10 Casos em que “Não era Amor, Era Cilada” dos Super-Heróis

Chegou o Molejão! É isso aí! Inocente, apaixonado. Eu ‘tava crente crente que ia viver uma história de amor. Quem nunca se sentiu assim que atire a primeira pedra! É uma cilada, Bino! Muitas vezes o cilador pode se confundir com o ciladado, porque se o amor é alguma coisa, é uma relação de trocas. Para o seu vilão o vilão é você mesmo. Afinal, se um não quer, dois não amam e se um não quer, dois não brigam. Se existe alguma culpa no cartório, certamente é dos dois. Mas longe de discutir a natureza dos relacionamentos estão as histórias de super-heróis que nos fazem pensar tudo tudinho no preto e branco e em heróis e vilões. Viemos trazer essas ciladas muito mais fáceis de sair e de se entender do que na vida real. Por isso, não confunda a realidade com a ficção. Na realidade, os vilões não são tão bem definidos quanto nos quadrinhos!

Continuar lendo “10 Casos em que “Não era Amor, Era Cilada” dos Super-Heróis”
Anúncios

Melhores e Piores Leituras de Setembro de 2019

Olá mergulhadores! Estamos de volta com nossa sessão mensal que expõe nossas melhores e piores leituras feitas durante o mês! Este mês tivemos poucas leituras, apenas 25 classificadas como boas e 5 classificadas como ruins. Mas você vai perceber que tivemos muitas leituras de livros sobre quadrinhos e que eles são importados, o que demanda uma leitura mais apurada e demorada. Mas está vindo um coisa muito legal nesse sentido, que só vou revelar quando estiver pronta. Enquanto você ficam especulando, aproveitem para dar uma olhada nas nossas leituras do mês de setembro. tem muita coisa legal (e outras, nem tanto!). 

Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Setembro de 2019”

Comemorando o “Batman, Dei”: Batman e Outros Super-Heróis Pelados

Rá! Você achou que iriamos ficar com a morcega de fora das comemorações do “Batman Dei”? Nananina. Necas! Necas mesmo, gente! Vamos comemorar esse dia tão especial do Homem-Morcego com um ensaio erótico feito para a Revista G Magazine (Revista G Magazine é meio O The Flash, né?) que traz não só o Bátima, mas seus amigos heróis e concorrentes Homem-Aranha e Capitão América. Quem será que ganha essa diz puta? Essa luta de espadas? Bem, dessa vez os paus estão realmente na mesa e você pode comparar pra ver quem ganha! Essa é a nossa “homenagem” ao Batman e sei que você também vai querer homenagear! Então, chama o Bat ma pra mim!

Continuar lendo “Comemorando o “Batman, Dei”: Batman e Outros Super-Heróis Pelados”

Algumas Analogias Sobre Adoção nas Histórias de Shazam!

Existem diversas alegorias e metáforas no universo das revistas do Capitão Marvel, agora chamado apenas de Shazam! Muitas delas, contudo, se referem à família. Essa instituição social tem uma importância mais profunda na série de Shazam! principalmente porque Billy Batson é órfão e é uma criança, diferente de outros heróis que são órfãos mas são adultos como Batman, Superman e Homem-Aranha. Por isso, as alegorias à família e à adoção são mais destacadas tanto em versões atuais de Billy Batson tanto nos quadrinhos quanto em seu filme recente. Mas o escritor dominicano Junot Diaz tem uma ideia interessante sobre essas metáforas que vamos apresentar neste post. 

Continuar lendo “Algumas Analogias Sobre Adoção nas Histórias de Shazam!”

Ramona Fradon: Importante Presença Feminina nos Quadrinhos da Era de Prata

A Era de Prata é lembrada como aquela época em que as histórias dos super-heróis assumiram suas formas mais bizarras. Isso porque existia o Código de Ética do Quadrinhos que censurava diversos aspectos das histórias de quadrinhos que hoje em dia estão liberadas. Pense bem: lobisomens, vampiros e mortos-vivos não poderia aparecer, personagens femininas eram desencorajadas para serem usadas pelos criadores, sexo e violência então, nem pensar. Imaginem então como devia ser uma mulher criadora de quadrinhos em tempos como estes. Uma das poucas que se destacava naquela época foi Ramona Fradon, que desenhou diversas histórias de heróis da Era de Prata. Você vai conhecer um pouco mais sobre ela neste post. 

Continuar lendo “Ramona Fradon: Importante Presença Feminina nos Quadrinhos da Era de Prata”

O Machismo e as Histórias da Batwoman dos anos 1950

Nos dias de hoje muito se fala sobre Kate Kane, a Batwoman como um epítome da lebianidade nos quadrinhos. Mas antes dela, havia nas histórias em quadrinhos Kathy Kane, a Batwoman dos anos 1950, que foi criada como uma compensação para o sentimento de homossexualidade latente entre Batman e Robin, destacado pelo psiquiatra Fredric Wertham em seu livro Sedução dos Inocentes. A personagem foi abordada nas histórias de Grant Morrison num retcon, mas havia sucumbido muitos anos antes no final da década de 1970. Batwoman foi um fruto de seus tempos, usando uma cartilha de atuações para lá de machista em todos os caminhos que suas histórias tomavam. Neste post vamos falar sobre as consequências do Código dos Quadrinhos nas histórias de Batman e Robin a partir da inserção da Batwoman, Kathy Kane.

Continuar lendo “O Machismo e as Histórias da Batwoman dos anos 1950”

Bem Mais “Sagas Definitivas” da DC Comics pela Eaglemoss no Brasil

Que a Editora Eaglemoss vêm publicando diversos materiais na sua coleção de graphic novels da DC Comics, você deve estar sabendo, correto? Mas talvez você não tenha dado uma atenção maior à coleção irmã a esta, que publica as “Sagas Definitivas” da DC Comics no Brasil. Claro, o preço é maior, mas o custo benefício, no final das contas fica mais aproveitável do que manter a coleção principal. E tem muita coisa legal e material inédito ou que fazia muito tempo que não era publicado no Brasil. Neste post vamos falar um pouco mais sobre essa expansão da coleção “Sagas Definitivas” da DC Comics pela Editora Eaglemoss.  Continuar lendo “Bem Mais “Sagas Definitivas” da DC Comics pela Eaglemoss no Brasil”

Os Novos (Pela Enésima Vez) Jovens Titãs, de Adam Glass e Bernard Chang

Os Titãs são uma equipe que sempre está sendo relançada em novas séries de quadrinhos. Desde sua invenção, nos anos 1950, com certeza tivemos mais de dez versões de seus títulos, isso sem falar de suas equipes criativas e componentes de time. O último desses relançamentos foi o segundo título da equipe dentro da iniciativa Renascimento DC, dentro da continuação do evento Sem Justiça, que rearticulou as equipes de super-heróis da DC Comics. Este novo título dos Jovens Titãs, que aporta no Brasil este mês pela Panini Comics traz um gosto da dinâmica estabelecida nos anos 1980 pela dupla Marv Wolfman e George Pérez. Vamos falar mais a respeito disso, a seguir.  Continuar lendo “Os Novos (Pela Enésima Vez) Jovens Titãs, de Adam Glass e Bernard Chang”

Melhores e Piores Leituras de Agosto de 2019

Temos quase quarenta, isso mesmo 40, mini resenhas fresquinhas e frescalhonas para você ler agora aqui no Splash Pages. Dizem que agosto é o mês do desgosto e isso pode até lá ser verdade, já que quase dez dessas leituras estão entre as piores do mês. Algumas ficaram num ponto limbo intermediário e foram parar nas melhores porque né, o copo tá quase sempre meio cheio. E tá quase sempre meio cheio porque se não tiver, como levar a vida com ele meio vazio? Não dá, né? Então encham o seu copo de cerveja, hidromel, Pepsi ou guaraná, suco de laranja, leitinho com nescau de bolinha ou o que você quiser e venha acompanhar essas nossas resenhazinhas! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Agosto de 2019”

Campanhas no Catarse Para Fazer Você e os Quadrinistas Felizes!

É inegável que o site de crowdfunding, ou seja, de financiamento coletivo Catarse se tornou uma das principais formas de se viabilizar quadrinhos no Brasil. Em um país cujo investimento em cultura e educação (e aqui se encontram nossos amados quadrinhos) são cada vez menores, os quadrinistas precisam “se virar nos 30” para encontrar alternativas para viabilizar suas histórias. Uma dela é o financiamento coletivo, que não é um incentivo nem público (que existem poucos), nem de empresas (que não existe nenhum, a não ser pela lei Rouanet (ou Adnet, como uns insistem em chamar)). Esse incentivo é dos apaixonados pela nona arte dos quadrinhos, leitores como você, que podem fazer com que essa arte continuem sendo admirada por gerações futuras. Resolvi, então, trazer alguns quadrinhos que estão na plataforma e são de amigos que estão sempre juntos comigo na luta por mais arte e HQs no Brasil! Vamos lá, afinados leitores! Continuar lendo “Campanhas no Catarse Para Fazer Você e os Quadrinistas Felizes!”

Supergirl: 60 Anos da Super Prima de Aço

Em janeiro deste ano, a Supergirl completou sessenta anos desde sua aparição, em 1959, vinda do espaço para se encontrar com seu primo Kal-El, o Superman. A Supermôça, como foi batizada no Brasil, em sua primeira aparição aqui, vive uma das melhores fases de sua carreira graças à série de televisão homônima no canal Warner, vivida por Melissa Benoist. Esta série é, de longe a melhor e mais completa retratação de Kara Zor-El para outras mídias. Para celebrar este momento histórico da moça de aço, a prima mais super do mundo, vamos citar alguns momentos e versões da Supergirl nesses seus sessenta anos de existência. Continuar lendo “Supergirl: 60 Anos da Super Prima de Aço”

Super-Heróis: O Futuro dos Santos?, por Leandro Karnal e Luiz Estevam de Oliveira Fernandes

No livro Santos Fortes, os historiadores Leandro Karnal e Luiz Estevam de Oliveira Fernandes analisam retratos do sagrado no Brasil, mais precisamente os santos católicos romanos e suas influências e confluências no Brasil. Qual não foi a minha surpresa que, ao pesquisar sobre sincretismo, me deparo no posfácio deste livro com nomes de super-heróis bastante conhecidos. Os autores sugerem que os super-heróis poderiam ser uma mutação dos santos para um futuro próximo, como uma forma de culto, que tem tudo a ver com as formas de culto atuais da religiosidade cristã. Então resolvi transcrever uma parte deste texto em que eles encaram a santidade dos super-heróis. Sem blasfêmia aqui. Continuar lendo “Super-Heróis: O Futuro dos Santos?, por Leandro Karnal e Luiz Estevam de Oliveira Fernandes”

Os Injustiçados Criadores de Justiceiros: As Biografias de Bill Finger e Joe Shuster

Estão nas livrarias físicas e virtuais duas publicações falando sobre a vida de dois grandes criadores de prestigiados super-heróis. Talvez os dois maiores super-heróis de todos os tempos. Temos a biografia de Bill Finger, criador e roteirista do Batman e de Joe Shuster, criador e desenhista do Superman. O que ambas têm em comum? É que estes criadores viveram, durante muitos e muitos anos, no ostracismo, sem serem creditados como autores destes grandes personagens. Os dois criadores sempre relegados à marginalidade para que a empresa que detinha os direitos à sua publicação, a DC Comics, retirasse toda a glória gerada por estes fabulosos super-heróis. Agora vamos falar mais um pouco sobre biografias, ausência de créditos e as carreiras dessas figuras, sem as quais a cultura pop não seria a mesma.  Continuar lendo “Os Injustiçados Criadores de Justiceiros: As Biografias de Bill Finger e Joe Shuster”

Alienígena Demais. Lanterna Verde, de Grant Morrison e Liam Sharp

No mês de julho, a Panini Comics publicou a primeira edição de Lanterna Verde, um novo título que ficou aos cuidados do superstar Grant Morrison e do virtuoso dos desenhos Liam Sharp. Teria tudo para der certo, certamente. Mas, para mim, não funcionou. Isso porque Grant Morrison quis experimentar com a linguagem alienígena, que acaba de difícil acesso para o leitor, hermética demais. Por outro lado, a arte de Liam Sharp também está diferente, não é a mesma de seus trabalhos anteriores na DC Comics. Neste post vamos falar um pouco mais sobre a nova série de Lanterna Verde e a razão pela qual Grant Morrison e Liam Sharp falharam no seu intento.  Continuar lendo “Alienígena Demais. Lanterna Verde, de Grant Morrison e Liam Sharp”

“Santa Sexualidade! Batman e Robin Me Tornaram Gay”, por Steve Berry

A oitava edição da revista underground de quadrinhos Gay Comix, assim como a nona edição, eram temáticas de super-heróis (gays, é claro!). Para o editorial, o leitor Steve Berry falou sobre sua relação especial com os personagens Batman e Robin e como eles despertaram a sua (homo)sexualidade. O relato de Berry é muito mais afetivo e carismático do que os apelos feitos pelo psiquiatra Fredric Wertham. Neste post, além de trazer na íntegra e traduzido o texto de Berry, vamos apresentar algumas teorias de porque os gays acabam criando casais gays onde eles não existem, principalmente na mídia de quadrinhos. Por isso, peço encarecidamente, NÃO COMENTE COM HATE, e leia pelo menos todo o post antes de comentar algum disparate. Agradecemos a preferência! Continuar lendo ““Santa Sexualidade! Batman e Robin Me Tornaram Gay”, por Steve Berry”

Melhores e Piores Leituras de Julho de 2019

Caros mergulhonautas e splashonados, já é agosto e julho chegou ao final! Então é hora do quê? Do quê? Da nossa listinha esperta de leituras melhores e piores feitas no mês, com diversos tipos de leitura, do europeu ao mangá, do gringo ao nacional, do mainstream ao experimental. Também temos algumas mini resenhas sobre livros teóricos sobre quadrinhos. São mais de quarenta mini resenhas este mês, então pegue sua pipoquinha para se preparar para ler essa enorme lista de leituras! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Julho de 2019”

As Mais Interessantes Mulheres-Gato do Live Action

A personagem Mulher-Gato sempre foi um símbolo sexual para os homens e mulheres que a admiram. Ela já foi encarnada por muitas atrizes no audiovisual, seja nas animações com as dublagens, seja em seriados e filmes para o cinema. Neste post fizemos um ranking das mulheres que interpretaram a personagem Mulher-Gato nos cinemas e nas séries. Começando pela menos interessante e indo até a mais multifacetada. Sim, esse é um ranking de mais e de menos! Ahá! Pensou que nunca teríamos um destes por aqui? Estava muito enganado! E teremos até um bônus track! Vamos às nossas gatas-mulheres. Continuar lendo “As Mais Interessantes Mulheres-Gato do Live Action”

Discutindo a Segunda Edição de Relógio do Juízo Final

Julho foi o mês em que recebemos a segunda edição de O Relógio do Juízo Final, a minissérie que homenageia a seminal obra de Alan Moore e Dave Gibbons, Watchmen. A proposta é fazer uma intersecção do mundo de Watchmen com o mundo atual da DC Comics, onde vivem Batman, Superman, Mulher-Maravilha e seus aliados e inimigos. Nesta edição Rorschach, Ozymandias e seus aliados viajam na nave do Coruja até a realidade do Universo DC e se encontram com os homens mais inteligentes deste mundo: Lex Luthor e Bruce Wayne. Mas algumas coisas vão complicar no processo. Vamos falar um pouquinho sobre esta segunda edição neste post. Continuar lendo “Discutindo a Segunda Edição de Relógio do Juízo Final”