no Canal CW e, no Brasil, pelo Warner Channel. A personagem Nia Nal, será inspirada na integrante da Legião dos Super-Heróis, a Sonhadora, que possui poderes de clarividência do futuro. A grande novidade é que a personagem sendo transexual, também será interpretada por uma atriz transexual. Nicole Moines. Vamos falar um pouco sobre representatividade trans no audiovisual, Legião dos Super-Heróis e seus personagens queer e o Arrowverse? Continuar lendo “A Série Supergirl Trará a Primeira Heroína Transsexual da TV”

Destaques do Checklist da DC Comics / Panini Comics Para Julho de 2018

Olá mergulhadores! Já estamos na metade do ano! Que coisa, não? Hoje viemos trazer para vocês os destaques do checklist da DC/Panini para Julho. Tem algumas coisas dignas de um Rei, se é que vocês me entendem e que sabem que o anivers do monarca já passou. Adivinha quem são os bobos nessa corte? Mas tem outros destaques legais tanto nas revistas mensais quanto nos encadernados do Renascimento em capa cartão. E, claro, tem METAL! Quer saber quais são os destaques, bem, então clica aí e dá uma olhada! Continuar lendo “Destaques do Checklist da DC Comics / Panini Comics Para Julho de 2018”

Quando a Criação de Super-Heróis Gays Brasileiros Sai Pela Culatra

Super-heróis gays estão em evidência. Uma das razões é porque eles servem de alento, de apoio e representatividade para uma camada do público dos quadrinhos que sempre os consumiu e nunca teve essa representação tão forte. Mas quando uma coisa entra em evidência, logo surgem cópias. Logo surgem pessoas e empresas querendo lucrar com isso sem ter o devido comprometimento e seriedade que a representação de uma minoria pede. Acaba sendo o inverso do empoderamento, quando a classe dominadora restringe o espaço da classe dominada falando por ela e, além disso, retirando dividendos da mesma para benefício próprio. Hoje vamos falar de dois casos de super-heróis gays brasileiros que “prestam um desserviço” à representação das minorias. Continuar lendo “Quando a Criação de Super-Heróis Gays Brasileiros Sai Pela Culatra”

Melhores e Piores Leituras de Junho de 2018

Olá mergulhadores! Chegamos ao fim de mais um mês, o mês de junho, o mês da visibilidade e representatividade LGBT. Por isso, esse mês tivemos vários posts dedicados a esse tema. Contudo, nossas leituras do mês não ficaram só nisso. Tem muitos super-heróis, Renascimento, capas duras, coleções históricas, Vertigo… mas o que mais impactou nesse mês foi a quantidade de leituras que foram classificadas como ruins. Fazia tempo que não tínhamos tantas aqui no nosso melhores/piores do mês! São mais de vinte resenhas para você ler e tirar suas próprias conclusões! Então, sigam-se os bons e aproveitem! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Junho de 2018”

Os Embasbacantes Quadrinhos de Lino Arruda e Sua Vida como Homem Trans

Se encontrarmos mulheres trans fazendo quadrinhos já é difícil, imagine só encontrar um homem trans realizando essas atividades? Sabemos que a indústria, o mercado e a criação de quadrinhos é um meio incrivelmente machista, tanto por parte daqueles que produzem como daqueles que os produzem. Portanto, dar visibilidade para pessoas que, apesar das dificuldades e dos preconceitos conseguem fazer com seu trabalho seja visto, é algo de se aplaudir. Dando continuidade ao mês da visibilidade e do orgulho LGBTQI+, vamos apresentar para você um pouco do trabalho do Lino, que tem por base a comparação das transformações do corpo (e dos gêneros) com as transformações dos monstros. Continuar lendo “Os Embasbacantes Quadrinhos de Lino Arruda e Sua Vida como Homem Trans”

Ser ou Não Ser? Bendita Cura, Vol. 01, de Mário César Oliveira

Dando continuidade ao mês de representatividade e visibilidade LGBTQI+, trazemos mais uma resenha de um quadrinho que saiu exatamente esse mês. Vamos falar do novo trabalho de Mário César Oliveira que trata sobre a polêmica “cura gay”, que promete reverter a orientação sexual das pessoas homossexuais. Para isso, Mário lançou mão do personagem Acácio que, desde pequeno vive uma terrível guerra dos sexos e dos gêneros em sua cabeça e no seu corpo. Dentro de uma narrativa rica, tanto em desenhos como no texto, Mário traça um parâmetro dos lugares-comuns dos gays. Contudo, esse lugar não significa um chavão, mas algo como a expressão da língua inglesa “been there”, causando identificação imediata. Para ler uma análise da HQ Bendita Cura e da própria condição da cura gay, leia o post a seguir. Continuar lendo “Ser ou Não Ser? Bendita Cura, Vol. 01, de Mário César Oliveira”

Futebol é Coisa de Gay? “O Outro Lado da Bola”, de Ale Braga, Álvaro Campos e Jean Diaz

Estamos todos em clima de Copa. É FIFA pra cá, figurinhas autocolantes da Panini vendendo que nem picolé no deserto, gente aprendendo russo só pra passar uma semana no país-sede da Copa. É, legal… pra quem gosta. Mas tem uma coisa que precisamos falar quando falamos de futebol. A homofobia presente no esporte, na torcida, nas práticas. No Brasil, futebol é esporte de machão. Nos Estados Unidos, é esporte de menininha. Tudo depende de ponto de vista. E o excelente trabalho de ponto de vista sobre gays no futebol é feito em O Outro Lado da Bola, em que os autores trabalharam um “o que aconteceria se…”, um dos maiores jogadores de futebol brasileiro saísse do armário e se revelasse gay em rede nacional de televisão. Vamos, com certeza, trazer uma resenha detalhada sobre o quadrinho nas linhas a seguir.
Continuar lendo “Futebol é Coisa de Gay? “O Outro Lado da Bola”, de Ale Braga, Álvaro Campos e Jean Diaz”

A Nova DC/Vertigo e Um Escopo Mais Político Para Seus Quadrinhos

A DC Comics já havia anunciado um renascimento da linha adulta Vertigo através de um novo universo das revistas do Sonhar, com o Sandman criado pelo escritor Neil Gaiman. Essa semana, a editora surpreendeu a todos, anunciando novos títulos para esse selo DC Vertigo. Os títulos, assim como os da linha do Sonhar, não trazem artistas consagrados, mas novas abordagens para problemas e situações existentes em nossa sociedade. A nova DC/Vertigo traz realidades imaginadas a partir de situações políticas. E é sobre essas revistas e as promessas que elas trazem que vamos falar neste post. Continuar lendo “A Nova DC/Vertigo e Um Escopo Mais Político Para Seus Quadrinhos”

Melhores e Piores Leituras de Abril de 2018

Abril está acabando! Então é hora de trazermos para vocês o que trazemos todos os meses: nossa listinha de melhores e piores leituras do mês! E olha só, esse mês temos mais de quinze mini resenhas dos mais diversos tipos de quadrinhos. Tem quadrinhos europeus, indie, de super-heróis, tem fumetti, tem para todos os gostos. Então afivela teu cinto de segurança nesse submarino e vamos mergulhar! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Abril de 2018”

Existe “Lugar de Fala” Para Personagens de Quadrinhos?

Mesmo hoje em dia, quando as discussões de lugar de fala e sujeito do discurso, de apropriação de xingamentos pelas minorias, as editoras continuam publicando e republicando expressões errôneas em seus lugares de fala. E elas nem sempre são proferidas por vilões. São personagens dizendo “viado”, “crioulo”, “boiola”, e tanto outros xingamentos que, se fossem publicados em quadrinhos undergrounds, passariam ilesos, dado o caráter da publicação. Mas e quando essas palavras estão na boca de personagens mainstream queridos e conhecidos, quais problemas podem ocorrer? Vamos ver Kitty Pryde xingando negros e Luke Cage sendo homofóbico (mas só no Brasil!). É sobre isso que vamos falar agora! Continuar lendo “Existe “Lugar de Fala” Para Personagens de Quadrinhos?”