Todos os posts em: Análises

Um ponto dos quadrinhos sendo analisado.

Mas, Afinal… O Que é Uma Graphic Novel?

As graphic novels estão aí nas bocas e nas mãos de todo mundo. Nas bancas, nas livrarias, se transformando em animações, em filmes e em séries. Embora, quando eu falo o termo para minha mãe eu tenho que repetir, repetir e por fim dizer: “um livro em quadrinhos, mãe!”. Mas onde surgiu esse termo e a o que mesmo ele se refere? Vamos deixar que gente como Bryant Talbot, Scott McCloud, Eddie Campbell e Will Eisner dêem suas definições e vamos tentar compor alguns pontos em comum.

Anúncios

Aprendam: O Mercado de Quadrinhos Não Quer Ser Revolucionado!

Essa semana a Marvel lançou as capas de sua nova iniciativa: Marvel Legacy. Embora eu tenha gostado muito, parece que o pessoal em geral não achou nada empolgante. Lidar com a expectativa do público não é fácil, ainda mais em um mercado de produções culturais seriadas. Diferente de meios como cinema, não temos trailers de eventos de quadrinhos que, através dos quais, que podemos pesar se o buzz está exagerado ou não. É apenas o boca a boca e a internet. E isso pode prejudicar muito as estratégias de divulgação das empresas.

A Diferença Entre a Avaliação de Crítica e Público Nos Quadrinhos

Nas artes em geral, sempre vemos uma grande discrepância entre avaliações de críticos e de público. È muito comum obras que foram sucesso de crítico, não serem de público. Por outro lado, pode também haver o insucesso compartilhado e o sucesso para os dois lados da moeda. Mas como essa diferença se dá em diferentes tipos de entretenimento? E como se dá nos quadrinhos?

A Evolução do “Grande Inimigo” nos Quadrinhos de Super-Heróis

Os quadrinhos de super-heróis estão sempre travando uma guerra. A diferença é que com o passar dos anos e das eras, o “grande inimigo” retratado nos quadrinhos de super-heróis vai mudando. Eu gostaria de falar aqui um pouco sobre essa necessidade dessas publicações de tratar o inimigo como uma massa amorfa e homogênea e como isso influi na nossa cultura. Cidadãos “de bem”, acesse a seguir!

E o Renascimento DC? Está Vendendo Bem No Brasil?

Claro, obvio obóvio que não temos números oficiais. Diferente dos Estados Unidos, isso não é divulgado aqui no Brasil. Mas, como somos brasileiros e colocamos bombril na antena da TV e usamos copos de requeijão pra tomar refri, aqui tudo é na base da gambiarra. Usamos os números de coleções do Guia dos Quadrinhos e um pequeno estudo comparado para definir o veredicto. Sigam-me os que fazem gambiarra em casa e na vida!

Direitos Humanos São Coisas De Super-Heróis?

Muito se discute na internet a representação dos super-heróis, sendo eles, hoje em dia, em sua maior parte dando destaque para mulheres, negros e gays. Parcelas da sociedade que, além de não serem representadas, eram silenciadas. Também se discute os super-heróis apoiarem movimentos dos direitos humanos em suas histórias. Com esse artigo pretendo dizer que esse apoio e essa representação está dentro do âmago do que é ser um super-herói.

Os Diálogos Transformadores de “Mulher-Maravilha”

O filme da Mulher-Maravilha está conquistando corações e mentes por todo o mundo (onde é permitido ser assistido) e cativado adultos e crianças com sua mensagem de luta e união. Muito dessa conquista vem da direção de Patty Jenkins e dos roteiros do filme, mas também da química entre Gal Gadot e Chris Pine. Vamos falar um pouco sobre esses diálogos?

Pantera Negra e o Afrofuturismo de Wakanda

Saiu o teaser de Pantera Negra e nele ficamos sabendo que Wakanda é um país escondido do resto da humanidade. Uma nação próspera e futurista que poderia ser considerada o El Dorado que não se encontrava na América latina, mas no coração da África. Esse futurismo nós podemos encontrar presente nas histórias do Pantera Negra desde sua criação. Vamos falar um pouco sobre Afrofuturismo e as histórias do Príncipe T’Challa. Venha comigo!

SUPERSEXO: Como Seria Uma Relação Sexual Com o Superman?

Ah tá, quer dizer que você nunca pensou nisso? Estaria mentindo quem dissesse que não. Em muitas mídias já vimos o Superman se envolvendo com muitas mulheres – e até homens, em realidades paralelas, mas nunca foi falado nada sobre o intercurso do Superman. Na DC Comics de hoje em dia, o Homem de Aço até tem um filho com Lois Lane, provando que sim, é possível um alienígena transar com uma terráquea e terem filhos.

O Uniforme e os Símbolos da Mulher-Maravilha: Evolução e Significados

O filme da Mulher-Maravilha está nas telonas e a Gal Gadot está ahazando como a personagem. Um filme bem dirigido, bem roteirizado, enfim, o melhor filme da DC. Claro, não precisa muito, vamos combinar. Mas o mais legal desse filme é que não faz menção aos Estados Unidos em um momento sequer. E vamos lembrar que o uniforme da amazona de Themyscira tem tudo a ver com a Old Glory, a bandeira dos Estados Unidos. Por isso eu queria discutir aqui os símbolos que fazem parte do uniforme da Mulher-Maravilha, seus significados e como ele mudou ao longo dos tempos.

Al Capp, Ferdinando e As Soluções Para os Problemas do Mundo (?)

Vai e volta, os quadrinhos são uma tela em que a crítica social ocorre. Seja nos quadrinhos da Turma da Mônica ou no universo dos super-heróis, seus autores estão sempre contestando a realidade. Mas teve um quadrinho que, para quem conhece mais a fundo a história dessa mídia, sempre foi sinônimo de arte sequencial e crítica social. Se trata de Ferdinando (Lil’ Abner) de Al Capp, e é sobre ele que vamos falar agora.

O Problema da Defasagem na Indústria de Quadrinhos Periódicos

Você já desistiu de ler um quadrinho porque a continuação dele não vinha nunca? Eu já. E tenho desistido ao longo do tempo. Afinal, não existe memória tão boa assim que consiga reter uma história por mais de três meses sem relê-la. Vou falar aqui um pouco dos problemas dessa defasagem no consumo e na apropriação das histórias pelos leitores.

Cullen Bunn: O Roteirista dos Supervilões

Cullen Bunn é um dos principais nomes dos roteiristas de quadrinhos da nova geração. Em pouco tempo já angariou inúmeros títulos sob seus cuidados, tendo participado da criação e da reintrodução de diversos personagens famosos tanto da Marvel quanto da DC. Não sabe de quem eu estou falando? Então me acompanhe e conheça mais do trabalho de Cullen Bunn.

A “Teoria do Degrau” e a Mudança de Gostos na Leitura de Quadrinhos

Quem lê quadrinhos há muitos tempo, como eu, que leio há mais de vinte anos, sabe que nossos gostos e preferências de leitura vão mudando ao longo do tempo. Por isso resolvi trazer da literatura a “teoria do degrau” para discutirmos um pouco o avanço – ou regressão – desses gostos e hábitos.

A Narrativa das Cores nas Histórias em Quadrinhos

Muita gente considera o trabalho de cores algo de segundo escalão em uma revista em quadrinhos. Muitas editoras também, muitas vezes deixando os coloristas de fora dos créditos principais de uma revista, ou da capa de algumas edições. A verdade é que as cores são tão importantes num quadrinho quanto um texto ou um desenho, pois elas acrescentam uma dimensão maior a toda atmosfera que estamos experimentado em um quadrinho.

A Memória Coletiva e Geracional dos Leitores de Quadrinhos

Por que existe tanto conflito entre os nerds dos quadrinhos quando o assunto é validar uma ou outra geração de super-heróis? Por que muitos insistem em categorizar certas pessoas como leitores de quadrinhos raiz e leitores de quadrinhos nutella? Isso é facilmente explicado através do funcionamento da memória coletiva do ser humano que, ao contrário do que a maioria pense, não é estanque, mas flutuante.

Autobiografias em Quadrinhos ou Autoficções em Quadrinhos?

As graphic novels atuais estão muito ligadas à autobiografia, ou melhor, à escrita de si, contando histórias que marcaram a vida dos autores e suas relações com essas histórias. Mas chamar um quadrinho de autobiografia é correto, será que não existiria um termo melhor para descrevê-los? Vamos ver a seguir.

Será Mesmo Que Diversidade Não Vende?

No último mês, os executivos de vendas da Marvel Comics acusaram a diversidade dos seus personagens como fator das baixas vendas das suas revistas.Enquanto isso, a DC Comics, com títulos quinzenais dos seus medalhões está dando de lavada na concorrente no quesito vendas. Mas será mesmo que diversidade não vende?

A Criação do Superman Através do Mito da Virilidade Alemã

O período entreguerras foi um grande criador, recriador e mantenedor de mitos. Para convencer os jovens de que era necessário se alistar nas forças armadas, as nações iniciaram a valorizar ideais nacionalistas e entre eles, estava associada a virilidade do homem masculino. Essa era a verve do momento em que os super-heróis foram criados. Vamos dar uma olhada em como se deu a criação do mito da virilidade masculina.

A Manipulação do Leitor Através do Autor de Quadrinhos

Toda linguagem pressupõe um ato de troca, todo ato de troca pressupõe uma relação de poder. Toda comunicação pressupõe uma dominação, ou seja, uma dominação. De certa forma, o autor de quadrinhos conduz o leitor em um fio da narrativa que o leva até onde o autor deseja. Aqui vamos  ver melhor como se dá esse processo.

O “Complexo de Vira-Lata” dos Quadrinhos

Em 1950, em pleno Maracanã, a Seleção Brasileira foi derrotada pela Seleção Uruguaia de Futebol, na final da Copa do Mundo daquele ano. Uma crônica do jornalista e dramaturgo Nelson Rodrigues atribuiu a derrota do time brasileiro à uma espécie de trauma, que batizou de viralatismo. A seleção só se recuperaria do choque em 1958, quando ganhou sua primeira Copa do Mundo de Futebol. Mas isso não se aplica somente ao futebol ou aos brasileiros. Aqui, vamos ver como isso se aplica aos quadrinhos.

Quem é André LeRoy Davis e Por Que a Marvel Está Fazendo Capas Variantes Com Ele?

Tá vendo a arte que ilustra este post? Bem, ela é de Andre LeRoy Davis. Ela não tem proporção, ela não tem equilíbrio, ela é pintada com lápis de cor. Ou seja, eu e você poderíamos fazer, ou até seu filho ou sobrinho de cinco anos faria melhor. Então eu fui pesquisar e tentar entender porque LeRoy está fazendo meia dúzia de capas variantes da Marvel.

Eu Matei Bruce Wayne

Uma das mais recentes sagas do Batman, de Tom King, traz a revelação de que o Batman gosta de arriscar sua vida porque tem tendências suicidas. Isso poderia explicar o comportamento arredio, sombrio e pouco amigável do Homem-Morcego. Mas as implicações e nuances psicológicas dessa afirmação poderiam ir muito mais longe, mostrando que o Batman matou um lado importante da sua psique: Bruce Wayne. E é sobre isso que vou discorrer agora.

As Mulheres Criadoras Mais Poderosas dos Comics

A indústria de quadrinhos é machista? Você pode dizer que sim, você pode dizer que não. Mas os números, maninho, ah, esses não mentem. Vamos comentar aqui uma lista de quadrinistas mais prolíficas e poderosa da indústria dos comics norte-americanos e vamos tentar ver aonde chegamos com esses nomes e números. 1, 2, 3, lá vou eu! Quem não seu escondeu é meu!

A Sua Zona de Conforto e o Legado da Diversidade

Já falamos muitas vezes aqui de como as revistas em quadrinhos de super-heróis por um lado exigem personagem imutáveis e, por outro, faz com que eles acompanhem as transformações da sociedade. Também falamos da característica infinita das narrativas de super-heróis – elas nunca acabam, estão sempre contando mais e mais histórias desses personagens. Já falamos ainda da importância da diversidade nos quadrinhos. Hoje vamos falar sobre essa dicotomia entre imutabilidade x transitoriedade.

O Poder dos Quadrinhos e as Mudanças da Sociedade

Os quadrinhos de super-heróis mudam incessantemente. Essa é a maneira que eles se utilizam para manter personagens datados sempre fresquinhos. Dessa forma eles também renovam e atraem novos públicos de acordo com sua necessidade de histórias. Venha saber um pouco mais sobre isso.

Os Problemas e as Soluções da Fantasia nos Quadrinhos

Quadrinhos, em sua maioria são baseados na fantasia. Claro, existe a alta fantasia, aquela estilo Senhor dos Anéis que envolvem dragões, magos e peripécias em mundo estilo medieval. Mas a fantasia faz parte da nossa fantasia de leitor e nos ajuda a mergulhar na história. Mas possui seu lado bom e seu lado ruim. Aqui vou falar um pouco sobre isso.