10 Grandes Editoras dos Comics: Hoje e Sempre

Vamos falar sobre grandes editoras dos comics? Bom, quando falamos em grandes editoras não queremos falar sobre casas publicadoras como a Marvel e a DC Comics. Queremos falar da força das mulheres por trás de grandes publicações da indústria dos comics norte-americanos. Muita gente por aí não valoriza o trabalho das mulheres e acha que elas ficam a dever quando se trata de qualidade. Este post serve para desfazer esse mito, mostrando que muitos dos trabalhos importantes dos quadrinhos foram feitos a partir da orientação de mulheres. Estão preparados para conhecê-las? Então vamos lá!

Continuar lendo “10 Grandes Editoras dos Comics: Hoje e Sempre”

O Machismo e as Histórias da Batwoman dos anos 1950

Nos dias de hoje muito se fala sobre Kate Kane, a Batwoman como um epítome da lebianidade nos quadrinhos. Mas antes dela, havia nas histórias em quadrinhos Kathy Kane, a Batwoman dos anos 1950, que foi criada como uma compensação para o sentimento de homossexualidade latente entre Batman e Robin, destacado pelo psiquiatra Fredric Wertham em seu livro Sedução dos Inocentes. A personagem foi abordada nas histórias de Grant Morrison num retcon, mas havia sucumbido muitos anos antes no final da década de 1970. Batwoman foi um fruto de seus tempos, usando uma cartilha de atuações para lá de machista em todos os caminhos que suas histórias tomavam. Neste post vamos falar sobre as consequências do Código dos Quadrinhos nas histórias de Batman e Robin a partir da inserção da Batwoman, Kathy Kane.

Continuar lendo “O Machismo e as Histórias da Batwoman dos anos 1950”

Bem Mais “Sagas Definitivas” da DC Comics pela Eaglemoss no Brasil

Que a Editora Eaglemoss vêm publicando diversos materiais na sua coleção de graphic novels da DC Comics, você deve estar sabendo, correto? Mas talvez você não tenha dado uma atenção maior à coleção irmã a esta, que publica as “Sagas Definitivas” da DC Comics no Brasil. Claro, o preço é maior, mas o custo benefício, no final das contas fica mais aproveitável do que manter a coleção principal. E tem muita coisa legal e material inédito ou que fazia muito tempo que não era publicado no Brasil. Neste post vamos falar um pouco mais sobre essa expansão da coleção “Sagas Definitivas” da DC Comics pela Editora Eaglemoss.  Continuar lendo “Bem Mais “Sagas Definitivas” da DC Comics pela Eaglemoss no Brasil”

Melhores e Piores Leituras de Agosto de 2019

Temos quase quarenta, isso mesmo 40, mini resenhas fresquinhas e frescalhonas para você ler agora aqui no Splash Pages. Dizem que agosto é o mês do desgosto e isso pode até lá ser verdade, já que quase dez dessas leituras estão entre as piores do mês. Algumas ficaram num ponto limbo intermediário e foram parar nas melhores porque né, o copo tá quase sempre meio cheio. E tá quase sempre meio cheio porque se não tiver, como levar a vida com ele meio vazio? Não dá, né? Então encham o seu copo de cerveja, hidromel, Pepsi ou guaraná, suco de laranja, leitinho com nescau de bolinha ou o que você quiser e venha acompanhar essas nossas resenhazinhas! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Agosto de 2019”

Alienígena Demais. Lanterna Verde, de Grant Morrison e Liam Sharp

No mês de julho, a Panini Comics publicou a primeira edição de Lanterna Verde, um novo título que ficou aos cuidados do superstar Grant Morrison e do virtuoso dos desenhos Liam Sharp. Teria tudo para der certo, certamente. Mas, para mim, não funcionou. Isso porque Grant Morrison quis experimentar com a linguagem alienígena, que acaba de difícil acesso para o leitor, hermética demais. Por outro lado, a arte de Liam Sharp também está diferente, não é a mesma de seus trabalhos anteriores na DC Comics. Neste post vamos falar um pouco mais sobre a nova série de Lanterna Verde e a razão pela qual Grant Morrison e Liam Sharp falharam no seu intento.  Continuar lendo “Alienígena Demais. Lanterna Verde, de Grant Morrison e Liam Sharp”

“Santa Sexualidade! Batman e Robin Me Tornaram Gay”, por Steve Berry

A oitava edição da revista underground de quadrinhos Gay Comix, assim como a nona edição, eram temáticas de super-heróis (gays, é claro!). Para o editorial, o leitor Steve Berry falou sobre sua relação especial com os personagens Batman e Robin e como eles despertaram a sua (homo)sexualidade. O relato de Berry é muito mais afetivo e carismático do que os apelos feitos pelo psiquiatra Fredric Wertham. Neste post, além de trazer na íntegra e traduzido o texto de Berry, vamos apresentar algumas teorias de porque os gays acabam criando casais gays onde eles não existem, principalmente na mídia de quadrinhos. Por isso, peço encarecidamente, NÃO COMENTE COM HATE, e leia pelo menos todo o post antes de comentar algum disparate. Agradecemos a preferência! Continuar lendo ““Santa Sexualidade! Batman e Robin Me Tornaram Gay”, por Steve Berry”

Melhores e Piores Leituras de Julho de 2019

Caros mergulhonautas e splashonados, já é agosto e julho chegou ao final! Então é hora do quê? Do quê? Da nossa listinha esperta de leituras melhores e piores feitas no mês, com diversos tipos de leitura, do europeu ao mangá, do gringo ao nacional, do mainstream ao experimental. Também temos algumas mini resenhas sobre livros teóricos sobre quadrinhos. São mais de quarenta mini resenhas este mês, então pegue sua pipoquinha para se preparar para ler essa enorme lista de leituras! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Julho de 2019”

A Vertigo Morreu. E eu Sei Quem Matou.

Este mês fomos pegos de surpresa com a ausência de títulos da linha de quadrinhos adultos da DC Comics, a Vertigo, em suas solicitações mensais. As revistas da Vertigo já não vinham nem vendendo tão bem e nem vinham sendo o sucesso de crítica que já foram um dia. Por outro lado, movimentos ultraconservadores vêm tolhendo a criatividade de autores e artistas fazendo mobilizações contra quadrinhos – não só da Vertigo – que impedem de inovar tanto em forma como em conteúdo. Então, dentro da análise que pretendo estabelecer aqui, gostaria de indagar se foram mesmo as baixas vendas que desgraçaram a Vertigo ou se foram as mudanças e restrições no comportamento sócio cultural dos indivíduos. Vamos à discussão.  Continuar lendo “A Vertigo Morreu. E eu Sei Quem Matou.”

Melhores e Piores Leituras de Maio de 2019

Maio foi um mês intenso. Quase não consegui parar para escrever nada no blog porque precisava entregar um quadrinho todo desenhado por mim, mas entre mortos e feridos salvaram-se todos. E o que salvou os acessos do blog foi a bunda do Lúcifer, ou melhor do Tom Ellis, que incrementou os números aqui. Isso que eu chamo de “Save As”. Este mês de maio, entretanto, teve inúmeras leituras, de europeus a mangás, de super-heróis a quadrinhos alternativos, de independentes a hipercomercializados. Então prepare seu mouse para clicar no post e acompanhar toda essa jornada de leituras e minirresenha que vêm aí! Sigam-me os bons! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Maio de 2019”

Melhores e Piores Leituras de Abril de 2019

Mergulhadores! Este mês continuamos com o compromisso de trazer o maior números de minirresenhas sobre quadrinhos que conseguimos fazer. Este mês foram 50 publicações resenhadas, entre livros teóricos sobre quadrinhos, gibis de super-heróis, material importado, mangás, quadrinhos independentes, autobiografias, quadrinhos europeus e muito mais. Dê uma rolada na tela do nosso post e pare para ler as resenhas dos quadrinhos que você sempre quis saber como eram ou se deveria ou não comprar. Temos uma lista de melhores e, ao final, de piores leituras do mês. Quem gosta de quadrinhos não pode ficar de fora! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Abril de 2019”

Como a Mulher-Gato Serve Como Atenuante Para a Homoafetividade Entre Batman e Robin

O mito da homossexualidade latente ou revelada entre Batman e Robin é bastante difundida, seja na cultura aqui do Brasil ou mesmo em seu local de criação, os Estados Unidos. Contudo, essa relação nunca foi demonstrada nos cânones das revistas em quadrinhos. Mesmo assim, a DC Comics, editora de posse dos personagens já empreendeu diversas tentativas de livrar os personagens deste estigma. A última delas, foi a inserção de uma versão lésbica do Batman, a Batwoman. Ou seja, o Batman gosta de mulheres, mesmo quando é uma mulher. Outro fator importante de uma deshomoerotização do relacionamento entre a dupla dinâmica foi a sexualização cada vez mais acentuada da Mulher-Gato que, nas histórias recentes de Batman chegou a ser pedida em casamento pelo Homem-Morcego. Vamos falar mais sobre que papel a Mulher-Gato tem nessa tentativa de desmistificar um possível relacionamento homossexual entre Batman e Robin. Continuar lendo “Como a Mulher-Gato Serve Como Atenuante Para a Homoafetividade Entre Batman e Robin”

Os Piores Quadrinhos Que Li em 2018

Muito mais que a lista, ou as listas, dos melhores quadrinhos que tivemos no ano que passou, a lista mais aguardada e mais acessada é sempre a dos piores quadrinhos lidos no ano anterior. Bem, meus amigos mergulhadores, essa espera acabou. Está na hora de revelar as piores experiências de leitura que eu tive em 2018 e vocês entenderão a razão delas terem sido tão horríveis nas minirresenhas que as acompanham. Por isso, pegue o saquinho de vômito que está localizado na poltrona na frente de você e nos acompanhe por um tour no nosso Túnel do Terror de 2018! Continuar lendo “Os Piores Quadrinhos Que Li em 2018”

Os Melhores Quadrinhos Estrangeiros Que Li em 2018

Olá pessoal que segue o blog! Estou dando continuidade à lista de melhores e piores leituras do ano que passou. Nesta classificação eu preciso explicar uma coisa antes. Estrangeiros aqui são os quadrinhos que não são nem Brasileiros e nem Americanos, ou seja, de países que possuem menos representatividade comercial e menos representatividade em números de títulos publicados por ano aqui no Brasil. Bem, explicado isso, vou apresentar a lista para vocês! Vamos lá! Continuar lendo “Os Melhores Quadrinhos Estrangeiros Que Li em 2018”

Afinal, Por Que Alan Moore é Chamado de Mago?

Você já deve ter visto em muitos textos que falam sobre o roteirista de quadrinhos Alan Moore que ele é referido como o “mago de Northampton”, ou ainda “o mago dos quadrinhos”, ou “o mago do caos”. Mas por que ele é referido assim e que tipo de magia ele pratica? Será magia negra, será magia branca, será que ele fuma e vê duendes e gnomos? Será que ele pratica rituais satânicos imolando bodes e cabras? Ou será que ele gosta de se apresentar em festas infantis tirando coelhinhos da cartola? Agora você vai saber! Continuar lendo “Afinal, Por Que Alan Moore é Chamado de Mago?”

QUE TAL… Super-Heróis Escritos Por Woody Allen?

Woody Allen é um diretor de cinema famoso por suas “marcas de estilo” totalmente características de sua obra, o que caracteriza o seu cinema como uma “cinema de autor” ou ainda, de “auteur”. Alguns quadrinhos também podem ser considerados como quadrinhos de autor, porque carregam no traço dos escritores que os produzem, isso sem falar nos desenhistas, cujo traço já dá a cara do quadrinho num primeiro olhar. Assim, fizemos um exercício e tentamos pensar que super-heróis poderiam ser escritos por Woody Allen se compararmos algumas obras cinematográficas deste diretor com alguns super-heróis que ele poderia escrever, ou quem sabe, até mesmo dirigir. Continuar lendo “QUE TAL… Super-Heróis Escritos Por Woody Allen?”

Melhores e Piores Leituras de Novembro de 2018

Ufa, amigos mergulhadores! Neste mês de novembro eu queria ser Jamie Madrox, o Homem-Múltiplo para dar conta de tantas tarefas. Mas, sim, eu consegui trazer para vocês muitas resenhas de quadrinhos de todos os tipos e também de livros sobre quadrinhos. também estou nos preparativos da Comic Con Experience (CCXP), onde vou lançar dois quadrinhos. Vocês podem me encontrar na mesa B14 do Artists Alley, vamos bater um papo e vocês podem conhecer meu trabalho também como roteirista. E agora, depois do break, vocês podem conferir quase 40 resenhas legais de quadrinhos, bons e ruins! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Novembro de 2018”

A Polêmica Revista Heavy Metal da Mythos Editora

Um leitor havia identificado a capa da revista Heavy Metal, capitaneada por Grant Morrison em um vídeo que a Mythos Editora havia lançado falando de futuras publicações. Mas, apesar da imagem estar entre os lançamentos, a editora negou veementemente que a revista estava em seus planos. Como sabemos que é prática de outras editoras, como a Panini Comics Brasil, negar lançamentos batendo o pé até sangrar e, no mês seguinte, a revista aparecer à venda, nós, leitores continuamos ressabiados com o “equívoco” da Mythos. A revista Heavy Metal saiu, mas não como os leitores pensavam. O nome era o mesmo, mas o conteúdo, outro. O que levantou uma polêmica sobre ética na produção editorial de quadrinhos. Depois de um tempo de resistência, fui ler a HQ. Resultado: Adorei! Mais detalhes no texto a seguir! Continuar lendo “A Polêmica Revista Heavy Metal da Mythos Editora”

Melhores e Piores Leituras de Outubro de 2018

Olá mergulhadores! Vocês se lembram daquele videogame e daquele quadrinho em que o Superman usa seus poderes para estabelecer uma ditadura tirânica sobre o planeta Terra e o Batman e aliados tentam derrubar o déspota? Pois é, se lembrem dessa história. Querem saber o motivo? Hum… É que tem o review do volume final de Injustiça: Deuses Entre Nós esse mês (e o começo de outra leva de Injustiça… cof… cof…). Este mês temos 32 mini reviews para todos os gostos. De tirinhas a livros teóricos, de super-heróis a autobiografias em quadrinhos. Trinta e dois ao todo, quatro mais ou menos e cinco ruins, o resto tudo bão. Aproveite enquanto ainda podem ler minhas resenhas. Tomorrow never knows.

Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Outubro de 2018”