Precisamos de um Super Vilão Gay ANTES de um Super-Herói Gay nos Cinemas?

Esta semana um site ligado ao Rotten Tomato divulgou que o Máscara Negra, vilão do filme Aves de Rapina, com estreia programada para 2020, seria o primeiro grande personagem gay em um filme de super-heróis para cinema. Interpretado na produção por Ewan McGregor, o personagem é um mafioso e um vilão classe C da galeria de vilões do universo do Batman. Mas quais são as consequências de termos no cinema um super vilão gay antes de termos um super-herói gay, bem representado? Vamos falar sobre isso neste post. Ah, e se você tem algum hate para destilar, pedimos que primeiro: leia o post e segundo: guarde o seu ódio para você, que certamente ele não faz bem nenhum para ninguém, principalmente quando é voltado à minorias. Avisado? Beleza, vamos à discussão. Continuar lendo “Precisamos de um Super Vilão Gay ANTES de um Super-Herói Gay nos Cinemas?”

Anúncios

Entrevista Com os Organizadores da PocCon: Mário César e Rafael Bastos Reis

Nunca é demais dizer que a Poc Con, a Feira de Quadrinhos e Artes Gráficas LGBTQI+ foi um sucesso. Isso porque os detratores da diversidade adoram vir com aquele papinho chato de “quem lacra não lucra” e que não existe interesse em personagens queer, que é apenas um “lobby gay” para conseguir o “pink money”. Percebemos na Poc Con que a feira não atrai apenas os queer, mas também a família nuclear brasileira que trouxe as crianças para se divertirem na feira e também se conscientizarem socialmente. Vendo a alegria enorme que foi a Poc Con, resolvemos entrevistar seus organizadores e idealizadores, Mário César e Rafael Bastos Reis. Continuar lendo “Entrevista Com os Organizadores da PocCon: Mário César e Rafael Bastos Reis”

Super-Gay: A Revista com Super-Heróis Homossexuais da Grafipar

Conforme prometemos, hoje vamos falar de uma polêmica produção da Editora Grafipar, de Curitiba, feita nos anos 1980. Hoje vamos falar de Super-Gay número um, uma revista que misturava paródias de super-heróis e… hum… homossexualidade. Mas como será que essa homossexualidade destes super-heróis era evidenciada nas histórias da revista? Contra quem nossos supers gays lutavam? E as lésbicas, como apareciam? Pessoas trans, havia? Quem eram os protagonistas? Quem produziu essa revista? E porque uma revista que, segundo os editores, estava fadada ao sucesso teve de interromper sua publicação no seu primeiro número? Você irá saber tudo isso neste post.  Continuar lendo “Super-Gay: A Revista com Super-Heróis Homossexuais da Grafipar”

Melhores e Piores Leituras de Junho de 2019

Olá mergulhadores! Junho, para variar também foi um mês intenso, estive em duas convenções de quadrinhos, a FloripaComicCon e a POC CON, dois eventos sensacionais, que vou deixar o link sobre eles no final desta postagem. Mas, claro, não deixei também de fazer minha extensa lista de leituras para vocês. Só que dessa vez ela veio no primeiro dia de julho. Este mês são quarenta e cinco quadrinhos e livros sobre quadrinhos que fizemos resenhas, e de todo o tipo de leitura: acadêmicos, biográficos, europeus, independentes, de super-heróis, mangás, alternativos e muitos outros. Então afivelem seus cintos de segurança que o nosso submarino vai submergir em leituras! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Junho de 2019”

Os Comics Homoeróticos Feitos Por Francis Xie

Muito antes mesmo da existência da internet já circulavam por aí diversas versões de personagens da cultura pop de forma erótica. Era o que nos Estados Unidos se conhecia por Tijuana Bibles. Com o advento da internet, essa produção se transformou numa das regras da rede mundial de computadores, a de número 43: tudo que existe na internet tem sua versão erótica. Assim surgiram as versões fanarts eróticas dos personagens da cultura pop. E, claro, sua versão homoerótica. Mas o que o artista trans taiwanês Francis Xie tem de tão especial que o destaca dos outros artistas que fazem suas versões homoeróticas de personagens dos comics? É o que você vai saber neste post. Continuar lendo “Os Comics Homoeróticos Feitos Por Francis Xie”

Algumas Publicações de Destaque Que Encontramos na PocCon

A primeira edição da Poc Con em 2019 foi um sucesso! As pessoas esperavam duas horas para entrar no evento em uma fila que dobrava quarteirões. O engajamento do público e o volume de vendas surpreendeu a organização e os participantes do evento. O nosso blog, promotor da tolerância e igualdade para as pessoas queer não podia deixar de falar do evento, né? Então, apenas para começar, resolvemos selecionar alguns quadrinhos que foram lançados na Poc Con (e outros que já foram lançados há um tempinho) e passaram pelo nosso escrutínio como alguns dos destaques deste evento hino! Continuar lendo “Algumas Publicações de Destaque Que Encontramos na PocCon”

Fomos Conhecer o Coletivo Geek, um Espaço Dedicado a Nós, Nerds!

O Coletivo Geek é um novo espaço de entretenimento nerd e geek na zona sul de São Paulo, no bairro de Moema. Trata-se de um edifício inteiro de cinco andares dedicado à cultura pop, contemplando diversos segmentos desse nicho e também com comidas e bebidas deliciosas para alimentar o corpo dos nerds e alimentar a alma com elementos colecionáveis. Venha comigo dar um “passeio” por esse espaço dedicado às nossas paixões nerds e geeks e aproveite para conhecer um espaço superlegal que combina cultura pop, quadrinhos, games, jogos e comida boa! Continuar lendo “Fomos Conhecer o Coletivo Geek, um Espaço Dedicado a Nós, Nerds!”

O Camp no Seriado do Batman: Afetação e Homossexualidade

Sabemos que a série do Batman de 1966 ajudou a ampliar o mito de que o personagem tinha relações homossexuais com Robin, mas de que forma esse tipo de interpretação era adquirida pelos telespectadores? Isso pode ser explicado com um estética que esteve em voga naquela época e que foi batizada de camp. O camp, o exagero nos adereços, adornos, vozes e gestuais, foi imediatamente associada à comunidade ao estilo e modo de vida homossexual. A maneira como Adam West e Burt Ward interpretavam seus alter-egos super-heróicos, com muita afetação e pavoneamento, fez com que a mítica ao redor da (homo)sexualidade de Batman e Robin fosse ampliada. Neste post vamos falar mais sobre o camp e como ele “afetou” o seriado e a percepção do homem-morcego pelo público que não consome quadrinhos. Continuar lendo “O Camp no Seriado do Batman: Afetação e Homossexualidade”

Tudo Que Você Queria Saber Sobre a Vagina, Mas tinha Vergonha de Perguntar (ou de Explorar)

Ano passado a Companhia das Letras lançou o quadrinho “A Origem do Mundo: Uma História Cultural da Vagina ou A Vulva versus o Patriarcado”, da autora sueca Liv Strömquist, aderindo à onda (muito bem sucedida) de livros feministas, sejam eles em quadrinhos ou não. Neste quadrinho, a autora tenta apresentar as últimas descobertas sobre esse “misterioso” órgão sexual feminino e porquê se sabe tão pouco sobre ele na cultura popular. Ela fala sem rodeios sobre masturbação feminina, menstruação, ejaculação feminina, sobre o clitóris e sobre como a sociedade inibiu a evolução da sexualidade (principalmente a feminina) por muitos séculos. Convido vocês a lerem mais sobre este quadrinho e conhecerem mais sobre a vagina, esta desconhecida. Continuar lendo “Tudo Que Você Queria Saber Sobre a Vagina, Mas tinha Vergonha de Perguntar (ou de Explorar)”

Como a Mulher-Gato Serve Como Atenuante Para a Homoafetividade Entre Batman e Robin

O mito da homossexualidade latente ou revelada entre Batman e Robin é bastante difundida, seja na cultura aqui do Brasil ou mesmo em seu local de criação, os Estados Unidos. Contudo, essa relação nunca foi demonstrada nos cânones das revistas em quadrinhos. Mesmo assim, a DC Comics, editora de posse dos personagens já empreendeu diversas tentativas de livrar os personagens deste estigma. A última delas, foi a inserção de uma versão lésbica do Batman, a Batwoman. Ou seja, o Batman gosta de mulheres, mesmo quando é uma mulher. Outro fator importante de uma deshomoerotização do relacionamento entre a dupla dinâmica foi a sexualização cada vez mais acentuada da Mulher-Gato que, nas histórias recentes de Batman chegou a ser pedida em casamento pelo Homem-Morcego. Vamos falar mais sobre que papel a Mulher-Gato tem nessa tentativa de desmistificar um possível relacionamento homossexual entre Batman e Robin. Continuar lendo “Como a Mulher-Gato Serve Como Atenuante Para a Homoafetividade Entre Batman e Robin”

“Os Eternos” Promete Trazer o Primeiro Super-Herói Gay da Marvel nos Cinemas

O site gringo THS afirmou que o Marvel Studios está a procura de um ator gay para interpretar um personagem gay no vindouro filme de Os Eternos. Muita gente pode achar ridículo noticiar e comemorar isso, mas quem é queer e cresceu com modelos de conduta sempre sendo casais entre homem e mulher e que diziam que isso era o correto a se comportar, vai saber como é uma ótima notícia. Isso ainda é especulação sobre esse personagem, que não se sabe quem vai ser. Neste post vamos falar rapidamente sobre Os Eternos e sobre como representatividade queer é importante. E se você não gostou desse post, passa para o próximo e evite encher a internet de ódio. As pessoas educadas agradecem. Continuar lendo ““Os Eternos” Promete Trazer o Primeiro Super-Herói Gay da Marvel nos Cinemas”

Aquela Vez em que um Quadrinho de Alan Moore Virou um Poema Épico Gay

Ah, os anos 80! Eles eram muito parecidos com o que estamos vivendo agora, né? A ascensão de uma direita extremista no mundo todo e as minorias em risco de morte. A desinformação e a contrainformação reinando forte nas ruas e nos meios de comunicação (formais ou informais). Os quadrinhos também se tornaram mais radicais naqueles tempos sombrios. Era uma época em que distopias em que a direita extrema reinava foram escritas para os quadrinhos. Duas dessas obras se chamavam Cavaleiro das Trevas e Watchmen. Elas mudaram para sempre o cenário dos quadrinhos. Para o bem e para o mal. E ao mesmo tempo que esse cenário caótico e desesperador era admitido no coração das pessoas, um grupo de artistas resolveu falar. Entre estes artistas estava o mago de Northampton, Alan Moore. Continuar lendo “Aquela Vez em que um Quadrinho de Alan Moore Virou um Poema Épico Gay”

John Constantine Praticou Sexo Anal Com um Homem. Então ele é gay? Ou “só” Bissexual?

Chegou às bancas neste mês de fevereiro a edição número um de John Constantine: Hellblazer – Amaldiçoado, coleção que compila as histórias escritas por Brian Azzarello para o personagem. É nesta fase em que Constantine passa a ser tido como bissexual, porque faz sexo anal com homens. Mas será que isso faz com que o personagem seja homossexual? Depois desta fase na revista, a DC Comics resolveu declarar o personagem como bissexual. Vou explicar algumas coisas para vocês a respeito deste arco, de John Constantine e de sexualidade humana para desmistificar alguns mitos que envolvem essa “etiquetação” da identidade sexual que as pessoas costumam fazer umas das outras e, claro, debater o que isso tem a ver com nosso Hellblazer. Continuar lendo “John Constantine Praticou Sexo Anal Com um Homem. Então ele é gay? Ou “só” Bissexual?”

Os Melhores Quadrinhos Brasileiros Que Li em 2018

Para fechar com chave de ouro nossas listas de melhores de 2018, nada mais apropriado do que os Melhores Quadrinhos Brasileiros! E num dia especial! Dia 30 de janeiro também é conhecido como DIA DO QUADRINHO NACIONAL. E que maneira melhor de homenagear a produção brasileira do que indicar 15 boas leituras para aqueles que não sabem por onde começar a ler esse tipo de produção? Pois é, meus amigos mergulhadores! Vamos então à nossa última e especialíssima lista. Só não se esqueçam que depois da lista, no final do post, temos uma surpresa interativa para vocês vindo aí. E relacionada com quadrinhos nacionais!   Continuar lendo “Os Melhores Quadrinhos Brasileiros Que Li em 2018”

Os Melhores Quadrinhos da DC Comics Que Li em 2018

Agora chegou a vez de falarmos das melhores leituras que fiz dos quadrinhos da Editora das Lendas, a DC Comics, no ano que passou. Claro, tem muita coisa saudosista da coleção da Eaglemoss, mas confesso a  vocês que foi a primeira vez que li tudo isso, então, para mim, é novo. Temos os quadrinhos da linha da Hanna-Barbera e também temos vários encadernados do Renascimento DC, todos eles juntos sob o título do personagem que fez bonito em 2018. Assim, mesmo que esse personagem tenha tido mais de um encadernado no ano passado, falarei deles em geral, ok? Belezinha, agora corra que nem o Flash para ler essa lista! Continuar lendo “Os Melhores Quadrinhos da DC Comics Que Li em 2018”

Meia-Noite: O Homem com H Maiúsculo Que é Gay

Sob certos aspectos, muitos poderiam dizer que super-heróis são o epítome da masculinidade. Que Superman e Batman são fortes, musculosos, intrépidos, altruístas, poderosos, corajosos e têm pelo no peito. Coisas que fazem um homem muito homem. Um homem com H, um super-homem. Mas e quando Warren Ellis e Bryan Hitch trouxeram a versão gay de Super-Homem e Batman, nas histórias do Stormwatch e do Authority, como os personagens Apolo e Meia-Noite? Será que esses personagem deixaram de serem homens com H maiúsculo por conterem todas as características de Superman e Batman, mas por se considerarem homossexuais? Essa semana eu li o encadernado do Meia-Noite pelo DC You e vou considerar algumas dessas proposições além, é claro de falar mais sobre o personagem. Continuar lendo “Meia-Noite: O Homem com H Maiúsculo Que é Gay”

Gays, Zumbis, Séries de TV: A Popularização de Riverdale e Sabrina

Você curte a série Riverdale, do CW Channel (Warner, aqui no Brasil), com a turma de Archie Andrews, Jughead Jones, Betty Cooper e Veronica Lodge sempre metidos em suas confusões adolescentes? E a série do Netflix, com a feiticeira demoníaca Sabrina, suas tias bruxas e seu mestre Satã? Parece que eles surgiram agora, não é? Mas Archie foi publicado pela primeira vez nos anos 1940, nos quadrinhos, e Sabrina, por sua vez, nos anos 1970. Nessa época também teve o desenho da TV de Josie e as Gatinhas, que muito passou no Cartoon Network. Bem, todos esses três universos estão interligados e nós vamos contar para vocês como foi que essas criações acabaram virando séries de TV de grande sucesso de crítica e audiência e, mais ainda, como Archie Andrew, um personagem muito do americano, acabou conquistando um mercado que ele sequer tocava: o mercado internacional! Continuar lendo “Gays, Zumbis, Séries de TV: A Popularização de Riverdale e Sabrina”

Melhores e Piores Leituras de Novembro de 2018

Ufa, amigos mergulhadores! Neste mês de novembro eu queria ser Jamie Madrox, o Homem-Múltiplo para dar conta de tantas tarefas. Mas, sim, eu consegui trazer para vocês muitas resenhas de quadrinhos de todos os tipos e também de livros sobre quadrinhos. também estou nos preparativos da Comic Con Experience (CCXP), onde vou lançar dois quadrinhos. Vocês podem me encontrar na mesa B14 do Artists Alley, vamos bater um papo e vocês podem conhecer meu trabalho também como roteirista. E agora, depois do break, vocês podem conferir quase 40 resenhas legais de quadrinhos, bons e ruins! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Novembro de 2018”