Todos os posts com a tag: y: o último homem

Os Melhores Quadrinhos da Vertigo Que Li em 2016

De novo, essa lista contém praticamente relançamentos ou coisas de anos atrás lançadas pela primeira vez aqui. Será que as coisas que estão ficando chatas ou sou eu que estou ficando um velho, chato, exigente e resmungão com os quadrinhos? Que dilema! Bem, vamos lá aos melhores quadrinhos da Vertigo que li em 2016! Anúncios

Esqueça a Bundona – Mulher-Aranha: Novos Insucessos, de Dennis Hopeless e Javier Rodriguez

Depois da enorme polêmica com a capa da bunda para a Lua, feita pelo italiano Milo Manara, e cinco edições depois, Jessica Drew, a Mulher-Aranha, voltou repaginada. Os responsáveis pela nova fase são Dennis Hopeless (Arena dos Vingadores) e Javier Rodriguez. A capa foi tão criticada que não só o uniforme mudou, mas como a pegada das histórias, que ficou bem mais girl power. Já já falo mais sobre!

Canário Negro: O Som e A Fúria, de Brenden Fletcher, Annie Wu e Pia Guerra

Quadrinhos e rock geralmente dão combinações boas. Não por coincidência, geralmente fãs hardcore de rock também são fãs muito dedicados de quadrinhos. O que a revista da Canário Negro faz é colocar tudo sob uma perspectiva feminina do rock e das aventuras dos quadrinhos. E isso funciona maravilhosamente bem. Vamos lá?

10 Incríveis Macacos da DC Comics

Macacos me mordam! (Perae, não me mordam não!) A DC Comics é uma editora de macacadas, vocês bem sabem, por isso ela está tão recheada desses símios simiescos que nós gostamos tanto por serem tão parecidos com a gente. Para demonstrar que a editora das Lendas adora uma macacagem, fizemos aqui um lista dos seus 10 principais símios

10 Pragas Mortais e Epidemias Fatais dos Quadrinhos

Em tempos de conscientização contra o Zika Vírus, a Dengue e a Febre Chickungunya, nada mais atual que falarmos de epidemias e pragas que assolaram nossos queridos personagens de quadrinhos e como eles se viraram contra elas. Então jogue fora seus pneus velhos cheios d’água, coloque terra nos pratinhos dos vasinhos de flores, não deixe água parada para evitar possíveis criadouros de mosquito. E use muito repelente, principalmente se você for mulher e estiver grávida. Agora, vamos ao texto!

SAGA, Volume Um, de Brian K. Vaughan e Fiona Staples (Devir, R$ 56, Tradução: Marquito Maia)

A Saga da Paternidade: SAGA, Volume Um, de Brian K. Vaughan e Fiona Staples

SAGA é a HQ mais aguardada do ano no Brasil. Ela ganhou três Eisner Awards e seis Harvey Awards em 2013. O primeiro volume recebeu o cobiçado Hugo Award para Melhor História Gráfica e o British Fantasy Award para Melhor Novela Gráfica em 2013. Fora isso, SAGA é uma concepção da mente criativa de Brian K. Vaughan, responsável por sucessos cults e de crítica como Y: O Último Homem, Fugitivos, Leões de Bagdá, Ex Machina e que também foi um dos roteiristas do seriado LOST a partir da terceira temporada. Fiona Staples, a artista, por sua vez vem do mercado independente, tendo feito apenas séries desconhecidas dos brasileiros. Entretanto, a arte de Fiona é de encher os olhos, versada em cores e traços dinâmicos, também tem de se destacar seu design de personagens, que povoam as histórias de saga os mais diferentes seres alienígenas. A história começa com a bebê Hazel narrando seu nascimento. Ela é filha de duas espécies em guerra, os chifrudos, que habitam a Lua e dos alados, que habitam o planeta. …

10 Razões Por Que O Inescrito Pode Ser o Substituto de Sandman

Nenhuma série em quadrinhos alternativos é tão cultuada ao redor do mundo como Sandman, de Neil Gaiman. Muitas outras séries tentaram seguir o caminho da família de Morpheus, e muitas foram nomeadas como suas substitutas. Entre elas, Fábulas e Y: O Último Homem. A primeira por sua proximidade com as histórias e a segunda pelo mundo revigorante que apresenta e seus personagens cativantes. Mas acho que há um série que se aproxima mais de Sandman, e essa série é O Inescrito (The Unwritten), criada por Mike Carey e Peter Gross. Não por acaso, os dois já haviam trabalhado juntos no spin-off de Sandman, a revista de Lúcifer. Mas vamos ao motivos: SONHOS E HISTÓRIAS: Enquanto a base de Sandman são os sonhos e sua influência sobre as pessoas, em O Inescrito temos as histórias e suas influências. Enquanto em Sandman temos o Sonhar, em O Inescrito temos O Leviatã. Ambos, sonhos e histórias, são narrativas, a diferença é que sonhos são produções internas, íntimas, já as histórias são, de certa forma, uma maneira de difundir …

A Revolução dos Bichos – Sweet Tooth: Depois do Apocalipse, de Jeff Lemire

Mês passado chegou ao final a série do menino-veado (ou do veado-menino?), Sweet Tooth. Escrita por Jeff Lemire, o novo autor-sensação dos Estados Unidos (e do Canadá também), a série cativou os leitores por seus textos cheios de graciosidade e seu ambiente pós-apocalíptico, como um substituto certeiro para Y: O Último Homem. Lemire começou sua carreira com uma série de três álbuns com histórias de cunho familiar que se passavam no interior do Canadá. A compilação delas veio a se chamar Essex County. Assim, ele foi chamado para escrever as histórias do Superboy, que se passavam no interior do Kansas (a série, infelizmente não foi publicada no Brasil). Dali para a os Novos 52 foi um salto, quando se viu Lemire vinha abocanhando títulos e mais títulos, seja individualmente, ou em pareceria com outros autores indies canadenses como Matt Kindt e Ray Fawkes. Mas, entre Essex County e Superboy, houve o advento de Sweet Tooth. A premissa da série autoral da Vertigo era a de um mundo em que existe uma praga e as pessoas …

Y: O Último Homem – Uma Análise

Y: O Último Homem faz parte de uma tendência de histórias escritas no rastro do 11 de setembro de 2001. O atentado às Torres Gêmeas propiciou a volta de temáticas pós-apocalipticas como uma espécie de mecanismo de defesa para os americanos. Refilmagens de filmes de mortos-vivos como Madrugada dos Mortos, de Zack Snyder e Extermínio, de Danny Boyle. Mais recentemente temos a refilmagem de Eu Sou a Lenda, protagonizado por Will Smith (duas versões anteriores haviam sido feitas; uma estrelada pelo mais notável ator de filmes de terror, Vincent Price, em 1964, e outra, por Chalton Heston, em 1971),  filme que conta a batalha de um homem contra outros homens que se tornaram vampiros. Heidi MacDonald, a editora original da série de Yorick chama o título de “ficção científica social”:”Enquanto há muito drama e aventura no gibi, também existe uma surpresa em toda edição. Brian fez uma tonelada de tema de casa e criou um mundo inteiro que é ao mesmo tempo familiar e também horrivelmente chocante”.Mas é em Filhos da Esperança, filme de 2006, …

O mundo e os personagens de Y: O Último Homem

“Na ficção, todas as sociedades formadas apenas por mulheres são geralmente retratadas tanto como reinos perfeitos onde a guerra e a intolerância foram completamente eliminadas, ou como impérios fascistas governado por lésbicas que odeiam homens”, disse Vaughan. “Estes mundos sem homens quase nunca refletem a complexidade e diversidade das mulheres reais”. Duas delas têm uma importância vital na série Y: O Último Homem: a Agente 355 e a Dra. Allison Mann. A Agente 355 serve como guarda-costas de Yorick. Versada nas mais diferentes formas de combate ela guarda consigo o segredo do Culper Ring e a missão de conduzir o último homem a um destino seguro. Adepta das armas de fogo, sua principal arma é um cacetete. O nome da personagem nunca é revelado na trama, mas o escritor confessou que muitas pistas foram plantadas no sentido do leitor descobri-lo. Na realidade, existiu um agente 355 durante a Revolução Americana, ele era um espião cuja identidade nunca foi revelada. A Dra. Allison Mann se sente culpada por ter iniciado a praga, devido a suas pesquisas …

Conheça Y: O Último Homem

Morte e sexo. Dois temas que atraem as pessoas. Eles são o estopim da trama de Y: O Último Homem. O ano é 2002 e uma praga arrasou a civilização e todos os machos, ou seja, todos portadores do cromossomo Y, são erradicados da face da Terra. Todos? Não.Um artista de fugas, recém formado em Letras e seu macaco capuchinho resistem bravamente. Y: O Último Homem, junto com Fábulas, de Bill Willingham, veio para dar um novo fôlego para o selo Vertigo. Escrita por Brian K.Vaughan (Ex Machina, Fugitivos, Ultimate X-Men) e desenhada pela estreante Pia Guerra, a série é uma ótima recomendação para aquele seu amigo que não lê quadrinhos regularmente e também é uma forma de trazê-lo para o mundo dos quadrinhos, tal é seu poder de prender o leitor. Muito já se falou que os méritos são dos cliffhangers, as pontas soltas, que Vaughan deixa na história e das quais é mestre. Você TEM que saber o que acontece depois. É impossível ficar indiferente. Além de haver os cliffhangers de cada história …

Avaliação Geral: Vertigo Crime (2)

Nesta segunda parte escolho qual dos volumes daria o melhor filme policial, qual deles é o título mas apelativo da série, John Constantine e o uso da metalinguagem.                 Sinopse da Editora: É verão em Nova Iorque, mas um “calafrio” assola a cidade – um assassino em série está à solta e está ficando cada vez mais sádico. A polícia de Nova Iorque e o FBI têm uma suspeita: uma linda jovem chamada Arlana. O único problema é que toda testemunha dá uma descrição diferente dela. Como isso é possível? Nada faz o menor sentido a ninguém, a não ser para Martin Cleary, um policial irlandês de Boston, com um grande segredo em seu passado – um passado que remete a um século ou dois… Comentário: Calafrio é o mais fraco volume da coleção. Talvez pelo que seja o mais apelativo, por isso ganhou todas as estrelas do chocômetro. Como devem saber, não gosto de linguagem de baixo calão nas histórias que leio, a não ser que seja …

Final e Finalidade

2012 foi o ano em que os brasileiros se despediram de duas das séries mais elogiadas de Brian K. Vaughan: Ex Machina e Y: O Último Homem. A primeira envolvia um super-herói eleito prefeito por ter impedido a queda da segunda torre do Empire State Buiding no onze de setembro. A segunda mostrava um futuro apocalíptico onde quase todos os homens do mundo haviam sido erradicados, a não ser por um deles, vivendo em um mundo dominado pelas mulheres. Diversas vezes Brian K. Vaughan falou se identificar com os protagonistas de suas séries, Mitchel Hundred e Yorick Brown, dizendo que havia imbuído os dois com características suas. Mestre em caracterizações e em diálogos, Vaughan, apostou alto em suas séries abordando política e questões de gênero numa indústria saturada de quadrinhos sobre super-heróis. Poderia ter sido um fracasso, mas o roteirista soube manter o interesse e a polêmica girando sobre suas séries. Abordou temas controversos em Ex Machina: racismo, casamento homossexual, legalização da maconha, liberdade religiosa e aborto, apenas pra citar alguns. Em Y: O Último …

As 20 Melhores HQs que li em 2012

Bom, a proposta é mesmo essa aí. Listar as 20 melhores histórias em quadrinhos que eu li em 2012, na minha humilde e particular opinião. Não constam só HQs que foram lançadas em 2012, mas aquelas que tive acesso neste ano que passou. Em 2008 fiz uma coisa parecida, mas escolhi somente 10. Neste ano como tive mais de 120 leituras entre livros de ficção, não-ficção, graphic novels e encadernados, sem contar gibis mensais e minisséries resolvi colocar mais. E não pense que foi um ano improdutivo por causa das muitas leituras. Trabalhei muito este ano, fiz cursos, escrevi pra valer, lancei um livro e houveram prêmios. Claro que houveram maus momentos, como a doença e morte da minha avó, mas no saldo geral foi um ano bem produtivo. Um dos mais. Mas vamos ao que importa: a lista. Ela não segue nenhuma ordem de importância, apenas alfabética. A Chegada, Shaun Tan Uma HQ sem palavras pode dizer muita coisa? A Chegada é uma prova disso e além: cria um universo totalmente diferente, mas não …