Todos os posts com a tag: wizard

Brian Michael Bendis!!! GRAURRRRR!

“Brian Michael Bendis é o Melhor Escritor de Comics de Super-Heróis”, por Henry Jenkins

Em um livro que trazia artigos sobre as coisas mais bonitas na cultura pop dos Estados Unidos e do mundo o estudioso dos fãs e da cultura da convergência Henry Jenkins apontou Brian Michael Bendis como uma dessas coisas belas. Para Jenkins Bendis é o melhor escritor de quadrinhos do mainstream contemporâneo. Em um ensaio inspirado o estudioso da cultura dos fãs e da convergência explica suas motivações para essa escolha. O ensaio é de 2007, mas resolvemos trazer para vocês algumas partes deste ensaio para entendermos um pouco do impacto e do legado de Brian Michael Bendis na cultura de fãs de quadrinhos de super-heróis do mainstream estadunidense contemporâneo.

O Que Foi o M-Tech, o Selo Tecnológico da Marvel Comics?

Hoje em dia os robôs da Marvel estão em alta na Casa das Ideias. Na série do Homem de Ferro 2020 foi anunciado que eles terão uma participação importante nas histórias em quadrinhos que se seguirão. Homem-Máquina e Jocasta tomarão a frente nesses personagens. Anteriormente a Marvel também tentou lançar uma série apenas de heróis de inteligências artificiais comandada pelo Visão, os Vingadores I.A. . Essa série durou uma dúzia de edições e depois foi cancelada. Mas antes disso, os heróis tecnológicos da Marvel tiveram um selo de revistas só seu no final da década de 1990. Era o selo M-Tech.Vamos falar um pouco mais sobre os acontecimentos que antecederam sua criação e quais eram os três títulos que compunham o selo.

Melhores e Piores Leituras de Fevereiro de 2019

Cinquenta! Cinquenta, caros mergulhadores! Temos cinquenta miniresenhas de quadrinhos e de livros sobre quadrinhos de diversos tipos neste mês de fevereiro. Com certeza um recorde! Nem um (ou nenhum) site que é mantido por diversas pessoas traz esse número de minirresenhas para vocês por mês! E esse aqui, na prática, é mantido apenas por um (com algumas colaborações bem esporádicas). Então, sente-se num lugar bem confortável que tem muito muito muito texto para ser lido a seguir e muitos quadrinhos (bons e ruins) para você chegar (ou não) a uma conclusão sobre eles!

“Super-Gêmeos: Ativar!”: A Volta dos Gêmeos Mais Famosos da Cultura Pop

Os Super-Gêmeos, integrantes da Liga da Justiça, no desenho Superamigos, são muito famosos na televisão. Mas eles nunca tiveram uma versão nos quadrinhos que se tornou cânone, ou seja, oficial. Isso muda este mês, quando a DC Comics lança o gibi Wonder Twins, dentro da linha Wonder Comics, capitaneada pelo roteirista Brian Michael Bendis. A intenção do escritor é dar um lugar para os gêmeos no universo de quadrinhos da editora, tornando-os estagiários da Liga da Justiça. Lemos a primeira edição do título e vamos falar um pouco mais sobre os Super-Gêmeos e suas tentativas de chegarem aos quadrinhos da DC Comics.

Quem é Manchester Black, que Estreia na Série da Supergirl?

Manchester Black foi criado como uma resposta dos novos tempos – mais extremos – ao bom-mocismo, à educação e ao juramento de não matar do Superman. O supervilão do Homem de Aço veio na onda de quadrinhos em que os super-heróis precisam tomar quaisquer atitudes para evitar o mal maior, como no Authority de Warren Ellis e Bryan Hitch, em que os heróis não poupam os meios para atingir seu fim. Manchester Black é, então, uma crítica a heróis extremistas e serve para contrabalançar e reforçar as boas intenções do Superman, em uma realidade onde todos estão interessados em satisfazer seu próprio ego e não o bem maior. Manchester Black vai estrear na próxima temporada do seriado da Supergirl, pelo Warner Channel e é sobre ele que vamos falar mais neste post.

Saudades: CD-ROM Universo dos Super-Heróis e a Revista HQ CD

Antes da Internet e antes da Wikipédia, como as pessoas ficavam sabendo sobre os inúmeros super-heróis que existiam nas diversas revistas em quadrinhos? Era bem difícil. Na década de 90, quando começamos, eu e meu irmão, a nos interessarmos por super-heróis, não havia tantas revistas e enciclopédias que falavam da diversidade de super-heróis. Havia sim, a revista Wizard e a revista Herói, mas elas não eram um compilado de diversos heróis, embora trouxessem matérias especiais sobre eles. Então, apareceu nas bancas uma coisa bem peculiar: um CD-Rom, isso mesmo, que trazia uma enciclopédia sobre super-heróis e é sobre ele que vou falar agora nesse post.

Os Melhores Quadrinhos da DC Comics Que Li Em 2017

É mergulhadores, agora chegou a vez da editora das lendas, a DC Comics de mostrar o que teve de valor em 2017. Vale mencionar que esse foi o ano em que a iniciativa Renascimento começou aqui no Brasil e boa parte dos nossos melhores fazem parte dela. Então apertem os cintos, ponham seus snorkels e vamos mergulhar!

Os Piores Quadrinhos Que Li em 2017

O ano está se encerrando, então chegou a hora de começar a fazer o nosso compilado de Melhores e Piores Leituras do Ano de 2017. E como, geralmente, as pessoas preferem a má notícia do que a má notícia, trago para vocês a lista dos PIORES quadrinhos que li no trágico ano de 2017. Sigam-me se quiserem vir ver!

Melhores e Piores Leituras de Julho de 2017

Vocês devem ter reparado que o blog está às moscas, né? Bem, várias pequenas revoluções estão acontecendo na minha vida e tomando o meu tempo. Tanto é que não tivemos nem dez posts este mês. Então, tentei continuar lendo no meu ritmo possível e o que saiu foi isso que você vêem abaixo: MELHORES NOITE LUZ, DE MARCELO D’SALETE Em maio o Marcelo esteve aqui em Porto Alegre para participar do FestiPOA Literária. Na ocasião, em que peguei seu autógrafo em seus outros trabalhos, eu percebi que não tinha o Noite Luz. Era o único trabalho dele que não tinha e também foi o primeiro, ainda publicado pela extinta editora Via Lettera. Um outro trabalho de Marcelo que dá voz aos marginalizados da sociedade, os negros, pobres e de comunidades suburbanas. Várias histórias mostrando como o brasileiro tem de produzir “gambiarras” para se sustentar na vida e lidar com as demais adversidades que aparecem nos seus caminhos. Segue uma linha parecida com o Encruzilhada, trazendo diversas histórias que apresentam várias situações desse tipo de personagem. …

Meu Primeiro Fanzine

Eu tinha 14 anos e estava muito orgulhoso de que minha carta havia sido publicada na revista Os Fabulosos X-Men #25. Então, meses depois, eu recebia em casa um anúncio para fazer parte de uma comunidade de leitores de X-Men que se correspondiam e ganhavam um fanzine chamado Planeta X. Na época, o Planeta X era capitaneado pelo Caio Cardoso Moreira (Incógnita) e o Clébio Cabral Gravino (Lorde Lethal). No primeiro deles que recebi, o segundo número, minha carta para lá foi publicada. Aparentemente os organizadores tinham gostado muito, pois publicaram até meu desenho das Novíssimas Aventuras de Ciclope e Fênix (que retratava Ciclope e Fênix a La Adão e Eva), com o detalhe que eu havia feito o desenho todo em Paintbrush (naquela época eu não tinha scanner, coreldraw, muito menos photoshop – e também, não muita coisa pra fazer). Enquanto o terceiro número não saía, comecei a me corresponder com os dois “chefes” da publicação. O Clébio, 22 anos, que escrevia todas as cartas à mão, por não ter computador, falávamos de séries …

A Bolha Especulativa dos Quadrinhos

Matéria publicada originalmente no site fanboy.com.br em 2007. _____ O escritor escocês Mark Millar, perito em criar polêmicas, vem defendendo uma teoria de que a indústria de quadrinhos vive de ciclos. Esses ciclos se dariam em altos e baixos, que variam de dez em dez anos. Para exemplificar, vejamos um pouco da história dos comics norte-americanos: a indústria teve seu boom nos anos 40, quando apoiados na Segunda Guerra Mundial, os gibis venderam milhões de cópias. Depois, na década de 50, com a perseguição aos quadrinhos, a indústria sofreu um declínio. Nos anos 60 se viu renovar a indústria com a chegada da Marvel, na década de 70 com a onda de cancelamentos que ficou conhecida como “Implosão da DC”, os comics voltaram a cair. Alan Moore e Frank Miller deram um novo fôlego às revistas na década de 80, e a bolha especulativa levou a Marvel à bancarrota nos anos 90, caracterizando o último ponto baixo da história dos comics. Pouca gente sabe, ou se deu conta do que aconteceu naquela época com o …