Todos os posts com a tag: neal adams

A Fama e o Culto ao Autor de Quadrinhos

Dentro do universo dos quadrinhos, alguns autores se destacam e, sim, possuem uma certa fama com seu público leitor. Mas o que é a fama? Como começou esse culto aos autores? E nos quadrinhos, como isso funciona? Vamos saber agora.

Anúncios

O “Complexo de Vira-Lata” dos Quadrinhos

Em 1950, em pleno Maracanã, a Seleção Brasileira foi derrotada pela Seleção Uruguaia de Futebol, na final da Copa do Mundo daquele ano. Uma crônica do jornalista e dramaturgo Nelson Rodrigues atribuiu a derrota do time brasileiro à uma espécie de trauma, que batizou de viralatismo. A seleção só se recuperaria do choque em 1958, quando ganhou sua primeira Copa do Mundo de Futebol. Mas isso não se aplica somente ao futebol ou aos brasileiros. Aqui, vamos ver como isso se aplica aos quadrinhos.

As 3 Continuidades dos Quadrinhos

Peraí! Como assim os quadrinhos têm três continuidades? Eu achava que só existia uma! Bem, é disso que vamos falar agora porque para que um quadrinho seja bom, é essencial que ele siga as três continuidades dos quadrinhos. E, migo, não fui eu quem disse, foi o Denny O’ Neil no Guia Oficial de Roteiros da DC Comics. Belê?! Então vem comigo!

O Design da Página de Quadrinhos

Os estudos da História da Arte e do Design podem ajudar um quadrinista a compor o layout das páginas dos seus quadrinhos. Porém, também é preciso entender como se dá a leitura e a compreensão das palavras e imagens, sejam em separado ou em adição, para que a página de um quadrinho seja processada na nossa mente. Este artigo fala um pouco sobre estes estudos e processos.

Destaques da DC Comics / Panini Comics Para Dezembro de 2016

Pra começar, Levi Trindade confirmou na CCXP 2016 que sim, as revistas da DC Comics acabarão no número 52 antes de começar a nova fase do Rebirth. Por isso, nem todas sairão todos os meses e alguns especiais serão lançados para ajustar a numeração. Ok, agora vamos para os destaques do mês de dezembro!

MAIS 15 Super-Heróis Negros Importantes dos Comics

Olá mergulhadores! Hoje é dia da Consciência Negra! A data de hoje faz referência à morte de Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo dos Palmares, um dos maiores centros de resistência negra contra a escravidão no Brasil. E se Zumbi foi um herói, nada melhor do que comemorar sua existência do que com uma lista de super-heróis da etnia negra, não é mesmo? Vem dar uma olhada neles!

Destaques do Checklist DC Comics / Panini Comics para Novembro de 2016

A surpresa deste mês é que aparentemente não teremos os títulos a Sombra do Batman e Lanterna Verde. Possivelmente isso faça parte do plano da editora para encerrar as revistas no número 52, como fez a DC Comics. Mas tudo bem, não se desesperem, teremos alguns especiais para nutrir essa ausência! Venham ver!

Guia de Leitura: Os Inumanos

Sim, amigos! Os Inumanos são a aposta da vez da Marvel! Se não nas telinhas e telonas, pelo menos nos quadrinhos. Apesar de eles estarem em destaque em Agentes da SHIELD, parece que o seu filme foi cancelado. Além disso vem aí os eventos A Morte do X e X-Men versus Inumanos, que vão colocar a equipe das névoas terrígenas em evidência. Fiz aqui uma listinha de leituras importantes dos nossos amigos evoluídos pelos krees!

Nick Fury: Agente da S.H.I.E.L.D., de Jim Steranko

Se teve um cara que realmente inovou nas artes dos quadrinhos, esse foi Jim Steranko. De origem humilde e com poucos trabalhos na história, Jim revolucionou o mercado trabalhando em títulos como X-Men e Capitão América. Mas foi no título Nick Fury: Agente da S.H.I.E.L.D., que ele atingiu seu auge. E é sobre ele que vamos falar mais aqui.

As 10 Maiores Duplas de Criação dos Comics

Acredito que os quadrinhos funcionam melhor quando são em colaboração do que quando feitos por uma pessoa só. Duas cabeças pensam melhor que uma e, assim cada um pode se dedicar ao seu ponto forte e trazer essas vantagens para os quadrinhos. Os comics americanos funcionam muito nesse sentido colaborativo. E as melhores colaborações dos super-heróis serão comentadas agora.

Os TOP 10 Musos dos Comics e Seus Desenhistas Perfeitos

Nosso próximo SplashPod, que sai Domingo, vai falar sobre sexo nos quadrinhos. E um dos assuntos será os musos e as musas dos quadrinhos. Além disso vamos falar sobre muitas outras coisas que tangem ao sexo nos quadrinhos, como HQs eróticas. Aqui fizemos uma seleção de 10 personagens dos quadrinhos de super-heróis e os desenhistas que fazem seus corpos mais perfeitos. Vamos à lista: CAPITÃO BRETANHA, DE ALAN DAVIS Nas histórias do Excalibur, tanto nas de Chris Claremont quanto as de Alan Davis, ou até mesmo na fase do Alan Moore, que Davis também desenhou, o nobre Capitão vivia aparecendo sem camisa. Na fase do Excalibur só dava ele com a calça do pijama listrado (porque listras emagrecem). Uma pena este personagem estar tão esquecido hoje em dia. NAMOR DO ESQUADRÃO FÊNIX, DE OLIVIER COIPEL O uniforme novo do Namor é aquele que deixava a cintura beeeem baixa, aparecendo aquelas ranhuras musculares que vão dar na região íntima, deixando nossa imaginação voar. Longe da sunguinha verde e do uniforme com asas, este, do Esquadrão Fênix, …

10 Motivos Para Ler Valiant Comics

Lançadas ano passado pela HQM Editora, as revistas da Valiant Comics são um boa pedida pra quem quer histórias de super-heróis que respeitam os leitores. São dois títulos nas bancas brasileiras: X-O Manowar e Universo Valiant da editora criada na década de 80 pelo ex-editor-chefe da Marvel Jim Shooter. A Valiant foi uma das editoras que pereceram na bolha especulativa dos anos 90. Ela foi comprada pela criadora de videogames Acclaim, que faliu em seguida. Retornando nos anos 2010, quando os direitos sobre seus personagens foram comprados por novos investidores. Recriada, ela veio com toda a força, e com novos donos, vieram novos criadores e uma nova roupagem para seus personagens, sem perder aquilo que os fez memoráveis. Aqui vão dez motivos para você não perder este “novo universo”: INEDITISMO: Os quadrinhos da Valiant são inéditos no Brasil. Nem em sua versão anterior foram publicados aqui. A editora se torna uma alternativa para personagens super-conhecidos da Marvel e da DC Comics. CRIADORES: A editora conta com talentos da nova geração que merecem uma espiada. Robert …

Superman e a Santíssima Trindade – O Filho, por Frank Miller

O Filho Pródigo não Torna à Casa. O Filho, por Frank Miller. Publicada em Action Comics #400 (1984) e publicada por último no Brasil em Coleção Superman 70 Anos – As Grandes Aventuras do Superman (setembro de 2008). Como já falei, Superman é um personagem difícil de ser trabalhado. Imaginem um homem que tem tudo, que pode tudo, que, virtualmente, pode saber de tudo. Talvez,  por essa razão, os roteiristas “pagãos” tenham uma facilidade maior em lidar com esse tipo de poder universal. Como Grant Morrison fez no seu memorável Grandes Astros: Superman. O fato é que Frank Miller é um católico fervoroso, e talvez essa seja sua kriptonita – ou se preferir, sua última tentação – no caso de ser incumbido de escrever uma história do Homem de Aço. A proximidade estraga qualquer análise, dizem os psicólogos. Muitos e muitos elementos católicos podem ser encontrados nas histórias de Frank Miller, principalmente nas do Demolidor. E o que dizer do nome da sua maior criação: SIN City? Até mesmo Ronin tem um tom messiânico. Mas …

Superman e o Merchandising, por Gerard Jones

O Merchandising no Mundo dos Quadrinhos “Na sexta história publicada de Superman, talvez a primeira concebida para sair num gibi (N.B.: Sim! As primeiras revistas do Super eram recortes e colagens de tiras de jornais), Jerry (Siegel) e Joe (Shuster) mostrarm que partilhavam com os leitores o conflito entre cinismo e sonhos. Eles jogaram o herói contra um aspirante a empresário que vende o nome do herói a um fabricante de carros, coloca uma cantora de cabaré gemendo uma canção de amor não correspondido para ele e patrocina um programa de rádio do herói. “Ora, ora, eu até já providenciei para que ele apareça nos quadrinhos”. Eles parodiaram o gênero antes de o gênero existir. Primeiro o super-herói desafia esse mesmo público a acompanhá-lo a sério nas fantasias de poder. Depois de todas as gags, é um prazer ver o substituto do Super-Homem que o empresário havia contratado, quebrar o punho no peito de aço do verdadeiro herói. O Merchandising no Mundo Real (…) Todas as cadeias de rádio rejeitaram a oferta (de um programa …

Mirando a Relevância Social

Como Oliver Queen tomou a postura de radical de esquerda que hoje apresenta nos quadrinhos? A resposta, a seguir: No final dos anos 60, e depois, através dos anos 70, o Arqueiro Verde está longe de casa, sem uma publicação fixa, e tinha passado uma longa temporada agindo junto ao Batman na série The Brave and The Bold, onde apareceu mais de uma dúzia de vezes no decorrer da publicação. Em sua terceira aparição em Brave and The Bold # 85 (Setembro de 1969) o visual do personagem sofreu uma revisão geral para conectar aa sua nova caracterização pelo artista Neal Adams, com um uniforme impressionante, mais berrante para produzir um estilo “Robin Hood”, um sabor “herói do povo”, e um bigode e um esquisito cavanhaque para separar o novo Arqueiro Verde do visual anterior. Enquanto o guarda-roupas de Oliver Queen estava ganhando melhorias, naquele mesmo mês, nas páginas de Justice League of America, o terreno estava sendo preparado para que Ollie recebesse algo que necessitava há um bom tempo: uma namorada. O escritor de …