Melhores e Piores Leituras de Março de 2019

Batemos mais um recorde! Um recorde próprio, claro! Mas se no mês passado tivemos cinquenta quadrinhos e/ou livros sobre quadrinhos resenhados, este mês nós temos 52 quadrinhos! Isso mesmo OS NOVOS 52!!! A DC Comics e o Dan DiDio curtiram muito isso, mas principalmente esse número cabalístico que apresentamos para vocês! Que coisa… Mas nem tudo são Novos Deuses neste mundo… Também temos Apokolips… Então temos uma boa dose de leituras ruins e radioativas para você evitar a todo custo. Ligue suas caixas maternas e vamos nos transportar para esse mundo das mini resenhas! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Março de 2019”

Como a Mulher-Gato Serve Como Atenuante Para a Homoafetividade Entre Batman e Robin

O mito da homossexualidade latente ou revelada entre Batman e Robin é bastante difundida, seja na cultura aqui do Brasil ou mesmo em seu local de criação, os Estados Unidos. Contudo, essa relação nunca foi demonstrada nos cânones das revistas em quadrinhos. Mesmo assim, a DC Comics, editora de posse dos personagens já empreendeu diversas tentativas de livrar os personagens deste estigma. A última delas, foi a inserção de uma versão lésbica do Batman, a Batwoman. Ou seja, o Batman gosta de mulheres, mesmo quando é uma mulher. Outro fator importante de uma deshomoerotização do relacionamento entre a dupla dinâmica foi a sexualização cada vez mais acentuada da Mulher-Gato que, nas histórias recentes de Batman chegou a ser pedida em casamento pelo Homem-Morcego. Vamos falar mais sobre que papel a Mulher-Gato tem nessa tentativa de desmistificar um possível relacionamento homossexual entre Batman e Robin. Continuar lendo “Como a Mulher-Gato Serve Como Atenuante Para a Homoafetividade Entre Batman e Robin”

Como a Mulher-Maravilha se Tornou Um Símbolo do Movimento Feminista?

Quando foi criada, em 1941, pelo psicólogo William Moulton Marston, a Mulher-Maravilha tinha a intenção de passar a mensagem de liberação feminina – mas para os homens. Era a eles que suas histórias eram voltadas para que, segundo o criador da personagem, os homens acabassem submetidos às mulheres. Contudo, com o passar dos anos e das guerras, a Mulher-Maravilha se mesclou na cultura popular de tal forma que a segunda onda do feminismo resolveu encampar a personagem para si. Isso ocorreu a partir da primeira edição da revista Ms., editada pela jornalista Gloria Steinem. Essa edição provocou uma mudança não só na percepção da personagem, como nas histórias da Mulher-Maravilha. É sobre a relação da Mulher-Maravilha com a revista Ms. que vamos falar agora. Continuar lendo “Como a Mulher-Maravilha se Tornou Um Símbolo do Movimento Feminista?”

Guia de Leitura: Capitã Marvel

Caros leitores e leitoras do Splash Pages, estão empolgados com o filme que vem aí da Carol Danvers, a Capitã Marvel? A primeira heroína da Marvel a ganhar um filme live-action solo? Mas se você pensa que Carol Danvers surgiu faz pouco tempo na cronologia da Marvel, bem, você está redondamente enganado. Ela anda pela Casa das Idéias desde o seu comecinho, nos anos 60, quando figurava como interesse de Philip Lawson, o Capitão Mar-Vell, dos kree. Nesse meio tempo ela foi próxima de pessoas como James Howlett, o Wolverine e Ben Grimm, o Coisa. Bem como serviu de ombro amigo para Tony Stark, o Homem de Ferro e também foi membro dos Vingadores e dos Piratas Siderais. Não é muito fácil travar um Guia de Leitura para ficar por dentro das histórias da Carol. Mas tem o que vocês não me pedem sorrindo que eu não faço chorando? Sejam bem-vindos ao Guia de Leitura da Capitã Marvel! Continuar lendo “Guia de Leitura: Capitã Marvel”

Como Jack Kirby Pode Ter Interligado os Universos da Marvel e da DC Comics?

Já vimos muitos encontros de heróis da Marvel e da DC Comics nos quadrinhos e agora um filme dos bonecos Funko promete trazer o primeiro crossover entre as duas grandes editoras de super-heróis dos Estados Unidos para o cinema. Alguns quadrinhos desses crossovers já afirmaram algumas vezes que os Universos Marvel e DC acontecem juntos. Outros disseram que se passam de duas dimensões separadas. Outros ainda dizem que somente um personagem em especial pode fazer a ligação entre estes dois universos. Mas talvez Jack Kirby tenha vindo com uma solução para tudo isso, que estava debaixo dos nossos narizes e ninguém tinha percebido. Lendo Os Novos Deuses esse estalo veio até mim. A seguir, você vai ficar por dentro desta teoria.
Continuar lendo “Como Jack Kirby Pode Ter Interligado os Universos da Marvel e da DC Comics?”

Quando os Personagens Escapam das Intenções dos Seus Criadores

Hoje vamos falar sobre um assunto capcioso, mas que está fora do alcance dos leitores, dos produtores e das editoras de quadrinhos. É o fato de como os personagens acabam moldados no conhecimento popular, ou daquilo que se estabeleceu como memória coletiva. Muitas vezes os personagens escapam daquilo que os seus criadores intencionavam para eles, mesmo na maioria dos casos esta intenção aparecer bem clara para os leitores. Seria um problema de falta de interpretação? De interpretação errada? Ou seria de interpretar coisas a mais do que o texto e as imagens informam? Vamos discutir os casos de Rorschach, Coringa, Justiceiro, Lobo, Juiz Dredd e, claro, do Capitão Nascimento. Continuar lendo “Quando os Personagens Escapam das Intenções dos Seus Criadores”

Love Street: As Aventuras do Jovem Johnny Constantine e do Velho Sandman

Nos anos 90, a Vertigo publicou Love Street, uma espécie de crossover entre as publicações de Hellblazer e de The Dreaming, ou seja, dos universos de John Constantine e de Lorde Morpheus, o Sandman. A história se passa nos anos 60, no auge da onda hippie e coloca Constantine no castelo do mago Roderick Burgess que aprisionou Sandman por vinte anos, antes de começar as histórias de Morpheus em Prelúdios e Noturnos. Então, a história acaba contando paralelamente o que aconteceu naqueles fatídicos anos 60 e “agora”, nos anos 90, quando Constantine e seus amigos precisam livrar uma conhecida de uma possessão macabra. Continuar lendo “Love Street: As Aventuras do Jovem Johnny Constantine e do Velho Sandman”

Gays, Zumbis, Séries de TV: A Popularização de Riverdale e Sabrina

Você curte a série Riverdale, do CW Channel (Warner, aqui no Brasil), com a turma de Archie Andrews, Jughead Jones, Betty Cooper e Veronica Lodge sempre metidos em suas confusões adolescentes? E a série do Netflix, com a feiticeira demoníaca Sabrina, suas tias bruxas e seu mestre Satã? Parece que eles surgiram agora, não é? Mas Archie foi publicado pela primeira vez nos anos 1940, nos quadrinhos, e Sabrina, por sua vez, nos anos 1970. Nessa época também teve o desenho da TV de Josie e as Gatinhas, que muito passou no Cartoon Network. Bem, todos esses três universos estão interligados e nós vamos contar para vocês como foi que essas criações acabaram virando séries de TV de grande sucesso de crítica e audiência e, mais ainda, como Archie Andrew, um personagem muito do americano, acabou conquistando um mercado que ele sequer tocava: o mercado internacional! Continuar lendo “Gays, Zumbis, Séries de TV: A Popularização de Riverdale e Sabrina”

Guia de Leitura: Arqueiro Verde

O Arqueiro Verde vem aproveitando de uma boa fase de popularidade, principalmente pelo fato do personagem estrelar o seriado Arrow, encarnado por Stephen Amell. A popularidade da série Arrow é tanta, que as séries irmãs Flash e Supergirl formam o que foi conceituado como Arrowverse. Mas quando as pessoas querem ler quadrinhos protagonizados pelo Arqueiro Verde, não sabem por onde procurar ou por onde começar. Pensando nisso, fizemos mais um novo Guia de Leitura, dessa vez estrelado pelo Arqueiro Esmeralda de Star(ling) City. Pegue seu arco e flecha e mirem na sua leitura! Continuar lendo “Guia de Leitura: Arqueiro Verde”

Melhores e Piores Leituras de Setembro de 2018

Neste mês que passou, mais conhecido como setembro de 2018, foi o mês em que estive na Bienal de Quadrinhos de Curitiba, participando de alguns painéis e do artist alley. Também aproveitei para ler bastante por lá, muita coisa que comprei e troquei lá mesmo. Mas eu ando reparando que estou me tornando um velho chato e que ninguém escapa disso. Nos outros anos, havia no máximo três quadrinhos ruins na seção de ruins, agora são no mínimo quatro. Ou sou eu ou os quadrinhos tão ficando piores. Sei lá. Bem, neste post temos quase quarenta minirresenhas do mês de setembro, dentre as quais sete são ruins. Leia por sua conta e risco e tire suas próprias conclusões. Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Setembro de 2018”

Melhores e Piores Leituras de Agosto de 2018

Este mês de agosto foi bastante carregado. Eventos, trabalhos, estudos, de tudo um pouco. Até a umidade do ar aqui em Porto Alegre ficou carregada, chegando até a 100%. Desse jeito não tem ser humano que não se sinta cansado ao chegar o final do mês. Mas mesmo assim, atingimos o recorde de 40 resenhas neste mês. parece que quando a gente está mais atrolhado de coisas é que acaba fazendo muito mais. Ironias da vida, também atingimos número recorde de leituras ruins no mês, que são 10. E isso também são ossos do ofício. Bem, chega de trololó e vamos para a lista de melhores e piores leituras do mês. Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Agosto de 2018”

O Incrível Caso dos Desenhistas Clones

Existem desenhistas que, de enxergar de longe, você já sabe de quem é a autoria do desenho. Outros, nem enxergando bem de pertinho. Porém, existe um caso ainda mais incrível que essa discrepância. O caso dos desenhistas clones. Aquelas obras de desenhistas que são tão parecidas que, às vezes fica difícil dizer de quem é qual. Fizemos uma lista com trinta desenhistas e quinze pares de clones. Não colocamos desenhistas brasileiros para não rolar aquele processinho esperto. Mas basta dizer que nos anos 90, o mercado queria era muito mais Jim Lees e muitos mais Rob Liefelds, Marc Silvestris e coisas assim. Isso acabou criando uma escola, não só no Brasil. Mas deixa o Brasil, que aqui só se pode falar bem dos nossos autores, não é mesmo? Vamos é mexer com os gringos. Preparados? Apontar… Fogo! Continuar lendo “O Incrível Caso dos Desenhistas Clones”

Diabolik: Bandido Bom ou Bom Bandido?

Diabolik é o bandido mais astuto dos quadrinhos. Esqueça os supervilões. Diabolik não possui poderes, ele tem a manha, ele saca dos paranauês. Ele tem os equipamentos e o treinamento necessários para aplicar grandes golpes, roubar grandes fortunas, obras de arte, jóias caríssimas, artefatos antigos. E o melhor (ou pior) disso tudo? Os leitores o amam. principalmente na Itália. Ausente das publicações do Brasil por por pelo menos 25 anos, o personagem foi trazido de volta pela Editora 85, que publicou este volume em questão através de uma campanha do Catarse. É sobre Diabolik que vou falar neste post. Acompanhe! Continuar lendo “Diabolik: Bandido Bom ou Bom Bandido?”

Ajuda dos Universitários. Sílvio Santos: Vida, Luta e Glória, de R. F. Lucchetti e Sérgio M. Lima

Quem nunca assistiu ao Sílvio Santos na televisão? Jogue a primeira pedra quem nunca. Sem dúvida esse comunicador brasileiro influenciou gerações de telespectadores do Oiapoque ao Chuí. Sabendo da importância da figura do ‘homem do baú”, a Editora AVEC trouxe de volta a biografia em quadrinhos de Sílvio Santos. Mas, para isso, a editora contou com a ajuda dos universitários, como faziam os participantes de O Show do Milhão, o programa mais popular de Sílvio Santos na televisão. As Faculdades Integradas Rio Branco assumiram o compromisso de recuperar os originais da publicação, tratando as imagens. O resultado foi uma nova edição de Sílvio Santos: Vida, Luta e Glória. Vamos falar um pouco mais sobre ela aqui. Continuar lendo “Ajuda dos Universitários. Sílvio Santos: Vida, Luta e Glória, de R. F. Lucchetti e Sérgio M. Lima”

A Diferença na Representação dos Gêneros nos Quadrinhos

Já falamos e muitas outras pessoas, sites, trabalhos de conclusão, artigos acadêmicos, personalidades dos quadrinhos já falaram a respeito da sexualização da mulheres (e também dos homens) nos quadrinhos. Mas como isso se aplica para os desenhistas e para as desenhistas de quadrinhos? Como essa dinâmica das diferenças nas retratações dos gêneros masculino e feminino nos quadrinhos mudou ao longo dos tempos, se é que mudou? Vamos pegar emprestado um artigo de uma das maiores teóricas do gênero nos quadrinhos, Trina Robbins, para discutir essas mudanças. Continuar lendo “A Diferença na Representação dos Gêneros nos Quadrinhos”

Melhores e Piores Leituras de Junho de 2018

Olá mergulhadores! Chegamos ao fim de mais um mês, o mês de junho, o mês da visibilidade e representatividade LGBT. Por isso, esse mês tivemos vários posts dedicados a esse tema. Contudo, nossas leituras do mês não ficaram só nisso. Tem muitos super-heróis, Renascimento, capas duras, coleções históricas, Vertigo… mas o que mais impactou nesse mês foi a quantidade de leituras que foram classificadas como ruins. Fazia tempo que não tínhamos tantas aqui no nosso melhores/piores do mês! São mais de vinte resenhas para você ler e tirar suas próprias conclusões! Então, sigam-se os bons e aproveitem! Continuar lendo “Melhores e Piores Leituras de Junho de 2018”

Como e Por Que Batman Se Tornou, De Repente, Um Personagem Cômico Nos Anos 60?

O Batman! Ele se esgueira pelas noites assustando os fora da lei, castigando os criminosos, massacrando os vilões e… fazendo rir a família americana durante o horário nobre. Pera, não é o Batman que você conhece? Ah, mas é o Batman que toda uma geração de americanos passou a conhecer a partir dos meados dos anos 60, com o famoso seriado do SOC! BIFF! BANG! Mas como foi que o cruzado embuçado se tornou motivo de riso de todo um país se ele foi criado para meter medo nos criminosos e também nos leitores. Se era para respeitar o Batman, por que todos riam dele nos anos 60? A resposta você vai ler neste post. Continuar lendo “Como e Por Que Batman Se Tornou, De Repente, Um Personagem Cômico Nos Anos 60?”

DC Comics Vai Vender Revistas Exclusivamente Através do Walmart. Será Que Isso é Bom?

Essa semana a DC Comics anunciou uma nova estratégia de vendas para suas revistas. Novos títulos de 100 páginas focando os principais heróis e equipes da editora fazem parte da iniciativa Giant. O título trará três histórias que serão republicações e uma história inédita. O interessante é que a DC Comics chamou medalhões para cuidarem das histórias de Superman e Batman a partir da edição 3 dessas revistas. A venda dos quadrinhos será de exclusividade da rede de lojas Walmart. Neste post vamos discutir essa nova jogada de marketing da DC, o quanto ela é importante para o mercado de quadrinhos como um todo e, claro, também o conteúdo dela com histórias antigas e inéditas. Continuar lendo “DC Comics Vai Vender Revistas Exclusivamente Através do Walmart. Será Que Isso é Bom?”